Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Uma operação normal, que virou um daytrade. Como calcula o IR ?

Pergunta:

Uma dúvida: tenho um ativo que comprei em julho, e no momento de comprar mais… errei a boleta e acabei vendendo. Foi 5 mil e pouco, tinha um lucro de uns 500 reais. Esse mês ainda não atingi 20 mil em vendas, então estaria dentro da isenção de imposto. Porém: vi o erro e comprei novamente no mesmo dia, pagando mais caro ok. Nesse caso se caracteriza como Day Trade a operação? Tenho que pagar os 20% de imposto então?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Cléber ? 🙂

Isso ! Você fez um daytrade. Para que uma operação seja caracterizada como tal, não importa se a primeira parte da operação tenha sido uma compra ou uma venda. O que determina se a operação é um daytrade, é o fato dela começar e terminar no mesmo dia.

Se começou com uma venda, terminará com a compra.

Se começou com uma compra, terminará com a venda.

😉

Agora, sobre a necessidade de pagar imposto de renda por conta da operação … Não, não será necessário.

Se você vendeu, e comprou mais tarde, por um preço acima do que foi feita a venda, você teve prejuízo na operação. Você perdeu dinheiro … Então como pagará IR sobre uma perda ? O imposto incide apenas sobre os ganhos obtidos em Bolsa. 🙂

Neste caso, você deverá “anotar” o valor da perda e poderá usá-lo para abater de um lucro futuro em alguma outra operação de daytrade. E isso é importante: apenas poderá ser usado para abater de um lucro vindo de uma outra operação daytrade !! 😉

Ah Zé, mas ele falou que teve um lucro de R$500 com a venda inicial …

Sim, se a operação de venda tivesse sido a única feita com o ativo naquele dia, ele teria concluído uma operação de compra iniciada no mês passado, e teria obtido lucro. Mas como ele vendeu e em seguida recomprou, a Receita encara isso como um daytrade e esse lucro “virtual” deixou de existir. No momento em que ocorreu o daytrade, é esta operação que vale.

Um outro detalhe: você lembrou que o IR do daytrade é 20%. Show ! Mas na hora de pagar o DARF, você só precisa pagar 19% … Não se esqueça que 1% do lucro já fica retido na fonte !! 😀

Espero ter ajudado !! 🙂

Abraços !

Existe algum investimento que tenha um retorno 100% garantido, de verdade ?

Pergunta:

Prezados,

Existe algum tipo de investimento baixo e com retorno \”garantido\”?
Ou existe algum tipo de curso ou treinamento que ensine os leigos a investir?

Grato,
Walter

Resposta:

Bom dia Walter,

Esta é uma regra básica do mundo dos investimentos: todo e qualquer investimento tem um determinado nível de risco (de perdas) atrelado a ele. É aquela história, aquele ditado que diz que o risco é proporcional ao retorno oferecido, lembra?

Mas … como toda boa regra, existe uma brecha nesta também. Sim, existe um investimento (e somente um único investimento) que é capaz de lhe proporcionar retorno garantido, em 100% dos casos, quando decidimos investir nele. Não, esse não é papo de vendedor, não é conto de fadas, não é nada disso. É apenas a mais pura verdade.

A melhor parte desta história, é que este único investimento 100% livre de risco é um investimento do tipo renda variável. Sim, nada de renda fixa … Ele é do tipo de investimento que lhe permite acessar um nível de retorno muito acima da média. E o melhor, mantendo risco zero.

Outra característica muito interessante dele, é que você tem a capacidade de nunca ficar de fora da “mesa“. É um investimento que lhe permite investir cada vez mais alto, nunca ficando sem “fichas” para continuar “apostando” em uma nova oportunidade. Basta que você queira continuar investindo e tudo está pronto para que você continue lá.

Você duvida ? Não acredita que possa existir tal coisa ? Acha que para ter acesso a ele precisará investir verdadeiras fortunas, pois ele – provavelmente – só está disponível aos investidores com maior poder financeiro, que somente investidores qualificados é que têm permissão para destinar seus recursos para ele ?

Está muito enganado … Este investimento está disponível para todos, independente da situação financeira do interessado. Você consegue imaginar algo que seja tão bom assim ?

Pois bem … este investimento é a EDUCAÇÃO ! Sim, a boa e velha educação. O verdadeiro motor que move todas as coisas, o conhecimento. Quanto mais você investe nele, maiores são as chances de você crescer. Quanto mais você investe, mais ganha. E nunca, nunca mesmo, perderá o que aprendeu. 🙂

Você tenta uma primeira vez. Pode até mesmo não ganhar nada com isso … Mas não perderá o que foi adquirido, ficará lá, guardadinho para um momento mais oportuno. Aquilo que aprendeu poderá ser usado a qualquer momento, basta a situação precisar. Não deu certo ? Volte à “mesa“, estude um pouco mais. Faça um “preço médio” com aquilo que já aprendeu, aumente sua aposta, suas chances aumentarão exponencialmente !

E o melhor de tudo é que as alternativas de investimento nesta modalidade são infinitas e disponíveis para todos os gostos, para todos os bolsos. Não tem muito para investir ? Sem problemas ! Provavelmente encontrará uma “mesa” que não lhe cobre absolutamente nada para entrar naquela “partida“. Tem um pouco mais de grana disponível ? Poderá participar de uma “mesa” um pouco maior, com “jogadores” mais experientes, com possibilidades de ganho ainda maiores.

Não deu certo de novo ? Sem problemas, você continua melhorando o seu “preço médio“. Sua carteira de conhecimento aumentará a cada nova investida. Não há perdas neste caso.

Sério ! Invista, sem medo, em sua educação. Seja ela financeira ou profissional. O retorno é 100% garantido. Pode até não acontecer de forma instantânea … Mas o que você conseguiu acumular será usado a seu favor, em benefício próprio, quando menos você esperar.

Este é um daqueles casos onde o fator sorte fala alto, muito alto. Sabe ?

 

Sorte é estar preparado para a oportunidade quando ela aparece.

Disrael

Espero ter lhe ajudado. 😉

Abraços !

Como desmontar uma operação simples com Opções ?

Pergunta:

o que até hoje eu não entendo é se eu consigo desmontar posição em opção com o intuito de especular e não exercer
exemplo:
comprei 300 opções de call de petr4 a 0,03 centavos, daqui a uma semana ela foi para 0,06 centavos eu consigo vender as 300 opções que foram compradas a 0,03 para o preço de 0,06 para outro e assim zerando minha posição com 100% de lucro(sem contar taxas e corretagem é claro)?

outra duvida usando o mesmo exemplo comprei supondo que no dia do vencimento o preço está á 0,09 e eu não faço nada eu vou ser zerado com o lucro sobre a valorização do preço?

Resposta:

Opa ! Tudo certo ?

Claro !! Para desmontar uma posição em Opções, sem participar do exercício, basta que você encerre a operação. Você irá especular com a Opção da mesma forma que faz com uma ação !! 😉

Como no teu exemplo: você comprou 300 CALL de PETR4 por 3¢. Para encerrar a operação no lucro, por 6¢, basta que você faça a venda das tuas 300 CALL para alguém que as esteja comprando por este preço. Da mesma forma que você enviou a ordem de compra, poderá entrar na corretora e emitir uma ordem de venda, zerando a posição. 🙂

Na verdade, a especulação, os trades curtos, com Opções, são o tipo mais comum de uso delas. Você compra e vende do mesmo jeito que faz com uma ação. O exercício seria um “evento extra” para elas. Você não precisa, obrigatoriamente, participar do exercício. Basta encerrar a operação até o último pregão antes do vencimento.

Se iniciou uma operação de compra, basta vender a posição para encerrá-la antes do vencimento. Se lançou, basta recomprar para encerrar a operação antes do vencimento.

Já a segunda pergunta, no dia do exercício em si tu não poderás mais negociar com a Opção. Só obterás lucro se a ação estiver com um valor acima do strike. Neste caso será preciso participar do exercício. Você exercerá a sua CALL (comprada), recebendo as ações, e em seguida as revenderá no mercado. Desta forma, se o preço das ações estiverem acima do strike (que foi o valor que você pagou na hora que solicitou o exercício), poderá revender as ações com lucro.

Se tu não fizeres nada (se não solicitar o exercício à corretora, suponde que a ação permite o exercício), a tua CALL deixará de existir e tu não poderás fazer mais nada … Ok, algumas corretoras farão o exercício automaticamente se tu não pedir que façam. Mas não são todas que fazem isso. 😉

Sugiro a leitura de dois posts:

– Como funciona o exercício de opções ?
– E se eu esquecer de solicitar o exercício da minha Opção ?

Espero ter lhe ajudado. 🙂

Abraços !

Comprei a Opção por 45¢ e está 15¢. Quanto precisará subir a ação para eu ter lucro ?

Pergunta:

Boa noite, comprei uma opção de CALL da PETR4 ao preço de R$ 0,45, e ela esta caindo, assim como a ação, queria saber se quanto mais próximo o dia do vencimento da opção menos oscilação e menos chance dela passar dos 0,45 mesmo atingindo o valor estipulado?? Qual o calculo para ela subir consideravelmente em um caso sugestivo?? (Visto que a opção esta 0,15 e a ação caiu de 26,65 a próximo de 25,20)

Resposta:

Opa ! Tudo certo Alan ? 🙂

Sim … Quanto mais próximo do vencimento, mais difícil vai ficando para que as Opções OTM se valorizem, recuperando valor.

Você não disse qual foi o strike da CALL que você comprou, vou assumir que seja a PETRH250, por ter a cotação mais próxima do valor por ti apresentado. Ontem ela fechou valendo 11¢ …

Como hoje é o último dia de negociação para as Opções das séries H e T, o movimento precisaria ocorrer de forma rápida, e ainda hoje, para que houvesse alguma chance de você zerar. Sendo o strike da H250 R$24,81, ela só teria algum valor “real” (o VI = valor intrínseco), a partir dessa marca. Sim … para que houvesse alguma chance de você ver a sua opção chegando na casa dos 45¢, precisaria torcer para que a PETR4 ultrapasse os R$24,81.

Em teoria … para chegar nos 45¢, você precisaria torcer para que a PETR4 chegasse ao menos nos R$25,26. Que nada mais seria do que o strike da Opção + os teus 45¢ …

Sim, estou considerando como se ela ao final do dia “estivesse com gordura zero”, ou seja, sem VE (valor extrínseco) algum. E não é exatamente isso que acontece. Ao final do dia ela ainda possui alguma “gordura”, algum prêmio. Mas para termos certeza de que as tuas H250 estejam acima dos 45¢, não nos custa pensar na opção no final da sua vida … 😉

Ou seja: se em algum momento do pregão de hoje, a PETR4 estiver acima dos R$25,26, é certo que as tuas PETRH250 valerão mais do que os 45¢ da tua compra. Ou algo próximo a +4% de alta, pelo valor de fechamento de ontem. 🙂

Quanto mais próximo do início do pregão isso ocorrer, melhor pra ti. Consequentemente, quão mais perto do fechamento … isso, menor o lucro que poderias obter.

Lembrando que “assumi” que a CALL em questão seja a PETRH250 … (mas acredito que pela cotação que você apresentou da PETR4, seja na PETRH260 … acertei ? Se for ela, ao invés de subir até os R$25,26, a PETR4 precisaria subir até os R$26,26 para que você pudesse sair no lucro …)

Em suma: torça para que suba. Torça para que suba forte. Torça para que suba rápido.

Espero ter ajudado ! 😀

Abraços !

Como funcionam os aportes em CDB e fundos de Renda Fixa ?

Motivado por um comentário do Fabrício, resolvi fazer este post para apresentar alguns detalhes importantes (e interessantes, por que não ?) a respeito do investimento em renda fixa. São algumas “particularidades” que merecem destaque e um pouco da sua atenção. 😉

Irei focar nos investimentos em CDB e fundos de renda fixa, mas o que for dito para o CDB também é válido para seus investimentos no Tesouro Direto. Os pontos em questão são: tributação e rentabilidade.

Fundos de Renda Fixa

Quando você decide aplicar seu dinheiro em um determinado fundo, você o fará sempre no mesmo instrumento. Se é o fundo “xyz”, do banco ABC, cada novo depósito que você fizer, entrará neste fundo e receberá a mesma rentabilidade que os aportes anteriores (e os futuros) receberem. O bolo é tratado da mesma maneira, não existe distinção do dinheiro em relação à rentabilidade obtida.

Se você aplica R$500,00 mensais neste fundo, a parcela que foi investida há 12 meses, receberá a mesma rentabilidade do dinheiro que foi aplicado no mês passado. Digamos que no mês em questão, o fundo se valorizou 0,95%. Todo o dinheiro aplicado receberá o mesmo “fator de correção”. (não é exatamente este o termo, mas creio que ele auxilia na compreensão)

De novo: não existe distinção entre o período em que o dinheiro foi aplicado no que se refere à rentabilidade.

Para o cálculo do Imposto de Renda, será usada a tabela progressiva, que leva em conta o tempo “de vida” da sua aplicação:

Tabela de Imposto de Renda para Investimentos de Renda Fixa
Prazo de Aplicação Alíquota de IR
Até 181 dias 22,5%
de 181 dias até 360 dias 20%
de 361 dias até 720 dias 17,5%
Acima de 721 dias 15%

 

Cada depósito (mensal, no caso), terá o seu período único. Portanto uma aplicação feita há 2 anos (24 meses), sofrerá uma tributação diferente da aplicação que foi feita há 5 meses. Quanto maior o período “de vida” desta aplicação individual, menor será o valor a ser pago para o IR.

Um fato interessante é que o sistema dos bancos já faz a escolha das aplicações mais antigas na hora do resgate. Quando você solicita o resgate ao seu gerente, o sistema escolhe automaticamente a(s) parcela(s) mais antigas para retirar. Desta forma você sempre paga a menor quantia possível de imposto de renda que a sua aplicação permite. Você não corre o risco de sacarem de um depósito recente, que paga mais IR, sendo que tem um mais antigo que pagaria menos.

Lembrando: tudo é tratado de forma única em relação à rentabilidade, porém individualmente quando tratamos do Imposto de Renda. Tudo de forma automática. 🙂

CDB, Tesouro Direto …

Para essas ferramentas de investimento a coisa muda um pouco …

Como você faz cada aplicação em momentos diferentes, está sujeito a contratar rentabilidades diferentes para cada um dos aportes. É uma característica natural destes investimentos, fique tranquilo. É questão de “oferta e demanda”, você poderá conseguir contratar um retorno de 95% do CDI para o CDB do mês atual, porém no mês que vem conseguirá apenas 93% do CDI. Já para o seguinte poderá conseguir 97% do CDI … Como dito, a negociação da taxa ocorre a cada aporte.

Com isso, cada contrato terá o seu “fator de correção”, apresentado em contrato e no sistema do banco. Desta forma a parcela que foi depositada há 16 meses poderá render 93% do CDI, enquanto a do mês passado 97% do CDI. Cada aporte terá o seu “fator de correção”, mas nada impede que o mesmo fator seja aplicado a mais de um contrato. Pode ser que na hora da negociação dos últimos 3 aportes, a taxa ofertada pelo banco fosse de 95% do CDI.

De novo: cada aporte terá a sua rentabilidade individual.

Em relação à tributação, teremos a mesma tabela progressiva atuando sobre os ganhos desses investimentos. Cada contrato terá o seu período e portanto poderá sofrer um desconto diferente no momento do resgate. Mas aqui existe um fato interessante: desta vez não será o sistema o responsável por escolher quem deverá ser sacado no momento do resgate. Aqui, o responsável é você. 😀

Como as rentabilidades de cada contrato “são diferentes”, você poderá achar mais interessante sacar uma aplicação mais recente, que paga uma parcela maior de IR, porém que apresenta um retorno inferior a uma mais antiga, que pagaria um valor menor de imposto, mas que rende mais. Por exemplo, a mais recente te entrega 91% do CDI, enquanto a mais antiga 99%. Mesmo pagando um pouco mais de imposto, pode ser que a “troca manual” seja justificada.

Isso é muito interessante, pois lhe permite manter os títulos com maior rentabilidade, usando os que rendem menos quando surgir uma necessidade.

Lembrando: tudo é tratado de forma independente, tanto em relação à rentabilidade quanto à tributação. Tudo de forma “manual”. (em relação à taxa de rentabilidade quanto a qual contrato será encerrado no momento do saque)

Coisas simples, mas que fazem muita diferença

Como dito, algumas particularidades, coisa simples, mas que fazem bastante diferença neste tipo de investimento.

Nada que exija que você perca sua noite de sono, preocupando-se com o funcionamento, mas que precisam de um minuto (acho que literalmente) da sua atenção para conhecer. 😉