Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Investir em Fundo de Ações ou em ETF ? O que é melhor ??

Pergunta:

Olá, Zé.

Acompanho seu blog e no futuro, pretendo fazer seu curso Minha Primeira Vez na Bolsa. Mas no momento, estou muito sem tempo e também sem paciência para estudar. Entretanto, não quero deixar meu dinheiro parado, agora.

Tenho disponível algo como 5.000 reais para investir e durante este ano, terei 1000 reais para acrescentar, a cada mês.Vou aplicar em um fundo de ações, disso tenho certeza. Pretendo deixar o dinheiro por pelo menos 24 meses, muito provavelmente mais tempo que isso e não quero aplicar nem na poupança, nem o tesouro direto e nem em CDBs ou LCIs. Aplicarei em um fundo de ações.

Pensei no fundo BB Ações IBrX Indexado, que acompanha o Índice Brasil – IBX, ou no BB Ações Ibovespa Indexado, que segue a variação média do IBOVESPA. Ambos os fundos cobram taxa de administração de 2,5%. O que acha?

Desde já, muito obrigado.

Resposta:

Bom dia Jackson,

Será que essa é a melhor alternativa ? Sinceramente ? Eu acho que não …

O principal motivo para eu dizer isso é por conta da taxa de administração: 2,5% ao ano é MUITA coisa !! É uma taxa MUITO alta !! E já vou te mostrar que existem alternativas plenamente viáveis por uma parcela deste custo. 😉

Mas antes de qualquer coisa … Sem paciência de estudar ? De estudar ou de aprender ? Digo isso porque ao fazer o Minha 1x na Bolsa você aprende a investir na Bolsa de forma simples e tranquila. Com pouco tempo diário (ou semanal, se preferir) você será capaz de concluir o curso e terá aprendido sobre o funcionamento do investimento em Bolsa e como proceder para realizar a sua primeira compra de ações. Com cerca de 10 minutos diários você terá assistido a todas as aulas em pouco mais de 1 mês e estará apto a realizar o seu investimento. 🙂

Não, você não precisará dedicar horas e mais horas de estudo para iniciar seu investimento em ações. Ou em ETFs, que é a minha sugestão neste momento. (o aprofundamento pode vir com o tempo !) 😀

Você sabia que existem formas de investimento na Bolsa que são equivalentes aos fundos de ações oferecidos pelos bancos ? Sim !! E a melhor parte é que eles cobram MUITO menos do que os bancos cobram !! 😉

Apenas para citar como exemplo, temos o BOVA11 (que se baseia no Ibovespa) e o PIBB11 (que se baseia no IBRX-50), coincidentemente os tipos de fundo que você citou na sua pergunta. 🙂

A diferença é que ao invés de gastar 2,5% com a taxa de administração, esses ETFs cobram 0,3% e 0,059% respectivamente … Comparando o BOVA11, apenas 10% do que gastaria no banco; e comparando o PIBB11, 2% do que gastaria com o fundo do banco. (!!!)

Sim, uma diferença brutal ! 😯

E o pior de tudo (que neste caso seria o melhor) é que o processo de compra e venda desses ETFs é extremamente simples. Talvez até mais simples do que solicitar a aplicação/resgate do fundo do banco. 😉

Basta que você seja cadastrado em uma corretora e envie sua ordem de compra/venda através do homebroker. Em questão de segundos está tudo feito. 🙂

E o melhor de tudo: a sua estratégia poderia ser exatamente igual a que planejou fazer com o banco … Compra inicial do valor já existente com aportes mensais do valor a ser recebido. Funcionaria da mesma exata forma e tudo isso com custos operacionais extremamente menores.

Dê uma repensada sobre a sua decisão de adiar o início do seu aprendizado. Garanto que sua dedicação neste momento será amplamente correspondida !

Ah ! Aproveitando o tema, sugiro que você também dê uma lida no post “BOVA11 ou PIBB11 ? Qual dos dois é melhor para se investir ?“, pois o assunto lá abordado tem ligação total com a adoção da estratégia. 😉

Eu sei que na maioria das vezes queremos nos acomodar, deixar tudo como está … Mas o problema de deixarmos tudo como está, é que as coisas acabam realmente ficando … como estão. Pense nisso ! 🙂

Te aguardo na sala de aula, será um prazer contar com a tua presença e poder te ajudar no que for possível !

Espero ter lhe ajudado ! 😀

Abraços !

O que acontece com o dinheiro que está na margem ? Ele será devolvido ?

Pergunta:

Uma dúvida respeito à chamada de margem. Estava vendido e foi feito a “chamada de margem”, descontaram 216 reais de um dinheiro que estava parado na conta que tinha justamente para encerrar a operação. Aí depositei 200 e fiz a compra da ação para encerrar a posicao vendida. ESSES 216 REAIS DESCONTADOS, são devolvidos na minha conta ou perdi para sempre????

Eu entendia que eram uma garantia para poder manter a operação e que seria descontado caso saíse com prejuízo, coisa que não foi o que aconteceu.

Obrigado

Resposta:

Bom dia Marcelo,

Fique tranquilo, o seu dinheiro será devolvido. 🙂

A lógica é essa que você falou: existe a chamada de margem para que a operação seja garantida em caso de erro. (para o caso de dar tudo errado e você precisar encerrar a operação com perdas, de forma … “emergencial”)

Depois que você encerra a operação, dando a ordem de recompra daquilo que havia lançado (vendido), no dia em que a opção (ou ação, para o caso da venda de uma ação alugada) entrar na sua carteira, quando mudar o status de vendido para zerado, o valor que estiver na sua margem de garantia será devolvido.

Como dito, a margem neste caso é usado para garantir suas operações de venda de opções ou de ações alugadas. O valor a ser chamado para a margem varia de acordo com a ação que estiver sendo trabalhada. Sugiro que você dê uma olhada nos posts:

– Quero operar com opções, quanto preciso ter de margem ?
– Como ganhar com ações quando o mercado cai ?

O valor que é “enviado à Bolsa” serve apenas para garantir que a operação possa ser encerrada. No momento em que você encerra, o valor é devolvido. No momento em que você recebe uma solicitação de envio de margem, e a corretora não encontra nada disponível na sua conta para tal, a Bolsa/Corretora pode encerrar sua operação arbitrariamente. Sim … se houver uma chamada de margem e você não garantir o valor solicitado, eles podem ir no mercado e comprar a ação/opção com aquele dinheiro que está retido na margem de garantia.

Usam a quantia que for necessária para fazer a recompra e devolvem o excedente. 😉

Não é a toa que a ferramenta é chamada de margem de garantia. 😀

O valor que será chamado é sempre o necessário para garantir que a operação que gerou a necessidade de margem seja encerrada.

Se for uma venda de ações alugadas, a devolução da margem ocorre em D+3, o dia em que ação entra na carteira do investidor. Se for um lançamento de opções, a devolução da margem ocorre em D+1, o dia em que a opção entra na carteira do investidor.

E se for após um exercício de opções (PUT) ? A margem é devolvida em D+3, quando a ação subjacente àquela opção é encarteirada. 🙂

Fique tranquilo: o dinheiro que é solicitado para a margem SEMPRE  é devolvido para o investidor.

Aqui cabe um adendo … O que pode ser usado de margem ? Dinheiro, Ações, CDB e Tesouro Direto são as formas mais comuns. Eu SEMPRE dou preferência pelo CDB … 😉

Aqui explico o porquê: “Zé, por que CDB ao invés de Tesouro Direto ?

De novo, fique tranquilo … o dinheiro será devolvido. 😀

Espero ter te ajudado. 🙂

Abraços !

ps: se o tema “margem de garantia” é algo que te interessa, se você deseja saber mais sobre o assunto, seja sobre como ele funciona, ou sobre como obtermos vantagem financeira com ela, indico que você dê uma olhada no Double PUT Double CALL, o meu curso sobre Opções. Nele o tema é amplamente abordado, tendo em vista a importância (vital) do uso da margem para as operações com Opções. Saiba como se beneficiar, otimizando o uso da margem a seu favor. Como obter proteção e alavancagem com o valor que você tem disponível para ela. 😉

A taxa de custódia pode entrar na formação do preço médio de uma ação ?

Pergunta:

Mas aquele custo que todo mês é descontado do saldo disponível na corretora, o tal de taxa de Custódia, não entra no cálculo do preço médio? Por qual motivo não é incluso no cálculo? Pois ela não deixa de ser um custo operacional??

Resposta:

Opa ! Tudo certo Roberto ? 🙂

Sim, a taxa de custódia é um custo operacional e pode fazer parte da formação do preço médio de aquisição de uma ação. 😀

O que acontece, é que algumas pessoas encaram como se apenas o que está na nota de corretagem seja possível de ser usado. Mas a própria Receita mostra que não …

RENDA VARIÁVEL — DEDUÇÕES

646 — As despesas incorridas nas operações no mercado de renda variável podem ser deduzidas ?

Sim. As despesas efetivamente pagas destacadas na nota de corretagem ou no extrato da conta-corrente para a realização de operações de compra ou venda (corretagens, emolumentos etc.) podem ser consideradas na apuração do ganho líquido, sendo acrescidas ao preço de compra e deduzidas do preço de venda dos ativos ou contratos negociados.

(Lei nº 8.383, de 30 de dezembro de 1991, art. 27; e Decreto nº 3.000, de 26 de março de 1999 – Regulamento do Imposto sobre a Renda (RIR/1999), art. 760, § 2º; Instrução Normativa SRF nº 1.022 , de 05 de abril de 2010, art. 45, § 3º)

nota de corretagem ou no extrato da conta-corrente“. 😉

Então, sim !! Você pode considerar a taxa de custódia (que hoje em dia é cobrada por poucas corretoras) em seus cálculos de formação do preço médio da ação. 🙂

Como fazer isso ?

Se você tiver apenas uma ação, digamos ABCD4 na carteira, fica fácil. Basta acrescentar o valor cobrado de taxa de custódia ao custo de aquisição daquela ação, e pronto. Se eram 100 ações, com um custo médio de R$10,00, e você gastou R$10 de custódia, o seu preço médio subiu de R$10,00 para R$10,10. (suas 100 ABCD4 custaram R$1.000,00 no total – já incluídos os custos operacionais da aquisição propriamente dita, e agora passaram a custar R$1.010,00)

Agora, se você tiver 100 ABCD4 e 100 WXYZ4, e a taxa de custódia foi de R$10, esses R$10 precisarão ser divididos proporcionalmente entre as duas ações da tua carteira. Digamos que ambas tinham, originalmente, um custo de aquisição médio de R$10,00. Com a inclusão da taxa de custódia, de R$10, o preço médio de aquisição delas subirá de R$10,00 para R$10,05.

E já que a taxa de custódia é algo cobrado mensalmente, você poderá ir atualizando constantemente esse PM. 😉

Espero ter te ajudado ! 🙂

Abraços !

Qual o motivo da diferença de prêmios entre as Opções PETRD352 e PETRD350 ?

Pergunta:

Vem cá, pq PETRD352 tá com um prêmio tão baixo comparado com outras, como a 400, 350 e 300?
 

Resposta:

Opa ! Tudo certo Alysson ? 🙂

O motivo mais “raiz” de todos !! 😅

A D352 vence em 2020, enquanto a D400, a D350 e a D300 vencem apenas em 2021 !! 😉

Como tem mais tempo pro vencimento, elas valem mais, mesmo tendo o mesmo strike. (que é o caso da D352 e da D350)

 

Lembra que o tempo é um dos fatores mais importantes na formação de preço de uma Opção ? Pois então … coloca 1 ano a mais na conta. 😉

Acredite: este é um erro bem comum, muita gente na hora que está “caçando” os códigos/strikes das Opções, acaba pegando uma Opção mais longa. Já falei sobre o assunto, de como a B3 poderia incluir no código da Opção o ano de vencimento … Com um mercado cada vez mais líquido, com Opções mais curtas e mais longas coexistindo, é o tipo de confusão que tende a aumentar.

Sugiro a leitura do post: “O código de uma Opção traz todas as informações necessárias para sua identificação ?

Na mesma linha, um erro bem comum é pegar o código de uma ação ON, pensando ser de uma PN. (ou vice-versa, claro …)

É o tipo de “detalhe” que devemos ficar atentos. BEM atentos !!

Espero ter ajudado ! 🙂

Abraços !

Devo considerar meus custos operacionais na formação do preço médio ?

Pergunta:

Considero os valores das Taxas e Emolumentos para a soma do prejuízo?? Estas mesmas posso deduzir para encontrar o lucro, quando ocorrer?

Resposta:

Bom dia Douglas ! Tudo certo ? 🙂

Sim ! Toda e qualquer taxa envolvida na operação (tanto na de compra, quanto na de venda), deve ser levada em consideração na hora de calcularmos o nosso preço médio.

Corretagem, taxas e emolumentos, presentes na nota de corretagem, devem ser usados na hora de determinar o preço de aquisição de uma ação.

Quando compramos, os custos operacionais deverão ser acrescentados ao valor gasto com a compra propriamente dita (a quantidade de ações x a cotação da compra), enquanto na hora da venda, os custos operacionais deverão ser subtraídos do valor a ser recebido pela venda.

E isso é importante de ser lembrado especialmente para quem vem usando corretoras que não cobram nenhuma taxa de corretagem ! 😉

As taxas da Bolsa continuam existindo. Portanto, podem (e devem) ser levadas em consideração na formação do preço médio.

Para algumas pessoas pode parecer um valor “irrisório” diante do bolo. Mas alguém gosta de entregar ao leão mais do que ele exige ? Não acredito … 😀

De forma prática, o valor que sai da sua conta, na hora em que você compra uma ação, é igual à quantidade de ações, multiplicado pela cotação da compra, mais os custos operacionais. (pode reparar que é sempre um valor acima do que você pensou que sairia da conta) Já na hora da venda, o valor que é creditado na sua conta é sempre inferior ao que foi calculado. (quantidade x preço)

Não é mesmo ? 😉

Então, repetindo: sim !! Você deve usar os custos operacionais na hora de calcular o preço de aquisição e venda, o que impacta diretamente os resultados (lucro ou prejuízo) das operações.

Espero ter te ajudado ! 🙂

Abraços !