Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Nunca mais fique sem dinheiro

Muito se fala sobre como se ter dinheiro nos livros que falam sobre como se ter dinheiro.

Falam sobre muitas coisas, mas confesso que nunca vi um livro que focasse única e exclusivamente no fator “orçamento”. Você já ?

Bom … na verdade eu não tinha visto. 🙂

Ok, “praticamente todos falam”. Mas apenas falam … Mas desta vez eu li um que foca nisso ! E convenhamos … isso é fundamental !!

É o orçamento doméstico, junto com um plano de metas, que nos permite planejar adiante. Sem ele, nada feito. Sem saber o que realmente está acontecendo, e para onde queremos ir, uma tarefa que devia ser normal, se transforma em algo Hercúleo …

E confesso de que gostei do que li. Uma estratégia que encara de forma realista a confecção e manutenção de um orçamento. Afinal de contas, a vida é assim. Não dá para ser levada a ferro e fogo, é preciso ter alguma mobilidade para que possamos nos adequar às mudanças do dia a dia. Não concorda ? 😀

No livro “Nunca mais fique sem dinheiro“, o autor Jesse Mecham, nos apresenta as 4 regras que formam os pilares da sua estratégia:

#1 – Dê uma função ao dinheiro: tenha um objetivo em mente;

#2 – Aceite as suas despesas reais: quite as suas dívidas;

#3 – Aprenda a levar porrada: prepare-se para gastos inesperados;

#4 – Amadureça o seu dinheiro: junte grana

Sim, elas parecem ser simples. Mas parecem por um único motivo: elas são simples. 🙂

Se você prestar atenção, tudo o que realmente funciona, de verdade, é baseado em regras simples. Tudo que é muito complicado, muito complexo, muito cheio de regras, acaba piorando sua eficiência. Se for simples o suficiente para você seguir, sem ficar tentado a mudar só um pouquinho, para … facilitar as coisas, e fizer parte de uma estratégia testada ao longo do tempo, é mais de meio caminho andado. 😀

E sim, as 4 regras são simples o suficiente para que você não fique tentado a mudar alguma coisa. 😉

Claro … um ou outro ponto do que foi apresentado no livro pode não se encaixar na realidade brasileira. Exemplo ? Lá nos EUA a taxa de juros para o cartão de crédito também é de 15% … mas é 15% ao ano !!!! Aqui no Brasil a taxa é de 15% mensais !!! 🙄

Você deixar algo numa dívida que come o seu dinheiro desta forma, não pode ser encarado como possibilidade.

Em certa parte do livro o autor dá a entender que em alguns casos, para atender um de seus objetivos, você poderia deixar de pagar a fatura integral do cartão … O estranho é que no restante ele põe o pagamento das dívidas como uma prioridade. Fiquei com a impressão de que ele prioriza os objetivos (“sonhos”).

Ok, em uma situação onde você paga pouco mais de 1% ao mês para “arcar com os custos” do seu grande sonho, até poderíamos aventar a possibilidade. Mas aqui, onde o custo disso poderia ser perto de 15% ao mês ???? Não não !!! 🙁

Mas para você ver o quanto me agradou a leitura, este foi o único ponto que merece meu destaque “negativo”. (que está mais para neutro, por causa da realidade que ele vive nos EUA, hehehe)

Se você tem apanhado na criação e manutenção do seu orçamento doméstico, acredito que esta leitura te ajudará. E ajudará MUITO ! 😀

 

Nota do Site:
5 Moedas

Nunca mais fique sem dinheiro
Jesse Mecham

Editora: Haper Collins
Ano: 2019
Edição: 1
Número de páginas: 240
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Como sair do labirinto ?

Você provavelmente já se viu diante de um beco sem saída. Não sabia o que fazer. Não sabia para onde ir.

As coisas ficaram difíceis, seja por conta da perda do emprego, ou por algo ainda pior: você está buscando uma vaga no mercado de trabalho, mas não consegue encontrar nada. Tudo o que lhe é oferecido “não condiz” com a sua formação, com o tanto que você estudou e se preparou. As ofertas não estão à sua altura.

Você não consegue encontrar uma vaga. Você faz o que faz. Sempre fez o que fez. Não é justo que você precise mudar quem você é para conseguir trabalhar e mostrar seu valor. Não é mesmo ?

Você está convicto que uma hora as coisas irão melhorar e aquilo que você tanto precisa e procura, irá surgir. Você tem certeza disso !

Você insiste nisso. Por um longo período … Um período tão longo, que com o passar do tempo suas energias vão sendo drenadas. Você começa a xingar a tudo e a todos. “Ninguém te valoriza” … “Ninguém reconhece o seu valor” … Todos estão errados ! 🙁

Mas … e se for você quem está errado ? Já parou para pensar nessa possibilidade ?

E se as coisas mudaram, e aquilo que você fazia, não é mais necessário ? E se a atividade que você realizava, hoje é feita por uma máquina, em menos da metade do tempo que você levava … ? “Não, eu ainda vou conseguir encontrar quem me valorize e precisa da minha experiência !!”

Mas e se a sua experiência não é mais tão necessária quanto você pensa que seja ?

É … Muitas vezes colocamos uma ideia nas nossas cabeças que impedem que vejamos as coisas como elas realmente são. Criamos uma barreira que nos impede de enxergar a realidade. Estamos tão convictos de que estamos certos, que esquecemos de enxergar se realmente estamos.

Sim … a convicção é algo importante. Mas mais importante ainda, é pararmos para pensar se ela está realmente certa.

Muitas vezes é nosso entorno que nos traz essa convicção. Ouvimos falar que uma determinada coisa é boa, ou ruim, e mantemos essa opinião a todo custo. Quer um exemplo ?

Desde novo, ouvi falar que Opções (uma espécie de contrato de compra e venda de ações) eram perigosas. Que eram o caminho certo da perda. Que quem as utiliza, mais cedo ou mais tarde, acaba quebrando na Bolsa. As histórias de perda sempre eram intercaladas de uma ou outra vitória, que faziam com que a pessoa permanecesse no mercado, acreditando que aquela era a hora da virada. Até que uma nova pancada do Sr Mercado levava aquilo que havia sido conquistado, e mais um pouco.

Desde novo, tinha a convicção de que o mercado de Opções era perigoso. Era proibido para mim. Herdei essa convicção, pois era somente isso que meu pai falava. Contava suas histórias de perda e dizia: “invista na Bolsa, mas NUNCA opere com Opções !!” Se ele estava dizendo, quem era eu para ir contra …

Mas aos poucos fui estudando o tema, fui vendo que as coisas não eram bem assim. Que sim, era um mercado arriscado … Mas era arriscado para quem adotava uma postura arriscada. Era arriscado para quem atuava de uma determinada forma … E que sim, existiam maneiras seguras de trabalhar com aqueles ativos.

Eu tinha a convicção de que era perigoso. Até o momento que resolvi me “rebelar” e parar para analisar: “será que realmente o são ?

Convicções são assim. Você tem uma ideia na cabeça que te prende a um determinado posicionamento. Em todas as áreas de nossas vidas … Mas só te prendem se você deixa que elas mandem em você. Nada te impede de ver se elas são realmente corretas. Já parou para pensar, que se eu tivesse mantido a convicção de que o mercado de Opções é algo tão perigoso, a ponto de eu ser proibido operar nele ?

Se eu tivesse mantido esta convicção até hoje, eu não teria estudado o tema. Não teria me aprofundado. Não teria visto as coisas como elas realmente são. E pior: não estaria hoje vivendo delas. Sim, são as Opções que põe a comida na minha mesa. Eu só opero com elas ! E ainda mais: se eu tivesse mantido viva a convicção de que elas são perigosas, e nunca tivesse buscado a informação que mudou esta visão, eu nunca teria tido a oportunidade de criar o Double PUT Double CALL, que hoje ajuda muitas e muitas pessoas (quase 700 !!) a trabalhar neste mercado tão perigoso, de uma forma segura e rentável. 🙂

Se eu não tivesse mudado esta convicção, provavelmente teria abandonado o mercado em 2005, após ter quebrado. Não, eu não mexia com Opções (elas eram perigosas, lembra ?) … Eu trabalha com Ações, de uma forma completamente arriscada, sem nenhum tipo de proteção. Foram as Opções, perigosas, que me proporcionaram um porto seguro e que me permitiram a plena recuperação do que havia sido perdido e a sobrevivência no mercado. E mais: me permite, hoje, ajudar muitas pessoas que já passaram por uma experiência parecida. 😉

Quer sair do labirinto ? Aprenda a questionar as suas convicções. São elas que estão criando as barreiras que te mantém preso nele.

Já tentou ? Então aqui vai uma leitura que poderá te ajudar na tarefa:

 

Nota do Site:
5 Moedas

Como sair do labirinto
Spencer Johnson

Editora: Record
Ano: 2018
Edição: 1
Número de páginas: 111
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Livros ||| Criptomoedas

Olha … eu já li alguns livros sobre o tema. Outros tantos textos publicados em sites … Mas esta foi a primeira vez que li algo destinado exclusivamente ao convencimento da ~validade do ~investimento em criptomoedas.

Sim, sempre era focado no lado “real” da coisa. Mostrando o que era, como poderiam ser utilizadas. Mostrando como a tecnologia funciona, quais suas vantagens e desvantagens. Mas neste livro, por mais que os autores tenham mostrado isso, o foco era outro …

Desta vez, eles queriam mostrar que ~investir em criptomoedas era algo válido.

Confesso que não foi uma leitura que me agradou. Como falei no Twitter em “tempo real”, enquanto fazia a leitura, foi uma das primeiras vezes que quase desisti no meio do caminho. Sim, quase larguei o livro … E olha que NUNCA fiz isso !

Motivo ? Justamente esse lado “convencimento” da coisa. 🙁

Eu senti como se o motivo do livro fosse somente esse. Como se tudo girasse em torno de convencer o leitor de que investir em criptomoedas é um bom negócio. E no meio do caminho muitas comparações foram feitas. Até com as mais tradicionais bolhas, como não podia deixar de ser …

Claro ! A primeira coisa que muita gente pensa ao ouvir das criptomoedas, especialmente a bitcoin, a mais famosa de todas, é no comportamento ao estilo bolha. Os autores falaram sobre as tulipas, sobre as .com, sobre o subprime … Sobre como a massa de investidores se comportou diante daquelas bolhas e dessa.

Quer dizer, dessa não, pois “criptomoedas não são uma bolha“. É … 🙄

E como foi que concluíram que não se trata de uma bolha ? Através da análise das 5 lentes de Vikram Mansharamani !!

#1 Perspectiva microeconômica
#2 Perspectiva macroeconômica
#3 Psicologia – excesso de confiança
#4 Incentivo governamental
#5 Epidemiologia

Segundo eles, apenas o 3º item é encontrado em relação às criptos … Sério !!!??

Os próprios usuários e entusiastas dizem que a bitcoin foi criada como forma de “fugir” do controle estatal. Não seria esse um belo incentivo governamental ?

Já pela perspectiva microeconômica, “apenas 1% da população com acesso à internet investe em bitcoin”. Ok … pode até ser que o grupo fosse realmente pequeno. Mas não custa lembrar que aqui no Brasil, em um determinado momento, tivemos 2x mais pessoas investindo em cripto do que investidores em Ações ! Não custa lembrar da complexidade do processo de compra e venda de criptos, o que para muitas pessoas se mostrou como uma verdadeira barreira de entrada.

Pela perspectiva macroeconômica, dizer que não existe “alavancagem” no universo das criptos … Tem certeza ? E o mercado de futuros de bitcoin ? Ainda, como apresentado no próprio livro, quando dito que na bolha das tulipas as pessoas podiam pegar empréstimos para investir nelas, quantas e quantas histórias nós vimos, de pessoas que hipotecaram a casa para colocar tudo em bitcoin ?

E por fim, o 5º item … Em certo momento, só se falava disso !! De novo: enquanto tínhamos 500 mil pessoas que investiam em Ações, aqui no Brasil, 1 milhão investia em criptos !! O oba oba foi tão grande, que mais de MIL criptomoedas surgiram ! (e pelo o que vi, pararam de contar … pois a cada dia surgiam mais e mais e mais)

Sem forçar a barra, das 5 lentes, poderíamos considerar que 4,5 delas (o 2, sendo bonzinho, seria meio atendido) dizem que criptomoedas são sim uma bolha. 🙂

De novo, a leitura, na minha opinião, se mostrou mais como sendo um material que tentava convencer o leitor de que não há bolha … de que o ~investimento em criptomoedas é válido … do que realmente olhar a coisa de fora. E digo que entendo isso perfeitamente !! Quando estamos envolvidos em um investimento, é natural que deixemos de lado alguns cuidados, que ignoremos alguns pontos.

Só vai reclamar Zé ?

Não, tinha um lado interessante no livro. A parte destinada à orientação de como investir nas criptos.

Por mais que EU não considere como sendo algo válido, a análise de outras pessoas pode apontar para a direção contrária. Com isso, encontrará no livro material de como proceder, de como encontrar uma corretora, de como mandar a grana, de como fazer a compra e a venda delas. 🙂

Mas, de novo … esteja preparado para ler um livro onde seus autores defendem ferrenhamente suas convicções. 😉

 

Nota do Site:
2 Moedas

Criptomoedas
André Franco | Vinícius Bazan

Editora: Empiricus
Ano: 2018
Edição: 1
Número de páginas: 208
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Prédios de papel – Fundos de Investimento Imobiliário

Você já pensou em investir em prédios de papel ?

Não … eu não estou louco.

Uma alternativa simples e que torna viável, para qualquer pessoa, o investimento em imóveis. Mas não, não são prédios como os apresentados acima. 🙂

O investimento em “imóveis de papel” seria o equivalente às ações, as empresas de papel. Sim, estou falando dos FIIs ! 😉

Da mesma forma que uma ação representa um “pedaço” de uma empresa, um Fundo de Investimento Imobiliário representa um pedaço de um imóvel. E da mesma forma que você compra uma ação (ou tantas quantas quiser e puder), para se tornar sócio de uma empresa, você pode comprar FIIs para ser um dos proprietários de um determinado imóvel (ou de uma “coleção” de imóveis).

A ideia não é nova. Já foi apresentada aqui no Clube em outras oportunidades, como no post “Quero investir em imóveis para aluguel, mas isso dá tanto trabalho …“, mas quanto mais informação e conhecimento tivermos sobre as alternativas de investimento disponíveis, melhor fica. Concorda ? 😀

Pois então … Na minha busca constante por aprendizado, encontrei um novo livro sobre o tema Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs). Mesmo não sendo a minha praia, pois como você já sabe, meu foco, hoje, é 100% no investimento com Opções, aprender é sempre bom. Sem contar que isso me ajuda a ajudar mais pessoas. 😉

E confesso que esta leitura me agradou bastante. Ela foge um pouco do que eu já tinha visto sobre o assunto. Motivo ? Ela foca em algo que ainda não tinha encontrado: “Valuation” de FIIs.

Sim, cálculos que podem ajudar o investidor a determinar se um certo FII está caro ou barato ! 😯

Mas o mais legal mesmo, foi a apresentação de um cálculo onde o autor determina o preço de um imóvel para locação. Com base nas projeções de valor de aluguel, inflação, etc etc etc, ele mostra qual o valor justo para a compra/venda. Algo que eu realmente nunca tinha visto antes ! 🙂

Claro, além disso, é apresentado todo o conteúdo de base sobre o investimento. Os tipos de FII existentes, como se negociar (comprar e vender na Bolsa), os custos, IR … Foi um dos melhores que já li sobre o tema. 😀

SIM !! Leitura mais do que indicada !! 😉

 

Nota do Site:
5 Moedas

Fundos de Investimento Imobiliário
Roni Antônio Mendes

Editora: Novatec
Ano: 2018
Edição: 1
Número de páginas: 255
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Livros ||| Apresentações Mágicas

Se existe um grupo de pessoas, que é capaz de prender a nossa atenção do momento em que entra no palco, até o fim da apresentação, é o de mágicos. 🙂

Não importa se você é um adulto, uma criança, um aborrecente … todos ficam lá, observando cada mínimo detalhe do show. Seja por estarem “enfeitiçados” pelos truques, seja para entender o que realmente está acontecendo. 😉

Do outro lado, te farei lembrar de um passado que talvez não seja o seu momento de maior orgulho. Lembra das apresentações de trabalho que você fazia em sala de aula ? 🙄

É … você (ao menos 99,9% das pessoas se identificarão) tremia feito vara verde, suava frio, se esquecia da fala, não prendia a atenção de ninguém que estava presente. Um misto de falta de preparo, de motivação, e até mesmo de interesse.

Corta para a fase adulta. Você precisando vender seu peixe, numa apresentação de negócios. O que mudou daquele moleque para hoje ?

Ao menos em relação às apresentações, não muita coisa. 🙁

Não somos incentivados, em nenhuma das etapas de formação, a trabalhar esse lado tão importante. Acabamos fazendo as coisas na base do “jeitão” mesmo. Mas … por que não tentar aprender técnicas de fazer isso de uma forma mais interessante ? Tanto para o espectador quanto para quem está lá na frente, apresentando ?

E, neste momento, faço a ligação entre a sala de aula e os mágicos. Que tal usarmos em nossas apresentações, alguns truques dos mágicos ? 😀

Não, não estou dizendo para você tirar um coelho da cartola na frente do seu chefe, ou pedir para ele escolher uma carta … Estou dizendo para usarmos os verdadeiros truques que eles usam em suas apresentações. Aqueles que fazem com que nós não pisquemos durante um show, que prestemos o máximo de atenção aquilo que vem sendo dito e feito.

Sim !! Que tal usar algumas das técnicas que os mágicos usam para prender a atenção do público, para nos ajudar na hora fazer uma apresentação ? Uma que fará sua audiência prestar atenção do início ao fim. Técnicas que te ajudarão a dar o recado que deseja, sem ficar nervoso, ou sem fazer metade dos participantes dormirem. 😉

Em “Apresentações Mágicas“, Nick Fitzherbert compartilha as principais técnicas que usa em seus show de mágica, e que ensina em seus treinamentos e apresentações. De mágica ? Não !!! Reuniões, cursos, palestras !! Ele é um coach nesta área ! 😀

Uma leitura interessante, que passa por todas as etapas de uma apresentação. Até mesmo dicas sobre o uso do Powerpoint foram dadas !! (como não podia deixar de ser … afinal essa é a principal ferramenta usada nas apresentações hoje em dia)

São 200 páginas de dicas e sugestões de como melhorar sua apresentação. Desde a parte técnica da coisa, até o lado preparação psicológica dela. Já pensou, fazer uma apresentação sem estar nervoso ?

Tudo gira em torno de 20 “regras da magia”, voltadas à apresentação propriamente dita.

#1 – O contexto para qualquer comunicação é determinado pelas expectativas e percepções que você desperta

#2 – Expectativas e percepções podem ser reforçadas ou diminuídas por Prestígio, Atmosfera & Ambiente e Desejo

#3 – A comunicação só se fixa realmente quado se baseia no que o público já sabe

#4 – O cérebro filtra a maioria das informações que recebe, deixando apenas o que considera importante

#5 – Atenção concentrada exige um ponto único de foco

#6 – A atenção se move da esquerda para a direita, e então se fixa à esquerda

#7 – O público vai olhar para onde você olhar, para onde você apontar e para onde os instruir a olhar

#8 – Curiosidade, movimento, som, contraste e tudo o que é novo ou diferente são amigos e inimigos. Todos têm o potencial de atrais atenção

#9 – Um ambiente mais amplo muitas vezes pode contribuir para a mensagem ou prejudicá-la

#10 – Cada elemento do seu conteúdo pode tanto contribuir para a mensagem quanto prejudicá-la

#11 – A atenção é mantida pela variação, o que reduz o tempo mental

#12 – Os sentidos oferecem cinco maneiras diferentes de alcançar o cérebro

#13 – As primeiras e as últimas palavras são mais lembradas

#14 – Afirmações negativas impedem a comunicação porque precisam ser desembaralhadas para o significado ser interpretado

#15 – Excesso de intimidade leva à “invisibilidade”

#16 – A sustentação do impacto depende da transferência de informações para a memória de longo prazo

#17 – Para ser convincente, primeiro você precisa convencer a si próprio

#18 – A franqueza pode minimizar as dúvidas, mas a ênfase exagerada pode aumentá-las

#19 – As pessoas confiam mais em algo que elas próprias criaram pra si

#20 – A reação das pessoas é influenciada pela de seus próximos

 

Sim, cada um desses itens é minuciosamente detalhado ao longo do livro. 😉

Uma pergunta …

Quando você precisa fazer uma apresentação, qual é o seu calcanhar de Aquiles ?

 

Walmart

Nota do Site:
5 Moedas

Apresentações Mágicas
Nick Fitzherbert

Editora: Negócio Editora
Ano: 2011
Edição: 1
Número de páginas: 205
Acabamento: Brochura
Formato: Médio