Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!


O peso da inflação sobre os investimentos

Muito é discutido sobre o tipo de investimento a ser feito, sobre sua rentabilidade, mas você já parou para pensar na rentabilidade real deste investimento ?

Existe uma “pequena” diferença entre a rentabilidade e a rentabilidade real, e claro, a real é menor … pois ela leva em consideração o peso da inflação no resultado. Afinal de contas não importa só que a quantidade de dinheiro cresça, é importante que o valor dele se mantenha na mesma proporção.

Por exemplo, um investimento atrelado ao DI está dando algo próximo de 9% ao ano e as metas de inflação apontam para algo próximo de 4% para 2010. Portanto o rendimento do fundo era de 9%, mas o real será de 5% – pois ele desconta a inflação no período. Entendeu ? Simples não ?

No longo prazo …

E como todo investimento, a diferença entre o real e o nominal traz um número bem diferente no longo prazo. Se apenas 1% já traz, imagina algo como 3% … 4% …

Lembra do exemplo de ontem, do investimento de $1 virando mais de $ 700 mil ? Pois então, isso é porque a inflação foi considerada. Se não fosse, o valor seria de $ 12 milhões … 😯

Viu o estrago que isso faz ? Você planejando que teria $ 12 milhões mas na verdade teria somente o equivalente a $ 700 mil – praticamente 5% do que havia sido imaginado. Pensou nas consequências deste planejamento errado ?

Mas e como saber qual será a inflação lááá na frente ?

Impossível de ser dito. Ou será que alguém imagina que possa ter certeza disso … ?

Pode ser que se aproxime de 0% … pode ser que permaneça … pode ser que aumente um pouco … ou até mesmo que volte a ser como era antes do plano real … 😯

Então o que eu acho interessante de se fazer é o seguinte: Use a taxa atual. Se o seu plano é para 10, 20, 30 anos, use este valor para o período. Conforme o tempo for passando e caso a inflação vá retornando, você usará este índice maior. Se ela permanecer igual ou menor, mantenha os 4% de agora. Errar para mais é melhor. 😉

Sei que alguns mais “puristas” me xingarão por esse pensamento, mas é o melhor que um cidadão comum pode fazer.

“Putz … até agora não pensava nisso …”

Não tem problema. 🙂
Antes tarde do que nunca. 😉

Se você fazia sua previsão de rentabilizar sua carteira em … digamos 15% ao ano, mas havia se esquecido de descontar a inflação, saiba que ao invés dos 15% você estava “atingindo” 11%. Faça a revisão nas suas contas e veja de quanto precisará para atingir o montante pré determinado.

Neste mesmo caso, se você gostaria de atingir um montante x e precisaria de 15% ao ano, na verdade você não precisaria de 15% ao ano, mas sim de 19% (adotando-se os atuais 4% de inflação).

E você, qual a sua “fórmula” para estimar o peso da inflação sobre seus investimentos lááá na frente ? 🙂