Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

3 formas de se ganhar dinheiro com Venda Coberta de Opções

Tenho visto muitos de vocês com algumas dúvidas em relação as formas de ganhar dinheiro com a Venda Coberta de Opções e em especial, de que forma eu uso o lançamento coberto para ganhar dinheiro na bolsa. Portanto, mais um post da série “Como o Zé ganha na Bolsa ?“. 😉

Conheço e uso três formas de lançamento coberto de opções para rentabilizar minha carteira de ações voltada ao longo prazo, elas são: lançamento visando rolar a posição, lançamento de opções OTM e lançamento de ATM para aproveitar as flutuações do mercado.

Antes de mais nada, se não está muito familiarizado com os termos ITM, ATM e OTM, dê uma olhada neste post. Quase uma aula de pré vestibular, hehehe. 😉

E claro, não custa nada lembrar que esta é a forma que eu opero, a forma que escolhi para ganhar dinheiro. Existem muitas outras, tantas quantas for possível se imaginar. Mas estas foram as que escolhi e não tenho do que reclamar. 😀

1- Rolando a posição vendida

Esta foi a minha primeira experiência com a venda coberta de opções, minha porta de entrada, e garanto que fui muito bem acolhido.

Quando uma pessoa toma a decisão de usar sua carteira para cobrir a venda de opções visando a rolagem ela escolheu ganhar uma renda mensal de sua carteira, quase tornando-a uma “renda fixa”. Porém, em contrapartida, a pessoa abre mão – muitas vezes – do ganho de longo prazo fornecido pela valorização de suas ações. Digamos que ela abre mão do futuro incerto do aumento das cotações e prol da “garantia” de um retorno mensal de nível médio.

Como apresentado no post ” ‘Renda Fixa’ com opções “, onde apresento o meu diário operacional com este tipo de operação, é esperado um retorno de aproximadamente 2% ao mês para a carteira que usa a rolagem como forma de rentabilização. Usei a rolagem durante 9 meses e obtive um retorno mensal médio de 2,4% – um bom resultado na minha opinião …

A carteira ganhou 2,4% ao mês mas abriu mão da possível valorização das ações contidas nela. Por coincidência eu sai com a carteira no zero a zero, vendi as ações pelo mesmo preço que comprei, mas embolsei o lucro mensal. Se não tivesse usado a rolagem para rentabiliza-la, teria saído sem lucro algum da operação.

Uma dúvida muito comum sobre o uso da rolagem é no caso de forte aumento das cotações. O que aconteceria ?

Normalmente quando as cotações sobem muito, fugindo da região onde você está rolando – digamos que esteja usando o strike 28 da Petro para ficar rolando e a ação suba até R$ 35 – o resultado mensal cai um pouco, mas ao menos 1% ao mês é possível de se ganhar. Logicamente que a liquidez das opções muito ITM também é menor, dificultando a operação em grandes rolagens, mas para carteiras de tamanho médio é algo completamente tranquilo. Mais um motivo para usar somente ações que possuem opções líquidas. (hoje opero somente a Petrobras)

Se a rolagem foi a forma escolhida de rentabilização, portanto nada mais normal do que ir rolando enquanto o resultado for satisfatório. Para uns pode ser ganhar 1% ao mês, para outros pode ser 1,5% … Na hora que achar que não tem mais como dar continuidade basta deixar que te exerçam. Basta não fazer a próxima rolagem deixando que a opção vendida seja exercida no dia do vencimento. Com isso você garantirá todo o lucro obtido através das rolagens e o valor de venda (exercício) da ação.

2- Lançando opções OTM

As OTM são as opções “fora do dinheiro”, e o lançamento deste tipo de opção é uma das formas mais tradicionais de rentabilização de uma carteira através do lançamento de opções.

O uso das OTM trazem algumas vantagens, e claro desvantagens. Como vantagem posso citar a menor probabilidade de exercício, conseguindo acumular os lucros do lançamento e consequente aumento das cotações da ação. Para que isso aconteça com mais tranquilidade, é indicado o uso de uma OTM mais na frente. Por exemplo, a Petrobras está sendo negociada a R$ 28,58 a primeira OTM é a C30, portanto para garantir lucro e não exercício é indicado o uso da C32 – e é ai que mora a desvantagem.

Para garantir que não será exercido precisamos vender uma opção de um strike superior que vale pouco. A C32, por exemplo, está sendo negociada a R$ 0,03 … A pessoa garante que não será exercida, garante a subida do papel até os R$ 32,00 – embolsando o lucro da venda da opção e a valorização da ação – mas acaba ganhando pouco a cada vencimento. Nesse caso note que foi apenas 0,1% …

O lançamento OTM é muito usado por quem literalmente pensa no longo prazo, que não quer se incomodar com nada, somente lançar a opção e nem olhar mais. Não deseja saber se é ou não um bom momento de lançar, quer somente garantir um extra e pronto. Para quem tem esse perfil o uso das OTM é perfeito, mesmo sendo apenas 0,1% ao mês, no longo prazo isso faz uma bela diferença. 😉

3- Lançando ATM e surfando !

E finalmente a forma que venho usando atualmente, o lançamento ATM tentando aproveitar – ao máximo – as oscilações do mercado.

Essa é disparada a forma de se usar o lançamento coberto de maior rendimento. E claro, a de maior risco. Para se aproveitar as oscilações o investidor precisará acompanhar de perto o mercado. Terá que fazer uso da Análise Gráfica para determinar os pontos em que há maior chance de reversão no movimento, pois serão nestes momentos que o lucro aparecerá.

Muitos se perguntam se não seria mais fácil operar diretamente as ações, comprando e vendendo quando as sinalizações ocorrerem, mas posso dizer que não, usando o lançamento de opções surgem algumas vantagens.

Por exemplo, para obter lucro com o lançamento de opções você não precisa, necessariamente, que as ações caiam. Se elas ficarem de lado você já embolsará o lucro, ou ao menos parte dele. Se vender uma ação e ela não cair, nada feito …

Outra vantagem é que se a ação fizer uma distribuição de dividendos você ganha essa grana extra. Vendendo e comprando a ação você pode não ganhar, a distribuição pode ser feita num momento onde você está vendido. Lançando opções você está sempre “comprado”, consequentemente garantindo todas as distribuições.

Se um lançamento der errado, você pode rolar para a série seguinte – caso a situação gráfica permita isso, senão é stop … – garantindo um aumento no seu lucro. Isso acontece às vezes numa queda que demora para vir. Se tivesse vendido não ganharia nada … Já vivi essa situação tanto quando vendi uma ação quanto quando vendi uma opção, e garanto que com a opção é muito melhor. 🙂

O problema, como disse, é que você precisará acompanhar de perto o mercado. É a forma de obter a melhor remuneração, porém é a que apresenta o maior nível de trabalho e de risco.

Conclusão

Portanto, por ordem (menor para maior) de rendimento temos 2, 1 e 3. Por ordem de trabalho temos 2, 1, 3. Já por ordem de risco temos … 2,1 e 3 ? Não, 1, 2, 3. Por quê ? Porque ao escolher a rolagem a pessoa já é conhecedora de como funciona, sabe que “será exercida”. Já quem escolhe o lançamento OTM provavelmente o fez por não querer ser exercido, e esse risco existe. 😉

Os que me acompanham no twitter já sabem qual é a minha opinião sobre a forma por mim escolhida. Costumo falar bastante sobre isso lá.

Se você está em dúvida sobre qual a melhor alternativa a ser escolhida, vamos conversar, quem sabe não possamos te ajudar ?