Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Além da isenção para vendas até R$20 mil, existe outra forma de não pagar IR em ações ?

Pergunta:

Gostaria de saber se posso fazer mais de uma retirada de $:19,990 ao mes sem pagar imposto de renda? E se posso fazer mais retiradas no mesmo mês sem incidência de imposto de renda

Resposta:

Bom dia Gustavo,

Acredito que estejas te referindo ao limite de isenção de R$20 mil para o imposto de renda sobre o lucro em ações. Correto ? Aquele que diz que se o investidor vender até R$20 mil no mês estará livre da cobrança dos 15% sobre o lucro auferido no mês. É esse ? 🙂

Olha … infelizmente “não”. A regra de isenção é essa, até R$20 mil em vendas (total de vendas no mês), não existe a necessidade de pagar o IR. Fiz um post há algumas semanas onde detalho melhor o funcionamento desta regra, você poderá ler aqui: “Como funciona o limite de R$20 mil para a isenção de IR na Bolsa ?

Regrinha simples, mas que realmente pode gerar dúvidas em alguns casos. 😉

Pronto, a resposta está dada. Até a próximmm …

Não, claro que não. Existem algumas outras estratégias que podem nos ajudar a economizar alguns “trocados” na hora de alimentar o leão. 😀

Detalhei 3 pontos que podem nos ajudar nesta árdua, porém gratificante tarefa, em um post de 2016. Você já leu ? “Como pagar menos Imposto de Renda no investimento em ações ?

Os 3 itens foram:

#1 Respeitando o limite de vendas mensais de R$20.000,00

#2 Vendendo sua carteira, recomprando-a em seguida, quando a cotação for inferior ao seu preço médio

#3 Viver apenas de dividendos

O primeiro é exatamente esse que acabamos de falar, o limite de R$20 mil. O segundo, é para quem tem carteira de longo prazo e tem alguma ação que esteja com seu preço médio acima da cotação atualmente negociada em mercado. O terceiro é o sonho de todo aposentado, hehehe. 😉

Sugiro ler os dois posts aqui indicados, pois eles podem lhe trazer alguma ajuda neste momento.

Mas Zé, e com Opções, existe alguma forma de ficarmos isentos do IR ?“. Não … não há.

Todo e qualquer lucro obtido via opções será tributado e o investidor deverá pagar o DARF referente a ele. Não existe o limite de R$20 mil para elas, bem como a ideia de longo prazo neste mercado é praticamente inexistente. E não, também não existem dividendos para as opções.

Só não precisará pagar o IR “neste momento” se houver algum prejuízo passado que possa ser usado para compensar o atual. Mas não é isso o que queremos … Não é mesmo ? 😉

Espero ter te ajudado. 🙂

Abraços !

ps: o Imposto de Renda é um tema MUITO importante para todo e qualquer investidor em Bolsa. Seja em ações ou em opções … Não é a toa que tanto no Minha 1x na Bolsa, quanto no Double PUT Double CALL, ele é amplamente debatido e estudado. Se é um tema que lhe interessa, não deixe de conhecer a forma com que ele funciona em cada um destes mercados.

 

Quais os riscos de trabalhar com a venda descoberta de Opções CALL ?

Pergunta:

Boa noite!

Agradeceria muito se pudesse me esclarecer uma dúvida. Recorro a você devido sua experiência com opções.

_ Se eu vender uma call e como garantia depositar dinheiro e não as ações correspondestes, como ficaria meu financeiro caso eu fosse exercido?

Ex: Hoje Petr4 fechou a 27,49 e vendi 400 call de Petrh285 com strike 27,73 para vencimento dia 19/08. Para esta situação aloquei como margem de garantia 11.092 reais.

Se no vencimento a petr4 estiver abaixo de 27,73 eu embolso o prêmio e continuo com os meus 11.092 reais. E se
no vencimento petr4 estiver a 28? Neste caso eu serei exercido… mas como fica meu financeiro? Continuaria os mesmos 11.092 reais?
Agradeço muito se puder me esclarecer!

Um forte abraço Zé!

Resposta:

Opa ! Tudo certo Odimar ? 🙂

Esse é um caso típico de venda a descoberto. CUIDADO !!!!

Operar com venda descoberta precisa de um STOP bem controlado e planejado, e de atenção com a alavancagem. 😉

O que acontece ? Se a PETR4 estiver abaixo de R$27,73 no dia do vencimento, você embolsa o prêmio obtido no momento do lançamento. É todo teu, direto pro teu bolso. A grana que foi alocada como margem de garantia retorna pra ti, e fica tudo uma beleza. 🙂

O problema é se no dia do vencimento estiver acima dos R$27,73 …

Usando os R$28 como exemplo, serás exercido no dia do vencimento, precisando entregar 400 PETR4 e receberás R$27,73 por cada uma delas. Se não tens elas em carteira, precisarás recorrer ao mercado. Precisarás comprar no mercado para entregar à pessoa que te exerceu.

Como está sendo negociada a R$28 naquele momento, é esse o preço que irás pagar. Comprarás por R$28 e receberás R$27,73 por elas. Perda de 27¢ por ação.

Não chegasses a falar quanto recebeu pelo lançamento das 400 PETRH285 … Mas digamos que foi 45¢.

Perdeu 27¢ no exercício em si (deixando de lado os custos de corretagem com o exercício, e isso é importante de levar em conta !), mas ganhou 45¢ na montagem da operação. Ainda sobrariam 18¢ de lucro.

Mas … e se estiver R$29 no dia do vencimento ? Terias perda de R$1,27 no exercício, recebendo 43¢ pela montagem. No final, 82¢ de perdas …

E se estiver R$30 ? R$32 ? …

Entendeu o risco ?

Se você não tiver uma política definida de STOP para essa operação, corre o risco de ver perdas grandes. 🙁

Espero ter ajudado. 🙂

Abraços !

Long & Short gerando dúvida na hora de calcular o Imposto de Renda ?

Pergunta:

Bom dia!

Penso que a operação L&S é complicada no momento de aferir lucro e portanto recolher IR e uma dificuldade de entendimento é :
Compra ação X e vende Y em junho, montagem L&S
Vende ação X e compra ação Y em julho, desmontagem L&S.

Considerando que na venda de ações mês ultrapasse o R$20.000,00
A dúvida é:
Quando se calcula lucro, é o lucro por ticker:
Compra X Vende X = lucro
Vende y Compra Y = lucro

ou,

a montagem calcula lucro
a desmontagem calcula lucro.
???
Muito obrigado
DTS

Resposta:

Opa ! Tudo certo Daniel ? 🙂

Acredite: não é complicado ! 😉

Para calcularmos o resultado de uma operação, para sabermos se é preciso pagar o IR, ou não, precisamos ter a operação encerrada. SEMPRE. Sabendo disso, quando conheceremos o resultado obtido com a compra da ação X ? Sim, apenas na hora que a vendermos. Quando conheceremos o resultado obtido com a venda da ação Y ? Sim, apenas na hora que a recomprarmos.

Sim, simples assim. 😀

O que dá nó na cabeça de muita gente, é que, por ser formada por um compra e uma venda “simultânea”, a pessoa se perde para determinar o que é lucro, o que é prejuízo, quem é quem.

Sim, poderíamos olhar o saldo obtido no dia da compra de X e da venda de Y e diminuir do saldo obtido no dia da venda de X e da recompra de Y. Mas te pergunto: isso não é a mesma coisa que olhar o retorno da compra de X – venda de X + o retorno da venda de Y – a recompra de Y ?

😉

Basta olhar cada ação isolada, o comportamento, o resultado de cada ação usada na operação. Para esclarecer um pouco mais as coisas: o Long & Short não é uma única operação … são DUAS. É uma compra de uma ação e uma venda de outra. Não é a operação “Long & Short” …

É a operação de compra de X e da venda de Y que formam o Long & Short. Então basta que você olhe o resultado de X e o resultado de Y. 🙂

O lucro/prejuízo sempre é descoberto no encerramento da operação.

Fechado ? 😉

Esperto ter ajudado. 🙂

Abraços !

A regra dos R$20 mil e as dúvidas que ela gera

Pergunta:

Queria saber sobre imposto de renda em ações !
Exemplo: eu sou um investidor pequeno eu não opero com quantidades de dinheiro tão altas, mas me veio uma dúvida. Se eu opero 4 vezes em um mês com um valor de 5.000,00 e em cada dessas operações eu obtiver um lucro de 100,00 eu devo pagar impostos?
Ou só pago se eu movimentar 20.000,00 de uma vez só ?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Bruno ? 🙂

Sim, deverá pagar. Não importa se for um único negócio de R$20 mil, ou 20 de R$1 mil, ou 40 de R$500 … O que importa é o volume total da venda naquele mês. A soma de todas as operações que ocorrerem naquele mês.

A regra dos R$20 mil serve para todos. Para o pequeno investidor, e para o grande.

Exemplo: tem gente que tem uma BELA carteira, que vende apenas quando já está aposentado. O que ele faz ? Vende ~apenas R$20 mil por mês, para arcar com os custos mensais. Desta forma não precisa gastar com IR na hora em que vai consumir o capital que acumulou. 😀

E para o pequeno que realiza vários negócios por mês (swing trade), enquanto vai acumulando capital. 😉

O importante é lembrar que é R$20 mil em vendas de ações no mês. Não importa quanto seja nem a ordem. E isso me lembra que tem outra pergunta relacionada ao tema:

Boa tarde,
No meu caso, eu vendi ações comuns no mês de junho no valor de 15mil onde eu estava com um lucro de 2mil. E fiz uma venda descoberta de 10mil.
A pergunta é, eu tenho que pagar imposto referente ao mês de junho? Pois ultrapassou os 20mil

Sim Eduardo, terá que pagar o imposto. 🙂

O que importa para a Receita é o ato da venda. É a operação de venda que gera aquele IR retido na fonte de 0,000005%. (nunca lembro de cabeça quantos zeros tem, hehehe)

É R$20 mil e ponto final. Não importa quantas ações sejam trabalhadas naquele mês. Não importa quantas operações foram realizadas aquele mês. Não importa se a operação já foi, ou não encerrada.

Vendeu mais de R$20 mil, teve lucro, não tem prejuízo para abater ? Tem que dar comida pro Leão. 😉

Um vídeo para lembrar de outro detalhe:

Espero ter ajudado ! 🙂

Abraços !

Ao comprar uma ação viramos sócios da empresa. Mas até onde somos responsáveis por ela ?

Pergunta:

Boa tarde Zé.

Tenho vontade de começar a investir em ações, mas não tenho ainda o conhecimento necessário nem o capital. Como muitos outros busco informações aqui com você, e tenho uma duvida que com certeza deve ser de iniciante. A partir do momento que se compra ações de uma empresa, você se torna sócio da mesma, correto? E com a compra dessas ações você espera que essa empresa suba de valor na bolsa e também tenha lucros pra poder receber os dividendos, estou correto? Mas se essa empresa tiver prejuízo, os acionistas também tem que arcar com essa divida? É logico proporcionalmente ao seu número de ações.

Obrigado

Resposta:

Bom dia Leonardo,

Não sei se é uma dúvida tão de iniciante assim … Sabia ? 🙂

Sim, sua descrição está correta: compramos ações na esperança de que as empresas cresçam, obtenham lucro, distribuam entre os acionistas, e por consequência apresentem uma boa valorização no preço das ações.

Alguns compram com o intuito de ficar com as ações para sempre. Gostariam de viver apenas com os dividendos gerados por elas …

Outros compram na expectativa da valorização, preferindo vendê-las assim que o ganho de capital oferecido pela ação for condizente com o imaginado.

Isso é o que Robert Kiyosaki chama de ganho de capital vs fluxo de caixa. Nos livros ele costuma exemplificar com imóveis, mas no fundo é a mesma coisa. Algumas pessoas compram casas para revenda, assim que apresentam valorização. Outras compram para viver com o aluguel gerado pelo imóvel.

Os dois estão certos, pois em ambas as situações o ganho pode ser obtido. São estratégias diferentes, com expectativas e horizontes diferentes. 😉

Como você bem disse, a empresa precisa lucrar para que haja a distribuição de dividendos. Sem lucros … de onde sairá o dinheiro a ser dividido entre os sócios ? Estamos vivenciando um exemplo muito claro dessa situação com a Petrobras. Até pouco tempo, apresenta lucros pomposos … mas por causa da bela administração do governo petista (que priorizou o petrolão, alavancando exageradamente a empresa, para inflar ainda mais os contratos dela) a coisa desandou.

Passou a ter prejuízos seguidos, e com isso houve a interrupção da distribuição de dividendos. Sem lucro, sem dividendo. Simples assim …

Claro … nada impede que o setor contábil das empresas adotem artifícios “criativos” para “gerar” lucro, proporcionando desta forma dividendos que não deveriam existir. E sim, isso aconteceu/acontece …

Sobre a tua preocupação em específico, tenho uma boa notícia. Ao comprar uma ação de uma empresa, através da Bolsa de Valores, você se torna “sócio” da empresa, porém um “sócio especial”. Esta sociedade nos blinda através da chamada responsabilidade limitada, que nada mais é do que proteger o investidor contra eventuais problemas na empresa. O limite de responsabilidade do acionista é o valor de suas ações. Nada de colocar em risco o patrimônio pessoal. 😀

De novo: graças à responsabilidade limitada, um investidor põe em risco apenas o valor apresentado por suas ações. Não há risco algum para o patrimônio dele. Você nunca arriscará mais do que a perda integral do valor da ação.

Por exemplo: a ação custa R$10. Você tem 1.000 ações, consequentemente o seu patrimônio total investido nesta ação é de R$10 mil. Sua perda máxima, haja o que houver, será de R$10 mil e ponto final.

A empresa dá lucro ? Você recebe dividendos. A empresa tem prejuízo, você não recebe nada e provavelmente verá a cotação da ação minguar … minguar … minguar … até virar .

Veja que o prejuízo da empresa não será “debitado” do valor da ação. Ao menos não diretamente … Pode até ser que o mercado a puna através das cotações. Mas simplesmente chegar lá e descontar do valor da ação (da mesma forma que o faz quando há um dividendo), não ocorre …

É um lado do mercado acionário que existe para trazer um pouco de tranquilidade ao investidor, que já sabe de antemão o risco máximo de perdas que tem em seu portfólio. Qual ? Isso: o valor investido na ação. 😉

Se quiser saber mais sobre o investimento em Bolsa, convido a dar uma olhada no meu curso, o Minha 1x na Bolsa !!

Espero ter lhe ajudado ! 😀

Abraços !