Clube do Pai Rico

Solicite o seu agora mesmo!

Como bater o Tesouro SELIC ?

Essa é a pergunta do momento para muitos participantes do mercado.

Todos querem saber como conseguir obter um retorno superior ao apresentado pelo Tesouro SELIC. “Sabe como é, né Zé … 6,5% ao ano é dureza !!!

Claro que eu sei. Sou um dos que mais fala isso !! 😀

6,5% ao ano de retorno é dureza … Mas você estaria preparado para fazer o necessário para obter um rendimento superior ? Estaria pronto para bater o Tesouro SELIC ?

Quem tudo quer, nada tem

A coisa é relativamente simples: o Tesouro SELIC é hoje o investimento “sem risco” do mercado. É ele que vem sendo usado como baliza por um grande número de pessoas. Já vejo algumas até mesmo deixando de citar o CDI e usar o Tesouro SELIC como alvo a ser batido. 🙂

Se eu acho isso interessante ? Olha … acho ! É mais palpável para o investidor comum olhar para algo “físico”, que todos têm acesso, do que um número puro e simples como o CDI. Portanto, considero natural as pessoas terem como objetivo obter retornos acima do apresentado por ele. 😉

Bom, por ser um investimento sem risco … ele acaba sendo o ponto de partida. Lembra daquela máxima ? “O lucro é proporcional ao risco” ? Pois então …

Não tem como você querer encontrar algo que renda muito, apresentando o mesmo nível de risco. Ou tem ?

Sim, tem. Só que para aumentar o lucro, você precisará abrir mão de algo …

Se aceitar abrir mão da liquidez, por exemplo, você poderia comprar Tesouro IPCA !

Se aceitar ficar com o dinheiro preso no investimento até 2024, pode comprar um que vai te entregar IPCA + 4,16% ao ano ! (assumindo que a projeção para 2019 seja de 4,5% para o IPCA, obteria um retorno de 8,66% !)

Se você aceitar ficar um pouco mais de tempo, até 2035, por exemplo, poderia obter IPCA + 4,53% ! (seguindo a lógica anterior, 9,03% no ano)

Só que como eu disse, você ficaria com o dinheiro “preso” no investimento. Não é literalmente preso, por isso as aspas … Mas se você for vender, terá que se adequar às condições de mercado no momento da venda. E isso pode se traduzir em uma perda do capital investido.

Lembra ? Você abriu mão da liquidez por um prêmio maior ..

Agora, se você aceitar um pouco mais de risco, poderia inserir um pouco de renda variável na carteira. Sejam Ações, FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário), câmbio, etc etc etc.

Poderia ir para algum investimento de renda fixa também. Com liquidez e tudo. Só que dai precisaria ser de um banco menor (mais arriscado que os títulos do Tesouro ou de um investimento em renda fixa de um bancão, mas ainda protegido pelo FGC), ou de uma empresa que lançou seus títulos no mercado.

Mas, infelizmente, com liquidez, isenção de risco, baixo capital, facilidade, etc etc etc, é o Tesouro SELIC mesmo.

Não tem mágica ! Você não tem como querer um investimento que apresente as mesmas características, oferecendo um retorno maior.

Você precisa abrir mão de alguma coisa.

Você precisa abandonar algo … Nem que seja a sua zona de conforto !

Por exemplo, venho insistindo há mais de ano que é preciso injetar ao menos uma parcela de “risco” na carteira. Você precisa destinar parte do seu capital ao investimento em Bolsa. O que você fez neste sentido ?

Já alocou algum capital lá ? Já ao menos sabe como fazer isso ? Foi atrás de informação e conhecimento para tal ? Já ofereci e volto a oferecer a minha ajuda neste sentido através do Minha 1x na Bolsa.

Quer bater o Tesouro SELIC ? Sim, existe como !! Você só precisará abrir mão da liquidez, aceitar um pouco de risco, ou simplesmente abandonar a zona de conforto … Você escolhe aquilo que considera melhor, que acha mais fácil.

Só não pode continuar achando que conseguirá os já saudosos 1% ao mês, sem fazer nada para “merecer” isso. 😉

Mas me diga: o que você já fez para conseguir recuperar parte dos rendimentos “perdidos” por conta da queda na taxa de juros ?

Aluguel de ações

O estudo acompanhará o desempenho da ITUB4, BBDC4, BBAS3, PETR4 e da VALE3 – carros chefe do Ibovespa. Esta informação poderá ser usada tanto por quem opera na ponta de compra quanto para quem opera na ponta de venda … 😉

Este é um dado que acompanho diariamente, serve para que eu veja o “peso” extra que existe sobre estas ações. Normalmente – veja bem, normalmente … – um aumento na posição alugada pode significar um movimento de queda no papel. E o contrário também é verdadeiro, uma cobertura pode significar um movimento de alta.

Vamos lá !




Comentário: Se era para romper os 95.500 … 😉

Próxima barreira: 98.600 !!

Vai lá ? Não faço a mínima ideia … Mas é a barreira mais próxima que temos.

Esquece o resto Zé ?” De jeito nenhum !!

Permanecemos de olho nos 93.500. Combinado ? 😉

É a velha história de acreditar desconfiando, hehehe. 🙂

Lá fora tudo verdinho, leves altas, mas tudo no positivo.

Não custa lembrar que hoje é aquela famosa quarta-feira de todos mês par … Lembra ?

A bolsa “sempre” sobe em dia de vencimento do futuro“. Vamos ver se a regra permanece valendo no pregão de hoje ? 😀

Vamos ver se surgem novos “detalhes” da previdência e se isso afeta o mercado de alguma forma.

“O curso do cara vale cada centavo. Foi o curso dele que mudou minha forma de operar. Paguei o curso no primeiro mês e todo mês dá pagar mais cursos dele. No meu caso, valeu muito.

Bruno Marota – aluno do Double PUT Double CALL

Conheça você também os cursos oferecidos aqui no Clube !! O “Minha primeira vez na Bolsa“, para quem quer começar a investir em ações com o pé direito, sem medo do desconhecido, e o “Double PUT Double CALL” para se aprofundar nos estudos sobre opções e de brinde conhecer o método operacional que uso para rentabilizar o meu patrimônio. 😉

Compensando Imposto de Renda em ações, mas com um novo detalhe …

Pergunta:

Boa tarde!

ótima matéria! Seguem algumas dúvida, se puder me ajudar, agradeço.

Exemplo:
– Prejuízo no mês de Abril de R$ 500,00
– Lucro no mês de Maio de 300,00

1. Preciso gerar e pagar DARF referente ao lucro do mês de Maio? ou apenas farei a compensação na declaração anual?
2. Caso gere a DARF com atraso, posso compensar os juros e multas de mora com os prejuízos do mês de Abril ou a compensação vale apenas para o valor original do imposto?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Gustavo ?

O post que o Gustavo está falando é este: “Tive prejuízo em minhas operações em Bolsa. Preciso gerar um DARF ?”. Obrigado ! 😀

Eu sei que o tema é abordado com certa frequência aqui … Mas as pessoas continuam tendo a mesma dúvida. E as dúvidas precisam ser extintas ! Lembra ? 😉

Partindo do princípio que o mês de abril foi o teu “primeiro” mês, ou seja, que não existe um passado de ganhos e perdas antes disso, os R$500 de perdas daquele mês deverão ficar “anotados” para ser compensado com lucros futuros.

Chegando em maio, você obteve um lucro de R$300. Esse valor é menor do que a perda a ser compensada. Você ainda tem um crédito de R$200 para ser usado com perdas futuras. 🙂

Então não, você não precisará gerar um DARF referente ao lucro do mês de maio. Aquele lucro foi compensado por uma perda anterior.

A Receita será informada sobre a perda de abril e do lucro de maio apenas na declaração anual. 😉

Importante: isso só deverá acontecer desta forma, se os R$300 forem obtidos em um mês onde houver um volume de vendas em ações superior a R$20 mil !!! Se você teve R$300 de lucro num mês onde vendeu apenas R$15 mil, por exemplo, esse lucro é isento, devendo ser informado como tal lá na declaração anual. 🙂

Se os R$300 vierem de um mês com vendas inferiores a R$20 mil, os R$500 permanecem “vivos” para serem compensados no futuro.

Já a segunda parte da pergunta, você usa lucros e perdas para chegar no resultado final. Será o resultado final que terá que ser usado para o cálculo do imposto. Exemplo: você teve perda de R$300 num mês e lucro de R$500 no seguinte. Restaram R$200, e estes R$200 servirão como base de cálculo para o IR. R$200 * 15% = R$30

Os juros e a multa são referentes ao imposto devido, portanto você não pode usar uma perda operacional para compensar disso.

De novo: você não usa um prejuízo passado para compensar o Imposto de Renda sobre o lucro futuro. O IR já é o “dado” final !! Uma perda passada será usada para compensar um ganho futuro, e do resultado restante dessa soma surgirá o valor do “lucro total” do período. E é em cima deste lucro total do período que você irá calcular o IR devido.

Você não pode usar uma perda para compensar diretamente no valor a ser pago de IR. Essa perda é usada apenas para chegarmos na base de cálculo do IR devido. Beleza ? 😉

Espero ter te ajudado ! 😀

Abraços !