Clube do Pai Rico
Adquira o seu agora mesmo!

Por que o mercado subiu após o corte da Fitch ?

Acredite se quiser: o motivo, aparentemente, pode ser o mesmo que nos fez subir após a Moody’s ter cortado a nota em agosto. Lembra ?

Como você deve ter acompanhado, a Fitch cortou a nota do Brasil no dia 15 (quinta-feira). Cortou mas manteve a grau de investimento. Igual ao que aconteceu com a Moody’s. 😉

Naquela ocasião o anúncio ocorreu no fechamento do mercado, praticamente no leilão de fechamento. Foi uma correria para fechar posição, para que os investidores pudessem refletir sobre a notícia, para evitar surpresas desagradáveis. Já no corte da Fitch, o anúncio ocorreu no começo do dia, com todo o pregão por acontecer. E a reação foi … parecida.

Uma grande enfiada na hora da notícia, com puxada logo em seguida. Com nova enfiada a seguir, para fechar em alta. A volatilidade foi grande. 🙂

Mas o que eu quero chamar a atenção (e olha que chamei a atenção de quem me acompanha no twitter para isso) é para as semelhanças … Havia uma grande expectativa pelo corte da Fitch, muitos imaginavam que o corte poderia ter sido maior e já levando junto o grau de investimento do país. Lembro de ter comentado que dificilmente fariam isso, como haviam dois “degraus” nos separando da perda do título, o mais provável é que perderíamos um e no futuro o outro. BINGO.

O mercado está nervoso, sem saber se rompe os 48.000 pontos, e segue aos 51.000. Ou se perde os 46.500 e vai na direção dos 44.000. Com uma notícia daquelas, a bagunça está feita. Alguns tentam se proteger de um susto maior, outros tentam tirar proveito da situação, e a volatilidade toma conta da brincadeira.

Quem marcou o topo ?

Não se esqueça de uma coisa: quem marcou o topo de 2008 foi o anúncio de que havíamos ganhado o grau de investimento  … Lembra ? Este é o tipo de notícia que o mercado já sabe com antecedência …

Por exemplo, hoje já pagamos um prêmio de risco equivalente (e até mesmo superior) a países que não tem grau de investimento … Se isso não é traduzido para “nós também não temos”, eu não sei mais como traduzir.

Quando fomos promovidos a lixo pela Standard & Poors, foi o dia em que conseguimos romper os 48.000 pontos (aquele da briga atual), pela primeira vez. Sim, a notícia ruim nos incentivou a ir buscar o topo … 😯

Tome muito cuidado com as notícias que são publicadas. Especialmente com a forma com que você acha que o mercado vai interpretá-las … Já pensou na possibilidade de que elas podem ser usadas justamente para criar o fluxo necessário para que grandes posições/investidores possam realizar suas operações ?

Quer dizer que estamos livres de ir para baixo ?

Não, eu não me atreveria a dizer isso, nem sob ameaça …

O mercado (mundial) está nervoso e – aparentemente – esperando uma justificativa para corrigir mais fortemente. Não sei se teríamos condições de remar contra a correnteza. Mas do outro lado temos o fato de que, em dólares, estamos “muito baratos”. (só não gosto de ver tanta gente vendendo isso … a hora que for para subir ninguém falará que está em ponto de compra para subirmos)

Perdemos pontos com a Fitch, mas já os perdemos, há tempos, com o mercado como um todo … 🙁