Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Livros ||| Os donos do dinheiro

Publiquei este comentário em 11 de dezembro de 2014. Algo do que foi dito ainda faz sentido ? 😯

Sim, acho MUITO importante lembrarmos os eventos passados para usarmos as lições no presente e futuro. E você ?

—–

Quando se fala na crise de 1929, imediatamente lembramos dos problemas que ocorreram na bolsa de Nova York, gerados pela “exuberância irracional” e um excesso de liquidez sem precedentes. Mas focamos muito no lado Bolsa de Nova York da coisa … Sabia que esta foi uma crise mundial é apontada por muitos com um dos gatilhos da Segunda Guerra Mundial ? E que um dos motivos para ela ter ocorrido foi a Primeira Guerra Mundial ?

O livro “Os donos do dinheiro(2010, Campus) abre mão do foco nos fatos ocorridos na bolsa e amplia “um pouco” nosso ângulo de visão. Ele nos mostra a perspectiva de 4 das figuras mais importantes (para a criação/combate da crise) da época: os presidentes dos bancos centrais da Alemanha, da Inglaterra, dos EUA e da França.

Vemos como a Primeira Guerra Mundial “deu início” à crise de 1929, através das multas aplicadas à Alemanha, após sua derrota, com valores absurdos a serem entregues aos vencedores, bem como a luta entre os aliados para quitar suas dívidas de Guerra. Um dos motivos para as multas tão elevadas foi justamente este, permitir que os aliados pudessem devolver o dinheiro (muito dinheiro) aos financiadores da guerra.

Desde o início muitos apontaram que o valor imposto à Alemanha beirava ao absurdo e que o país não teria condições de arcar com a despesa, o que, muito provavelmente, a levaria a uma crise econômica.

Lembra das aulas de história do 2º grau ?

Está lembrado, quando ouvimos as histórias da hiperinflação na Alemanha, pré Segunda Guerra ? Quando as pessoas precisavam levar carrinhos de mão com um montanha de dinheiro para comprar pão ? E que, em caso de assalto, o ladrão levava apenas o carrinho e não o dinheiro, pois o valor dele era corroído rapidamente. Enquanto o carrinho de mão …

Aqui no Brasil tivemos um período de inflação muito elevada, mas não chegava aos pés desta crise Alemã …

Continue lendo …

As lições sobre dinheiro que só uma mesada nos traz

Muitos de nossos problemas financeiros começam já na infância. Seja por falta de conhecimento dos pais, ou por causa da realidade em que a criança está inserida. Mas se os pais soubessem como uma pequena atitude poderia ajudar seus filhos … 🙁

São muitas as famílias onde não existe o uso da ferramenta, popularmente conhecida como mesada, que poderia ajudar bastante nos primeiros – e fundamentais – passos de uma Educação Financeira de qualidade. Algumas por não ter a condição financeira ideal para fornecer uma quantia mensal a seus filhos. Outras por não ter a mínima noção do dinheiro e da importância que um orçamento (controlado e “restrito”) tem nesta etapa de crescimento e aprendizado das crianças.

Não ter uma mesada …

Sim, é “errado” você não criar uma mesada para seus filhos, dando preferência por dar o dinheiro necessário a cada nova necessidade deles. No momento em que você cria um valor mensal, definido e recorrente, você estará proporcionando ao seu filho um pouco da realidade que encontrará na vida adulta. Lá existirá o salário, que deverá ser usado (da melhor forma possível) para viabilizar o orçamento da pessoa.

A partir do momento que você não cria a “instituição” mesada, e entrega dinheiro à criança a cada solicitação, a cada nova necessidade dela, você passa uma imagem errada do que ela (provavelmente) encontrará na vida adulta: a de que o dinheiro é infinito e que basta você querer que ele estará lá. (podendo até mesmo ser prolongado o assistencialismo dos pais)

Mas o mais provável é que veremos a criança substituir os pais pela figura do banco, através do cheque especial e do cartão de crédito. Lembre-se: ela não teve acesso a um treinamento muito importante que toda a criança deveria ter desde pequena. Não ter que lidar com um orçamento limitado faz com que conceitos básicos de Educação Financeira sejam desconhecidos para ela. As chances de vermos um adulto que não tem controle algum sobre seus gastos, parecendo que ganha pouco (por maior que seja seu salário), são grandes.

Uma situação diferente é vivida pelo adulto que não teve mesada quando criança, mas por falta de condições financeiras da família. Ela provavelmente tenha tido uma infância com acesso restrito a determinados produtos e serviços. Não ganhava a mesada, mas também não ganhava o dinheiro que “precisava” (ou queria) quando pedia. Ela não terá a experiência (real, pois quem precisava se virar nos 30 eram os pais) de um orçamento limitado. Um adulto com este tipo de experiência corre o risco de se perder nos gastos a partir do momento que passa a receber um salário.

E isso é muito comum !! Por não ter tido acesso às coisas que tinha vontade quando mais jovem, a partir do momento que passa a ganhar o seu próprio dinheiro, através do trabalho, a pessoa gasta “à vontade”. Porém as chances de que o erro seja repetido por um prazo mais longo são menores do que as da pessoa que foi criada ganhando tudo que queria ao pedir.

Mas como calcular o valor da mesada ?

Uma pergunta importante e que terá uma resposta: varia de criança para criança. 🙂

As crianças têm necessidades diferentes, elas têm interesses diferentes. Portanto cada criança apresentará um “orçamento” diferente. É com base neste orçamento que você deverá calcular o quanto deve ser pago mensalmente à criança. Não existe uma fórmula mágica que indique um valor único para uma criança só ao sabermos a idade dela, por exemplo. Dependerá do meio em que ela vive, das condições financeiras dos pais, da idade dela, etc etc etc.

Alguns pais acham que os gastos com educação também devem fazer parte do orçamento, da mesada. Outros não … Por exemplo, gastos com fotocópias, material de apoio – lápis, caneta, caderno, borracha – e merenda. Ao incluir estes itens no valor da mesada, você estará passando o recado que todo e qualquer gasto que ela venha a ter é de responsabilidade dela, e que o dinheiro que ela tem atende a essa necessidade. Ao deixar de fora, talvez passe o recado de que “ah, algumas coisas você pode deixar que o pai te ajuda“, sabe ?

Acredito que o ideal seja incluir realmente todos os gastos que fazem parte do orçamento da criança nas contas que apontarão o valor da mesada. Afinal de contas é você que vai pagar mesmo … 😉

Uma coisa é importante: um acompanhamento de como a criança vem gastando o dinheiro. Ver se ela está direcionando os valores que você lhe entregou para as devidas finalidades. Ou você nunca deixou de comprar algo que precisava para ir num bar com os amigos, ou para comprar uma roupa nova ?

Vou dar um exemplo: nas contas da mesada existiam os gastos com merenda, um misto-quente e um refrigerante. Esse valor se repetiria os 5 dias da semana, as 4 semanas do mês. Certo ? Mas e se a criança deixasse de comer o lanche durante alguns dias … O valor deve ser “apreendido” ou deve ser mantido pela criança ? Ela deixou de comer porque não tinha fome, ou porque queria economizar ? Ela aprendeu a economizar, ou forçou uma economia para acumular um trocado extra ?

O assunto te interessa ?

Se sim – e tenho a certeza de que a sua resposta foi sim – lhe indico a leitura do livro “Mesada não é só dinheiro” de Reinaldo Domingos. Nele o tema é amplamente discutido, apresentando diversas formas de mesada que uma criança pode receber, com importantes lições em cada uma delas.

Uma leitura tranquila e agradável, obrigatória para todo e qualquer pai que se preocupa com o futuro financeiro de seus filhos.

 

Mesada não é só dinheiro

Nota do Site:
5 Moedas

Mesada não é só dinheiro
Reinaldo Domingos

Editora: DSOP
Ano: 2015
Edição: 1
Número de páginas: 150
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Compre seu livro no Submarino

 

Mas me diga … como você lida com este tema em sua casa ? Como funciona a mesada de seus filhos ?

Livros ||| O Clube das 5 da manhã

É, eu sei … Eu também sempre torci o nariz ao ver a galera que pregava a ideia de acordas às 5 da matina como “solução” para vários problemas. Acima de tudo, indicavam isso para quem quisesse ter sucesso, pois era isso que as pessoas mais bem-sucedidas do mundo faziam.

Será ?

Olha … eu sempre acordei relativamente cedo. Sempre fui um cara mais produtivo no começo do dia. A manhã, pra mim, é o meu momento de criação. Sempre foi. Quantas e quantas vezes, meus amigos de universidade viravam a noite estudando, enquanto eu ia pra casa dormir. Dormia … mas acordava de “madrugadinha” para estudar um pouco mais. O que eles faziam de noite, eu fazia de manhã.

Sempre acordei cedo, e sempre me beneficiei disso. Era o momento em que eu lia as notícias, me inteirava do que tinha acontecido no mundo enquanto eu dormia, me preparava para o que poderia ocorrer durante o dia.

Mas, às 5 da manhã ?! 🙄

Complicava só de pensar, hehehe.

“Deus ajuda quem cedo madruga !”

Será que era nisso que eles se baseavam ? Não sei ..

E sinceramente ? Ainda não consegui dar o próximo passo e acordar tão cedo. Talvez por conta das manhãs geladas aqui de Floripa nas últimas semanas. Quem sabe agora em outubro eu já consiga fazer isso. Seria interessante, pois poderia aproveitar para correr. 🙂

Mas, ainda não posso dizer que “acordar às 5 am mudou a minha vida !”. 😉

“Então foi tempo perdido Zé ?” Não, não foi. Foi uma leitura BEM agradável. De verdade ! Como há tempos eu não tinha …

O ponto específico de acordar às 5 am ainda não tenho como comentar, mas outras sugestões e indicações presentes no livro, me agradaram bastante. Muitas foram em linha com muitas coisas que eu já ouvia e fazia.

Mesmo indicando acordar tão cedo, defendem que durmamos bem. Dormir é essencial ! De nada adianta virar noites e noites em claro … no final você acabará cansado e o teu cérebro pode falhar justamente quanto for mais necessário. Sim, a ideia de dormir enquanto meus amigos de estudo viravam a noite, ia nesta linha. Eu preferia uma mente descansada mas atenta ! 😉

Outro ponto: foco total ! É … hoje em dia isso é mais indicado do que nunca ! São tantas e tantas distrações … é quase impossível começar uma tarefa e ficar nela até o final. Sempre surge algo para te interromper. (nem que seja uma olhada básica nas redes sociais …)

Quanto menos distraído, e mais focado formos, melhor iremos desempenhar nossas tarefas. 🙂

Outro: use os 90 minutos iniciais do seu momento de produção para se dedicar aquilo que realmente exige sua atenção. Não perca tempo respondendo e-mais, telefonemas, olhar o Instagram … Sente-se e faça aquilo que precisa e deve ser feito. 90 minutos, sem interrupções. Não gaste a energia do começo do dia com coisas que não a merecem. 😉

Mais um: depois do “tiro” dos 90, passe a trabalhar em ciclos de 60 minutos. Trabalhe 60, descanse 10. Isso te ajuda a recarregar as energias e preparar a mente para as próximas tarefas. Não adianta (e é quase impossível …) manter seu foco 100% destinado a uma tarefa por longos e longos períodos. 60/10.

Mais ? Não tente fazer tudo num dia só … Tenha a sua lista de objetivos e tarefas. Selecione as 5 mais importantes. É nelas que você deverá focar. 😉

Existem muitas outras. Acredito que o ideal seja você ler o livro inteiro para compreender a ideia geral e também as mais específicas.

Como já disse, não sei se vou passar a acordar às 5 da manhã, mas venho tentando seguir as demais sugestões desde que conclui a leitura do livro. O resultado ? Confesso que as coisas estão bem melhores e mais tranquilas do que antes. Parece que tudo se encaminha de forma natural. O próximo passo é tentar acordar um pouco mais cedo (já que tenho acordado pouco depois das 6) para aproveitar o clima agradável (primavera/verão) para correr na beiramar. 😀

Depois conto para vocês o resultado. 😉

 

Nota do Site:
5 Moedas

O Clube das 5 da manhã
Robin Sharma

Editora: BestSeller
Ano: 2019
Edição: 1
Número de páginas: 318
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Livros ||| Cripto Wars

A maioria das leituras que já tinha feito até agora, relacionadas ao tema criptomoedas, era focada no lado tecnologia da coisa, ou na exaltação da ferramenta. Nenhuma delas parecia “querer” tocar nos pontos mais delicados, aqueles que poderiam afugentar os possíveis interessados.

Até agora … 😀

Alto consumo de energia, inviabilizando o negócio ? Demora no tempo das negociações ? Uso das moedas de forma “obscura” ? Insustentabilidade no longo prazo da tecnologia atual ? Não … ninguém fala deste lado.

Coincidentemente, os pontos que sempre me baseei para não “apostar” (sim, não é investir) nas moedas digitais. 😉

James Rickards, que alguns não gostam por conta do seu lado “conspiracionista”, ou “alarmista”, mas que me chama a atenção por tocar na ferida, apontando o lado real da coisa, traz no Cripto Wars, tudo aquilo que sempre gostei de encontrar em seus relatórios.

E justamente por trazer o lado real, aponta para o futuro das criptomoedas. Sim: elas são o futuro. A tecnologia blockchain, que é a base da bitcoin e das outras criptomoedas, aos poucos vai ganhando espaço. E um espaço que não se restringe apenas ao lado financeiro, ao lado moeda … Vai entrando em outras áreas, e nós só nos beneficiaremos com isso. 🙂

O que importa alguém falar que uma operação “na boca do caixa”, com bitcoin, pode levar uns 10 minutos ? Já pensou … ? Você vai comprar uma pizza e para fazer o pagamento a operação demora 10 minutos ? Pense você na fila do supermercado … É, inviável !!

Ou então, que a operacionalização do sistema consome mais energia do que MUITOS países (inteiros) consomem ? Ou então o poder computacional destinado exclusivamente à mineração … ?

Sim, as moedas digitais são excelentes. A nossa economia atual já se baseia nelas. Ou você acha que na hora que você paga com um cartão de crédito a coisa é física ? Mas experimente demorar mais de 10 segundos em um pagamento para ver você começar a reclamar … Não ?

Sim … tem o lado conspiracionista também. 🙂

Ele prepara o leitor para os próximos passos do FMI. E o que usará o FMI ? A sua própria criptomoeda … !!!

Volta a defender o uso do ouro como proteção. Apresenta um pouco da nossa história monetária, do começo do século XX até agora. Mostra como o ouro foi importante, e que o abandono do padrão ouro fez com que as coisas “ficassem estranhas”.

E sim, tudo isso entrelaçado ao tema criptomoedas. 😀

Se eu indico a leitura ? CLARO !!! Ainda mais se você gostaria de ter um “contrapeso” no lado mais otimista, que é o ponto de vista que domina os conteúdos disponíveis e tão divulgados. 😉

 

Nota do Site:
5 Moedas

Cripto Wars
James Rickards

Editora: Empiricus
Ano: 2018
Edição: 1
Número de páginas: 191
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Livros ||| Do mil ao milhão

Antes de qualquer coisa: num país onde a saúde financeira das pessoas está em estado lastimável, toda e qualquer fonte de informação e compartilhamento de experiências, encarado de forma séria, deve ser aplaudido. E sim, o que o Thiago vem fazendo respeita essa linha. 😉

Tanto no canal no Youtube quanto no livro “Do mil ao milhão(HarperCollins, 2018), ele vem trazendo conteúdo para o seu público, conteúdo que vem ajudando quem lhe acompanha.

Focando no livro, achei interessante que ele focou nos 3 pilares: usar o dinheiro de forma inteligente (trazendo economia), ganhar dinheiro, e trabalhar o dinheiro. Não tem como ser diferente ! Os 3 precisam andar juntos, de forma equilibrada, para que a máquina funcione.

Do que adianta ganhar rios de dinheiro, se você torra tudo da forma errada ?

Do que adianta economizar até o último grão, se você ganha MUITO pouco ?

Do que adianta fazer tudo certo, e na hora de investir coloca no lugar errado ?

Precisamos trabalhar no equilíbrio. Ok … cada um consegue se destacar em uma área. Por exemplo, o meu forte é na parte do retorno obtido com meus investimentos. É nisso que eu foco, mas sem ignorar a forma com que gasto o que ganho e em outras formas de aumentar/melhorar as minhas fontes de renda. 🙂

“Zé o livro se aprofunda nos temas abordados ?”

Não, ele apresenta, dá destaques a alguns pontos, e permite que o leitor dê seus primeiros passos.

Não, ele não te entrega uma “receita de bolo”, mas ele te mostra os ingredientes, diz como utilizá-los, te dando a liberdade de escolha.

Uma coisa que achei interessante é que ele apresenta os tipos básicos de investimento, ideais para quem está começando. Não adianta eu falar de Opções e Futuros para quem está buscando um livro que propõe te ajudar a dar os primeiros passos na jornada. Concorda ?

Não, não é um livro que tem como propósito focar no lado investimento da coisa. Ele deixa isso bem claro na capa: “Gastar bem | Investir melhor | Ganhar mais“. E, de novo, para quem está começando, é isso que é preciso !!

Não é à toa que “Do mil ao milhão” vem figurando entre as listas de mais vendidos do país. 😉

A transformação vem do início galera ! Um passo de cada vez. Lembra daquele post “Antes de se tornar um piloto da Fórmula 1, você precisa aprender a … ?” ? Pois então … 😀

Sim, é um livro que eu te indicaria ler ! 😉

 

Nota do Site:
5 Moedas

Do mil ao milhão
Thiago Nigro

Editora: HarperCollins
Ano: 2018
Edição: 1
Número de páginas: 222
Acabamento: Brochura
Formato: Médio