Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Antes de se tornar um piloto da Fórmula 1, você precisa aprender a … ?

Pense numa criança que adora assistir às corridas da Fórmula 1. Ela ama aquilo ! Ama tanto, que ao perguntarem para ela o que ela será quando crescer, a resposta que surge imediatamente é “Serei um piloto da Fórmula 1 !!!

A criança vai crescendo e a vontade aumentando, até o ponto em que os pais começam a incentivar aquele sonho.

Neste momento aquela criança começa o processo de preparação para se tornar um piloto profissional de corrida. Começa pelo kart, aprende a pilotar, se destaca, ganha algumas provas, passa a ganhar todas, começa a correr na Fórmula Ford, passa a correr provas da Fórmula 3, se destaca, ganha as provas, migra para a Fórmula 1 e vira ídolo.

Aquela criança saiu do zero, transformando um simples desejo em realidade. Ela evoluiu, aprendeu o que precisava para se tornar um piloto profissional, um ídolo na modalidade.

Ela se destaca tanto que faz com que outras crianças passem a desejar o mesmo, passem a almejar uma carreira de piloto de Fórmula 1.

E nesse momento surge uma pergunta …

O que é preciso fazer para se tornar um piloto de Fórmula 1 ?

Você partiria direto para um carro de uma das grandes equipes, “giraria a chave” e sairia correndo ?

Ou você começaria devagar, evoluindo aos poucos, adicionando um pouco mais de potência e um pouco mais de velocidade aos poucos ?

Indo ainda mais longe: você, sem saber absolutamente nada sobre como pilotar um carro (quanto mais um de Fórmula 1 …), o que faria ? Pegaria uma Ferrari para dar umas voltas a 350km/h ? Ou começaria mais devagar ?

Sim, você começar devagar. Bem devagar …

Na verdade, você começaria parado. Você antes de tudo aprenderia como ligar o carro. Aprenderia para o que serve um volante, qual a função de cada um dos pedais (freio, acelerador e embreagem). Aprenderia sobre os efeitos da velocidade sobre o carro, sobre como ele se comporta no momento da freada se estivermos rápidos demais. Aprenderia que para o carro andar ele precisa de combustível, que sem ele não haveria como ele sair do lugar.

Em suma: você começaria pelo básico do básico. Antes de se tornar um piloto profissional, você precisaria aprender a dirigir um carro. Você precisaria aprender o que faz um carro se mover, como fazer ele se mover.

Depois disso sim, você passaria a injetar mais potência no motor, pisar mais fundo no acelerador, deixar para frear mais perto da curva.

Não é mesmo ?

E neste momento eu te pergunto …

Por que seria diferente na hora de se investir na Bolsa ?

É … Vejo muitas e muitas pessoas que desejam começar a investir na Bolsa. Querem investir, graças as oportunidades que viu, das que ouviu falar. Quer começar, mas já quer começar voando baixo. Quer começar diretamente no cockpit de um carro da Fórmula 1. Quem sabe até mesmo de um mais rápido, para já ir diretamente aos 500km/h !

Infelizmente vejo isso acontecer. E vejo muito.

Muitos interessados em investir em Bolsa querem pular etapas. Querem sair do zero, querem deixar de ser um investidor da Caderneta de Poupança e migrar diretamente para o investimento em Bolsa, operando no daytrade com alavancagem de 1:100 … 🙄

Se isso ocorresse com o exemplo da Fórmula 1, pegando a pessoa que ainda não sabe ligar um carro comum, e a colocando para acelerar uma McLaren a toda, numa reta gigante, antes “daquela” curva. O que provavelmente aconteceria? …

Isso mesmo: um acidente.

A mesma coisa acontece na Bolsa ! A pessoa que entra, sem ter formado a base realmente necessária para se investir com segurança e conhecendo como aquilo funciona, corre um grande risco de se acidentar no primeiro “imprevisto” que surgir.

Se você não parte diretamente para um carro de Fórmula 1, porquê faria isso na hora de investir na Bolsa !!?

Agora você entendeu o motivo para eu ter criado o curso Minha 1x na Bolsa, que fornece aos alunos todo o conhecimento de base, apresentando os detalhes sobre o funcionamento do investimento em ações, desde o mais básico “o que é uma ação”, “o que é a Bolsa”, passando pela abertura de uma conta na corretora, mostrando como se realizar uma compra de uma ação na prática, para em seguida apresentar uma estratégia simples de investimento, que não requer muito tempo, ou uma análise mais aprofundada, permitindo a ele investir de uma forma diversificada e um pouco mais segura ?

O Minha 1x na Bolsa é ideal para você que hoje investe apenas nas formas mais tradicionais de investimento (poupança, CDB, Tesouro Direto, Fundos …) e deseja sentir o gostinho da velocidade que a Bolsa pode proporcionar. Com o equipamento correto, com a segurança necessária, com o conhecimento que te permitirá desfrutar de uma prova oficial. 😉

Com o conhecimento adquirido lá, você poderá evoluir aos poucos. Poderá partir para o investimento em Opções, no índice futuro, no dólar, no daytrade … Pois terá obtido todo o conhecimento necessário para isso, para seguir adiante.

Me diga: por que se arriscar a correr um acidente desnecessário ? Qual o motivo para você querer ir diretamente aos 500 km/h sem ao menos saber como ligar o seu carro ? 😀

Venda coberta é muito mais do que vender e ser exercido

Muita gente ao ouvir sobre as tentações da venda coberta (afinal de contas, quem não quer uma fonte de fluxo de capital “infinito” e de alta rentabilidade ?) acaba achando que o negócio é fácil, simples e sem segredos. E é ai que acaba se decepcionando …

Ela pode ser fácil, simples e sem segredos ? Pode. Isso dá a garantia de que basta vender uma opção, coberta pela carteira, embolsar o lucro e sair para o abraço ? Olha … acho que não. 🙂

A venda pura e simples, na expectativa de ser exercido (isso é, você embolsa o valor da venda da opção, entrega a sua ação e recebe o valor acordado no momento da venda da opção), pode parecer ser um ótimo negócio, ainda mais se for uma venda ATM, a mais “gorda” de todas. Mas acredite, nem tudo são flores quando se trata de opções …

Numa passada de olho rápida é “óbvio” que a venda coberta ATM, torcendo pelo exercício, com recompra das ações após exercido, é o melhor dos mundos: risco zero e lucro alto (é possível de se obter até 5% ao mês desta forma …), mas o negócio não é bem assim …

Em um estudo muito interessante, Paulo Portinho – autor do livro “O Mercado de Ações em 25 Episódios(LEIA !!!) -, fez uma simulação sobre o comportamento de uma carteira formada por PETR4 ou VALE5 (as ações que possuem maior liquidez em bolsa, portanto ideais para estratégias envolvendo opções) adotando estas premissas: venda ATM, nos primeiros momentos do exercício, por um alto prêmio, torcendo pelo exercício, para recomprar as ações, para realizar nova venda e recomeçar o processo. O resultado ? Uma bela surpresa … a estratégia que em teoria é fantástica, e líquida e certa, se mostra uma estratégia “perdedora”.

Não, a venda coberta nestas condições apresentadas não te trará prejuízo, mas pelo estudo foi possível se notar que se você tivesse mantido as ações em carteira, pura e simplesmente, teria obtido um resultado mais interessante … 😯

É … a estratégia que tanto defendo, a venda coberta, se mostrou não sendo o “sonho” que “vendo” para vocês. E acreditem, MUITOS vieram “esfregar” o estudo na minha cara, usando como defesa para atacar o que falo que faço, e que me dá lucro. Conversando com o Paulo, apontei o que acredito ser o Calcanhar de Aquiles da simulação feita por ele: o estudo não leva em consideração uma peça fundamental … o investidor. Não leva em consideração se o investidor adota alguma estratégia diferente da compra no começo, a qualquer preço, em qualquer situação, ou se ele aguarda o momento “certo” para realizar esta venda.

Pense comigo: se você lança a qualquer momento, terá uma probabilidade “x” de ser exercido. Correto ? Mas e se você fica aguardando por alguma sinalização do mercado, daquelas que tanto espero, que me apresentam chances “um pouco maiores” de estar certo ? O número de vendas exercidas é muito menor ! (e isso influencia, e muito, no resultado final)

Pois bem, saibam que a venda coberta é muito mais do que vender e ser exercido. A venda coberta exige do investidor um “pouco” de estudo, uma preparação extra para que consiga ter uma leve vantagem sobre a média do mercado. Afinal de contas, 100% de acerto não existe em lugar nenhum …

Um outro problema para quem entra no mundo do lançamento de opções, o lado psicológico da coisa. Você determina que comprará a ação, lançará a opção dela, embolsará o lucro e comprará as mesmas ações logo após exercido. Certo ? Ok … Mas você estará preparado para vender uma opção de R$20,00, quando o seu preço médio de compra é de R$25,00 ? Acredite, esse ponto, esse minúsculo ponto, impede que muitos investidores levem o plano adiante. São os investidores que enquanto conseguem vender uma opção mais cara do que o seu valor médio de compra, dizem (e fazem) que a estratégia é perfeita. Mas quando a cotação começa a cair e o preço da ação começa a se distanciar do preço da ação em carteira … acabam “deixando de lado”.

Existem muitas formas de se ganhar dinheiro com a venda coberta, até mesmo a “vender a opção, deixar ser exercido e recomprar as ações”, fiz um post onde aponto 3 dessas formas, mas são apenas algumas delas …

Acredite: para se ganhar dinheiro de verdade com a venda coberta de opções, por um longo período, obtendo uma certa vantagem em relação ao mercado – e em especial ao Buy & Hold -, é preciso dedicação e estudo. É preciso estar preparado para um ou outro “acidente de percurso” durante a longa jornada, além de possíveis ajustes de estratégia … Mas, garanto, o resultado é maravilhoso. Justifica cada gota de suor que você precisou exalar durante o processo. 😉

Estude o funcionamento do mercado de opções – o meu curso, o Double PUT Double CALL, é uma ótima alternativa ! -, dedique-se ao estudo da análise técnica – é ela que lhe trará aquela leve vantagem que falei – e mantenha-se nos trilhos. 😀

Boa sorte !

A pressão do exercício de opções

Muita gente me vê comentando – com certa “insistência” – a respeito da briga que marca a última semana do exercício de opções, a pressão extra que este fato traz ao mercado e consequentemente às cotações. Mas … você entende o motivo para que haja esta pressão ? Para que existe esta “briga”?

Vendidos Vs Comprados – uma luta sem fim !

Acredito que a parte “vendidos vs comprados” já seja compreendida por todos (ou ao menos pela maioria), correto ? Um resumex: vendido é quem “aposta” na queda do mercado, na queda nas cotações e portanto monta operações que visam obter ganho com esta queda; comprado é quem “aposta” na alta do mercado, na alta das cotações e portanto monta operações que visam obter ganho com esta alta.

São tantas as possibilidades … o que torna praticamente impossível que eu as relacione aqui. Para se aprofundar no tema indico a leitura de alguns livros:

Ganhando Dinheiro com Opções

Opções: do Tradicional ao Exótico

Investindo no Mercado de Opções

Mas para exemplificar usaremos as formas mais simples de cada “time”: a venda à descoberto e a compra pura e simples. (ambas envolvendo apenas opções, ok ?)

Quem vende uma opção quer ver o seu valor diminuir até a data do vencimento, não importando se o mercado suba, caia ou fique de lado. Sim meu amigo … a venda de opções te permite ganhar em todas as 3 ocasiões. Entendeu porque sempre digo a “única” forma de se ganhar com opções é na venda ? Elas foram feitas para se vender, para ganhar dinheiro, mantendo um fluxo “constante”, deve-se usar operações de venda com opções.

Já quem compra uma opção quer ver o seu valor aumentar até a data do vencimento, e para tanto só existe uma alternativa: o mercado precisa subir, e bem.

Não, o post de hoje não será uma aula sobre o funcionamento das opções, a indicação de leitura foi feita justamente para que você pudesse se aprofundar em seus estudos sobre o tema. 😉

As estratégias dos dois “times” são montadas – normalmente – tendo em mente uma data: o dia do vencimento das opções, a terceira segunda-feira de cada mês. Portanto nada mais natural do que vermos um acirramento da briga nos dias que antecedem este dia, o que normalmente significa uma última semana, antes do vencimento, de arrancar os cabelos. (dependendo do lado em que você está posicionado, hehehe)

Mas … como ?

Simples, eles usam o mercado de ações, que é quem “manda” nas opções, para fazer com que as cotações se direcionem na direção que desejam. Compram ações, elevando as cotações; e vendem as mesmas para fazer com que o preço caia.

Você poderá estar se perguntando: mas … fazendo isso não poderão perder algum dinheiro ? Sim, claro que podem … o risco está presente em toda e qualquer operação no mercado, mas a diferença no tamanho das operações garante o lucro do vencedor.

Continue lendo …

O próximo Cisne Negro ? Nem ele mesmo sabe quem é …

 

Ontem fiz um post para testar os leitores do Clube. 🙂

Sim, o post “Qual será o próximo Cisne Negro ?” tinha como única intenção ver como vocês estavam interpretando as informações disponíveis por todos os cantos. E, infelizmente, parece que a mensagem não está sendo muito bem interpretada não … 🙁

Um Black Swan, o nosso querido e amado Cisne Negro, tem como principal característica ser um evento do tipo que não sabemos que não sabemos, como bem lembrou o @victorgpsmith em resposta ao meu convite provocativo de leitura do post:

É algo imprevisível. Algo surpreendente. Algo que quando dito todos falam: Mentira !!!

O exemplo clássico é o ataque às torres gêmeas, o 11 de setembro. Algo completamente inimaginável, que poucos acreditaram que estava acontecendo até o momento em que viram as imagens. Ou vai dizer que ao saber do ataque à primeira torre você também não pensou que pude ter sido apenas um acidente ? Somente quando a segunda torre foi atingida é que acordamos para a realidade e vimos que a partir daquele momento tudo seria diferente. A partir daquele dia viveríamos em um mundo diferente.

E esta é a realidade que temos hoje.

Claro que não é preciso ser algo tão monstruosamente grandioso quanto foi o 11/9 … A gravação feita pelo freeboy, confabulando com Michel Temer (por mais que eu não tenha encontrado tal trecho nos áudios, era obrigação do presidente ter entregue o sujeito à Justiça), foi também um Cisne Negro. Algo que ninguém poderia imaginar ser possível, dadas as atuais condições da República. Mas que ocorreu …

São eventos inesperados. Imprevisíveis. Ou talvez nem tão imprevisíveis assim …

Vamos dar uma olhada na lista das alternativas disponíveis na pesquisa:

Qual será o próximo Cisne Negro ?

– A prisão de Lula
– A guerra EUA x Coréia do Norte
– Um ataque biológico na Inglaterra
– A saída de Temer
– O estouro da bolha de ações nos EUA
– O estouro da bolha econômica da China

Dos itens apresentados qual teria condições de ser enquadrado como “desconhecido”, “inesperado” ?

A prisão do Lula ? Longe disso … A bolsa de apostas está funcionando desde que as investigações da Lava-Jato iniciaram. A guerra EUA x Coréia do Norte ? Desde que o nível de provocação, dos dois lados, aumentou, é algo que muitos apenas esperam o disparo inicial … Um ataque biológico na Inglaterra ? Possível … Alguns cenários criado por agências de segurança devem ter o evento em sua lista de possibilidades. A saída do Temer ? É pra ontem ! O estouro da bolha de ações nos EUA ? Grande parte do mercado espera pela queda, mas tenta aproveitar o otimismo enquanto ele se faz presente. O estouro da bolha econômica da China ? Mesmo antes de 2007 já se aguarda a explosão do sistema que mantém o forte ritmo de crescimento chinês.

Resumo da ópera: todos os eventos listados são eventos “conhecidos e esperados”. Não é mesmo ?

Mas … lembra que eu pedi para que fosse escolhida a alternativa que mais se assemelha-se a um Cisne Negro ? Pois então … e dentre estes itens, qual seria a opção mais próxima de um ?

Na minha opinião seria o ataque biológico na Inglaterra. Eu inicialmente coloquei no lugar dela um “ataque alienígena”, mas acho que ficaria muito na cara qual a alternativa correta. 😉

Você pode até não concordar … Pode argumentar que um ataque biológico não seria algo tão impossível de ser pensado. Afinal, faz parte da lista de possibilidades de algumas agências de segurança … Não é mesmo ?

Pois então me diga: e usar um avião como arma, atirando-o em um alvo, também não é ?

Acho que eu me lembro de um país usar a estratégia na Segunda Guerra Mundial … 😉

Sim, um possível ataque em solo americano, usando aviões comerciais, fazia parte das mesmas listas que o ataque biológico se encontra !

Pode não ser um unknown unknown, mas é algo tão “fora de cogitação”, tão improvável, que não faz parte do dia a dia, da lista de cuidados extras que as agências de segurança adotam. Você consegue se lembrar de tirar o sapato antes de embarcar em um avião, para ver se existia algum resíduo de explosivo, antes do 11 de setembro ? Mal e mal passávamos nossos pertences em máquinas de Raio-x ! Hoje nós passamos nestas máquinas !!

Pode ter certeza que se um dia ocorrer um ataque biológico na Inglaterra, ou na Alemanha, ou no Japão, ou nos EUA, de grandes proporções, com muitas baixas, a realidade mundial será diferente. O tipo de cuidado que as agências de segurança terão serão outros. As regras mudarão. E junto delas, o nosso mundo …

Do mesmo jeito que foi após o 11 de setembro. Que é um … exemplo clássico de Cisne Negro.

Portanto, a opção que recebeu menos votos (4% do total !) é, na minha opinião, a alternativa que mais se assemelha a um Cisne Negro. Não era essa a proposta da pesquisa … ? 😉

Nem o próprio Cisne sabe quem ele é !

Portanto, quando você vir uma notícia, um artigo, ou qualquer coisa do tipo, falando sobre o “próximo Cisne Negro“, saiba que eles não estão analisando um Cisne Negro. Estão no máximo olhando cenários com grande poder “destruidor” (especialmente) para o mercado financeiro. 🙂

Agora, a parte mais interessante é que a estratégia que apontei no final do post onde faço a pesquisa continua sendo válida para todas as situações. Tanto para os Cisnes Negros reais, quanto para os Cisnes Cinzentos … Até mesmo para os Cisnes Dourados ! (a prisão do Lula seria um a meu ver)

O uso de operações envolvendo opções permanece sendo uma das melhores alternativas de quem deseja se proteger de um evento inesperado, ou até mesmo tirar proveito dele. 😉

Espero que você tenha gostado da proposta do post e que ele tenha te ajudado a compreender “de uma vez por todas” o que é o tão famoso Cisne que não existe. 😀

Todo começo de ano é a mesma coisa …

Já virou hábito do brasileiro, chega janeiro e o povo tasca a reclamar da concentração de contas pesadas justamente no começo do ano. Justamente quando “… estamos sem dinheiro …”, mas precisa mesmo ser assim ?

Claro … não vou nem comentar o fato de estarem “sem dinheiro“, pois o 13º acabou de ser dado. (farei de conta que não sei que ele ou foi usado para gastar e gastar e gastar nas festas de final de ano, ou foi para a quitação de dívidas que surgiram durante o ano que passou)

Mas então, de que forma proceder para não sermos “pegos de surpresa” (mesmo todos sendo sabedores que no começo do ano temos IPTU, IPVA, material escolar, etc) pelos gastos do começo do ano ? Simples !! Planejamento é a resposta. 🙂

Não é nenhuma surpresa

Antes de mais nada: vamos acabar com essa história de que é uma conta inesperada, que nos pegou de surpresa. Todos sabem, e estão mais do que acostumados, que o mês de janeiro é caracterizado por estes gastos padrão, normalmente altos – eu sei -, que tanto incomodam a população.

E o pior é que esta é uma tarefa simples ! Não será preciso nenhum cálculo matemático complexo, somente uma folha de papel, uma caneta e o seu comprometimento. Só !

Coloque nesta folha quais são as contas que deverão ser pagas no início do ano, normalmente temos o IPTU, IPVA e o material escolar. Coloque do lado de cada uma delas o valor que “te pegou de surpresa este ano”, afinal você não tem como saber o valor a ser pago em 2013, a única informação que temos é a dos anos já pagos.

Com o valor em mãos a coisa fica fácil, muito fácil ! Pegue-o e divida por 12, coincidentemente o número de meses do ano. Pronto, agora você já sabe o valor que precisará separar mensalmente de seu orçamento para que não seja pego de “surpresa” todos os anos. Pegue o valor (x/12) e deposite todos os meses em uma caderneta de poupança. (sim, o mais simples de todos para não criar dificuldade alguma …)

“Tá, mas esse não será o valor que pagarei no ano que vem !!”

Exato ! Lembra que falei que realmente não temos como saber o valor exato dos pagamentos a serem efetuados no próximo ano ? Mas quer ver como chegaremos bem próximos disso ?

Continue lendo …