Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Prédios de papel – Fundos de Investimento Imobiliário

Você já pensou em investir em prédios de papel ?

Não … eu não estou louco.

Uma alternativa simples e que torna viável, para qualquer pessoa, o investimento em imóveis. Mas não, não são prédios como os apresentados acima. 🙂

O investimento em “imóveis de papel” seria o equivalente às ações, as empresas de papel. Sim, estou falando dos FIIs ! 😉

Da mesma forma que uma ação representa um “pedaço” de uma empresa, um Fundo de Investimento Imobiliário representa um pedaço de um imóvel. E da mesma forma que você compra uma ação (ou tantas quantas quiser e puder), para se tornar sócio de uma empresa, você pode comprar FIIs para ser um dos proprietários de um determinado imóvel (ou de uma “coleção” de imóveis).

A ideia não é nova. Já foi apresentada aqui no Clube em outras oportunidades, como no post “Quero investir em imóveis para aluguel, mas isso dá tanto trabalho …“, mas quanto mais informação e conhecimento tivermos sobre as alternativas de investimento disponíveis, melhor fica. Concorda ? 😀

Pois então … Na minha busca constante por aprendizado, encontrei um novo livro sobre o tema Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs). Mesmo não sendo a minha praia, pois como você já sabe, meu foco, hoje, é 100% no investimento com Opções, aprender é sempre bom. Sem contar que isso me ajuda a ajudar mais pessoas. 😉

E confesso que esta leitura me agradou bastante. Ela foge um pouco do que eu já tinha visto sobre o assunto. Motivo ? Ela foca em algo que ainda não tinha encontrado: “Valuation” de FIIs.

Sim, cálculos que podem ajudar o investidor a determinar se um certo FII está caro ou barato ! 😯

Mas o mais legal mesmo, foi a apresentação de um cálculo onde o autor determina o preço de um imóvel para locação. Com base nas projeções de valor de aluguel, inflação, etc etc etc, ele mostra qual o valor justo para a compra/venda. Algo que eu realmente nunca tinha visto antes ! 🙂

Claro, além disso, é apresentado todo o conteúdo de base sobre o investimento. Os tipos de FII existentes, como se negociar (comprar e vender na Bolsa), os custos, IR … Foi um dos melhores que já li sobre o tema. 😀

SIM !! Leitura mais do que indicada !! 😉

 

Nota do Site:
5 Moedas

Fundos de Investimento Imobiliário
Roni Antônio Mendes

Editora: Novatec
Ano: 2018
Edição: 1
Número de páginas: 255
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

“Fiz daytrade e não tive sucesso. Dá para viver de Opções ?”

Pergunta:

Fiz daytrade e não tive sucesso. Dá para viver de Opções ?

 

Resposta:

Opa ! Tudo certo Leandro ? 🙂

Pergunta complexa essa, não é mesmo ?

Por quê ? Por uma série de motivos … (literalmente)

Quer ver ?

O sucesso no mercado, especialmente no lado do trader, depende de uma série de fatores. Algumas vezes são grandes e importantes detalhes, outras são tão pequenos que por conta disso, acabam ficando “escondidos” e não detectados.

Por exemplo, pode não ter dado certo por conta de alguma “deficiência” no lado da análise gráfica. Você não está conseguindo identificar direito os pontos de entrada, ou os gatilhos de entrada. Outra possibilidade pode residir no lado técnico na coisa. Suas operações precisam ser (ou são) mais rápidas do que o teu sistema permite que sejam. Pode ser um problema com a corretora, com a sua plataforma de negociação, com a sua conexão com a internet, no seu computador … Pode ser alguma coisa envolvendo o uso propriamente dito da plataforma operacional …

Outra possibilidade, alavancagem. Você não usava mais do que comportava ? Ou até mesmo menos do que precisava para que o breakeven das operações fosse atingido ? Outra, o seu STOP, como ele vinha sendo usado ? Gráfico ? Financeiro ? Temporal ? Usava ?

Estes são apenas alguns poucos pontos que consegui lembrar agora. Certamente existem muitos outros …

Agora, “Não deu certo no daytrade, dará com Opções ?” …

Se aquilo que te fez não obter sucesso no daytrade, for trazido para o “mundo das Opções”, possivelmente não dará certo também. Esse é o motivo para que analisar e observar tudo o que fazemos enquanto estamos operando, seja tão importante. Ver o que deu certo quando deu certo. Ver o que deu errado quando deu errado. Ver o que deu certo quando deu errado. E claro, ver o que deu errado quando deu errado.

E isso será o tempo que te ajudará a obter as respostas. Dificilmente será algo que virá rapidamente … A não ser que seja um erro mais “básico”. Sabe ?

O “mundo das Opções” é bem diferente do das ações e dos futuros. Por exemplo, quando você compra um contrato do índice futuro do Ibovespa, precisa que o mercado suba para que possa obter o seu lucro. Já nas Opções, quando você vende uma PUT (ela perde valor conforme o ativo “mãe” se valoriza, portanto uma operação que também se beneficia da alta), você pode ganhar em três situações: quando o ativo sobe, quando ele fica de lado, e até mesmo quando ele apresenta uma leve queda. Essa é uma característica das Opções. 🙂

E o contrário é verdadeiro: quem compra uma PUT, perde dinheiro quando o ativo “mãe” sobe, fica de lado ou apresenta leve queda …

Como eu disse, é uma pergunta complexa que acredito não ter uma resposta “certa”. O ideal é que você analise tudo aquilo que aconteceu, tentando encontrar o que pode ter “ajudado a dar errado”. Além disso, ao mudar de área, na tentativa de obter um resultado diferente, estudar uma estratégia vencedora, que já venha sendo testada a mais tempo. Uma estratégia que tenha conseguido sobreviver ao teste do tempo. 😉

Essa estratégia que vem dando certo, e que vem se mostrando válida com o passar dos anos, possivelmente engloba todos aqueles pontos que citei acima, como possíveis “vilões” no que deu errado, de forma a aumentar as chances de obtenção de lucro de quem a usa. Provavelmente ela tem “barreiras” e “proteções” que impeçam que os problemas cresçam e acabem atrapalhando para que o investidor possa sobreviver no longo prazo.

Espero ter te ajudado ! 🙂

Abraços !

Zé, para onde que eu posso fugir ?

Essa é uma das perguntas que mais ouço nos últimos tempos. Mais “precisamente” depois que o BC trouxe a taxa para níveis nunca antes imaginados nestas terras. SELIC de 2% ao ano ? Acho que só em sonho mesmo … 😉

Mas essa é a nossa realidade atual. E já é há um bom tempo. 🙂

2% ao ano … As possibilidades que isso pode vir a nos proporcionar são enormes !! Mas eu sei que nem todos estão gostando dessa mudança.

“Muitas pessoas” gostariam mesmo é de ver o retorno daquelas taxas parrudas. 1% ao mês então … s2

Mas se tudo der certo, isso fará parte apenas do nosso passado. Já imaginou taxas tão baixas quanto a atual por um período mais longo ? Já pensou na transformação que isso poderia gerar ?

Ok … eu sei que muita gente ~precisa dessa remuneração, e é justamente sobre isso que vamos conversar hoje.

“Zé, pra onde eu fujo !!?”

Olha, existem muitas direções. Mas nem todas podem ser trilhadas …

Por exemplo, o seu colchão de segurança. Não, essa grana não tem como arriscar. O dinheiro destinado ao colchão precisa ser direcionado para locais seguros e líquidos. Rentabilidade fica em segundo plano. Não importa se é 2% ao ano, ou até mesmo nada … A grana da sua reserva emergencial precisa estar lá, segura e disponível sempre que você precisar.

Pode ser (acredite) na poupança, no Tesouro SELIC (e apenas nele), num CDB de um bancão (importante !) ou até mesmo “parado na conta corrente(se controle, não toque nele !!), mas ele precisa estar em destinos que te garantirão a tranquilidade se a grana se mostrar necessária.

Sim, eu sei que vai render pouco. Mas lembra do que eu falei ? Para a grana do colchão, rendimento é “supérfluo“. Segurança e liquidez em primeiro lugar.

Agora … para aquela grana de investimento propriamente dito, você precisa (sim, precisa) começar a almejar novos destinos. Existem diversas alternativas, onde a possibilidade de um ganho mais elevado se faz presente. 🙂

Quer ser mais cauteloso ? Tesouro IPCA e Prefixado. Basta ficar com o título em mãos até o vencimento para que um rendimento um pouco mais elevado seja seu. Garantido. 😉

Quer dar um passo adiante ? Renda variável, a nossa tão querida e amada Bolsa. Comprar ações, montar uma carteira de longo prazo, pensando lá na frente. Historicamente é um investimento que se mostra válido. Um pedaço do seu “bolo” merece ser destinado pra ela. Nem que seja um pedaço pequeno, para começar. Uma parte, para sentir o “clima” e ir medindo os riscos. (e especialmente como você se comporta diante das oscilações, da volatilidade do mercado)

Tem um pouco mais de risco ? Tem. Exige mais estudo ? Exige. Mas é uma alternativa … ou melhor, uma necessidade nos dias atuais, com a rentabilidade apresentada pela renda fixa. (se precisar de alguma ajuda, você já sabe onde encontrar !)

Você pode ir ainda mais longe, e é justamente aqui que eu vejo o maior benefício das taxas tão baixas, empreendendo. Abrir um negócio, fazer a economia crescer, gerar mais empregos … Eu sei que aqui a “brincadeira” é complicada, mas é necessária. É um jogo completamente diferente, mas de fundamental importância para o país.

Portanto, sim … as taxas de juros estão baixas. Sim, o rendimento da renda fixa está baixo. Mas existem alternativas e você pode ir em busca delas. Não precisa ficar no mesmo lugar, só porque em um determinado momento aquilo garantiu retornos tão elevados. Pode ser que nunca mais voltemos a ver coisa parecida. Tomara … 🙂

Mas acima de tudo: estude as outras possibilidades, as outras oportunidades disponíveis. E não, não arrisque o dinheiro do seu colchão de segurança só para receber uns trocados extras. Combinado ? 😉

A poupança não é tão ruim quanto lhe vendem por aí …

Fuja da poupança !” ou “Não invista na caderneta de poupança, você vai perder dinheiro se fizer isso …

Quantas e quantas vezes você já ouviu algo do tipo ?

Saiba que essa não é história completa sobre o investimento em poupança. Veja o vídeo e confirme !!

Mas antes de assistir ao vídeo, eu lhe peço um favor: veja-o na íntegra ! Pode parecer meio estranho eu pedir algo tão “natural” quanto assistir por inteiro o conteúdo de um vídeo … Muitas vezes desistimos no meio do caminho, e ao fazermos isso perdemos uma parte importante do mesmo, algo que seria o “principal conceito“, ou o “” do que foi falado.

E já que a porteira dos favores foi aberta … Vou lhe pedir somente mais um: espalhe ao máximo este vídeo. Faça com que ele atinja o máximo possível de pessoas. Compartilhe-o em seus grupos de whatsapp, entre seus amigos no facebook, no twitter, por e-mail …

O conceito abordado nele é tão importante … é tão … “renegado”, e a quantidade de pessoas que precisam entender, de uma vez por todas, aquilo que foi dito é tão grande … mas tão grande … que seria um pecado ficar com ele só para você. 😉

Veja e depois me diga se eu não tenho razão. 😀

 

 

Ah ! Não deixe de assinar o nosso canal para receber a notificação sempre que um novo vídeo for publicado !

ps: alguém perceberá o easter egg existente no vídeo ? 🙄

A ilusão do grande prêmio

Existe um lado do comportamento humano que me chama bastante a atenção: a esperança. Ela é o que nos move, é o que nos alimenta, o que nos empurra pra frente. Mas ela também é responsável por nos mantermos estáticos em relação a situações que não mereciam que nos comportássemos assim …

Por exemplo: é a esperança na melhora que fez com uma grande quantidade de pessoas se agarrasse às suas OGX, vendo-as virar pó. Na verdade, foi a mesma esperança que fez com muitas e muitas pessoas entrassem nessa grande furada … (falei sobre isso no post “O poder da esperança“, de 2013)

Graças a esperança, muitos viram isso acontecer e nada fizeram:

Este é um dos lados da esperança, o de que as coisas irão melhorar. Mas não é sobre ele que quero falar …

Você muito provavelmente já tenha visto pessoas ligadas ao mercado falando sobre a forma com que os investidores deveriam se comportar. Especialmente em Bolsa …

Que ao investir em uma ação, ou em várias, a pessoa deveria ter em mente que ela está ali esperando por uma oportunidade de ouro. Que ela está ali em busca daquela empresa que irá multiplicar seu valor por dezenas, centenas, milhares de vezes. Está ali em busca do pote de ouro, do grande prêmio.

A chama da esperança é alimentada constantemente. A oportunidade de uma vida está ali, ao alcance de todos, logo ali na esquina. Uma explosão, um retorno extraordinário, algo surreal, muito além dos seus sonhos … Ou resumindo: algo quase impossível de ocorrer. Mas se acontecer, lhe renderá histórias pelo resto de sua vida. 🙄

Não existe meio termo, é 8 ou 80. E esse pensamento é bem representado por muitas estratégias envolvendo opções, por exemplo. Estratégias que se baseiam em investimentos pequenos, facilmente suportados pelo bolso do investidor, e que se perdidos não farão falta.

Dizem que o investidor poderá tentar diversas vezes. 1, 2, 5, 10, 20 vezes … até o momento em que acerta em cheio. Até o momento em que encontra o pote de ouro, o grande prêmio. Mas, até lá, ele vai perdendo … e perdendo … e perdendo.

Pouco, é verdade. Mas o que aquele investidor conhecerá, por um bom tempo, serão apenas derrotas.

Será que alguém consegue sobreviver ao longo prazo desse jeito ?

Penso em um atleta, que sonha em se tornar profissional. Será que ele suportará anos e anos e anos sem conhecer a vitória, sem ganhar nenhuma premiação, sem experimentar o gostinho da conquista, apoiado apenas na promessa de que no futuro, com a insistência destinada aquilo, ele terá a chance de ganhar ?

Será ?

Será que aquela série “sem fim” de derrotas não fará com que o atleta desista de tudo ? Será que a série de derrotas não fará com que abandone o seu sonho ? Será que as perdas sucessivas não irão minar, não irão detonar o lado psicológico dele ?

Será que o mesmo não ocorrerá com esse investidor que acredita na promessa de que algo inacreditável virá em um momento futuro ?

Será ?

Por menores que sejam as perdas, a sequência de derrotas vai diminuindo a confiança de que aquilo um dia virá a funcionar …

E ao pensar nisso, eu pergunto: não seria muito mais lógico adotarmos uma estratégia que te possibilite ganhar na grande maioria das vezes, valores mais realistas (mas considerados altos para a maioria dos outros envolvidos) ? Não seria muito mais interessante para a longevidade desse investidor, uma estratégia que lhe mostrasse o sabor da vitória constantemente, e que ao somarmos os resultados obteríamos algo parecido com aquela “explosão” prometida ?

Será que o sentimento de esperança que existe dentro de nós é mais forte do que o lado lógico da coisa ? 🙁

É mais fácil você mover uma tonelada de açúcar, com seus braços, de uma vez só, para o outro lado do depósito. Ou carregar a mesma tonelada em quantidade menores, “de punhado em punhado” ?

Pode até dar mais trabalho … Mas carregando aos poucos a tarefa é ao menos possível. 😉

Ficar acreditando que será possível levantarmos aquela tonelada de uma só vez, ao invés de ir realizando a tarefa aos poucos … não acaba fazendo com que a pessoa desista de tudo em um determinado momento ? Sendo que se tivesse feito o transporte aos poucos, provavelmente já teria terminado.

A mesma analogia serve para o mundo dos investimentos. Não seria muitos mais lógico realizarmos diversas operações, com ganhos factíveis, ao invés de ficarmos na expectativa daquela grande promessa, daquele grande prêmio, que nem se tem certeza de que virá ?

Não seria mais interessante uma estratégia que te oferece ganhos constantes e que podem ser mantidos e conquistados, por um longo período de tempo ?

Sim, foi pensando desta forma que desenvolvi o método Double PUT Double CALL. Operações que oferecem rendimentos acima da média, mas longe das promessas de milagre de duplicação diária de pães e peixes que vemos sendo ofertadas no mercado.

Ou o poder que a esperança exerce sobre nós é tão grande que acaba destruindo todo o nosso lado lógico, dando prioridade às promessas ?

Na sua opinião, o que faz com que um investidor dê preferência por algo que promete a multiplicação “instantânea” do capital ao invés de algo que lhe permite colher belos frutos por muito e muito tempo ?