Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

E se você acordasse amanhã …

 

… e percebesse que tudo mudou ? Algo de diferente … Algo de ruim …

 

Um ataque nuclear

 

Uma invasão alienígena

 

O apocalipse zumbi

 

Uma guerra de proporção Global

 
… o que você faria ?

Ficaria em casa, tentando defender suas propriedades ? Sairia em busca de um novo lugar seguro ?

E ao sair, porque invariavelmente haverá um momento em que você precisará sair, o que levaria com você ? Deixaria tudo para traz, fugindo com sua família da forma que pudesse, lutando pela sobrevivência ? O que faria questão de levar junto nesta fuga ? Algo de valor ? Financeiro ou Emocional ?

Acredito que você nem estaria cogitando aquela TV gigante que tem na sua sala, não é mesmo ? Tampouco a sua coleção de bolsas das marcas mais famosas … Certamente passaria a mão em algumas roupas, alguns mantimentos (se é que ainda tem alguma coisa para ser carregada), e sairia correndo enquanto há tempo.

Provavelmente faria questão de carregar um ou outro item de forte valor emocional. Um relógio que ganhou de sua mãe. O anel de formatura que ganhou de seu avô. A aliança que está na sua família há gerações (sei que esta é uma tradição mais dos americanos, mas que também existe por aqui) … Provavelmente coisas leves, pequenas, até mesmo sem valor financeiro aparente, mas que você defenderia com unhas e dentes.
 

E tudo aquilo que era a justificativa para você trabalhar e trabalhar e trabalhar ?

Engraçado que você nem chegou a pensar em nada daquilo que lhe era tão urgente e necessário. Nada daquilo que você alegava ser de fundamental importância para a sua vida, nenhum eletrônico, nenhum sapato, nenhum vestido, nada.

Justamente as coisas que “lhe movem” em busca de uma vida “melhor” ficaram para trás. Você não deve nem ter pestanejado, não pensou duas vezes antes de deixá-las no armário. Nada daquilo terá importância na hora de proteger sua vida e a da sua família.

 

Viu o que realmente importa ?

Não é nada daquilo que você acha que lhe traz algum benefício !

O que realmente importa é aquilo que nos traz paz de espírito, conforto emocional e psicológico. É aquilo que nos traz boas lembranças. É aquilo que nos faz pensar e lembrar de bons momentos, das que pessoas que amamos.

Aquilo que você usa como justificativa para seguir em frente, para crescer, muitas vezes é apenas o que drena sua capacidade de … crescer e seguir em frente ! Por mais contraditório que isso possa parecer …

É o que a indústria Corrida dos Ratos SA coloca em nossas cabeças que precisamos, que são as coisas que são prioritárias.
 

Mas voltemos à fuga …

Me diga: está carregando algo de valor ? E neste caso me refiro sim ao “financeiro” …

Está levando algo que possa ser trocado por alimentos ? Por medicamentos ?

Ou ainda: você alguma vez já parou para pensar que poderia precisar pensar nisso ? 😯

O que você levaria com você neste momento ?

Dinheiro vivo ? Provavelmente até possa a ter algum valor nos primeiros dias do evento que gerou sua fuga. Mas depois de algum tempo, perderá seu valor e a razão de existir …

Jóias ? Provavelmente terão valor durante um período de tempo maior.

Ouro ? Uma das moedas de troca mais antigas e tradicionais do planeta. Mas quem tem barras de ouro (ou moedas) em casa além do Senor Abravanel ?

Mantimentos ? Ferramentas ? Remédios ? Sim, em situações apocalípticas estas serão, provavelmente, as melhores moedas de troca.

 
Eu volto a lhe perguntar: alguma vez em sua vida você parou para pensar em tal situação ? Se já, qual foi a “moeda” escolhida ? E após a escolha, preparou uma reserva de segurança dela ?

Opera com travas ? Abra o olho …

pequeno gafanhoto - kung fu

O nosso mercado de opções vem passando por uma série de mudanças nos últimos tempos. Alguém se lembra que há “pouco” nosso vencimento era bimestral ? E que as PUTs não tinham praticamente liquidez alguma ? E que a formação básica das séries de opções era do tipo americano ? É … percebeu que a cada vencimento temos mais e mais opções do tipo europeu ?

Sim, é sobre esse “detalhe” que quero falar. 🙂

Modelo Americano

A principal característica do modelo americano é: o portador da opção pode exercê-la a qualquer momento. Não importa quanto tempo resta para o vencimento, não importa o valor, não importa nada. Se o portador (quem comprou a opção) desejar, ele poderá exercer.

Modelo Europeu

A principal característica do modelo europeu é: o portador da opção pode exercê-la somente no dia do vencimento. Isso … não importa que a opção não apresente liquidez para o desmonte da operação, não importa se ela já não tem um único centavo de gordura, não importa nada. O portador (quem comprou a opção) só poderá exercer o seu direito no dia do vencimento.

E o que isso tem a ver com as travas ?

Pequeno gafanhoto … pare e reflita por apenas alguns segundos … Tenho certeza que você chegará na conclusão desta questão.

Qual a principal vantagem de uma trava ? Você sabe, desde o início, qual será sua perda máxima em sua operação. Sim, desde o início. Afinal você sabe quanto precisará desembolsar para entregar as ações exercidas, bem como o valor recebido por elas. Um exemplo prático. Caso lance (venda) PETRC299 e trave (comprando) com PETRC309.

Você receberá (caso seja exercido) R$29,25 para cada opção exercida. Como está travado na C309, poderá exercê-las, pagando R$30,25 para cada opção em seu poder. Claro, estamos assumindo que o valor da ação exija que você faça isso, digamos … com a cotação a R$32. (assumindo também que não é mais válido comprar o papel no mercado, vender a C309, para obter sua gordura, etc etc etc)

Se o exercício acontecesse com a cotação abaixo dos R$30,25 você simplesmente compraria as PETR4 no mercado, venderia as PETRC309 e teria um prejuízo menor do que os R$1 (limite) da trava.

A parte boa é que isso pode ser feito a qualquer momento, afinal as duas são do tipo americano … Pronto, agora você entendeu onde quero chegar. Não ? 🙂

Sim, me diga … o que aconteceria, caso você fosse exercido há uma semana do vencimento e tivesse em mãos, uma operação com ponta travada do tipo europeu ? É … não poderia exercer esta opção antes do dia do vencimento. Sim, você teria uma trava que não trava por completo … Afinal existe o risco de ocorrer uma janela entre o exercício e o dia do vencimento em si.

Sim, eu sei que o exercício antecipado não é algo muito comum … Mas acontece. Eu já fui exercido antecipadamente umas 2 ou 3 vezes. (em mais de 15 anos operando com venda de opções) Parece pouco ? Mas o “pouco” pode lhe trazer muita dor de cabeça caso aconteça …

Portanto …

Na hora de montar sua trava, preste atenção se a ponta comprada dela é do tipo americano. É de fundamental importância que seja. A não ser, é claro, que a ponta vendida também o seja … 😉

Um pequeno detalhe … mas que pode te livrar de uma bela incomodação. 😀

Realmente, Fora de série !

NÃO EXISTE MERITOCRACIA !!

Foi a principal reflexão que fiz durante a leitura. Algo que tanta gente insiste em falar, para justificar mil e uma coisas, mas que eu sempre bati de frente.

Será que eu estava errado, e ela realmente não existe ? 😯

No livro somos apresentados a diversas histórias. E uma após a outra, este pensamento pode passar na cabeça do leitor.

– “Ah … ele teve a sorte de nascer naquele período.”

– “Ah … ele teve a sorte de ter um computador na escola dele.”

– “Ah … ele teve a sorte de ter nascido inteligente.”

Sempre a mesma coisa: sorte. Já reparou ?

E sim, muitas das pessoas que se destacam, tiveram sorte em algum momento de suas vidas.

Pronto, confirmado: adeus mérito individual … 🙄

Será ?

NÃOOOOOOOO !!!!!

Sim, eles tiveram sorte. A sorte de ter tido a OPORTUNIDADE de permitir que uma habilidade aflorasse.

Usemos o exemplo do Bill Gates. Muitos dirão que ele se destacou ainda jovem, por ter tido a sorte de estudar em uma escola que possuía um computador que permitiu que ele aprendesse a programar, o que permitiu que ele criasse a Microsoft.

Sim, sorte …

Sorte ?

Me diga: quantas outras crianças estudavam na mesma escola que ele ? Quantas crianças tiveram acesso ao mesmo computador que o Bill Gates teve, mas que não criaram a sua Microsoft ?

Sim, Bill Gates teve a sorte de ter tido acesso a um computador ainda criança. Ele teve a sorte de ter tido a OPORTUNIDADE de usar um computador. Mas o mérito de ter chegado onde chegou, é todo dele ! De novo: quantas outras crianças tiveram a mesma oportunidade ? Muitas. Quantas foram as que se dedicaram tanto quanto ele ? …

Sim !! Ele se dedicou, passou horas e horas e horas na frente do computador, e graças a isso ele pode chegar onde chegou.

Conhece o conceito das 10 mil horas ? Vai me dizer que alguém que atingiu as 10 mil horas de dedicação a alguma atividade, e obteve sucesso, não conseguiu chegar lá por mérito próprio ?

Sim, ela teve a sorte OPORTUNIDADE de fazer isso, mas sem a própria dedicação … nada feito. Mérito total de quem chegou onde chegou, após agarrar uma oportunidade que lhe foi apresentada.

Portanto: sim, a meritocracia existe. O que não existe é a equidade de oportunidades. 🙁

Lembre-se de agarrar as que surgirem para você ! 😉

 

Nota do Site:
5 Moedas

Fora de série – Outliers
Malcolm Gladwell

Editora: Sextante
Ano: 2011
Edição: 1
Número de páginas: 288
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Por que as coisas que compro duram tão pouco ?

 

Quem nunca ficou revoltado ao comprar aquele equipamento elétrico/eletrônico, ou aquele utensílio doméstico, tão desejado, que quebrou – ou simplesmente parou de funcionar – pouquíssimo tempo após você ter aberto a embalagem e começado a usá-lo ?

Neste momento nos lembramos da casa de nosso avós, onde muitas coisas que lá existem foram compradas no momento em que eles se casaram. Será que alguma coisa mudou de lá pra cá ?

Assista o vídeo abaixo e chore …

E então, no mínimo revoltante, não é mesmo ? Eu já conhecia essa lâmpada “eterna”, mas achava que ela era apenas uma exceção à regra … (a foto abaixo foi tirada há poucos segundos – é uma câmera em tempo real, se der “reload” na página verá que foi atualizada e poderá até mesmo notar a movimentação no ambiente onde ela está instalada)

Já imaginou poder comprar as coisas apenas quando realmente quer e não quando as “circunstâncias” exigem ? Esse é um dos motivos apresentados pelos fabricantes para que o produto tenha uma vida útil já pré-determinada de fábrica, pois desta forma existiria uma garantia de que as pessoas continuariam consumindo seus produtos, caso contrário o sistema entraria em colapso e mais nada seria como estamos acostumados.

Será ? Será que ninguém nunca mais trocaria o celular … porque ficou obsoleto ? Ou a televisão por um modelo maior ? Ou a impressora apenas porque deseja uma com uma resolução melhor, mais rápida ou que o custo da tinta seja mais em conta ? Será mesmo que o que move a economia é somente a reposição dos produtos quebrados e não o interesse dos consumidores na qualidade/novidades dele ?

Poderiam argumentar que desta forma não atingiriam o nível de “economia de escala” e com isso os produtos seriam mais caros e blá blá blá … acho que não, pois se forem produtos bons, muitas pessoas comprarão e o volume atingiria sim o necessário para termos a redução de custos que a economia de escala nos oferece.

Falando sobre impressoras … que sacanagem o esquema da contagem do chip para limitar o número de impressões, hein? Poderia imaginar planos mirabolantes, mas nesse nível … “tiro o chapéu” para quem bolou e para a empresa que aceitou implantar isso em seus produtos … Mas deixe-me contar um caso que ocorre comigo e acredito se encaixar no cenário apresentado. Quem acompanha o Clube no twitter já me viu comentando sobre o que vou falar.

Compramos lá para o escritório uma impressora HP K8600, pois precisamos imprimir em A3 (tamanho de papel maior). De início é show de bola: a qualidade da impressão é ótima, a velocidade é impressionante e tudo ia bem. Até o momento em que um dos tubos de tinta, um dos coloridos, acabou. Achei estranho … pois lá usamos apenas a impressão preta. (a colorida nunca era usada, estava lá, mas sem ser usada …)

Bom … ok … acabou, mas como nós não usamos não teria problema, permaneceria imprimindo em preto e tudo bem. Será ? Não … essa impressora exige que você tenha carga em todos os cartuchos da impressora. (3 coloridos e 1 preto) Isso mesmo, a impressora não funciona caso você não deixe todos os cartuchos em dia … 😯

Ok, fui lá, comprei a tinta que havia acabado (ainda sem entender o motivo disso …) e coloquei na impressora. Voltou a funcionar, maravilha ! Mas … o tempo passou, os outros 2 cartuchos coloridos acabaram (ao mesmo tempo) e a novela se repetiu, o equipamento só voltaria a funcionar caso eu fizesse a troca por cartuchos cheios … Troquei. (desta vez um pouco mais estressado …)

Adiante um pouco o calendário, e 3 meses depois de terem sido trocados os cartuchos estavam vazios mais uma vez. Mas como !?!? A impressão colorida permanecia não sendo usada !!! O cartuchos foram consumidos num passe de mágica ! 😯

Pensei … pensei … pensei … e cheguei a uma conclusão: sabe como a tinta estava sendo usada ? Sempre que a impressora fazia a limpeza dos “bicos injetores” do cartucho um pouco da tinta era jogada fora, naquela esponja apresentada no vídeo. Legal, não é mesmo ? A própria impressora se garantia de que a tinta seria consumida, que você precisaria efetuar a compra de um novo cartucho, e para reforçar essa garantia só aceitaria funcionar se a tinta vazia fosse trocada. MUIIIITOOO bom ! #NOT !!

Infelizmente a troca não está nos planos … pois ela nos custou “apenas” R$ 1.000,00 (e o custo dela ainda está sendo diluído, hehehe) e são poucas as opções que imprimem em A3. O custo de “existência” da impressora é de R$ 50,00/mês! “Sem ser usada !!”

Este é apenas um exemplo da programação de fábrica para que precisemos consumir os produtos, que nos “obriga” a isso, mas como foi o mais atual, foi esse que dividi com você. Agora eu gostaria de ver a opinião de vocês, e se possível um exemplo de obsolescência programada que você tenha presenciado.

Ah ! Mais um pedido ! Não deixe de dividir o post com seus amigos, via facebook e twitter. As ferramentas de compartilhamento estão ai embaixo. Acredito que conhecer isso ajudará – quem sabe – na mudança disso …

(vi no: Ovelho)

Essencialismo

Convenhamos … O povo gosta de exagerar em (quase) tudo o que faz. Não é mesmo ?

Tudo o que faz, precisa ser muito grande. Ou muito complexo. Ou muito completo. Ou muito … muito. 🙄

Focar ? “Você está doido !!?

Simplificar ? “Sério que é só isso !!!???

Se as pessoas soubessem o poder que a simplificação e o foco trazem, quem sabe as coisas seriam diferentes.

Sim, ou você vê atletas de alto nível que fazem parte da seleção nacional de futebol, basquete, vôlei, atletismo, atuando em todas ao mesmo tempo ? 😉

Eles conseguem se destacar justamente por focar em apenas uma atividade e tirar todo o resultado possível daquilo.

Não preciso nem lembra-lo de como eu gosto da ideia de focar e simplificar as coisas. Não é mesmo ?

Por exemplo … opero apenas com 1 ação, e isso já tem mais de 10 anos ! (trabalho apenas com Petrobras PN)

Indo mais fundo, trabalho apenas com o lançamento de Opções de PETR4. Sim, uma única estratégia, com um único ativo. E quem já conhece a forma que trabalho, sabe o quão simples é a estratégia que uso. Para você ter uma ideia, este é um dos últimos slides do curso:

Mas sei que focar e simplificar as coisas não é tão simples assim. 😉

Na verdade, somos “doutrinados” a fazer o contrário. Na hora que tentamos girar a chave, muitos encontram certa dificuldade … Mas na hora que conseguem, BOOOOM !!! 😀

Se você é uma das pessoas que vem tentando simplificar e focar, mas vem encontrando dificuldades para fazer isso, a leitura deste livro poderá lhe ajudar bastante. Em Essencialismo (Sextante, 2015), temos quase que um guia para essa mudança. 🙂

O mais legal foi ver que durante a leitura, eu podia me identificar em muitos momentos com aquilo que era apresentado. (e em outros, nem tanto … hehehe)

Brincar … Não fazer nada … Dormir … Coisas aparentemente bobas, mas que ajudam MUITO.

Então, se você vem tentando “virar um monge”, esta leitura irá te ajudar. 😉

Usará 100% daquilo que é apresentado ? Não necessariamente … Acredito que existam “níveis” de simplificação. Pode ser que algo faça sentido para você. Pode ser que outras partes, nem tanto. Pode ser que não faça neste momento, mas venha a fazer.

Portanto, leitura mais do que sugerida se você quer facilitar um poucos as coisas. 😀

 

Nota do Site:
5 Moedas

Essencialismo
Greg Mckeown

Editora: Sextante
Ano: 2015
Edição: 1
Número de páginas: 272
Acabamento: Brochura
Formato: Médio