Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Qual o momento em que a Receita considera que houve lucro ou perda ?

Pergunta:

Me surgiu outra dúvida, a título de IR, o que a Receita considera prejuízo em si? Quando aliena as ações e obtém de fato o prejuízo? Ou simplesmente virar o mês estando negativado na carteira?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Sangalli ? 🙂

Esta é uma pergunta MUITO importante ! 😀

Para a Receita, o que importa é encerramento da operação. Para a determinação de um lucro, ou prejuízo, a ser contabilizado para a declaração (ou para o pagamento de um DARF), é o fim da operação que nos trará a informação.

Por exemplo, se você está comprado, em 1.000 PETR4, com preço médio de R$15,00 e hoje as ações valem R$19,50 cada, o seu patrimônio se valorizou, porém ainda não existe o lucro propriamente dito. Você ainda não pode gastar os R$4.500,00 extras. Correto ?

Este dinheiro ainda “não existe”. Ele está ainda em forma de ação, e só passará a ficar disponível na sua conta, na hora em que as ações forem vendidas. E é neste momento em que elas são vendidas, e que a operação é encerrada, é que podemos determinar se houve um lucro ou prejuízo. 😉

O mesmo vale para uma operação que vem sofrendo pressão e está desvalorizada em relação ao seu preço de entrada … Tanto, que muitos sempre argumentam que ainda não perderam dinheiro, pois ainda não venderam as ações. 🙂

(não é bem assim … como falo neste post, mas é um papo para outra hora, hehehe)

Então, para a Receita, é o encerramento da operação que marcará o fato gerador de lucro/perda. Fechado ?

Espero ter te ajudado ! 😀

Abraços !

Imposto de Renda na venda de Opções

Pergunta:

Gostaria de orientação no cálculo do valor a pagar de IR na venda de opção. Estou perdido nesse assunto e não achei algo claro sobre o assunto. Obrigado

Resposta:

Opa ! Tudo certo Carlos ? 🙂

O Imposto de Renda das Opções é igual ao das ações, apenas tendo algumas particularidades em relação ao exercício em si. 😉

Quando você faz a venda (lançamento) de uma Opção, seja ela coberta, descoberta ou travada, e não ocorre o exercício, a regra é a mesma: 15% sobre o lucro obtido na operação normal, e 20% para o daytrade.

Agora, quando existe o exercício … as coisas são um pouco diferentes mesmo. (e acredito que esta seja a sua dúvida principal)

As duas situações, exercido em um lançamento de CALL e de PUT, já foram tema de post aqui no Clube:

– Fui exercido em uma opção CALL que vendi, como fica o cálculo do imposto ?
– Fui exercido em uma opção PUT que vendi, como fica o cálculo do imposto ?

Um outro ponto importante sobre o assunto, é sobre a recompra (ou revenda) das ações originadas do exercício: é daytrade ou não ? Sim, já foi tema aqui no site também ! 🙂

– Recomprar as ações exercidas no vencimento de opções é considerado daytrade ?

Por fim, um outro aspecto das Opções que merece destaque, é em relação à regra de isenção das vendas abaixo dos R$20 mil mensais:

– A regra do IR, de isenção dos R$20 mil, vale também para Opções ?

Uma indicação de leitura sobre o tema (como um todo) é o excelente livro do Murillo Lo Visco:

 

Nota do Site:
5 Moedas

Imposto de Renda no Mercado de Ações
Murillo Lo Visco

Editora: Novatec
Ano: 2012
Edição: 1
Número de páginas: 304
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Espero ter te ajudado ! 😉

Abraços !

O que é um GAP ?

Você provavelmente já tenha ouvido alguém falar algo parecido com:

O mercado abriu com um belo GAP. Como acontece com todo GAP, esse provavelmente venha a ser fechado.

E eu lhe pergunto: Você sabe o que é um GAP ?

O que é o GAP ?

É uma “figura” simples de ser identificada e muito comum de ser vista em nossos gráficos. Da forma mais simplificada possível: é um “buraco” no gráfico, onde existe uma diferença entre o fechamento de um dia e a abertura do dia seguinte.

Normalmente os valores de fechamento de um dia e o de abertura do dia seguinte, são muito próximos. Na maioria das vezes não existe um evento ou fato que justifique uma mudança muito grande no ânimo dos investidores, que justifique uma mudança radical nas cotações da noite para o dia. (literalmente)

Porém em algumas ocasiões isso pode ocorrer. Pense na divulgação do resultado da empresa, a abertura seguinte ao anúncio pode conter muitas informações novas, que eram desconhecidas até então e que justifiquem uma grande diferença no preço considerado como sendo justo para sua ação.

Mas é claro que não são somente as divulgações de resultado que causam isso. Como o mercado Global é integrado, um evento ocorrido na China, ou no Japão, durante a noite, pode fazer com que a nossa abertura seja muito diferente do “clima” encontrado no fechamento do dia anterior.

Mais simples do que explicar em palavras, é apresentar um gráfico que contenha um “festival” de GAPs. 😉

vale5-diario-14102015

Observe as elipses acinzentadas, elas marcam os saltos na cotação da VALE5 de um dia para o outro. Repare que o GAP existe tanto para cima, quanto para baixo. Ainda existem GAPs “invisíveis”, que podem ser vistos mais claramente no gráfico intraday. Seria exatamente o mesmo salto, mas “encoberto” pela forma com que os candlesticks são formados. Dê uma olhada neste gráfico e tente entender isso:

vale5-diario-14102015-2

“Mas e essa história de que todo GAP se fecha ?”

Isso é um misto de “lenda” com estatística. Obviamente a palavra “todo” não se encaixa muito bem ao mercado financeiro. Não existe regra que funcione 100% das vezes … Mas algumas se aproximam muito disso. 🙂

Veja o primeiro gráfico, das 8 sinalizações, você encontrará apenas 1 onde não houve o fechamento. É … quase que podemos dizer que todos fecharam. 😉

A frase que muitos preferem adotar é: “Todo GAP se fecha, menos aqueles que não são fechados.”, hehehe. Usam o argumento que aquele é um GAP de fuga, que marcaria o momento da reversão do papel e por isso ele não foi fechado. Mas … como saber se é um GAP normal ou um de exaustão ? Impossível … só depois, usando o retrovisor.

O que estou querendo dizer ? Sim, parta do princípio que ele muito provavelmente vá ser fechado. (use um belo STOP para se garantir, caso não venha a se fechar)

A viabilidade de se operar o fechamento de um GAP só é possível para quem usa o STOP, e um STOP curtinho … Se for tentar aproveitar o  fechamento de “cara limpa”, a chance de perda é enorme !!

O GAP é apenas uma forma de se enxergar um salto “noturno” na cotação. Mas que, de brinde, pode nos trazer uma bela oportunidade de operação. 😀

Quer comprar ações com desconto ?

Sim, isso mesmo que você leu: Quer comprar ações com desconto? Por um preço mais baixo do que o ofertado no mercado ? 1% ? 2% ? 5%? Qual é o tamanho do desconto que você deseja ?

Claro que estou falando sério ! Me diga por qual motivo eu estaria aqui inventando uma história sobre algo tão sério e tão … bom ? 🙂

Mas o melhor de tudo é que é uma coisa tão simples, ao alcance de todos … e tão benéfica ! Vai ver que é exatamente por isso que acabamos não ouvindo falar disso … 🙁

O “segredo”

A informação, a estratégia me foi apresentada durante a leitura do ótimo “Fique rico operando opções“, e tive aquela reação instantânea do tipo “como foi que não pensei nisso antes !!!”. Bem, acredito que um dos principais motivos para não ter pensado nisso foi por causa do tamanho do mercado que gera essa oportunidade. Por ser pequeno (até pouco tempo atrás), falar sobre ele era quase que “proibido”.

Está lembrado que no post onde faço meus comentários sobre o livro falo sobre esta possibilidade ? Sobre uma forma de comprar ações por um preço mais baixo do que os ofertados ? Pois bem … chegou a hora.

Antes de mais nada, acredito que esta ferramenta seja ideal para os que adotam a estratégia Buy & Hold, com aportes constantes à carteira de ações. Por causa da natureza da estratégia, onde o investidor compra ações constantemente, muitas vezes não importando a atual situação do mercado, o capital para a compra está disponível e um possível “adiamento” da compra acabaria não afetando o desempenho da carteira no longo prazo.

Entenda que como todas as estratégias de Bolsa, esta também envolve um certo risco. O risco de não poder comprar a ação pelo preço desejado … Mas acredito que este seja um risco justo e que no passar dos anos acabará trazendo belos frutos.

Como você já deve ter concluído esta estratégia de compra com desconto envolve o uso de opções … Mas não é preciso ter medo, elas não mordem. A não ser quer você as provoque. 😉

A estratégia em si

O conceito por trás da estratégia é incrivelmente simples, bastando que você escolha o preço que deseja pagar; “separar” o dinheiro para esta compra; vender a opção relacionada à essa escolha e pronto, agora é só colocar no forno, aguardar alguns dias ou semanas e pronto. 🙂

escolher o preço:

Você precisa definir um preço para esta compra, seja o preço atual, um preço mais baixo ou um mais alto do que ele. Sim, um preço mais alto … com desconto. É meio … “estranho” mas para algumas pessoas isso poderá fazer sentido.

Digamos que você deseje comprar 1.000 ações da Petrobras (PETR4) na faixa dos R$17,00. O fechamento de ontem foi em R$17,30, portanto o preço que você quer pagar fica um pouco abaixo do atual. Ou então que você queira pagar algo próximo à R$16,00, usarei estas duas possibilidades nos exemplos.

separar o dinheiro:

Esta é a parte mais fácil da estratégia, afinal você já precisaria destinar este dinheiro para a compra da ação no preço atual, correto ? Mas uma das melhores partes desta ideia é poder deixar este mesmo dinheiro na renda fixa enquanto aguarda a confirmação da compra com desconto.

Indico o uso de um CDB nesta estratégia, pois, como ela envolve a venda de opções, sua corretora pode exigir que você deposite um valor a título de garantia para a operação, a famosa margem. Existem ótimos CDBs que oferecem rendimentos muito próximos à 100% do CDI.

vender a opção:

Como dito você precisará operar no mercado de opções, mas não tenha medo, você não estará no olho do furacão que é o mercado de opções em muitas ocasiões. Você precisará vender uma opção do tipo PUT (opção de venda) – aquela que estamos habituados é a CALL (opção de compra), que se favorece conforme o mercado sobe -, portanto é hora de olhar as que estão disponíveis e ver se existe algum strike próximo do valor que você deseja pagar.

Indico o uso da própria página da B3 – B&MF Bovespa para ver a lista completa.

No caso estamos de olho na opção mais próxima dos R$17,00 e a mais próxima dos R$16,00. Para o vencimento atual (estamos em maio/14, portanto o próximo vencimento será em junho/14), na série R, temos a PETRR7, com strike nos R$16,16 e a PETRR18, com strike nos R$17,16. Elas atenderão as nossas necessidades. 😉

A PETRR7 fechou o último pregão valendo R$0,14 (pouco menos de 1% do valor da ação), enquanto a PETRR18 fechou em R$0,40 (quase 2,5% do valor da ação).

Nesta hora você precisa decidir qual será o valor desejado para a compra. Lembrando que para comprar próximo dos R$16,00 você precisará que o mercado caia até aquela região até o dia do vencimento. O mesmo acontece para o caso de você desejar pagar perto de R$17,00, só que o caminho até este preço é menor …

A principal característica de uma opção do tipo PUT é que ela só é exercida caso o preço de mercado da ação seja inferior ao strike da opção. E é somente desta forma que a operação será concluída. Infelizmente você ainda estará nas mãos do mercado, é o risco da operação que citei no início …

é hora de aguardar e ver se a “receita” ficou pronta:

Com a opção vendida precisaremos aguardar o vencimento da série para ver se o strike escolhido será exercido. Mas acredito que você já tenha identificado que, caso dê “errado”, você ainda ganha com a operação, não é mesmo ? 😉

Sim ! O valor obtido na venda da opção já é seu, quer aconteça o exercício ou não. O prêmio da venda já é seu. O prêmio e o rendimento obtido com a grana “reservada” no CDB. Sim, mesmo não sendo exatamente o desejado, caso dê errado você ainda ganha.

Claro … você corre o risco de ver a ação subir e “nunca mais” vê-la na mesma faixa de preços que estipulou a compra, mas acredito que quem esteja envolvido com a estratégia Buy & Hold já esteja mais do que familiarizado (e por que não acostumado ?) com esta mesma situação.

Ficou um pouco decepcionado … ? Não fique assim … Reflita por apenas um minuto e você verá que a estratég… isso mesmo, pode ser feita todos os meses ! Então em alguns você comprará a ação pelo preço desejado e em outros amargará a derrota, embolsando um rendimento pífio, na ordem dos 2% … 3% … 😯

Sim … 2% … 3% … basta “torcer” para dar errado e ter tido a “sorte” de escolher a opção correta para ser vendida. 😉

Tudo dependerá da sua estratégia, se você deseja rentabilizar a carteira, se deseja comprar por um preço mais baixo, se “souber” qual opção e quando vendê-la … Mas o básico pode ser feito de forma automática e sem muitos conhecimentos gráficos e operacionais.

Basta ter o dinheiro na conta, aguardando a compra, estar ciente de que pode não dar certo e a ação não será comprada, ou então que dê certo e que comprará a ação.

Tentei fazer este post da forma mais simples que pude, para facilitar a compreensão de todos (dos que já têm experiência com bolsa e com opções, aos que ainda não a têm), mas posso ter deixado passar algum detalhe … Peço que releia o texto caso tenha ficado com alguma dúvida e que fique a vontade para enviá-las, tentarei lhe ajudar no que for possível. 😀

Se precisar de alguma ajuda, para entender como funciona o mercado de Opções, conheça o Double PUT Double CALL, o meu curso de Opções. 😉

Quando devo pagar o Imposto de Renda de uma operação com Opções ?

Pergunta:

Ola!

Parabéns pelo conteúdo.

A DARF em opções tenho que emitir no mês subsequente considerando o final do exercício certo?!
Ex: Exercício em Agosto, emite DARF em Setembro

Resposta:

Opa ! Tudo certo Franthesco ? 🙂

A regra é clara, e permanece sendo a mesma ! 😉

O pagamento do Imposto de Renda sobre o lucro obtido em operações com Opções, ocorrerá até o último dia útil do mês subsequente ao fechamento da operação.

Como o exemplo usado por ti, se a operação foi encerrada em agosto, a emissão, e pagamento, do DARF, deve ocorrer até o último dia útil do mês de setembro.

Sim, o encerramento de uma operação, e o seu vencimento, podem acontecer em momentos diferentes. 😉

Pense num lançamento ocorrido em julho, por R$1, em Opções da série H. O vencimento desta Opção ocorrerá em agosto. Correto ?

Leia: Quem é o lançador de Opções ?

Pois bem, agora pense que você fez o lançamento no dia 15 de julho. Passados alguns dias, a ação caiu e a Opção acompanhou a queda, te permitindo encerrar a operação por R$0,50. Isso no dia 23 de julho. Você obteve um lucro de 50¢, com uma Opção da série H (que tem o seu vencimento no mês de agosto), dentro do mês de julho. (começou dia 15 e encerrou no dia 23)

E como a regra aponta para o pagamento, tendo como referência o encerramento da operação, você deverá emitir e pagar o DARF até o último dia útil do mês de agosto. 🙂

Agora, um outro exemplo, seria o mesmo lançamento, no dia 15 de julho, recebendo o mesmo prêmio de R$1, mas ao invés de encerrar a operação, você a deixou ir até o seu vencimento e ela virou pó.

Com isso, a operação iniciada em julho, foi encerrada no mês de agosto. Com isso, a emissão e pagamento do DARF deverão ocorrer até o último dia útil do mês seguinte ao do encerramento da operação, que é setembro.

A operação é a mesma, a única diferença (além do lucro obtido com elas) é o momento do seu encerramento. 😉

Portanto, você só precisa se lembrar disso: o pagamento do Imposto de Renda sobre o lucro obtido em uma operação ocorre no mês seguinte ao encerramento da operação.

Espero ter te ajudado ! 😀

Abraços !