Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Como declarar as Opções vendidas (na virada do ano) no Imposto de Renda ?

Pergunta:

Boa noite Zé, você tem algum artigo falando como declarar opções vendidas no IR? A situação seria eu permanecer vendido na mudança do ano fiscal.

Resposta:

Opa ! Tudo certo Julio ? 🙂

Você deverá ir na seção “Dívidas e Ônus reais“, utilizando o código “16 – Outras dívidas e ônus reais“. Na discriminação deve apresentar a posição vendida no último pregão do ano e que passará para o ano seguinte.

Exemplo: PETRM22 – quantidade vendida 1.000 – preço médio de R$0,35 (total: R$350,00), opções da empresa Petróleo Brasileiro SA CNPJ etc etc etc, custodiadas na corretora XYZ CNPJ

Lembrando que o preço (a cotação da Opção) a ser usado, deverá ser o preço médio da sua posição. E não o valor do fechamento no último pregão do ano. 🙂

Espero ter te ajudado ! 😉

Abraços !

O que é e como funcionam os dividendos das ações ? (da forma mais simples possível)

Pergunta:

Olá Zé, tudo bem?

Gostaria de entender melhor como funciona os \’dividendos\’ das ações. Como é feito o pagamento? o valor pago é percentual do valor da ação?

Se você puder fazer um post explicando de forma simples, ou então dar exemplo de alguma estrategia seria muito útil.

Desde já agradeço, um abraço

Resposta:

Bom dia Rodrigo,

Como dito, tentarei falar sobre o tema (o que são os dividendos) da maneira mais simples possível. 🙂

O dividendo nada mais é do que a distribuição de lucros de uma empresa. O normal (tirando na época da explosão da bolha das .com, onde surgiu um novo normal) é que as empresas existam e trabalhem para ter lucro. É o lucro que move os negócios.

Toda a empresa tem suas atividades, tem seus funcionários, paga seus salários, compra os produtos que são necessários para desempenhar suas atividades, oferece seus serviços e produtos ao mercado, recebe por isso, paga seus impostos, etc etc etc. No final das contas é visto quanto foi gasto e quanto foi ganho. Se o resultado final é positivo, tem-se lucro. Se negativo, prejuízo. Simples.

Como dito, o ideal e desejado é que as empresas tenham lucros. Lucros que poderão ser destinados à própria empresa, sendo reinvestidos em melhorias que poderão fazer com que a empresa cresça e traga resultados ainda mais interessantes. Mas parte deste lucro também é destinada aos sócios, aos proprietários delas. Este lucro é entregue a eles como forma de “retribuição” pelo o que eles investiram na empresa. Seja em forma de dinheiro propriamente dito (para a criação dela), ou pelo trabalho exercido nela.

Quando falamos em ações, estamos falando também do mesmo assunto. Quem tem ações de uma empresa é sócio dela. É sócio, e tem todos os direitos (e alguns deveres) relacionados a ela. A distribuição dos lucros é uma das que mais agrada a uma grande parcela dos investidores. Especialmente na forma de dividendos. 😀

Por quê ? Simples: o dividendo é a forma mais “pura” de distribuição de lucros de uma empresa. Uma distribuição isenta de tributação (um abraço Imposto de Renda !!), e que vai diretamente para o bolso dos acionistas. Sim, isento de IR !! Afinal de contas a empresa já honrou com seus compromissos, pagou os impostos devidos, e o resultado final, o lucro, já está livre de tudo isso, podendo ir diretamente para seus donos. 😉

A forma com que o dividendo é distribuído é bem simples também: vê-se qual é a participação do sócio na empresa, pega-se o valor a ser distribuído na forma de dividendos e cada um recebe a proporção que lhe é de direito. Por exemplo. Digamos que uma empresa tenha 1.000 ações, e você tem 23 ações. Não importa qual tenha sido o valor pago por elas, tampouco o quanto elas estejam valendo no mercado. Você tem 23 ações e ponto final.

Continue lendo …

Tributação no daytrade com Opções

Pergunta:

Olá, tenho uma dúvida comprei 10.000 mil ações da VVARK210 por R$ 0,13 e vendi no mesmo dia por R$ 0,15 centavos, fazendo um day trade, correto?

Comprei por R$ 1.300,00 e vendi depois por R$ 1.500,00. Isso deu um lucro de R$200,00.
Sei que tenho que pagar um DARF no valor de 20%, que seria de R$ 40,00. Fora isso, preciso fazer algo mais? Pagar algo mais?

Essa era uma ação de CALL, eu precisaria comprar ou vender as ações da VVAR3, ou posso seguir fazendo essas operações e obtendo esses lucros como citado acima sem problemas?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Rafaela ? 🙂

Antes de mais nada, uma pequena correção: você não comprou 10.000 ações, o que você comprou foram Opções. São coisas diferentes, que possuem características BEM diferentes. E é importante sempre termos isso bem claro. 😉

Sobre a tua dúvida, isso mesmo, você fez um daytrade com as Opções. Obteve R$200 de lucro e é sobre esse valor que deverá calcular o imposto devido. Assumindo que esta foi a sua única operação no mês, do tipo daytrade, deverás pagar 20% sobre o valor. Os R$40

Mas há um detalhe: sempre que ocorre um daytrade, um lucro em uma operação daytrade, a corretora já retém 1% deste lucro. Sim, 1% fica retido e é recolhido direto na fonte. Portanto, o IR sobre operações daytrade é de 20%, mas na hora de fazer o pagamento, via DARF, propriamente dito, pagamos apenas 19% sobre o lucro. (afinal de contas, 1% já está com a Receita)

Então, no seu caso, assumindo que foi a única operação daytrade do mês, você precisaria fazer um DARF de R$36 para o recolhimento do Imposto de Renda. 🙂

(se houvessem outras operações, deveria somar o resultado de todas, ganhos e perdas, para obter o saldo do mês, e em cima disso calcular o imposto devido)

Sobre a segunda parte, o daytrade não te traz nenhum direito ou obrigação ligados à Opção. Como você compra e vende no mesmo dia, realizou apenas uma operação financeira pura e simples. Não precisa se “preocupar” com a parte do exercício e em ter que comprar ou vender as ações ligadas à Opção. 😉

Espero ter te ajudado. 😀

Abraços !

O que perdi na compra de Opções pode ser abatido no DARF ?

Pergunta:

Bom dia

O valor que eu gasto na compra de PUT, considerando que vira pó no exercício, é sempre um prejuízo, e este valor pode ser abatido na DARF ?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Fabrício ? 🙂

Não, ele não pode ser abatido no DARF … 🙁

Mas como não, Zé !!??

Não podendo, oras. 😀

Sim, o valor que você usou na compra de uma CALL, ou de uma PUT, que tenham virado pó, é considerado um prejuízo. Isso está absolutamente correto. Mas não é por ser prejuízo que poderá ser abatido do valor a ser pago via DARF

Como assim ? Fiquei confuso agora …

Calma, é simples ! 🙂

O resultado de uma operação não entra “diretamente” no valor a ser pago via DARF. Lembra que o imposto é calculado sobre o resultado obtido no mês ? Pois então … A perda que você teve na compra da CALL, ou da PUT, entra nesse saldo mensal. É em cima do saldo (ganhos – perdas) que calculamos os 15% a ser pago de IR em operações normais/swing, ou os 20% sobre daytrades.

Então você não retirará do valor do DARF o valor que perdeu com a compra das Opções que viraram pó, ele será retirado do saldo do mês, e em cima deste valor você irá calcular o imposto devido. 😉

Fabrício, sei que a tua dúvida provavelmente tenha sido em linha com a minha resposta, mas achei importante dar destaque a esse pequeno detalhe, essa pequena diferença entre uma coisa e a outra.

Espero ter te ajudado ! 🙂

Abraços !

Quando uma trava se encerra ? (de forma automática)

Pergunta:

Boa noite !
Em primeiro lugar obrigado por fornecer material para estudos.
Por gentileza poderia me tirar uma dúvida:
Montei uma estrutura TRAVA hoje 29/10/20 com vencimento 16/11/20 e amanhã 30/10/20 o preço já varia contra minha posição e fica abaixo da minha perda máxima definida, vou levar o STOP e minha estrutura se encerra ou minha TRAVA só vai ser encerrado no dia vencimento (exercício) 16/11/20 podendo ficar positivo ainda?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Marcelo ? 🙂

Como você não disse qual foi o tipo de trava, e pela descrição podem ser as duas, vou falar sobre as duas possibilidades. 😉

#1 – Trava de alta com CALL

Se ao invés de subir, conforme esperado, a ação apresentar queda, a estrutura começará a perder valor até o vencimento. Por conta da cotação da ação estar abaixo da ponta comprada, ela não passará a dar lucro enquanto o cenário se mantiver. Só haverá a possibilidade de mudança, caso a ação passe a subir e as suas Opções comecem a se valorizar.

Não haverá um STOP automático (a não ser que você tenha configurado um na sua corretora), a perda máxima ocorrerá no vencimento das Opções, quando elas tiverem virado pó.

#2 – Trava de alta com PUT

Se ao invés de subir, conforme o esperado, a ação apresentar queda, a estrutura apresentará perda crescente até o limite estabelecido pela trava. Por conta da cotação da ação estar abaixo da ponta comprada, ela não passará a dar lucro enquanto o cenário se mantiver. O lucro só retornará se a cotação da ação apresentar alta e se aproximar/passar do strike da ponta vendida.

Dependendo do quanto recebeu para montar a operação, ela ainda poderá trazer lucro enquanto a ação estiver “entre os strikes”. (quanto mais próximo estiver do strike da venda, melhor)

Não haverá um STOP automático (a não ser que você tenha configurado um na sua corretora), mas a operação será encerrada quando a ponta vendida for exercida. Podendo ser no dia do exercício, ou antecipadamente. (o que é coisa rara de se ver …)

Neste caso você pode, ou não, exercer a sua ponta comprada para completar o encerramento da operação. (a ação pode estar acima do strike da ponta comprada e isso não justificaria o exercício …)

Se as duas Opções virarem pó, você terá saído com lucro da operação. 🙂

Voltar a dar lucro ?

Em ambas as situações a operação pode voltar a dar lucro, mesmo se em um determinado momento estiver abaixo do seu ponto de perda máxima. Bastaria apenas que a ação voltasse a apresentar alta, indo na direção da região de lucro da operação. 😉

E claro … que isso viesse a ocorrer antes do vencimento da série que estiver sendo trabalhada. 😀

Espero ter te ajudado ! 😉

Abraços !