Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Se acumular 100 ações no fracionário, estou liberado para lançar CALLs dela ?

Pergunta:

Olá, Zé !
O lote fracionário se torna um lote padrão ao atingir as 100 ações para fins de venda de call coberta de opções?

Ex. Tenho 99 PETR3F e ao comprar + 1 PETR3F

Agora terei 100 PETR ? (sem o F) e pronto para usar na venda de calls?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Maria ? 🙂

Na verdade, sempre que você compra uma ação, seja através do código PETR3, ou através do PETR3F, estará comprando PETR3. 😉

Na sua carteira irá aparecer como xxx PETR3. Por exemplo, se você comprar 50 PETR3F e 100 PETR3, aparecerá como 150 PETR3. 🙂

A diferença entre o código PETR3 e o PETR3F é apenas o tamanho do lote padrão de negociação. Enquanto no PETR3 você pode negociar apenas em múltiplos de 100, no PETR3F você poderá comprar de “uma em uma”.

Então, sim, se você, hoje, possui 99 PETR3 em carteira, ao comprar mais 1 PETR3, passará a ter 100 PETR3 e com isso poderá fazer um lançamento coberto de CALL delas. (a grande maioria das Opções possui um loto mínimo padrão de 100 Opções, com algumas exceções apresentando lotes de 10 Opções, e no caso de ETFs de renda variável – como o BOVA11, de forma unitária)

Espero ter te ajudado ! 🙂

Abraços !

Recomprar as ações exercidas no vencimento de opções é considerado daytrade ?

Pergunta:

Saudações,

Parabéns pelo trabalho prestado a comunidade financeira!
Gostaria de sanar uma dúvida quanto a uma operação com opções, pois, neste mercado sou incipiente:

Por exemplo, tenho uma posição de 2k em BBAS3 e realizei a venda coberta de 1k em BBASL62. No dia do exercício, efetuo a compra de 2k de BBAS3 a um preço superior ao strike no qual fui exercido. Neste caso, ocorre uma operação de day trade e, assim, como ficaria a posição no ativo? Nesta situação, ao final teria uma posição de 3k e um novo preço médio, além de um prejuízo a ser registrado na categoria day trade, correto?

Feliz ano novo!

Atenciosamente, Welton

Resposta:

Bom dia Welton,

Muito obrigado !! Quanto mais pessoas impactarmos, mais pessoas se livrarão das algemas que a pressão financeira cria. 😉

Uma dúvida muito comum e que tem uma resposta que vai completamente contra a lógica da coisa, hehehe. 😀

Vamos lá: você tem 2.000 BBAS3 e vende 1.000 BBASL62 (cobertas por suas ações). No dia do exercício, que foi no dia 19/12/2016, você foi exercido nesta venda. Como você disse, a cotação da BBAS3 estava acima do strike dela. Desta forma ficou com 1.000 BBAS3 em carteira.

O recebimento do valor originado deste exercício será creditado em sua conta na quinta-feira seguinte ao vencimento. E esse é o sinal para que a resposta surja … 🙂

Reparou que o exercício da opção ocorre como se fosse uma venda normal ? Pois então … é assim que a coisa flui para a Bolsa. É uma operação “compromissada”, com data marcada para o seu encerramento.

Agora é que vem o detalhe que encerra a “discussão”. No dia do exercício você efetua a compra de outras 2.000 BBAS3, com um preço acima do apresentado pelas ações que já possui em carteira. Com isso ficará com 3.000 BBAS3, e terá como preço médio (x+2y)/3 … Grego ? Não, bem simples na verdade, hehehe. O preço médio será o valor médio das suas 2.000 BBAS3 “originais”, que agora são apenas 1.000, mais duas vezes o preço médio das 2.000 BBAS3 novas. Tudo isso dividido por 3, afinal agora são 3.000 ações que integram a sua carteira.

O resultado final seria um prejuízo na categoria daytrade ? Não ! (um categórico não …)

Continue lendo …

O que é uma Bear trap ? O que é uma Bull trap ?

Os termos estão em inglês, mas a tradução literal já nos diz o que significam:

Bull trap = Armadilha de Touro

Bear trap = Armadilha de Urso

Isso, armadilhas. Não são exatamente como a imagem que ilustra o post, mas sim armadilhas financeiras que servem para “enganar” o time adversário.

Como você deve estar lembrado, a bolsa é separada em “times”. De um lado os Ursos, que operam de forma a obter lucro com a queda das cotações, e do outro os Touros, que obtém lucro com os movimentos de alta. Aproveitando, você já conhece a origem do termo ?

É muito comum nos referirmos aos Touros e Ursos de acordo com o atual movimento de um índice ou ação. “Ah, essa alta deve estar fazendo os Touros felizes”, ou coisa do tipo.

Muitas vezes os movimentos são claros, quase que orquestrados. E em determinadas ocasiões do tipo surgem as famosas “armadilhas”. Dificilmente você verá alguém se referindo a elas com o termo em português. Ao menos eu não lembro de ter visto …

É Bull trap pra lá, Bear trap pra cá. Em português você talvez conheça como violino. Já ouviu esse termo ? É a “mesma coisa” (com algumas – ou várias – aspas), mas que atende aos dois eventos.

A armadilha em questão nada mais é do que um movimento que dá a impressão de que a tendência anterior foi revertida. Se caía, passando a subir, e trata-se de uma Bull trap, as cotações certamente voltarão a cair em seguida. É uma armadilha ao pé da letra: “plantada” para chamar os adversários, criando volume no mercado para que a tendência anterior ganhe novos participantes.

Esse tipo de movimento é muito comum de ser verificado no momento de abertura dos negócios da Bolsa. Especialmente nos instantes que antecedem a abertura do mercado americano … 😉

Quantas e quantas vezes vemos um movimento estranho, indo contra a lógica do que é visto nos outros mercados, para após a abertura das Bolsas americanas vermos um alinhamento dos negócios locais com os externos ? 😀

A Bull trap é uma armadilha que faz com que os Touros passem a acreditar num movimento de alta, convidando-os à compra. Após a entrada dos Touros os Ursos assumem o leme, trazem o movimento de queda de volta e o mercado (ou a cotação de determinados ativos) volta a cair.

A Bear trap é uma armadilha que faz com que os Ursos passem a acreditar num movimento de queda, convidando-os à venda. Após a entrada dos Ursos os Touros assumem o leme, trazem o movimento de alta de volta e o mercado (ou a cotação de determinados ativos) volta a subir.

Estas armadilhas são usadas como justificativa para que muitos analistas tenham como “discurso padrão” a indicação para ficarmos de fora dos primeiros negócios do dia. A maioria delas é acionada neste momento. 😉

Como desmontar uma operação simples com Opções ?

Pergunta:

o que até hoje eu não entendo é se eu consigo desmontar posição em opção com o intuito de especular e não exercer
exemplo:
comprei 300 opções de call de petr4 a 0,03 centavos, daqui a uma semana ela foi para 0,06 centavos eu consigo vender as 300 opções que foram compradas a 0,03 para o preço de 0,06 para outro e assim zerando minha posição com 100% de lucro(sem contar taxas e corretagem é claro)?

outra duvida usando o mesmo exemplo comprei supondo que no dia do vencimento o preço está á 0,09 e eu não faço nada eu vou ser zerado com o lucro sobre a valorização do preço?

Resposta:

Opa ! Tudo certo ?

Claro !! Para desmontar uma posição em Opções, sem participar do exercício, basta que você encerre a operação. Você irá especular com a Opção da mesma forma que faz com uma ação !! 😉

Como no teu exemplo: você comprou 300 CALL de PETR4 por 3¢. Para encerrar a operação no lucro, por 6¢, basta que você faça a venda das tuas 300 CALL para alguém que as esteja comprando por este preço. Da mesma forma que você enviou a ordem de compra, poderá entrar na corretora e emitir uma ordem de venda, zerando a posição. 🙂

Na verdade, a especulação, os trades curtos, com Opções, são o tipo mais comum de uso delas. Você compra e vende do mesmo jeito que faz com uma ação. O exercício seria um “evento extra” para elas. Você não precisa, obrigatoriamente, participar do exercício. Basta encerrar a operação até o último pregão antes do vencimento.

Se iniciou uma operação de compra, basta vender a posição para encerrá-la antes do vencimento. Se lançou, basta recomprar para encerrar a operação antes do vencimento.

Já a segunda pergunta, no dia do exercício em si tu não poderás mais negociar com a Opção. Só obterás lucro se a ação estiver com um valor acima do strike. Neste caso será preciso participar do exercício. Você exercerá a sua CALL (comprada), recebendo as ações, e em seguida as revenderá no mercado. Desta forma, se o preço das ações estiverem acima do strike (que foi o valor que você pagou na hora que solicitou o exercício), poderá revender as ações com lucro.

Se tu não fizeres nada (se não solicitar o exercício à corretora, suponde que a ação permite o exercício), a tua CALL deixará de existir e tu não poderás fazer mais nada … Ok, algumas corretoras farão o exercício automaticamente se tu não pedir que façam. Mas não são todas que fazem isso. 😉

Sugiro a leitura de dois posts:

– Como funciona o exercício de opções ?
– E se eu esquecer de solicitar o exercício da minha Opção ?

Espero ter lhe ajudado. 🙂

Abraços !

É preciso declarar o lucro do mês passado, ou posso abater da perda atual ?

Pergunta:

Zé, me tira uma dúvida.

Tive lucro em dezembro de 2020, porém o prejuízo de janeiro de 2021 está sendo maior.

Preciso declarar esse lucro de 2020, ou posso abater no prejuízo que tive no mês subsequente mesmo sendo anos diferentes?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Lucas ? 🙂

Sim, precisas declarar o lucro de dezembro de 2020, recolher o IR sobre o lucro acumulado durante o mês e “guardar” as perdas ocorridas em janeiro de 2021 para serem usadas futuramente.

A regra é simples: para que possamos compensar perdas e lucros em Bolsa, para evitar o pagamento de imposto de renda sobre o lucro, precisamos sempre respeitar a ordem dos eventos. Podemos compensar lucros futuros com perdas passadas. Nunca o contrário.

No caso da tua pergunta, temos uma perda “futura” que não pode ser compensada com um lucro anterior. 😉

Agora, as perdas acumuladas em janeiro/2021 poderão ser usadas para compensar lucros futuros, até que o saldo seja zerado. Não existe um “limite de tempo” para que ele possa ser usado.

Ah ! Um outro detalhe MUITO importante: operações daytrade só poderão ser compensadas com operações daytrade, e operações normais (swing trade) com operações normais. 🙂

Espero ter te ajudado ! 😉

Abraços !