Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Corretoras zerando as tarifas !! Um pouco da história da Bolsa …

Como você já sabe, estou nesta longa estrada da vida há muitos anos … 20 para ser mais exato.

Já vi e vivi muita coisa nessa tal de Bolsa. Passei por grandes períodos de euforia, e outros tantos de quedas assustadoras.

Passei pela bolha das .COM, pelo 11 de setembro, pela eleição do lulla, pela valorização das commodities, pelo crescimento e susto da China, pelo subprime, pela dona mandioca, e, neste momento, pela arrancada das reformas.

Cada momento teve uma característica, cada momento teve uma lembrança.

Mas, mais do que o comportamento das ações neste período, uma coisa me chamou MUITO a atenção: as mudanças que a própria Bolsa sofreu de lá pra cá …

Era uma vez …

A long long time ago, em uma galáxia muito muito distante …

Quando comecei a acompanhar a Bolsa as coisas eram muito diferentes do que existe hoje. Para quem começou agora, seria “impossível” de imaginar que as coisas já tinham sido daquele jeito. As coisas eram diferentes. Os procedimentos eram diferentes. A gente era diferente …

Quando comecei a olhar a Bolsa, nós, meros mortais, tínhamos acesso às cotações apenas se fossemos NA corretora. É … na sede física de uma corretora. Lá teria um terminal (de tubo, tela verde) onde víamos as cotações sendo atualizadas. A velocidade dos negócios era impressionante !! Meia dúzia por hora, hehehe.

Tão diferente de hoje …

Não podia ir até uma corretora ? Sem problemas !! Você poderia ligar para a sua corretora, e pedir para que eles te informassem a cotação naquele momento. 😯

Não podia ligar ? Ok … você poderia conferir a cotação de fechamento na Gazeta Mercantil do dia seguinte … 😯 😯 😯

É … os tempos eram outros.

Todos os processos eram “manuais”. Era preciso um corretor para receber – por telefone -as ordens e enviá-las – por telefone – para alguém que estava no meio do salão, naquela gritaria (que era a imagem típica que todos nós tínhamos da Bolsa).

Tudo era devagar … Tudo era mais lento … Tudo era … mistério.

Quantas e quantas vezes podemos ter sido alvo de um “golpe” ? Você passou a ordem de compra por R$10,05 … mas estava sendo negociado a R$9,87 … e magicamente você comprava pelos R$10,05 ? Sim, isso acontecia.

Tudo era diferente. Os tempos eram outros. Era assim que a coisa funcionava.

Mas o tempo passou, vieram os computadores, a internet … e tudo mudou. Surgiram os primeiros homebrokers. Investshop, Patagon. Quem lembra ? 😀

Os HB chegaram, mas eles serviam apenas como um “algo a mais”, bem diferente do que é hoje. Operar pela web era algo que poucos faziam, era mais uma curiosidade do que propriamente uma obrigação.

Mas junto com as mudanças estruturais, vieram as mudanças financeiras !!

Quando os primeiros homebrokers surgiram, as regras padrão, para os custos operacionais em Bolsa, eram:

Taxa de custódia
Corretagem
Emolumentos

A taxa de custódia, se não me falha a memória, era de R$10, vindo para R$30 alguns anos depois. Cobrada mensalmente do investidor que possuísse alguma ação em carteira, pesava para quem tinha carteiras de menor valor …

A corretagem tinha uma regra padrão: parte fixa (R$25) + variável (0,5% do volume negociado).

Já os emolumentos … são o que são até hoje. 🙂

Como disse, tudo era “mecânico”, manual, portanto, custos lá no céu.

Mas veio a inovação: corretagem fixa ! “Esqueça o custo variável ! A partir de agora vamos cobrar um valor fixo para cada operação que você realizar.” Naquela época era algo “caro”, R$20 … R$15 … por operação.

Foi um Deus nos acuda. “Mas como !!??? De que maneira essa corretora vai sobreviver ? É muito dinheiro que elas deixarão para trás !!” Abrir mão da parte variável era inconcebível para muitos … Era MUITO dinheiro para eles estarem abrindo mão …

Mas era tudo feito pelo próprio cliente agora. Ele entrava no HB, escolhia a ação que queria negociar, o próprio computador enviava a ordem para outro computador que executava a ordem. Ok … é uma queda nos custos, pode ser repassada ao cliente.

Até que … resolveram inovar de novo. “A partir de agora, não cobraremos mais a taxa de custódia !!!

Foi um Deus nos acuda. “Mas como !!??? De que maneira essa corretora vai sobreviver ? Está abrindo mão do ganha pão, do $$ garantido que os clientes deixam todos os meses para ela !!” Era algo, para muitos, inacreditável. Era MUITO dinheiro para eles estarem abrindo mão …

Quem começou com essa mudança ? As corretoras “digitais”, as que operavam, basicamente, através do homebroker apenas. Como tudo era digital, o custo caiu drasticamente. Ok … é uma queda nos custos, pode ser repassada ao cliente.

Mas não parou por ai ! “A partir de agora, não cobraremos mais corretagem no Tesouro Direto e nos FIIs !!

Foi um Deus nos acuda. “Mas como !!??? De que maneira essa corretora vai sobreviver ? É muito dinheiro que elas deixarão para trás !!” Abrir mão da parte variável era inconcebível para muitos … Era MUITO dinheiro para eles estarem abrindo mão …

Ah … a corretora ainda receberia uma pequena comissão pela negociação do TD, da Bolsa. (no primeiro ano de investimento do cliente)

Até que … chegamos ao ápice !! CORRETAGEM 100% GRÁTIS !!

É … Modal e Clear inovaram, pra valer. Na Modal, corretagem grátis para todo e qualquer contrato futuro. Na Clear, pra tudo !

Mas como !!??? De que maneira essa corretora vai sobreviver ? É muito dinheiro que elas deixarão para trás !!” Abrir mão da parte variável era inconcebível para muitos … Era MUITO dinheiro para eles estarem abrindo mão … De onde virá o dinheiro que elas precisam para sobreviver ?

Consegue enxergar como as mudanças, graduais e num ritmo cada vez mais rápido, nos permitiram chegar até aqui ? É o tal do “disruptivo” … Agora não tem mais volta, esse é o caminho a ser seguido por tudo e por todos. 😀

Não foi um corte nos preços do nada, de um dia para o outro. Foi algo “lento” (levou quase 20 anos para chegar no 100% free), com motivos reais e justificáveis. Não foi um ato de loucura isolada. Foi algo pensado e estudado, com fundamentos. Até mesmo porquê as corretoras continuam tendo fontes de renda com seus clientes. Sim …

Dinheiro parado na conta;
Multas;
Comissões por venda de produtos; (CDB, Fundos de Renda Fixa, TD, cursos, calculadoras de IR, etc)
Empréstimo aos clientes;

E provavelmente muitos outros. 🙂

É … algo surpreendente, mas que vem ocorrendo há anos e você “não percebeu“. 😉

Isso que estamos vendo é o tal do “Free” que o Chris Anderson apresenta em seu livro: “Free: Grátis: O futuro dos preços“.

Sejam bem-vindas mudanças ! Nós, os investidores, agradecemos !! 😀

20 anos … direto do túnel do tempo …