Clube do Pai Rico
Adquira o seu agora mesmo!

Afinal de contas, quanto vai render o meu investimento ?

Ontem, conversando com uma amiga da minha esposa, uma pergunta muito interessante me foi feita:

Eu tinha investido em algumas LCA ao longo do ano, e elas me ofereciam 74%, 77%, 80% do CDI, ontem vi que o Banco me oferecia a mesma LCA em melhores condições. Eles agora entregavam um retorno de 83% do CDI. Resgatei as antigas e coloquei tudo na nova. Fiz um bom negócio ?

Parabéns Ana ! Uma ÓTIMA troca ! 😀

Quando encontramos ofertas de investimento com melhores condições que as adotadas naquele momento, a melhor decisão é trocar as antigas pelas novas. Claro … sempre devemos verificar se não existe nenhuma letra miúda, se não teremos nenhum custo extra, nenhuma perda por conta do resgate (se for antecipado, por exemplo), etc etc etc. Mas a ideia é justamente essa: colocamos o dinheiro em um investimento X, e se no futuro surgir um que apresente características mais interessantes fazemos a migração. 😉

Pode ser por conta do valor inicialmente aplicado, ou por causa das ofertas disponíveis no momento da aplicação. Não importa. Surgiu alternativa mais interessante, a migração é um ótimo negócio. Ainda mais no caso dela, onde era a MESMA aplicação sendo oferecida. Mas agora com um retorno mais interessante.

Pausa: lembra que CDB, LCI, LCA e Tesouro Direto, apresentam uma característica específica em relação à forma com que efetuamos os aportes (dinheiro novo naquele investimento) ? Se não, leia o artigo: “Como funcionam os aportes em CDB e fundos de Renda Fixa ?

Por isso que ela tinha a mesma LCA com ofertas de rendimento diferentes. A cada novo aporte, o banco oferecia taxas diferentes.

“Tá Carlos, mas quanto isso vai me render ?”

Uma LCA, com rendimento de 83% do CDI é uma ótima oferta. Quase o equivalente a um CDB de 100% do CDI para um prazo inferior a dois anos. 🙂

– “Mas … quanto isso vai me render mensalmente ?

A pergunta pergunta pode parecer trivial para você, mas para muitos é um verdadeiro nó na cabeça …

Quanto renderá um investimento que oferece 83% do CDI ? 83% ao ano ? Isso tudo ? 0,83% ao mês ? Mas aqui apresenta rendimento de 0,67% no mês passado

Sim, é algo que não é tão intuitivo para a maioria das pessoas. Siglas e percentuais se misturam e aqui está o nó que citei. 😉

Antes de mais nada: o que é o CDI ?

Eu poderia dizer que o CDI é um Certificado de Depósito Interbancário, que é um título, emitido pelas instituições financeiras para lastrear as transições entre estas instituições … Mas acredito que isso não ajudaria muito na sua compreensão. Correto ?

Prefiro resumir a “CDI é algo que apresenta praticamente o mesmo valor que a SELIC, a taxa de juros do Banco Central“. Se é 100% correta ? Não … mas é uma boa aproximação e que facilita MUITO na compreensão. 🙂

Então, quando dizemos que um investimento vai lhe entregar um rendimento de 83% do CDI, assumimos que ele estará lhe entregando, hoje, um rendimento equivalente a 83% da SELIC, um rendimento de 83% de 8,25% ao ano. O que dá 6,85% ao ano. Mensalmente, algo próximo a 0,57%.

Existem, basicamente, dois tipos de rendimento sendo ofertados no mercado (para estes exemplos de renda fixa que citei): os que apresentam o rendimento literal e os em relação ao CDI.

Sim, existem os que apresentam o rendimento da aplicação. Algo do tipo: “Olha, esse CDB te rende 8,25% ao ano” ou “Olha, esse CDB te rende 100% do CDI“. Hoje é a mesma coisa … Não ?

Sim, HOJE é a mesma coisa … Mas e na hora que a SELIC for alterada ? Digamos que a tendência de queda tenha continuidade e ela vá para os esperados 7% ao ano. Se você contratou um CDB que te entrega 100% do CDI, que hoje rende 8,25% ao ano, na hora que a SELIC estiver nos 7%, esse será o rendimento da sua aplicação.

Se você contratou um CDB que te entrega 8,25% ao ano, hoje igual a 100% do CDI, na hora que a SELIC estiver nos 7% ao ano, ele continuará te entregando os 8,25% contratados. O mesmo ocorre se a SELIC resolver subir e ir para os 9% … O seu CDB continuará entregando 8,25%.

Portanto, para resumir, existem dois tipos de ofertas de rendimento para investimento em Renda Fixa: os absolutos e os relativos. Absolutos dizem exatamente quanto irá render a sua aplicação. Um percentual fixo, imutável até o vencimento. Já o relativo, por ser atrelado ao CDI, entregará um rendimento proporcional ao CDI (SELIC) daquele momento.

Acredito que você já enxergue a validade de um investimento que apresenta retorno absoluto. Não é mesmo ? Fica mais fácil para fazermos simulações de rendimento futuro com ele. 😉

Já nos que têm rendimento relativo … é relativo. 😀

Preste atenção ao que lhe é ofertado ! Se é um determinado percentual do CDI, algumas contas básicas (e informações) serão necessárias para sabermos o rendimento daquele investimento. Se é expresso na forma de um valor direto (percentual), este será o valor entregue até o seu vencimento.

Posso viver somente dos rendimentos mensais do meu Fundo de Ações ?

Pergunta:

Boa tarde, gostaria de saber se a mesma logica usada para rendimentos mensais desse link “Posso viver somente dos rendimentos mensais do meu CDB ?” funciona para fundos de ações por exemplo?

desde ja obrigado

Resposta:

Bom dia Marcos,

Uma reposta simples e direta: SIM !!

Você poderá viver dos rendimentos de qualquer tipo de investimento que você tenha. Ponto Final.

Mas só tem um problema neste caso … Qual vai ser o rendimento que você usará como base para saber qual deverá ser o capital necessário para rentabilizar e com isso ter o capital necessário para pagar suas contas ?

*** cri cri cri ***

É … Impossível de respondermos a essa pergunta. 🙁

Ao contrário do que acontece num investimento de renda fixa, como é o caso do CDB, os investimentos em renda variável são … variáveis. Por mais incrível que isso possa lhe parecer.

E justamente por ser variável, como imaginar o que pode vir no mês que vem ? Ou ainda melhor: virá algo no mês que vem ? 🙄

No caso do CDB, do Tesouro Direto, de um fundo de renda fixa, entre outros, você já sabe no momento da contratação qual será o rendimento que aquele investimento apresentará. Poderá ser expresso em termos relativos ou absolutos. Traduzindo: poderá ser um determinado percentual do CDI (ex: 100% do CDI ao ano) ou o rendimento propriamente dito (ex: 8,25% ao ano).

No caso de um fundo de ações, você não tem a mínima ideia do que poderá vir a acontecer. Se for um fundo passivo (que simplesmente espelha um índice) você espera que ele apresente um retorno parecido com o do índice. Mas qual será esse retorno ? Num fundo de gestão ativa (onde o administrador do fundo realiza operações de compra e venda, na tentativa de obter lucro com estas operações), dependerá da destreza de quem gerencia o portfólio.

Em nenhum dos casos você tem como imaginar o que vai acontecer …

Então, voltando ao começo … Sim, é possível de adotarmos a mesma lógica apresentada no texto onde falo sobre usar a rentabilidade do CDB. O problema é que você não tem como prever qual será a renda gerada pelo investimento e viverá uma eterna batalha de indecisão. O rendimento gerado será o suficiente para pagar suas contas ?

O que muita gente faz nestes casos ? Junta um capital “gigantesco”, para que a mínima variação positiva (com consequente geração de caixa para o investidor) seja suficiente para pagar suas contas. O rendimento foi maior do que o necessário ? Ótimo ! A diferença permanecerá no fundo, rendendo, para que seja usado num mês em que o rendimento não seja suficiente para pagar as contas.

Mas o problema é esse: não saber o que será disponibilizado para ser usado. Não saber o quanto renderá. Não saber quais números usar como base para suas contas …

Num fundo de gestão ativa você até pode usar os números anteriores como base, para ter uma ideia do rendimento médio daquele fundo. Mas sabendo que rendimento passado não é garantia de rendimento futuro … Ok ?

Num fundo de gestão passiva você não tem nenhum número para tomar como base e é um mistério total …

Esse é um dos motivos para que eu insista tanto no gerenciamento ativo e pessoal de sua carteira de ações. Você precisará dedicar uma parcela tão pequena do seu tempo na administração, que não existe justificativa para entregá-la na mão de terceiros … 🙁

Ok … A etapa de estudos tomará um pouco mais de tempo. Mas te garanto que o investimento nessa preparação mais do que compensa o esforço.

Por exemplo, no Double PUT Double CALL, os alunos passam a conhecer uma estratégia de investimento em Bolsa, usando opções (e aprenderão no curso tudo o que for necessário para se investir com elas da forma correta), e estão aptos a usar essa estratégia em apenas 6 semanas. Para usar o método será necessário dedicar 24h do seu dia para o acompanhamento do mercado ? Não !! Apenas alguns poucos períodos de 1 ou 2 minutos diários são mais do que suficientes para gerir seus investimentos através da estratégia apresentada.

E o melhor é que a partir do momento que você assume às rédeas da situação, você passa a ter um pouco mais de controle sobre a parte do rendimento e objetivos a serem alcançados com o investimento. 😉

Portanto, voltando à sua pergunta: Sim, é possível usar fundos de investimento em ações … Mas é algo tão, mas tããão incerto … que você precisaria de um valor bem grande para levar essa ideia adiante. Se pretende fazer isso, dê preferência pelo gerenciamento direto, onde você cuida do investimento em ações diretamente e passa a ter um pouco mais de controle sobre a situação.

Espero que tenha lhe ajudado. 🙂

Abraços !

“Nova” poupança: e não é que ela está de volta ?!!!

Criada em maio de 2012, por conta da redução nas taxas de juro vivenciada naquele momento, a nova poupança tinha uma regra simples: cadernetas criadas após 4 de maio de 2012 passariam a render 70% da taxa SELIC quando essa viesse para um patamar inferior ao de 8,5% ao ano.

Se você não “viveu” aquele momento, sugiro a leitura do post “Dê boas vindas à “nova poupança” !” para entender melhor o ocorrido. 😉

Pois bem … lembra que em fevereiro deste ano eu aventei a possibilidade de que algumas pessoas teriam em suas mãos “minas de ouro” em um futuro utópico ? Parece que esse momento não está mais tão distante e o primeiro passo foi dado.

Qual foi esse primeiro passo ? A caderneta de poupança voltar a render os 70% da SELIC por termos uma taxa anual de 8,25%. Sim, na última quarta-feira o COPOM reduziu a taxa de juros em 1 pp e isso foi o gatilho para o retorno da regra da nova poupança.

É moooo kiridu, a poupança agora rende apenas 5,78% ao ano. É … praticamente a mesma coisa que rendia até então, mas menos do que antes. 🙂

O que você mais verá neste momento serão pessoas crucificando o investimento em poupança. O quão pouco ela rende, que você perde dinheiro, etc etc etc … Ignorando que, infelizmente, ela é a única opção para MUITAS pessoas.

Lembra que falei sobre isso em um post e em um vídeo ?

Sim, se você tem o capital necessário para ir para outro tipo de investimento “nem cogite” ir para a poupança. Mas se você não consegue destinar um valor necessário para tal, mesmo com o baixo rendimento, ela é uma alternativa para que você possa criar sua reserva. Melhor você ter uma caderneta de poupança, onde cria o hábito de poupar, onde o dinheiro rende alguma coisa, do que deixar na conta corrente parado “lhe implorando para ser usado”. É … muita gente não consegue resistir a isso. 🙁

E agora com a volta da “nova” poupança a coisa fica ainda pior. E como nada que está “ruim” não pode ficar ainda pior … a expectativa é que até o final do ano ela venha a render ainda menos. Muitos já apontam SELIC nos 7% ao ano para dezembro. Com isso a caderneta de poupança passaria a render 4,9% ao ano. 😯

Pouco ? É … Mas de novo: melhor pouco do que nada.

Não, você que consegue separar R$50, R$100 por mês não deve destinar essa grana para a poupança. Existem inúmeras alternativas disponíveis em qualquer banco/corretora para esse patamar de investimento. (eu sei que existem bancos com CDB de 100% do CDI para valores a partir de R$1, mas são raridades !)

A poupança é justamente para aqueles que não conseguem tal quantia.

Repetindo: é ruim ? É … mas é melhor do que nada.

Se você tem um valor acima de R$100 na poupança, e ela já está na regra nova, está perdendo dinheiro. Parta para alguma das n alternativas existentes. Ainda não tem ? Use-a (mesmo rendendo pouco) até chegar neste montante.

E não, eu não tenho vergonha alguma em dizer para que as pessoas mais simples e que só podem poupar valores muito pequenos usem a poupança. É desta forma que elas passarão a enxergar a realidade, que conseguirão ver do outro lado do espelho. É experimentando o que há de “pior” no mundo dos investimentos que ela poderá conhecer os conceitos básicos.

Dê as boas-vindas (de novo) para ela, use-a enquanto for necessária, e fuja assim que possível. 😉

Aumentar meu retorno em 0,5pp mensais, me ajuda de que forma ?

Se existe uma coisa que grande parte das pessoas parece simplesmente ignorar, no mundo dos investimentos reais, é a diferença (no longo prazo) de rentabilidades extras, “relativamente” pequenas, no montante final a ser acumulado.

Vai dizer que você nunca viu alguém desdenhando da possibilidade de incluir um retorno extra ao seu portfólio, por conta do “tamanho” dele ?

No mundo das finanças, o que chama a atenção são rendimentos astronômicos. Ter aquela história, guardada na manga, de que o seu primeiro investimento em ações, lhe proporcionou retorno de 100% (oi Acesita !!) é mais interessante do que dizer que o seu investimento lhe traz um retorno mensal um pouco superior ao CDI.

O que é mais empolgante de ser compartilhado numa roda de amigos que conversam sobre investimentos ? 100% ou 1,7% ? … 🙄

Mais uma vez vemos o poder dos juros compostos e do tempo sendo ignorados … 🙁

Você já parou para pensar na diferença que existe entre um investimento que te entregar 0,7% mensais, um que entrega 1,2% e outro que dá 1,7% de retorno mensal ? Aparentemente é pouca coisa … Mas é o tipo de exercício que te faz acreditar na Educação Financeira e no seu comprometimento com ela. 😉

Simulação

Neste nosso exercício usaremos aplicações mensais de R$100 (valor relativamente acessível para todos que leem este post, correto ?) durante 25 anos. Sim, um período mais longo justamente para simular a criação de uma reserva visando o longo prazo, a sua aposentadoria. Ou ainda … a sua tranquilidade sem se importar com o INSS. 😀

Na primeira simulação usaremos uma rentabilidade média de 0,7% ao mês. Sim, algo próximo do que você encontra em qualquer aplicação que te entrega perto de 100% do CDI. (ou da SELIC, se preferir)

Em 25 anos de acumulação pura e simples, você teria R$30 mil em sua conta. Porém, com a ajuda da nossa querida e amada taxa de juros, este valor seria transformado em pouco mais de R$100 mil em um período relativamente curto. Não é curto ? Comece a economizar este valor aos 20 anos e aos 45 já estará com a simulação concluída …

R$100 mil não é muito dinheiro ? Pergunte para uma pessoa que tem o poder de poupança limitado a R$100 mensais se o montante final de R$100 mil não é algo que lhe agrade … 🙄

O principal ponto é: esta ferramenta está disponível a todos. Com um Tesouro SELIC você já consegue obter esse retorno e estará apto a chegar nos R$100 mil da simulação.

Mas e se conseguirmos incrementar um pouco este retorno ? E se colocássemos uma pitada de risco, incluindo o investimento em Bolsa, e como consequência o rendimento subisse um pouco ? E por subir um pouco, leia-se: subir um pouco. Ao invés de um rendimento mensal de 0,7%, simulemos um retorno mensal de 1,2%:

É … com uma pequena diferença no retorno o montante final triplicou ! 😯

Ao invés de chegarmos ao fim de 25 anos com R$100 mil, teremos algo próximo a R$300 mil !

Sim … é quase o dobro do valor originalmente proposto para a rentabilidade média … Mas o retorno não segue a proporção, ele é maior. 🙂

Consegue enxergar que com um pequeno aumento no rendimento, aquela aplicação mensal de R$100 começa a ficar cada vez mais interessante ? 😉

Mas claro, o aumento do retorno surge por conta da entrada de risco nas operações … Risco esse que pode ser controlado e conhecido ! Basta que você estude, que você se informe, que você entenda mais sobre o mercado que estará investindo. Entrar por entrar, sem querer aprender como funciona, só preparará as coisas para um tombo … E ele normalmente acontece sem uma rede de proteção.

Mas … e se conseguíssemos elevar um pouco mais o rendimento ? Mais 0,5pp …

É, com um retorno mensal médio de 1,7% os seus depósitos mensais de R$100, durante 25 anos, já se transformariam em quase R$ 1 milhão no final do período. 😀

1,7% é algo “surreal” ? É. Especialmente para aqueles que insistem em bater nessa tecla. Aqueles que não aceitam que é possível obter retornos diferentes (e superiores) ao se adotar técnicas e estratégiasdiferentes ! Claro que será impossível obtermos 1,7% em um investimento que gera 0,7% … Mas e se fizermos algo diferente do trivial ?

Quando falo sobre o Double PUT Double CALL, muitos são os que me olham atravessado. Insistem que é algo impossível, “provam por A+B” que é. Dizem que não é possível que um Zé ninguém (Zé da Silva, prazer) consiga obter retornos que nem os profissionais de mercado conseguem.

Só sei que aprendi como funciona o poder dos juros compostos na prática. Vi o efeito da “mágica” acontecendo com números reais. Vi a diferença que retornos acima da “média” trazia para o rendimento acumulado com o passar dos anos. 😉

Quem faz o Double PUT Double CALL passa a entender e a enxergar a possibilidade de se obter retornos acima da média. Em breve começarão a sentir na pele os efeitos do retorno obtido com a adoção da estratégia no médio e longo prazo. 😀

E, através destas 3 simulações você consegue enxergar a diferença que “pequenos” incrementos podem proporcionar. Não consegue aumentar em 0,5pp ? Aumente em 0,2pp … 0,3pp … Vá aos poucos. Estude, busque novas informações e estratégias que te permitam elevar, aos poucos, o rendimento final. 🙂

Mas tente …

 

Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.

 

Albert Einstein

Albert_Einstein pq

O mito dos investimentos sem Imposto de Renda

O que a Poupança, a LCI, a LCA, e algumas debêntures têm em comum ?

Todos são exemplos de investimentos isentos de Imposto de Renda.
(E sim, a poupança é investimento !! Aceite isso de uma vez por todas)

Justamente por este diferencial, muita gente acaba focando sua atenção somente neles. Sempre que o papo se dirige ao bom e velho assunto “qual destes investimentos apresenta melhores rendimentos”, estas pessoas sempre usam o argumento “Vai de xyz, ele é isento de IR !

Mas … será que só por conta disso eles são os melhores ?

Não ! Definitivamente não !

Eles são investimentos como todos os outros. Cada um com suas vantagens, suas qualidades, seus defeitos. Cada um apresentando um rendimento “diferente” do outro. Uns para mais, uns para menos …

– “Ah, mas se eu colocar dinheiro nessa LCI eu não pago IR ! Isso faz muita diferença !

Faz ? Mesmo se ele for uma LCI que te pague 80% do CDI para o período do investimento e que você precise ficar 2 anos com o dinheiro lá parado ? Mesmo ao compararmos com um Tesouro SELIC, ou um CDB com 100% do CDI com liquidez diária ? Será mesmo que essa LCI é melhor ?

Você precisa entender de uma vez por todas que: não é por ser isento de IR que um investimento é mais rentável do que o outro !!

Você precisa comparar os investimentos em condições de igualdade. Se uma LCI, uma LCA é isenta de IR e te oferece 80% do CDI para um período de 2 anos, enquanto o Tesouro SELIC e o CDB te oferecem 100% do CDI para o mesmo período, você precisa tirar o IR deles para comparar com os primeiros … Para 2 anos o IR será de 15% sobre o lucro, o que significa que seu lucro final será de 85% do CDI para o mesmo período.

Portanto … 😯

Isso ! Mesmo sendo isento de Imposto de Renda, o valor investido em LCI e LCA recebem rendimentos menores do que os obtidos no Tesouro SELIC e em um CDB com 100% do CDI. (para esse exemplo, ok ?)

Não é por serem investimentos isentos de Imposto de Renda que são melhores do que os outros. A isenção é apenas uma característica desses investimentos. Como disse antes, você precisa comparar os investimentos em pé de igualdade …

Claro … Você conseguirá encontrar LCIs e LCAs que remunerem melhor seu capital quando comparados a outros investimentos … Mas isso será por conta da característica daquelas ofertas. Seria a mesma coisa que compararmos um CDB que oferece rendimento de 90% do CDI e outro que ofereça 100% do CDI. Qual dos dois paga melhor ?

É exatamente a mesma coisa ! A comparação precisa ser igualitária. Se você vai comparar uma oferta de investimento que é isenta de IR, faça uma simulação com outro tipo de investimento que lhe agrade, com o rendimento líquido, com o IR já de fora.

Não vou dar meu dinheiro para o governo !!

Eu sei que algumas pessoas escolhem os investimentos isentos de IR por causa desse pensamento … Escolhem eles para não entregar seu dinheiro para o leão.

Sério que você prefere perder dinheiro, obtendo um rendimento menor, só para poder dizer que não precisou pagar o imposto para o governo ? 🙄

Esqueça essa besteira de que investimento isento de Imposto de Renda é melhor do que os outros só por causa disso ! Isso é apenas um fator extra, apenas mais um item a ser adicionado às suas contas, às suas comparações.

Compare laranjas com laranjas e bananas com bananas. Comparar maçãs com melancias não funciona … 😉