Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Livros ||| Antifrágil

Antifrágil-girado pq

Antifrágil (Best Business, 2014) seria uma continuação do excelente “A lógica do cisne negro” ? Se não foi pensado desta forma, o ideal é que seja encarado assim pelo leitor. 🙂

Para quem começou a leitura, esperando encontrar vasto conteúdo ligado ao assunto finanças, foi um pouco “decepcionante” ver o autor abordando o assunto medicina e sua dieta … Porém o reforço de conteúdo que foi dado em relação à estratégia barbell, justificou a leitura das 600 páginas. 😉

O que seria o Antifrágil ?

Em palavras simples, seria aquilo que se beneficia de acidentes/problemas. Taleb fez uma analogia bem interessante: pense numa xícara de porcelana. Se ela cair no chão (dependendo da altura), ela se quebra. Pequenas quedas vão fragilizando o material, podendo quebrar depois de algumas quedas. Já o antifrágil seria o contrário. Ao invés de se quebrar, a xícara ficaria ainda mais forte a cada queda, tornando o utensílio praticamente indestrutível depois de algum tempo.

Por exemplo, o DNA (a herança genética que passamos de geração em geração), que proporciona uma melhora constante das espécies através da evolução. Enxerguemos um indivíduo como frágil, pois ele sofre com o acidente/problema (podendo morrer). Mas dependendo da causa da morte do indivíduo, o “erro” não é passado para as próximas gerações, tornando a população mais forte.

É um conceito interessante e fora dos padrões a que estamos acostumados. Para se ter ideia, o termo “antifrágil” nem existir existe. Ou não existia. 😉

O antifrágil nos investimentos

De novo somos direcionados à estratégia barbell. Por ter boa parte focada em “investimentos seguros”, e apenas uma parte mergulhada do risco (o mais arriscado que puder), a ideia é que a parte arriscada se beneficie em momentos de fragilidade do sistema, aflorando o lado antifrágil da estratégia. (mais uma vez isso reforça a ideia que apresentei no post)

O “bolo” acaba se beneficiando em momentos extremos de stress, pois foi montada pensando nisso, usando instrumentos que possibilitam tal comportamento. O uso de opções (a meu ver) é obrigatório neste caso. Não consigo enxergar outra ferramenta de investimento que me possibilite aproveitar os eventos raros, como um cisne negro, nestas condições.

Um baixo custo, constante, mas que possibilite um grande ganho quando acionado. Sério, leia o post onde falo sobre o barbell para entender isso melhor. 😀

E o que a medicina tem a ver com isso !?

Pode parecer estranho, mas ele fala justamente desse lado “fortificador” do corpo humano. Onde pequenos eventos/doenças, serviriam para reforçar o sistema (a pessoa), ao invés de ser um grande problema.

Ele ataca, e fala isso com todas as letras, os procedimentos “desnecessários”. (eu também penso de forma parecida, tanto que adiei minha operação dos olhos, para me livrar dos óculos, por muito e muito tempo …) Afirma que grande parte das mortes ocorre justamente por causa de procedimentos desnecessários, onde o paciente (ou o médico) vai em busca de problemas “que não existem” (ou que ao menos não diminuiriam o tempo de vida do paciente), tratando-os com remédios e procedimentos cirúrgicos virtualmente desnecessários.

Já os procedimentos “de vida ou morte” são fortemente recomendados por ele. Afinal o ganho do paciente, em caso de sucesso do procedimento, lhe proporcionará um período mais longo de vida. São cirurgias de emergência, literalmente em casos de vida ou de morte.

Falou também sobre sua dieta, que lembra em muitos aspectos a paleolítica. Lembra que tentei seguir com ela no começo do ano ? Perdi 6kg em aproximadamente 1 mês, mas acabei largando … Não fui forte o bastante. Defendeu períodos de jejum, alegando que o stress acaba reforçando o individuo, em mais um exemplo de antifragilidade do sistema.

Mas vale a pena ser lido ?

Olha … Como disse, achei que seria mais focado no lado finanças da coisa. Achei que ele focou demais neste lado medicinal da coisa …

Como leitura, de curiosidade, para adquirir mais conhecimento geral, mais conteúdo, achei bem interessante. Já se o seu intuito é na parte das finanças … Eu sinceramente acho que outras leituras poderiam trazer mais ganhos. A leitura do “A lógica do cisne negro” já traria grande parte do conceito necessário para a implementação de um barbell eficiente, por exemplo.

Mas se você é como eu, e gosta de ler um pouco sobre “outras coisas não relacionadas, essencialmente, ao mundo das finanças”, é uma boa leitura. Certamente lhe trará conteúdo para alguns bate-papos com os amigos. 😀

Antifrágil

Nota do Site:
4 Moedas

Antifrágil
Nassim Nicholas Taleb

Editora: Best Business
Ano: 2014
Edição: 1
Número de páginas: 664
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Compre seu livro no Submarino

Livros ||| 1929

1929 … o ano em que teve início a maior crise econômica mundial de todos os tempos, até a de 2008 … (sim, os efeitos dela ainda serão sentidos por muito tempo, mas torçam para que eu esteja errado …)

São tantas as histórias que ouvimos falar sobre este triste momento, a grande maioria destacando o comportamento das ações no mercado Americano, que o evento já está presente no “folclore cultural” financeiro.

Quem nunca ouviu algo parecido com “quando até os engraxates começam a dar sugestões de compra em bolsa, é porque está na hora de sair de cena” ? Sim: engraxates, cartomantes, palpiteiros de plantão … todos se transformaram em “profissionais de mercado”, cobrando por suas análises onde diziam o que viria a acontecer no mercado. Mas eu nunca havia visto nada parecido com o que encontrei em 1929 (Objetiva, 2013) de Ivan Sant’anna.

Várias histórias, vários relatos

O grande destaque que dou ao livro, além da riqueza de detalhes, é a apresentação do eventos vividos por vários personagens. De grandes investidores, ao engraxate. De quem comandava bancos, à quem investia suas (poucas) economias na poupança – e que também foi afetado pela quebradeira generalizada.

Tive o prazer de ler mais algumas histórias sobre uma figura única no mercado: Jesse Livermore. Investidor que ganhou, e perdeu, fortunas em suas operações, que se destacava dos outros investidores por suas estratégias. Especialmente na venda … 😉

Conheci um pouco mais sobre o patriarca do clã dos Kennedy. Sim, o pai de JFK era destaque no mercado financeiro nesta época. Vi a agonia de uma menina que teve todas as suas economias, e de seu marido, evaporando graças ao uso, indevido, de suas poupanças por funcionários do banco onde seu dinheiro estava. Até Carlitos, personagem de Charlie Chaplin deu seu ar neste livro.

Continue lendo …

Prédios de papel – Fundos de Investimento Imobiliário

Você já pensou em investir em prédios de papel ?

Não … eu não estou louco.

Uma alternativa simples e que torna viável, para qualquer pessoa, o investimento em imóveis. Mas não, não são prédios como os apresentados acima. 🙂

O investimento em “imóveis de papel” seria o equivalente às ações, as empresas de papel. Sim, estou falando dos FIIs ! 😉

Da mesma forma que uma ação representa um “pedaço” de uma empresa, um Fundo de Investimento Imobiliário representa um pedaço de um imóvel. E da mesma forma que você compra uma ação (ou tantas quantas quiser e puder), para se tornar sócio de uma empresa, você pode comprar FIIs para ser um dos proprietários de um determinado imóvel (ou de uma “coleção” de imóveis).

A ideia não é nova. Já foi apresentada aqui no Clube em outras oportunidades, como no post “Quero investir em imóveis para aluguel, mas isso dá tanto trabalho …“, mas quanto mais informação e conhecimento tivermos sobre as alternativas de investimento disponíveis, melhor fica. Concorda ? 😀

Pois então … Na minha busca constante por aprendizado, encontrei um novo livro sobre o tema Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs). Mesmo não sendo a minha praia, pois como você já sabe, meu foco, hoje, é 100% no investimento com Opções, aprender é sempre bom. Sem contar que isso me ajuda a ajudar mais pessoas. 😉

E confesso que esta leitura me agradou bastante. Ela foge um pouco do que eu já tinha visto sobre o assunto. Motivo ? Ela foca em algo que ainda não tinha encontrado: “Valuation” de FIIs.

Sim, cálculos que podem ajudar o investidor a determinar se um certo FII está caro ou barato ! 😯

Mas o mais legal mesmo, foi a apresentação de um cálculo onde o autor determina o preço de um imóvel para locação. Com base nas projeções de valor de aluguel, inflação, etc etc etc, ele mostra qual o valor justo para a compra/venda. Algo que eu realmente nunca tinha visto antes ! 🙂

Claro, além disso, é apresentado todo o conteúdo de base sobre o investimento. Os tipos de FII existentes, como se negociar (comprar e vender na Bolsa), os custos, IR … Foi um dos melhores que já li sobre o tema. 😀

SIM !! Leitura mais do que indicada !! 😉

 

Nota do Site:
5 Moedas

Fundos de Investimento Imobiliário
Roni Antônio Mendes

Editora: Novatec
Ano: 2018
Edição: 1
Número de páginas: 255
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Livros ||| Investindo em Ações no Longo Prazo

Os que acompanham o site, em especial a série de posts “Como o Zé ganha na Bolsa ?“, já sabem qual é a minha forma preferida de operar: o curto prazo. Mas os que realmente me acompanham (através do site, do fórum e do twitter) já sabem como venho tentando migrar um pedaço do meu capital para o investimento visando o longo prazo. O problema é que por mais que eu queira, o curto prazo me chama de volta. 🙂

Para tentar mudar isso fui atrás de um dos livros mais indicados por 10 entre 10 investidores de longo prazo: Investindo em Ações no Longo Prazo, de Jeremy Siegel. E posso dizer que muitas das minhas dúvidas foram sanadas – mas, também, muitas das minhas convicções foram reforçadas. Já explico. 😉

No longo prazo as ações sempre vencem !

Sim, uma das afirmações mais declaradas por todos que adotam o investimento em ações, visando o longo prazo, é confirmada nesse livro. O autor mostra, através de dados dos últimos 200 anos, que quem investiu em ações ganhou em média 6,8% ao ano. Enquanto quem escolheu o investimento em renda fixa (títulos do tesouro) recebeu … 2,8% ao ano. Você imagina a diferença que estes 4 p.p. fazem em 200 anos ? Não ? Então veja.

Se tivéssemos investido $1 no início do século XIX, teríamos $ 755.163 no começo do XXI ! Sim, em duzentos anos 1 dólar se transformaria em Setecentos e cinquenta e cinco mil, cento e sessenta e três dólares ! 😯

Enquanto isso, se ao invés de ações a pessoa tivesse escolhido investir em títulos do tesouro dos EUA, teria acumulado … $ 1.083 com títulos de longo prazo e $ 301 nos de curto !!! O investimento em ações foi, respectivamente, 700 vezes superior aos em títulos de longo prazo e 2.000 vezes superior aos em títulos de curto prazo !

Bom … mas 200 é muito tempo … e imagino que ninguém esteja querendo esperar tanto tempo, hehehe. Mas esses dados nos mostram a força que o mercado de ações tem para multiplicar o nosso dinheiro.

Vamos aos “poréns”: Para obter esse resulta a pessoa teria comprado o índice de ações, e não somente uma ação ou um pequeno número delas …

E é justamente essa uma das convicções que foram reforçadas pelo livro: para ganhar no longo prazo, com tranquilidade, não podemos comprar apenas uma (ou poucas) ação, precisamos comprar o índice.

O risco individual

Quando compramos ações de uma única empresa corremos o risco de que a empresa venha a dar problemas, que venha a falir … para você ter ideia, das empresas que formaram o primeiro índice Dow Jones, somente uma sobrevive até hoje … a GE, então o risco de falência existe e é real.

Já quando compramos o índice propriamente dito, esse risco é “excluído”, pois novas empresas serão incluídas e as que vão deixando de existir vão saindo. Por isso que no longo prazo o índice vai sempre subindo … 😉

Claro, você pode ter a sorte de comprar a ação daquela empresa que durará “para sempre”, que terá uma diretoria perfeita que sempre fará a empresa crescer … mas acho que você não gostaria de correr este risco, não é mesmo ?

Aqui no Brasil a melhor opção para investir diretamente no índice é através da compra do PIBB11. Mas … por que não investir em fundos que seguem o índice ?

Os fundos custam caro !

Sim, investir em fundos de investimento em ações, que seguem de perto o comportamento (e a formação) do índice acaba custando mais caro, por causa da taxa de administração. Existem fundos que cobram 1%, 2% ou mais ao ano,  e como vimos no início deste texto, a diferença de alguns pontos percentuais no longo prazo fazem miséria.

O PIBB segue o ibrx-50 (O índice IBrX-50 é composto pelos 50 papéis mais líquidos da BOVESPA) e tem uma taxa de administração de apenas 0,059% ao ano ! Já decidiu se vai comprar PIBB11 ou aplicar em fundo de ações ? 🙂

Claro, para comprar o PIBB11 você precisará de uma corretora, pagará corretagem … mas de qualquer forma sai mais barato que aplicar no fundo. Basta pesquisar as opções de corretoras disponíveis.

Mas é só comprar e esquecer ?

Pode ser … existem tantas formas de se operar … a que apresenta o resultado lá de cima é justamente essa, comprar e esquecer … não se faz nenhuma tentativa de maximização do retorno. Se você escolher por comprar as ações diretamente não se esqueça de reinvestir os dividendos, ok ?

Mas no mesmo livro somos apresentados a algumas outras formas de maximização deste retorno. Uma delas apresentei num dos posts da série “Como o Zé ganha na Bolsa ?“, uma técnica adotando médias móveis. Essa estratégia mostrou um resultado superior ao Buy & Hold (comprar e esquecer), ganhou 0,53% ao ano. 🙂

Além desta técnica ele nos apresenta algumas outras, mas não estragarei a surpresa e deixarei para que você veja quando for ler o livro. 😉

Um apanhadão de outras coisas

Só para atiçar ainda mais sua curiosidade, ok ?

– Como você acha que o mercado se comporta perante as guerras ?

– Como você acha que o mercado se comporta em países com grande crescimento PIB ? E os que têm um menor crescimento ?

– O calendário pode nos ajudar no investimento ? Existem meses mais propícios ? E dias da semana ?

O livro é fantástico ! Um verdadeiro estudo dos dados acumulados em mais de 200 anos. Não são apenas afirmações feitas pelo autor, são afirmações baseadas em dados históricos. São estratégias sendo comparadas, é uma verdadeira aula. 🙂

Se você está pensando em investir – visando o longo prazo – é leitura obrigatória !

Investindo em Ações no Longo Prazo

Nota do Site:
5 Moedas

Investindo em Ações no Longo Prazo
Jeremy J. Siegel

Ano: 2015
Edição: 5
Número de páginas: 448
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Compre seu livro no Submarino

Livros ||| Alocação de Ativos

Esta semana foi marcada por um fato muito importante: finalmente temos um livro decente que retrata de forma realista, detalhada e de fácil compreensão, o tema Alocação de Ativos. E o melhor de tudo, ele é em português ! 😀

A obra é fruto do trabalho do amigo Henrique Carvalho do site http://hcinvestimentos.com, que por sinal merece todos os elogios pela qualidade do material. Apresentação gráfica impecável, gráficos claros, exemplos diretos, diagramação perfeita ! Só de bater o olho no negócio eu já fiquei boquiaberto, ficou muito bem feito mesmo. Mas o melhor ainda estava reservado … a leitura ! 😉

Como disse no “Pergunte ao Pai Rico” de hoje de manhã, todos já são conhecedores de meu posicionamento sobre o tema diversificação, ou melhor … daquilo que dizem ser diversificação. Muitos insistem em dizer que diversificar é somente espalhar seu capital por um determinado número de ações, dando preferência às que sejam de setores de atuação “diferentes”, para evitar o risco de determinadas empresas e/ou áreas de atuação. O problema (como já dito no artigo citado) é que eles se esquecem de um pequeno detalhe … por mais ações que sua carteira tenha o risco do mercado de ações em si continuará fazendo parte dela. Mas você “diversificou” …

Tenho a mais absoluta certeza que após a leitura do e-book “Alocação de Ativos” o tema ganhará outros ares. Nele o conceito correto de diversificação de seu patrimônio é tratado da forma correta, distribuindo seu capital em ativos diferentes, de “espécies” diferentes, com riscos de mercado diferentes.

Risco da carteira

O tema é perfeitamente detalhado, mostrando através exemplos gráficos e práticos como seu patrimônio seria afetado pelo risco e qual o retorno obtido em determinados períodos do mercado. Mais, muito mais do que somente apresentar os perfis de investimento “Conservador, Moderado e Agressivo” e sugerir o que cada um deles deve fazer, como fazer a alocação de ativos de sua carteira …

Por que a carteira com 2 ativos se comporta de determinada maneira ? E com 3 ? E 4 ? E mais ? E se colocar um pouco de ouro … ? Ou de imóveis ? Sim, tudo isso é detalhado com cuidado e clareza.

Para que você tenha uma ideia, são “somente” 311 páginas de pura informação e conhecimento, que certamente foi adquirido pelo Henrique à duras custas, depois de muito estudar o assunto. (se não me engano foram mais de 10 livros, que tratam somente do tema Alocação de Ativos, todos em inglês … afinal até o lançamento deste livro o nosso mercado não contava com nenhum outro a altura dele)

Rebalanceamento de carteira

Você está lembrado que logo após a publicação de meu artigo falando sobre a diversificação de ações falei sobre o tema “Rebalanceamento de carteira” ? Sim, dei somente uma pincelada de leve sobre o assunto … Já o e-book Alocação de Ativos dá um show ! Traz detalhes de como proceder e o melhor, apresenta mais de uma forma de fazer esta readequação de seu patrimônio, de forma que você possa aproveitar as euforias e depressões dos mercados, permitindo que você venda caro e compre barato, e com isso traga um aumento (considerável) no rendimento de seu portfólio.

Prefere não mexer (não efetuar vendas) na carteira de ativos em si ? Sem problemas … afinal os aportes estão ai justamente para nos ajudar, e claro que são sugeridos e exemplificados no livro.

Resumindo …

Leitura mais do que recomendada, seja você iniciante ou profissional de mercado; quer tenha sobrevivido à crise de 2008, ou não; queira você já tendo um método de Alocação de Ativos eficiente ou não. Lembre-se: nada é tão bom que não possa ficar ainda melhor ! 😉

Compre, leia, aprenda, mude ! Seu bolso (e sua saúde) só tem a agradecer. 😀



Nota do Site:
5 Moedas