Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

FGTS e os R$500

Pronto, batido o martelo ! Neste momento as pessoas poderão sacar R$500 do FGTS

O quê … ? Não gostou ? Achou pouco ? Balde de água fria ?

Ok ! No começo, deram a entender que poderia ser mais. (mas confesso que não vi nenhum valor limite ou algo do tipo no começo da história) Mas, depois de alguns setores espernearem, acabou ficando em R$500.

Pronto: deram motivo pro povo reclamar. E olha … o que eu mais tenho visto nos últimos tempos é reclamação ! 🙄

Mas … R$500 é realmente pouco ?

Você já parou para pensar em tudo o que pode ser feito com R$500 ? Já parou para pensar que isso é metade do salário de MUITA gente ?

“Ah, com R$500 não vai dar para fazer nada !!” Mas como não !!??

Dá para comprar 0,05 Tesouro SELIC !! Dá para comprar 0,14 Tesouro Prefixado !! Dá para comprar 0,12 Tesouro IPCA !!

R$500 dá para colocar em CDB de alguns bancos ! Dá para comprar alguns FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário) ! Dá até para comprar algumas ações !!

Sim, você pode investir na Bolsa com apenas R$500. O que antes “impedia” que isso fosse possível, o custo operacional, vem caindo … caindo … caindo … Até chegar ao ponto de termos algumas corretoras que não cobram taxa alguma ! Basta negociar no mercado fracionário e pronto ! 😉

Mas, além disso … Já pensou o que R$500 pode fazer para uma grande parte da população, em relação ao pagamento de dívidas ? E acredite: vi gente reclamando e xingando isso !! Disseram que os únicos que ganhariam desta forma seriam os bancos, com as pessoas quitando dívidas !!! 🙄

Poderia ser mais ? Poderia … (e pelo visto é mais, pois o plano de liberação da grana do FGTS é mais amplo e falaremos sobre isso mais pra frente) Mas se veio “só” isso, não adianta reclamar.

A minha posição em relação ao FGTS você já conhecer. Se ainda não sabe o que penso, leia o post: Vamos acabar com o FGTS ? 😉

De novo: é pouco ? Não vai te servir pra nada ? Então você tem mais um motivo para pegar a grana que retirará do FGTS e colocar diretamente em algum investimento. Não dá para nada ? Então pegue o valor que tiver direito e coloque em algum investimento. Citei alguns onde é possível se fazer isso.

R$500 é pouco ? Ao menos você pode pôr a mão na grana ! Um dinheiro que já é seu, mas que está preso junto ao governo, rendendo uma mixaria … 🙁

Não, R$500 não é pouco não. É – provavelmente – você que não parou para pensar com carinho em tudo o que pode fazer com ele. 😀

Me diga: no que você vai usar a grana ?

“Eu não invisto em Bolsa porque é muito arriscado !!”

Publicado em 11 de dezembro de 2017, mas que me pareceu importante trazer de volta neste momento …

—–

Se eu ganhasse para cada vez que ouvi essa justificativa, eu já teria o suficiente para comprar uma mariola …

São tantas e tantas e tantas pessoas que se “protegem” do fato de não investir em Bolsa por conta do risco envolvido neste mercado, que às vezes chego a pensar que optei pela alternativa de investimento errada. É tanta gente que alega o medo de perder o capital investido … Que não é “culpa” da falta de dinheiro para investir … Que não é culpa da falta de conhecimento para investir … Que é puro e simples medo de perder por causa do risco.

Uma pena … 🙁

As oportunidades que este mercado oferece de multiplicação do patrimônio são tantas, as alternativas (empresas) são tantas, as possibilidades são tantas … Não é possível que as pessoas realmente achem que o risco de perder seja mesmo o maior impeditivo para iniciar seu investimento em Ações. Não … Não é possível !!

E, aparentemente, acho que não estou tão errado não:

É … já temos quase o dobro de pessoas envolvidas no “investimento” em bitcoins, do que temos em Bolsa !!

Sim, 1 milhão de brasileiros já destinaram algum valor para o investimentos em criptomoedas. Dá para acreditar ? 🙄

Algo que surgiu há pouco tempo, que se popularizou (de verdade) apenas nos últimos meses, que saiu da faixa dos $800 para os atuais $16.500 em apenas 12 meses, já atrai quase 2x mais pessoas do que a Bolsa, investimento centenário, com empresas de todos os tipos e tamanhos …

Mas … não era o risco que impedia as pessoas de investir seu capital na Bolsa? Como pode então termos 1MM de pessoas “investindo” em criptomoedas ?

É … não é o risco que impede as pessoas de investir em Bolsa. Definitivamente não é.

As próprias pessoas que colocaram algum dinheiro em bitcoin, ao menos grande parte das que converso sobre o assunto, alegam saber que o investimento é de risco. Que estão apenas fazendo uma aposta. Colocando alguns “poucos” reais (o interessante é que vejo sempre citarem na casa dos milhares …), na expectativa de ver uma repetição do que aconteceu em 2017. Rendendo na faixa dos 2.000% (!!!!) a bitcoin é, sem sombra de dúvidas, um dos ativos que mais se valorizaram este ano.

Vai acontecer ? Veremos um repeteco ? Não faço a mínima ideia … Mas é a esperança de centenas de milhares de pessoas. Literalmente.

Na minha opinião eles não estão investindo. Na verdade estão fazendo uma grande aposta e torcendo para que a bolha não exploda. Apresentam argumentos mil para justificar o valor da moeda. Desde a liberdade que ela dá ao seu detentor, até o custo de mineração (processo de criação da moeda). Sabia que o consumo de energia para a criação de bitcoins já é equivalente ao de muitos países somados (159 para ser mais exato) e que corresponderia ao 61º maior consumidor de energia elétrica do mundo ?

Uma aposta … pura e simples

E isso nos leva ao problema real: partindo do princípio de que as coisas desandem em algum momento e que grande parte destes 1MM de brasileiros perca dinheiro na hora em que a bolha estourar. O que dirão sobre o “investimento” em bitcoin ?

Ah, não vale a pena … é muito arriscado“, ou “perdi dinheiro nesse investimento, só tem golpista nessa área !“, ou ainda “não sei o que deu errado, me falaram que era garantido, que não tinha como dar errado …“.

Desculpas não faltarão, pode ter certeza

Sabe onde já vi isso acontecendo ? Na Bolsa …

Sim, MUITAS pessoas que em algum momento de suas vidas investiram algum dinheiro na Bolsa, e que depois de algum tempo tiveram perdas, saíram do mercado falando exatamente a mesma coisa que os que hoje “investem” em bitcoin falarão em um momento futuro. E você sabe o porquê disso ?

Simples: as pessoas não buscam a informação e o conhecimento necessário para iniciar sua empreitada, não vão em busca do que é preciso para investir DIREITO. Simplesmente vão … Fecham os olhos, cruzam os dedos e colocam seu dinheiro lá. Tanto em bitcoin quanto em Bolsa.

Claro que isso não tem como acabar bem … Contar única e exclusivamente com o fator sorte é saber que a perda virá e que é somente uma questão de tempo para que isso ocorra.

As pessoas não investem na Bolsa por conta do risco dela … Elas não investem porque não querem “perder tempo” e dedicar um minuto de sua atenção ao aprendizado sobre ela. Não querem parar para aprender sobre como ela funciona, quais são suas vantagens, quais são suas desvantagens. Preferem se lembrar de alguma história que alguém lhes contou e que por isso decidiram que o investimento em Bolsa é arriscado.

O pior é que muitas destas pessoas estão colocando dinheiro em bitcoin. Vai entender …

1 milhão de pessoas em bitcoins, com um nível de risco absurdamente alto e que não entendem o real motivo para tanta alta, contra 600 mil pessoas investindo nas empresas que movem o país … 🙁

Será que é realmente para “evitar” o risco que elas não investem em Ações ? Ou será que não investem por não querer (ou não terem encontrado) dedicar uma fatia de seu tempo ao estudo sobre elas ?

Eu quero ajudar a mudar isso ! Foi um dos motivos para eu ter criado o “Minha primeira vez na Bolsa“, um curso que lhe mostrará que existe sim um risco atrelado ao investimento em Ações … Mas um risco administrável e até mesmo conhecido.

Quero lhe ajudar a enxergar que o investimento em Bolsa não é nem de perto o bicho de 7 cabeças que te descreveram … Que ele pode te permitir criar um patrimônio sólido e que lhe possibilitará ter uma aposentadoria tranquila e confortável.

Se dê uma oportunidade de aprender (de verdade) sobre o que move este mercado. Conheça o “Minha primeira vez na Bolsa” e depois me diga se investir em ações é realmente tão arriscado assim … 😉

Não se deixe enfeitiçar pelo canto da sereia. Aprenda a separar o que é válido e que justifica o “risco”, do que é uma simples aposta.

Ganhou dinheiro com bitcoin ? Parabéns ! Mas separe parte deste valor que ganhou para aprender, de verdade, sobre como investir. 😀

Possibilidades Vs Probabilidades

Será que consigo sanar a dúvida (ou acabar com os sonhos …) de muitos visitantes do Clube ? Volta e meia tenho que explicar, nos mais variados casos, a diferença entre o que é possível e o que é provável. Muitos confundem, acham que é a mesma coisa, que não há diferença alguma entre elas. E você, sabe qual a diferença ? Leva isso em consideração nos seus investimentos ?

– É possível de se ganhar 5% ao mês com o investimento em ações ? É provável ?

– É possível que o mercado imobiliário continue crescendo, e se valorizando, no mesmo ritmo que temos visto ultimamente ? É provável ?

– É possível que eu fique rico fazendo somente operações com opções à seco usando uma estratégia … blá blá blá … ? É provável ?

Estes são somente alguns exemplos, e tenho certeza que com eles será possível que você entenda a diferença fundamental entre Possibilidade e Probabilidade. Isso se já não entendeu. 😉

O que é possível ?

Olha, até me provem o contrário tudo é possível. Tudo, absolutamente tudo é possível. Se ainda não foi feito é porque alguém ainda não conseguiu fazer, depois disso … deixou de ser impossível.

Me diga, será que uma pessoa que vivia no século XV acharia possível dar a volta ao mundo em apenas algumas horas, e pior, voando ? (alguns nem acreditavam que a Terra fosse redonda …) Será que no começo do século XX as pessoas imaginavam que poucos anos depois estaríamos nos comunicando de forma Global, tendo acesso a todo o conteúdo “possível”, na palma de nossas mãos ? Não, muito provável que elas considerassem que fosse impossível de se realizar tais proezas.

Era considerado impossível, mas bastou alguém fazer e pronto … mudou muitos paradigmas. Não é mesmo ?

O que é provável ?

Bom, agora eu dancei … como vou explicar o que é provável ? 🙂

Ok, provável é algo que pode acontecer, que tem determinada chance de acontecer. Certas coisas são mais prováveis que outras … Por exemplo: “Amanhã vai chover ou fazer sol ?” Eu “apostaria” em chuva, afinal hoje está chovendo agora e provavelmente continuará por mais tempo, tendo em vista o tipo de chuva, a quantidade de vento, blá blá blá …

Como tudo é possível de acontecer, o provável marca justamente as chances que algo ocorra. Consegui me fazer entender ? 😀

Voltando a fita

Voltemos aos exemplos que dei no início do texto. É possível de se ganhar 5% ao mês com ações? É. E isso é provável ? … “não”. (um não com ressalvas, afinal são muitos poucos que o conseguem isso …) É possível que o mercado imobiliário continue no ritmo doido atual ? É. E isso é provável ? … duvido … muito. A média histórica é bem menor. E ficar rico operando somente compra de opções à seco ? Até hoje não vi ninguém … é mais provável encontrar um ET na esquina do que isso vir a acontecer. 😉

Como eu disse, nada é impossível ! Nada, absolutamente nada. Mas mesmo sendo possível, pode ser muito difícil que ocorra. Sempre existem os pontos que fogem da curva, sempre existe um Ayrton Senna, um Oscar Niemeyer, um Warren Buffett, um Tiririca … sempre existe alguém ou alguma coisa que consegue fugir da normalidade, que consegue se sobressair, que consegue se destacar.

Por exemplo, é possível que alguém que esteja lendo isso se torne um Bilionário um dia ? É. É provável ? Não. As estatísticas nos mostram isso, são poucas pessoas – quanto mais brasileiros – que conseguem atingir essa barreira. Mas tenho certeza que não será por causa disso que você irá desistir do seu sonho de se tornar um Bilionário, não é mesmo ?

As estatísticas sempre estão contra nós. Quantos planetas habitados você conhece ? Quantos espermatozoides “se deram bem” e conseguiram fecundar o óvulo ?  😉

Não é porque as suas chances não são tão altas que você deixará de fazer algo, de seguir um plano. Mas sendo sabedor disso você deverá estar preparado para que o evento não aconteça. Você pode ter planejado ficar milionário somente jogando na Megasena, mas sabe que suas chances são mínimas. Se não sabe, só ficará milionário caso isso venha mesmo a ocorrer … se tem noção disso aumentou suas chances de ficar rico de outras formas.

E isso me leva a uma verdade absolutamente verdadeira: Sabendo a diferença entre o que é possível e o que é provável, suas chances de ficar rico aumentaram. E muito. De verdade. Não acredita ? Pense um pouco mais e certamente chegará nessa conclusão.

Boa sorte !!

*** Bônus !! ***

Para ajudar na compreensão, uma ótima ilustração:

Quem precisa de uma conta VIP do banco ?

Este tipo de conta recebe vários nomes: Personnalité, Select, Van Gogh, Estilo, Premier, Prime … Mas – normalmente – estes nomes bonitos significam apenas: Serviços especiais por um custo maior.

Todos que possuem conta em banco sentem – literalmente – no bolso o peso das taxas de manutenção cobradas pelo seu banco. Você paga a taxa e tem direito a meia dúzia de serviços oferecidos pela instituição. Diversas opções são apresentadas, cada uma custando um pouco mais caro do que a outra, mas basicamente o que é acrescentado ao plano “anterior” são alguns serviços extras. (direito a mais um DOC por mês, direito a mais um talão por mês …)

Como você já viu aqui no Clube, os bancos são obrigados a oferecer uma conta isenta de de custo, sem taxa de manutenção. O que infelizmente não é algo fácil de se conseguir. (os bancos tentam te convencer, de todas as maneiras, de que ou isso não existe, ou de que ela não é 100% sem custo, ou que não tem como migrar … blá blá blá)

Mas uma coisa estas contas tem em comum, elas são as contas “normais”. Dão direitos extras, mas você não recebe nenhuma facilidade por parte do banco, como um atendimento diferenciado por exemplo. Já as contas “VIP” são diferentes, quem possui este tipo de conta é tratado “a pão de ló” quando vai à agência.

É um espaço diferente, separado, mais requintado, mais isolado, mais seguro, e o melhor: Não precisa enfrentar as filas intermináveis que encontramos – e odiamos – quando vamos ao banco.

Mas … vale a pena ?

A principal questão do post de hoje é justamente essa: Vale a pena pagar mais para ter este tipo de comodidade ? Será que é justificável gastar mais por isso ?

Eu sinceramente acho que a conta mais simples, oferecida pela banco já é suficiente para atender as necessidades de 90% de seus clientes. Quem sabe uma vez ou outra eles irão precisar pagar por algum serviço que não faz parte do seu pacote e que faz parte de um mais caro. Já a conta VIP …

Claro, o portador de uma conta VIP – normalmente – recebe tratamento diferenciado por parte do banco, e não somente pelo lado do atendimento, me refiro a uma diferenciação em termos de taxas, seja em relação a rentabilidade dos fundos oferecidos a estes clientes, ou então aos juros cobrados nos financiamentos (veículos, imobiliário …). Mas mais uma vez não são todos os clientes que precisarão usufruir destes serviços.

O que vejo muitas vezes, são pessoas que contratam o serviço de conta VIP somente … para aparecer. (é incrível como o “para aparecer” é uma característica presente em muitos “ricos”, não é mesmo ?)

São pessoas que não têm a necessidade de nada que é oferecido por fazer parte deste pacote, mas o escolhem somente para poder sentar diante da gerente das contas VIP, para dizer que está indo na agência VIP do banco … etc etc etc … Mas o pior mesmo, é que na maioria das vezes estas mesmas pessoas pagam para ter este serviço. Afinal, é só ter alguma aplicação com o banco que a taxa será gradualmente zerada.

Faça as contas. Sim, sempre fazendo contas …

A melhor forma de ver se você “precisa” ou não ser um cliente VIP – mesmo pagando – é fazendo as contas.

– Veja o que é oferecido aos clientes com este tipo de conta.

– Veja quais dos itens oferecidos são usados por você todos os meses. (se for uma vez ou outra … “não conta”)

– Veja na tabela de custos dos procedimentos do banco o valor de cada um destes itens e some ao valor cobrado para um pacote mais simples.

Pronto. Com isto em mãos você poderá saber se vale, ou não, a pena você contratar um serviço VIP em seu banco.

Um detalhe: Só leve em consideração o custo pelo tempo economizado (por receber um tratamento diferenciado), caso você costume ir muito ao banco. E por muito entenda 2 ou 3 vezes por semana.

Agora, se você tem algum tipo de investimento no banco, e o valor aplicado é suficiente para que você obtenha desconto na taxa de manutenção deste tipo de conta, contrate-o. Não pense duas vezes. Primeiro porque você “não irá pagar” pelo serviço. (sim, eu sei que é pago de forma indireta, mas se você já tem alguma aplicação com eles não está levando isso em consideração …) e em segundo lugar, porque “caso você precise” do banco, receberá todas as vantagens destinadas aos clientes especiais.

O meu banco, por exemplo, dá aos clientes VIP a anuidade dos cartões de crédito. 🙂

Só a economia que tenho com isso já cobre o custo que teria, caso tivesse que pagar, com a taxa de manutenção. E o melhor, me poupou do trabalho anual que é a negociação da taxa de anuidade do cartão. 😉

E você, já fez as contas para ver se vale a pena para você este tipo de serviço ?

Lembra quando comprei um carro e ganhei dinheiro com isso ?

Num passado nem tão distante assim, eu publicava, aqui no Clube, um texto onde compartilhava minha experiência com um uma “operação” não tão comum quanto a maioria estava acostumada a ver: defendi uma estratégia onde eu comprei meu carro, financiado – propositalmente -, para poder trabalhar com o dinheiro do financiamento e ganhar uma grana extra com isso.

Antes de continuar a leitura, veja o post em questão: Como comprei um carro financiado e ainda ganhei dinheiro com isso. Pronto ? Vamos lá ! 🙂

Como era de se esperar, choveram respostas “nem tão amigáveis” assim. Muitas me acusavam de estar “estragando” os leitores, apresentando uma estratégia arriscada, sem ter sucesso garantido. Diziam que um site de Educação Financeira, originado após a leitura de Pai Rico Pai Pobre, não poderia falar uma coisa dessas. Estranho … pois isso é algo muito parecido com o que RK fazia com os imóveis. Mas tudo bem …

Sim, é arriscado

E justamente por ser arriscado, eu compartilhava detalhes do que havia feito, para mostrar os motivos que me levaram a fazer tal coisa. No que eu me baseava para acreditar na possibilidade de fazer o dinheiro necessário para não chegar ao final do financiamento perdendo dinheiro.

O risco é “relativo”, lembra ? Depende muito da sua preparação, das proteções que você usa, das saídas de emergência que podem ser usadas no caso de erro, etc etc etc … Era arriscado. Mas deu certo. Aceite você ou não. 😉

A principal intenção de compartilhar tal estratégia aqui no Clube, era embutir nos leitores a pulga da curiosidade, da dúvida. E por que não da possibilidade de oportunidade ? Queria que os leitores tentassem enxergar o que foi feito, talvez conseguindo transportar o que ali foi feito para alguma outra forma de investimento parecido. Ou até mesmo igual. 🙂

Algumas pessoas falaram, algumas comentaram, muitas xingaram, mas poucas me pareceram ter levado o processo adiante. Até hoje. Vejam o e-mail que recebi do Marco:

Bom dia Zé,

Troquei meu carro e financiei a diferença no valor de R$ 8.500,00 (36×350,00). A questão é, eu tinha o dinheiro para pagar a vista mas resolvi financiar pois uso esse dinheiro em operações com opções. Vi o seu artigo sobre como você trocou seu carro e gostei do que li.. 😀

Porém diferente da sua operação, a minha não cobre as parcelas. Hoje consigo em média 160~200 (somando as vendas de opções mais a rentabilidade do tesouro direto).

Mas resolvi simular duas opções;
– quanto eu teria no final de 36 meses quitando o financiamento (economizando com juros);
– quanto eu teria deixando o dinheiro aplicado mais as operações (fiz a simulação usando o menor valor obtido);

Veja o resultado:
– Quitando o financiamento e aplicando os 350 em algo que renda 10% ao ano, eu ficaria com +- 14.600 (10% liquido já descontando impostos!);
– Continuando as minhas operações eu ficaria com +- 15.000 (na simulação deixei os títulos rendendo 10% ano liquido e somei com as vendas de opções R$100/mês).

Na simulação das minhas operações usei o menor valor obtido. Bom o resultado é bem parelho, lógico que com as operações há o fator risco mas gostei do resultado. O que você acha Zé?

Uma diferença fundamental

Se você perceber, existe uma diferença muito importante entre os dados apresentados pelo Marco e os meus. A taxa de juros …

Pelo valor que você apresentou, parcelas de R$350, você precisaria obter um rendimento de 4,12% ao mês para conseguir pagar a parcela sem precisar mexer no “bolo original”. No meu caso, eu precisava de 2,5% ! Para muita gente pode parecer pouca coisa … Mas se olhar com cuidado, é “quase” (forçando um pouco a barra, eu sei) o dobro !!

E isso faz muita diferença …

Eu acho que tem um erro na tua simulação … Especialmente na segunda simulação. Se você vem obtendo um valor menor do que a parcela, no final do financiamento não deveria ter um valor menor do que os R$8.500 originais ? Se no primeiro mês precisa pegar R$150 do “bolo original”, ele não cairia para R$8.350 no mês seguinte ? E para R$8.200 no outro ? E para R$8.050 no próximo … e assim sucessivamente ? Isso “descontando” o fato de que você não obteria mais os R$200 originais, afinal de contas o valor que poderia ser trabalhado no mês seguinte seria menor do que no mês anterior.

Uma coisa é muito importante nesta simulação: desconsidere dinheiro extra nas contas. Você só pode trabalhar (fazer as contas) com o dinheiro que tinha no começo. Se colocar dinheiro de fora complicará tudo e provavelmente mascarará algum erro. O que provavelmente “dará força para a estratégia”.

A comparação ideal é a seguinte: se você usasse os seus R$8.500, e não o financiamento, teria zero ao final dos 36 meses. Afinal de contas, você “não teria mais dinheiro para operar” e o resultado disso é rendimento zero no final do período. Já para o caso de usar o financiamento e pagar as parcelas com o dinheiro obtido, e caso preciso beliscar o “bolo original”, você teria teria em seu bolso um determinado valor.

No caso de obter um rendimento superior ao valor que precisa pagar mensalmente, terá o “bolo original” e quem sabe alguma coisa a mais. Se precisar beliscar algumas vezes, ou um pouco, o “bolo original”, terá algum dinheiro no bolo. Possivelmente um pouco menos do que quando começou, mas ainda assim alguma quantia no bolso.

No teu caso, você teria no final do período (mesmo se precisar desembolsar algo todos os meses) um valor em conta. Acredito que algo próximo a R$1.500 ~ R$2.000

Nada mau, não é mesmo ? 😉

O ideal

Lógico que o ideal é que o valor obtido nas operações supere o valor da prestação. Acredito que o teu erro tenha sido um financiamento mais curto. Talvez, se tivesse sido feito um de 48 parcelas, a prestação mensal seria menor e mais próxima do que você obtém em Bolsa. Não importa se “gastaria mais”, o que importa é que precisaria beliscar menos o “bolo original”.

Muitas vezes a confusão reside justamente nisso: “se eu alongar o financiamento, acabarei pagando mais no final das contas”. Mas não, nessa situação a coisa é um pouco diferente. Mesmo gastando um pouco mais (pois o valor das 36 somadas é inferior ao das 48), você terminaria com mais dinheiro. A mordida do “bolo original” é menor o que faz que o ganho final seja maior. 🙂

Como dito, acredito que no final do processo você obtenha um ganho interessante. Mas com um pequeno ajuste poderia ter sido um pouco maior.

Um detalhe: não caia na armadilha de aumentar o rendimento das operações para melhorar o desempenho. Às vezes o nível de risco para aumentar o rendimento em 10%, 20% é tão grande que pode pôr tudo a perder …

Boa sorte ! 😀