Clube do Pai Rico
Adquira o seu agora mesmo!


Candlestick – O que o Zé faz para ganhar dinheiro na Bolsa de Valores ?

Existem várias maneiras de olharmos o gráfico propriamente dito, em linha, em barras e o famoso/poderoso/salve salve Candlestick. Preciso dizer qual é o modelo escolhido por mim ? 🙂

Antes de saber da existência deste estilo de gráfico – quando comecei a operar, eu usava o tradicional gráfico em linha:

Mas … olhe para este gráfico, ele parece não passar informação “alguma” … fica tudo meio vago, mostrando somente o caminho percorrido pelas cotações em determinado período de tempo, concorda? E como eu não sabia nada de nada, e não precisava ter informação alguma de lugar algum, era mais do que o suficiente, eu só queria era saber das cotações, hehehe.

Agora me diga, olhando o mesmo gráfico, porém plotado usando o estilo candlestick:

Não fica muito diferente ? Só de olhar já é possível ver inúmeras informações. Mesmo sem saber absolutamente nada sobre o estilo de gráfico, a pessoa pode perceber que existem diferenças entre cada barrinha … Por que umas são vermelhas e outras verdes ? O que são estes “riscos” que algumas barras apresentam ? Viu ? Sem ter nem ideia do que seja a pessoa repara em alguns detalhes … já no gráfico anterior nada é nada e tudo é tudo. 🙂

Meu primeiro contato

Como falei no segundo texto desta série, foi através do amigo Nathal que passei a conhecer o Candlestick. Na mesma hora em que vi um gráfico neste estilo pela primeira vez, pensei exatamente nos pontos que falei acima, reparei nos detalhes e supus que cada um tivesse seu motivo e o principal: Seu significado.

Descobri que as cores identificavam quais barras marcavam dias de queda ou de alta, sempre em relação aos dados de abertura das negociações, o que eram os “riscos” (que são as cotações percorridas durante o período de formação da barra), e o principal, fui apresentado a infinidade de padrões que este tipo de gráfico nos proporciona … e com padrões leia-se oportunidade de trades !

Neste gráfico você poderá encontrar um grande quantidade deles, tanto para alta quanto para baixa. Mas não pretendo transformar este texto em uma “aula” sobre o assunto. Caso você deseje aprender a interpretar candlesticks, indico a leitura deste livro.

Pondo em prática

Durante o curso o Nathal frisava que deveríamos imprimir os padrões e espalhar por todo canto, para que pudéssemos nos acostumar com eles e identifica-los ao bater o olho num gráfico. Não cheguei a tanto, hehehe, mas sempre que podia olhava a relação dos principais padrões. Umas … 3x por semana … dedicava uns 30 minutos a cada “sessão” e partia para os gráficos para tentar identificar os padrões.

É muito legal neste primeiro momento quando você começa a olhar gráficos antigos e vê que realmente, os principais movimentos são marcados pelos padrões … você não vê a hora de começar a usar nos gráficos que estão sendo plotados em real time.

Quando senti que já sabia uma boa quantidade de padrões, resolvi pôr em prática o que já havia aprendido. Lembrando que os textos desta série estão sendo escritos “como aprendi”, na ordem cronológica dos fatos, lembre-se sempre disso. Até agora já usava Suportes e Resistências e Candles. “Tudo isso”. 🙂

Sim, operava usando só isso e nada mais. “Tá num suporte, deu sinal, compra !” ou “Tá na resistência, deu sinal, vende !” Loucura não ? Sim, total ! Não usava mais nada, e o principal, ainda não usava STOP ! Mas quer saber da pior ? Durante MUITO tempo funcionou … coisa de louco … Dava sinal x, compra. Dava sinal y, vende. Dava padrão xyz, compra … e foi assim, durante muito tempo, sempre acertando. 😯

Fui salvo de um desastre …

Não me pergunte como … mas naquela época só isso era o suficiente para ter lucro em 100% dos trades que eu realizava … e olha que o mercado em 2001 estava bem doido … mas de um trade em especial eu nunca vou esquecer … olhe o gráfico abaixo:

Reconhece ? Clique no gráfico para ampliar. Na época chamávamos ela de Globo Cabo, e tinha o código PLIM4 (bem sugestivo não ?), e pasmem: Era negociada a aproximadamente R$ 1 ! (uns poucos centavos a mais) Sim … então quem tinha aquela ação naquela época comprada por R$ 1 – e ela chegou a valer R$ 4 poucos meses antes … – teria ainda que esperar subir umas 5x ! Afinal hoje ela vale por volta de R$ 20 … e no “momento do R$ 1” ela valia – a preços de hoje – R$ 95 !

Bom … o que mais você reconhece neste gráfico … olhe para a data: Setembro de 2001 !

O 11 de setembro é aquela barra vermelha, quase no meio do gráfico que vai de R$ 89 (max) até R$ 77,5 (min), quase nada de variação não é mesmo ? 😯

E como nessa época eu olhava só para o candle … e estava posicionado em PLIM … consegui sair ileso do desastre, sai na última barra verde – um shooting star – antes da que marca o 11/09/2001, 4 pregões antes. Agora durma com essa: Os gráficos “anteviram” o que estava por acontecer … ? 😉

E hoje em dia ?

Hoje continuo usando os candles como forma de visualização dos gráficos, mas não uso somente eles como informação decisiva de um trade. Eles integram o conjunto de indicadores que acompanho e uma sinalização deles reforça (ou não) uma possibilidade de operação.

Para mim, acompanhar desta forma facilita a compreensão do que aconteceu no dia com uma rápida olhada.

Já imaginou ser salvo de uma queda de quase 13% num único dia (sem contar os anteriores onde já houve queda) por causa de um sinal ? Isso, ou algo parecido, já aconteceu com você ?

Abraços ! E acompanhem semanalmente a série. Aconselho a todos que assinem o Feed RSS e o Twitter, pois desta forma serão sempre avisados quando um novo texto for publicado.

Candlestick

Nota do Site:
5 Moedas

Candlestick
Carlos Alberto DebastianiAno: 2007
Edição: 1
Número de páginas: 200
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Compre seu livro no Submarino

Outros textos desta série:

Um resumão de tudo o que já passei

Não sabendo de nada, segui os outros …

A minha escolha: Análise Gráfica !

STOP !!

Um estranho no ninho

Suportes e Resistências