Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!


Mudança “radical” no COE do Clube !!

É … quem não muda, ou melhor, quem não evolui fica pra trás. E como nosso passo é sempre ir em frente … 😉

Ontem eu tinha apresentado as bases do COE que criaremos aqui no Clube, num trabalho de simulação realístico, onde faremos (cada um de nós) um COE que protegerá nosso capital investido e no pior dos casos, trazer um belo retorno. 😀

Se você não viu, leia o post de ontem, e se prepare para ver quão simples pode ser uma operação risco zero. (sim, zero)

Como falei no post, usaria o Tesouro SELIC, deixando o tempo trabalhar e aguardaria o período que fosse necessário até que o retorno gerado fosse superior aos noventa e tantos reais necessários para resgatarmos 0,01 do título. (essa é menor parte que é possível de se movimenta no Tesouro Direto, lembra ?)

O tempo de espera seria próximo a 4 meses …

Ok, tudo definido e … (entra o João Kléber na sala): pára ! pára !! pára !!!

O Gustavo Trivelato, lá no twitter, me apresentou uma excelente sugestão: (valeu !!!)

Como pude não me lembrar do Tesouro IPCA com juros semestrais !?? 😯

Se já precisaríamos esperar por um “longo” período (4 meses) para obter a o rendimento necessário para resgate no Tesouro SELIC, por quê não usar o Tesouro IPCA que nos paga juros semestrais, direto na conta ? Sim, sem a necessidade de nos preocuparmos em resgatar, acompanhar o rendimento dos títulos em carteira pra ver quando chegamos nos R$9x,00 … etc etc etc.

Além disso, o rendimento que o título que poderíamos usar, o de vencimento mais próximo, é de 5,81% + IPCA !! O Tesouro SELIC rende atualmente 6,5% … A diferença é mínima, e estou levando em conta somente a parte real do retorno !! No Tesouro IPCA teríamos praticamente o que o SELIC entrega somente na parte real do retorto ! 😀

O único “problema” … o vencimento do título é 2026. 🙁

Como a minha ideia era a de termos um investimento de alguns anos (tinha pensado inicialmente em algo que durasse uns 2 ou 3 anos), expandir para 2026 não seria necessariamente um problema. 😉

Ele havia sugerido a possibilidade de incluirmos um segundo título, com vencimento em 2035, que nos permitiria ter “resgates” trimestrais. (o de 2026 paga em fevereiro e agosto, enquanto o de 2035 em maio e novembro) Mas fiquei na dúvida se vocês gostariam de estender a posse do título em suas carteiras até lá …

Como é um exercício coletivo, eu pergunto: apenas o IPCA+ 2026, ou metade no 2026 e metade no 2035 ?

No pior dos casos você “abandonaria” a estratégia e deixaria o título lá paradinho até o vencimento. 😉

Mas, como poderão ver, a ideia é que seja algo extremamente simples, que geraria pouco trabalho e não exigiria muito tempo de estudos. Então acredito que manter a operação viva não será, necessariamente, um problema …

E então, posso bater o martelo ? R$5 mil no 2026 ? R$2,5 mil no 2026 e R$2,5 mil no 2035 ?

Lembrando que usaremos apenas os rendimentos para operarmos no mercado de opções. Consequentemente … um conhecimento mediano (pelo menos mediano) sobre este mercado será necessário. Fechado ? 😀