Clube do Pai Rico
Adquira o seu agora mesmo!

O que é mais válido: pagar o IPTU à vista (com desconto) ou parcelado ?

Pergunta:

Caro Lippel, bom dia!

Para sua refinada análise e valioso comentário, nesta época de impostos vencendo:

Tenho dois IPTU\’s para pagar, sendo o vencimento à vista ou a primeira parcela agora em fevereiro, desta forma o que valeria mais a pena? Os 6% de desconto oferecidos ou pagar parcelado investindo o dinheiro em primeira mão e ir resgatando todo mês para pagamento das parcelas:

Um dos carnes o máximo são 07 parcelas sem o desconto (seis na verdade, se considerar investir o dinheiro, pois a primeira é na mesma data do pagamento á vista) e o outro em 10 parcelas (nove, considerando a mesmas situação da anterior). Para que houvesse um lucrinho pagando parcelado, onde poderia conseguir tais taxas? O Tesouro Selic seria uma boa, mesmo tendo o desconto do IR ou uma LCI…nestes tempo de queda de juros, esta é a dúvida…ou mesmo quem sabe a velha e tradicional poupança?

Para ajudar…calculei que em 10 parcelas o desconto é de 0,666% ao mês e em 07 parcelas, 0,8555% ao mês, isto linearmente.

Desde já, obrigado pela ajuda, que acredito servirá muito a todos que lhe acompanham!

Amauri

Resposta:

Bom dia Amauri,

Caramba ! Somente 6% de desconto ? 😯

Aqui em Floripa o desconto para quem paga a parcela única é de 20%. Quem escolhe o pagamento parcelado ainda ganha um desconto de 5% se efetuar o pagamento das parcelas em dia. (essa é uma estratégia que costumam adotar, na verdade não é desconto … é uma forma de multar o atraso de forma mais pesada … mas é papo para outra hora, hehehe)

Com um desconto de 20%, como o daqui, dificilmente alguém que tem o dinheiro na mão prefere pagar de forma parcelada. Ou melhor … “dificilmente alguém deveria preferir …”, pois é um desconto MUITO grande quando comparado com as oportunidades de rentabilização tradicionais. Sendo que aqui é parcelado em 12x …

No seu caso, com 6% de desconto pelo pagamento à vista, a coisa é bem diferente. A dúvida é válida e ela deveria ser de todos que têm uma oferta parecida.

Duas situações diferentes, com prazos de pagamento diferentes, e que portanto exigem algumas continhas … Nada pesado, simplificando ao máximo para facilitar as coisas. 😉

Para a simulação usarei um investimento tradicional, como o Tesouro SELIC, que hoje nos entrega 13% ao ano. Para facilitar as contas, usei como IR padrão o pior caso, que é de 22,5% … Com isso o rendimento da aplicação ficará em torno de 0,85% ao mês. Ok ?

O resultado foi de encontra às tuas expectativas ? Ou te surpreendeu ? Esperava que o parcelamento fosse se mostrar mais vantajoso do que o pagamento à vista ? 🙂

Continue lendo …

Preparado para a Black Friday de 2016 ?

O maior evento de consumo com descontos do ano, essa é a Black Friday (que já foi motivo de post aqui no Clube) com seus descontos imperdíveis e ofertas para todos os gostos.

Sim, eu sei que ainda faltam 3 semanas para o evento … Mas é justamente por isso que estou falando sobre o assunto no dia de hoje. 😉

Muita gente acaba usando a Black Friday do “jeito errado”. Querem aproveitar as promoções que literalmente pulam na tela, vindas de todos os cantos. Promoções imperdíveis, 50% de desconto, 80% de desconto ! Ahhhhhhh !!!

Mas … como bem sabemos, as coisas não são exatamente do jeito que prometem. O evento, aqui no Brasil, é conhecido por oferecer incríveis promoções que cobram a metade do dobro do preço. Não são poucos os casos onde o desconto apresentado é meramente ilustrativo, para inglês ver. A propaganda oferece 80% de desconto nos produtos da loja, mas na verdade, apenas aquele pendrive de 1Gb, que está encalhado, é que recebe o desconto …

Resumindo: a Black Friday no Brasil é mais um evento de marketing do que um de ofertas para o consumidor. “Normal”, muitos diriam … 🙁

Mas … nem tudo está perdido

Nem todas as ofertas são de faz de conta. Muita coisa é real, com descontos de verdade. Ofertas de dar gosto. Mas como separar o joio do trigo ? Como saber o que realmente é válido, o que está sendo ofertado de verdade ? Simples … faça a lição de casa.

Lição de casa ? Sim ! Fique de olho nas coisas que você realmente está interessado. Comece a acompanhar os preços dos produtos que você gostaria de comprar neste momento. Aqueles itens e produtos que está precisando, desejando, planejando a compra.

Acompanhe. Veja o preço que está sendo cobrado hoje. Anote em algum lugar, de preferência num que não vá perder. 😉

Faça um acompanhamento destes preços nos próximos dias. Vá em mais de uma loja que oferte o produto.

Continue lendo …

Sabe quem ganha na crise ? Os segundo colocados !

Você pode ter certeza de uma coisa: na hora da crise todos sentem seus efeitos. Uns mais, outros menos. Mas muitos se esquecem que existem os que sentem os efeitos positivos dela ! 😯

Sim ! Você não sabia que existem os que se aproveitam dos momentos de crise ? E não, não estou entrando naquela perigosa área do “no idioma chines, crise e oportunidade tem a mesma grafia“. 😉

Me refiro a um grupo que consegue aproveitar bastante as consequências da crise. Um grupo que muitas vezes passa desapercebido durante os momentos de euforia econômica. Mas que basta a coisa apertar para eles brilharem. Estou falando dos segundo (e terceiro, quarto, quinto …) colocados.

 

Marcas líder

Enquanto as coisas vão bem, enquanto o seu bolso não lhe morde a mão (de fome) por estar vazio, enquanto o oba oba impera; as marcas líder, as mais famosas, as que cobram mais caro, que oferecem produtos “premium“, fazem a festa. Seu mercado é seu, poucas são as ameaças aos seus domínios. Poucos concorrentes menores ousam incomodá-las.

Cobram o preço que querem, pois a situação permite que os consumidores consumam sem “pena”. Concorrência ? Muitas vezes nem sabem que isso existe.

Vemos isso ocorrendo em diversas áreas: alimentação (restaurantes, por exemplo), produtos nos supermercados, prestadores de serviço, etc. A situação econômica permite ? Eles estão a toda !

Mas a situação começa a mudar … O dinheiro a minguar … Os clientes a sumir …

 

As “demais”

É nessa hora que surgem, aparentemente do nada, marcas que oferecem alternativas mais em conta, e que permitem aos consumidores manter o consumo. Porém com um diferencial muito importante: pagando menos.

O pior é que estas marcas estavam lá, desde sempre, bem na nossa cara. Mas que por comodismo ou por hábito/costume, não ousávamos experimentá-las. Mas na hora que a coisa aperta … Ah meus amigos, na hora que a coisa aperta …

Tenho certeza que por mais tranquilas que estejam as coisas para você, alguns “ajustes” no orçamento foram feitos. É natural ! Você se prepara para uma mudança, por mais que “acredite” estar protegido dela. (e tomara que esteja mesmo, hehehe)

Você já tem uma justificativa para arriscar a mudança. 🙂

Algumas destas “experiências” são bem sucedidas. Você encontra substitutos a altura dos produtos que já estava tão acostumado, pagando por eles um preço muito melhor. Algumas servem apenas como prova de que você não podia estar enganado: aquele produto é um pouco mais caro, mas existe uma justificativa para tal preço. Outras servem para você chorar de raiva por ter ousado a troca … 😉

Você pode perceber: lojas e restaurantes “mais simples” começam a ter um público que não tinha antes. Os próprios funcionários e proprietários dos estabelecimentos comentam isso. Dizem que depois que a coisa apertou muitas caras novas começaram a frequentar o seu negócio. Sim, são pessoas que faziam “questão” de ir somente nos lugares TOP, mas que por causa da crise precisaram ousar (para muitos esse é o termo correto) e partir em busca de alternativas.

Alguns fazem isso somente enquanto a grana está curta. Outros não, enxergam que estavam errados em adotar tal postura e agora passam a usar o dinheiro de forma mais consciente.

 

Mudanças pela frente ?

Talvez … Os que antes faziam questão em elevar mais e mais os preços, agora começam a sentir os efeitos da migração de seus clientes. Talvez estejamos próximos do momento em que aqueles preços altos da alimentação fora de casa (que reclamei há algum tempo) façam parte do passado.

Pois, como disse, muitos consumidores que foram provar da concorrência podem acabar não voltando …

É um dos efeitos “benéficos” das crises: um ajuste no que estava desequilibrado. E pode ter certeza … ele virá. 😉

podium

“Economizando” com a energia elétrica

Há pouco mais de 3 anos, uma grande parte da população brasileira foi enganada. A nossa querida e amada presidanta aproveitou as comemorações do 7 de setembro e o orgulho patriótico que contagiava a todos. Naquela ocasião foi informado que o brasileiro gastaria menos com a conta de energia elétrica. A promessa foi de que gastaríamos 15% a menos do que nos era cobrado até então.

Confesso que fui um dos enganados … 🙁

Acredito que foi a primeira vez em que acreditei em algo dito pelo governo federal desde 2003. 😯

Bom … é para aprender. 😉

Mas … parece que agora teremos uma “economia” real. De verdade.

As bandeiras tarifárias

Um dos motivos que fez com que a “promessa” de corte nas despesas com energia elétrica, foi a falta de chuvas nos últimos anos. Graças a isso o governo autorizou a correção das tarifas (básicas), e subiu. Muito. Mais de 100% ! Além disso, foi necessário colocar em ação um plano de emergência. Usinas termoelétricas foram acionadas, e isso trouxe um gasto extra para as concessionárias …

O custo da energia gerada pelas termoelétricas é muito superior ao da nossa base energética, que são as hidroelétricas. Entraram em ação e ficaram ligadas por muito, muito tempo.

O “estranho” é que o problema era concentrado nas regiões Norte/Nordeste, mas as contas foram divididas entre todos os brasileiros. (na verdade, o reajuste destas regiões foi inferior aos do restante do país … vai entender)

Mas parece que a coisa mudou. 🙂

Na semana passada informaram que a partir de abril estaremos livre (finalmente !!) desta cobrança extra. 😀

A bandeira vermelha mudou para amarela (nas contas de março você verá essa mudança), e a amarela já foi para verde.

Qual o peso disso nas contas ?

Olha, na minha conta, a bandeira vermelha era o equivalente a 10% do valor da fatura. A bandeira amarela (da conta que pagarei nos próximos dias), aproximadamente 7%.

Parece ser pouco ? É praticamente o desconto que nos foi prometido no final de 2012 e que acabou ficando apenas no reino do faz de conta …

É, tudo aquilo que falei no post em que falei sobre o desconto, pode ser aplicado agora. 🙂

Alguns aproveitarão para aumentar o consumo, pois poderiam estar represando o uso de determinados equipamentos. Outros aproveitarão para guardar o valor economizado, tentando repor os gastos extras que tiveram durante todo esse tempo … Mais ou menos o que acontece com a Petrobras ao não abaixar o valor dos combustíveis. Sabe ?

Eu sei que eu aproveitarei para embolsar a diferença. 😉

Aproveitando o fato que o verão está no fim, e o pico de calor vai indo junto, o uso do ar condicionado vai diminuindo. Com isso conseguirei economizar um pouco mais. Será o não gasto com as bandeiras tarifárias e uma diminuição do consumo propriamente dito.

Mas me diga: e você, o que pretende fazer com esta diferença no valor da conta ?

 

Leitura recomendada:

Formas reais de se economizar na conta de energia elétrica

 

lampadas incandescentes apagadas e pl acessa

Dicas para o … desafio ! #6

Gostaria de receber mais uma dica de economia que poderá lhe ajudar no Desafio de 2016 ? Mais uma dica simples, que provavelmente poderá ser usada por você. Planos de Fidelização, você já ouviu falar deles ? 😉

Muitos são os serviços que oferecem belos descontos para quem assina um contrato de fidelização por um determinado período. Na maioria dos casos o tamanho do desconto varia de acordo com o tempo de fidelização. E isso é natural. 🙂

Pense: você estará dando ao prestador de serviço a certeza de que fará uso de seus serviços por determinado período. É grana certa que entra nos bolsos dele. Portanto, nada mais natural do que oferecer um desconto a quem aceita ficar preso através de um contrato.

Isso é visto nos mais variados ramos: academias, salões de beleza, escolas, empresas de telefonia … A possibilidade da oferta atinge todos os setores, mudando apenas a forma com que o acordo é fechado. Em alguns casos o acordo prevê apenas que o valor da mensalidade receberá um desconto por causa da fidelização. Em outros o cliente precisa fazer um pagamento antecipado para ter o direito ao desconto. (neste caso a figura do desconto por antecipação se mistura com o da fidelização … tome cuidado para ter certeza que está recebendo um desconto por causa dos dois !)

Uma economia que pode ajudar muito no momento em que você precisa cortar custos. Uma maravilha ! Você poderá planejar o seu orçamento pelo próximo ano, pois já sabe de antemão qual será o seu custo com aquele serviço. E o melhor, sabe que obterá um desconto com ele. O melhor dos mundos. Não ?

Talvez …

Mas e se você, no meio do contrato, perceber que o serviço prestado não é exatamente aquele que esperava receber ? E se, no meio do contrato, você passar por um aperto financeiro tão grande que te exija um corte mais forte nas despesas. Como poderá sair da academia ? Você tem um acordo com ela, restam 7 meses para a conclusão do contrato … Nele é estabelecido que você obterá um desconto de x reais na mensalidade. Porém, lá também é estabelecido que no caso de desistência você terá que pagar a mensalidade do mesmo jeito. 😯

Sim … Em muitos casos o contrato exige que você continue pagando, mesmo que não vá mais. Noutros você precisará pagar uma multa pela quebra do contrato, que, em muitos casos, é o valor que obteve de desconto mais alguma penalização.

Você percebe que aderir a um plano de fidelização, apenas para obter um desconto, pode acabar sendo um tiro no pé ? É … e um que pode trazer muitos problemas depois que você vê a besteira que fez. É um desconto, que poderá lhe ajudar no orçamento. Mas não é somente por causa do desconto que você deve se fidelizar.

Fidelize-se a um prestador de serviço que você já faz uso. Que já conhece. Que gosta. Que pretende ficar por muito tempo como cliente. Ao menos a possibilidade de arrependimento (por causa da qualidade do que é oferecido) é extinta. Restará “apenas” o problema de necessidade de corte forçado nas despesas.

O ideal é que você faça contratos de fidelização mais curtos. De preferência proporcionais ao tamanho do seu colchão de segurança. 😉

Se ele garante 6 meses dos seus gastos, você não terá problema algum em fazer um contrato de 6 meses de fidelização. Talvez até mesmo um de 1 ano. Se tem um colchão de 1 ano, poderá assinar um plano de fidelização de 1 ano, sem pestanejar.

Fidelização por qualidade !

Mas lembre-se: um dos pontos mais importantes na hora de tomar sua decisão a respeito da assinatura de um contrato de fidelização é a qualidade do serviço oferecido. Pode até ser que você não tenha nenhuma experiência com a empresa, portanto o ideal é que você use durante alguns meses como cliente “normal”, pagando mensalmente. Somente depois do período de experiência é que você deveria assinar um contrato mais longo.

Claro, a opinião de amigos e parentes, que já façam uso dos serviços, ajuda bastante nessa hora. Se você conhece alguém (mas é conhecer de verdade, ok ?) e confia em sua opinião, isso pode ajudar na hora de assinar, ou não, o contrato de longo prazo. Mas o ideal é que você ao menos experimente durante algum tempo como cliente normal.

Quem nunca ouviu uma história que envolva a fidelização por causa (apenas) do desconto ? Nas empresas de telefonia celular isso é bem comum. A pessoa assina o contrato, obtém um BELO desconto na compra do aparelho e, depois de alguns meses, se arrepende. Alega que o serviço é ruim, diferente do que foi oferecido, etc etc etc. Telefonia é o mais comum, mas já ouvi diversas histórias de casos mais simples como de uma academia.

Ganhar desconto é bom ! Mas evitar uma dor de cabeça é melhor ainda. 😉

Tenha isso em mente na hora de contratar um serviço com plano de fidelização e seja feliz. 😀