Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Sell in may and go away ! (v.2022)

Você piscou, já se passaram 17 semanas, 2 Carnavais, e estamos em maio !

E o que acontece em maio … ? Acompanhamento do desempenho da estratégia Sell in may, and go away !! 😀

Já é uma série tradicional aqui do Clube. Desde 2013 fazemos o acompanhamento do índice, através de post e desde 2000 o resultado, para ver se ele respeita a ~regra. 😉

Neste período o desempenho da Bovespa se resume em: 9 quedas, 8 altas e 5 anos de estabilidade.

Como você deve se lembrar, 2021 foi um ano de queda e desempatou a estatística. 🙂

Mas como será em 2022 ?

Alguma pista ?

Assim … Começamos o acompanhamento com um gráfico feio. 🙄

107.876 pontos é o nosso ponto de partida.

Sendo que a região dos 108k é um suporte pra lá de importante ! Se houver a perda, poderíamos ir lá testar a casa dos 100 mil pontos …

A “única” coisa a favor é um IFR socado como o atual.

Então, se estiver torcendo pelo time dos Touros, já sabe onde olhar.

No semanal parece que temos grandes chances de ir lá testar a média de 200 semanas. Testamos recentemente, por duas vezes, antes de iniciar um belo movimento de recuperação. Neste momento, ela está lá casa dos 103k.

E sim, o 108k aparece ali também. 😉

Já no mensal, a coisa ficou feia.

Veja o tamanho da barra de abril/22 … Um marubozu que praticamente engolfa o mês de março. 😯

Então, resumidamente: 108k é a região mais importante de todos os tempos da última semana, ao menos por enquanto, para o Ibovespa. Fiquemos de olho nesta marca e no comportamento do índice enquanto estiver perto dela.

Combinado ? 🙂

Não conseguiu entender direito o que foi dito aqui no post ? Indico que você leia o nosso e-book “Como o Zé ganha na Bolsa“. Solicite o seu, é de graça !!! 🙂

CUIDADO !! Você pode não gostar do resultado dessa IPO …

Pergunta:

Caro amigo, uma questão que para mim é um baita enigma!

Como pode acontecer de uma ação cair e fechar em baixa (senão em sua mínima) em sua estréia (IPO)? Infelizmente já fui vitima desta armadilha: tentei \”flipar\” BBSE3 acreditando que seria uma belezura..tomei foi é um belo de um caldo e a partir do 2ºdia subiu,subiu, subiu…até a casa dos trinta e poucos (o IPO foi por volta de r$ 13 e tra-lá-lá). Se não há ainda um histórico gráfico, um banco de aluguéis consistente ainda na CBLC (assim imagino) e poucos papéis disponíveis para recompra, como pode acontecer?

Pergunto pq este dias tivemos um IPO novo na Bovespa finalmente (Alliar)…e fiquei só manjando…adivinhe o resultado! Se não estou enganado, CVC3 também estreou em queda para depois se recuperar….desta também escapei!

Grato e um forte abraço!
Amauri – Curitiba

Resposta:

Bom dia Amauri,

Muitos já foram vítimas desta armadilha … Muitos já perderam dinheiro por causa disso. Mas … espere um pouco … De qual armadilha estamos falando ?

No caso, me refiro à armadilha criada por um “inconsciente coletivo” que alega que toda e qualquer operação de IPO precisa terminar com uma mega valorização. Um evento sem chances de erro, onde somente a obtenção do lucro parece ser o destino final.

Mas … como bem sabemos … não é bem assim que a coisa funciona. 🙁

Antes de mais nada: saiba que este “vírus” não contaminou apenas o mercado brasileiro de ações. É uma pandemia !! O mundo inteiro foi e é afetado por ele …

Quem (que tenha idade suficiente, hehehe) não se lembra da bolha das .COM, onde ocorriam IPOs onde a alta no dia de estréia superava, em muito, os 100% de alta ? Se não me engano o recorde de alta para o dia do lançamento foi de 600% … 600% !!! 😯

Criou-se um mito de que no dia de estréia, toda e qualquer ação precisa subir. E de preferência subir muito.

Aqui foi igual … 2007, foi o ano que “lançaram” (entre aspas, pois nunca vi realmente entrar em ação …) um filtro anti-flipper. E já sei que muitos perguntarão o que é um “flipper“: nada mais é do que os investidores que entram na IPO somente para aproveitar a valorização do dia da abertura, saindo já nos “primeiros negócios do papel”. 🙂

O desejo de embolsar os lucros que apareciam em cada IPO convidava mais e mais pessoas para adotar a estratégia. As pessoas pediam um valor muito superior ao que podiam arcar, pois sabiam que haveria um corte – devido à alta procura – no tamanho do lote que receberiam. Se tinha R$5 mil para entrar, pediam R$50 mil … E isso acontecia de forma generalizada. Já pensou no risco que isso traz ao mercado ?

Continue lendo …

Qual é a desvantagem do lançamento coberto de CALL ?

Sim, há desvantagem !! Afinal de contas, você só vê as pessoas enaltecendo o lado bons das coisas … Né ?

Que tal falarmos sobre um “problema” do lançamento coberto de CALL ? 😉

Antes de qualquer coisa, o “problema” não é bem um problema … mas você já vai entender isso. 🙂

Não, não é o risco de perda de capital. Afinal de contas, ao lançarmos uma CALL coberta, possuímos a ação na carteira e ela estaria sob a influência da oscilação das cotações. Neste sentido, o lançamento coberto de CALL até ajuda, pois você recebe um prêmio que te ajuda absorver parte da desvalorização do ativo. 😉

O “problema” do lançamento coberto de CALL é o fator “limitação do ganho com o ativo”. Sim, ao lançar um CALL, e recebendo um prêmio por isso, você estará abrindo mão de uma possível valorização do ativo mãe. Você limita o quanto desta possível valorização poderá aproveitar, ao escolher o strike em que fará o lançamento.

Por exemplo: PETR4 hoje está na região dos R$23,50. Se eu escolher uma CALL de PETR4, com strike na região dos R$26, e com vencimento no dia 19 de abril, receberei um prêmio de 30¢ por isso. Isso dá um retorno de +1,28% sobre a cotação do ativo no momento do lançamento. 😉

Então, com o lançamento feito, o que eu já sei de antemão ? Que se a PETR4 estiver acima dos R$26 no dia 19 de abril (dia do vencimento dessa Opção), eu precisarei entregar/vender o meu ativo à pessoa que me exerceu. (que é quem estava comprada na mesma Opção)

E aqui é que entra o fator “limitador” do lançamento coberto de CALL

“acima de R$26” … Isso é MUITO amplo. Concorda ? Pode ser R$26,50 … Mas também pode ser … R$32.

E sim, não importa se a PETR4 estiver valendo R$26,50 ou R$32 no dia do vencimento, eu receberei os R$26 que aceitei na hora em que “firmei o contrato” ao lançar a CALL. Sim … o “problema” é eu vender por um preço conhecido, e estabelecido por mim, num dia conhecido antecipadamente. 🙂

Mas um preço “limitado” … Como eu disse, não importa se o ativo vai estar R$26,50 ou R$32, eu venderei por R$26 e ponto final.

Viu, Zé ! Não vale a pena lançar CALL !! Estarias abrindo mão de um potencial de ganho extra, de 23% !!!

Isso mesmo. E o ponto principal é justamente aquele ali na frase: potencial. É uma possibilidade, uma chance de que se aquilo acontecer, eu “deixo de ganhar”.

E você acredita que MUITA gente deixa de usar essa estratégia, de até mesmo cogitar o seu uso, por conta dessa “possibilidade de deixar de ganhar” ? 🙄

Sim, abrem mão de uma possível fonte recorrente de renda, por conta da possibilidade de não ter acesso a um potencial ganho em caso de explosão do ativo. E um dos pontos mais importantes: enxergam a operação, como uma coisa isolada. Encaram como se fosse algo do tipo “fiquei de fora e nunca mais vou poder voltar”. O que não é verdade … 😉

Além disso, esquecem que “Venda coberta é muito mais do que vender e ser exercido“. Você não precisa fazer o lançamento pensando em ser exercido em todos os lançamentos. Eu, por exemplo, faço justamente o contrário … Tento atrapalhar/evitar, de diversas maneiras, que eu venha a ser exercido. 🙂

Então, o “problema” é esse: limitação do possível ganho. Em contrapartida, você vai recolhendo os prêmios de cada lançamento (e mudando o strike em cada um deles, por que não ?) enquanto o exercício não vem. E quanto ele vier, poderá acontecer em um preço médio muito acima do imaginado inicialmente. 😀

ps: quantas foram as vezes que você já viu um ativo subir 25% em único mês ? Pois é … 😉

Problemas com o uso do STOP ?

placa-de-pare

Antes de qualquer coisa, me responda: Você já teve problemas com o uso do STOP em suas operações bolsa ?

Que tipo de problema ? Colocar no lugar errado, seja muito perto do lugar “certo”, ou muito longe dele. Ou o pior caso: Não ter usado …

Você pode ter certeza, não foi o único que já enfrentou esse problema. Sim, generalizei a resposta, contando com 100% de respostas positivas à pergunta anterior. Por quê ? Porque 100% dos investidores já tiveram problemas ao usar o STOP. Se disser que nunca teve esse problema, me desculpe, você está mentindo. 🙂

O STOP é uma das ferramentas mais úteis para o investidor em bolsa, uma das mais úteis e ao mesmo tempo mais controversas. Útil pois salva seu capital e controversa pois não existe uma forma única de usa-la, existem tantas variações quanto for possível imaginar. Alguns colocam x% abaixo do valor de compra, outros um mesmo tanto em R$ … Outros colocam este percentual ou valor abaixo (ou acima) de um suporte/resistência. Ainda existem os que usam ferramentas de análise técnica para melhor posicionar. São tantas maneiras que é melhor eu não começar a tentar relaciona-las.

Um STOP mal colocado …

Sim, um STOP mal colocado pode trazer muita dor de cabeça. Seja por ter sido colocado muito abaixo de um suporte (ou acima de uma resistência), ou por ter sido usado de maneira precipitada …

Colocado muito longe do ponto “certo” é um prejuízo maior do que era para ter sido … Colocado antes da hora, é um prejuízo que poderia ser um lucro. Qual dos dois é pior ? Difícil de responder … perder dinheiro é sempre ruim.

O pior erro do STOP …

é não ter sido usado. Sim, sem dúvida alguma esta é a pior forma de usar esta ferramenta: Não usando-a. É a pior, a que traz mais prejuízo, a que mais dá raiva – mas rivaliza com o STOP antes da hora, a que mais dói.

Quer ver “dor de corno” maior do que aquela que dá depois de o mercado ter realmente ido contra a sua expectativa e você pensa: “Ah se eu tivesse usado o STOP naquele momento …”

Normalmente ele é mais indicado para quem usa a análise gráfica … mas tenho minhas dúvidas se não é indicado para todos os tipos de analistas. Cada um no seu tempo gráfico, mas com possibilidades de uso bem claras.

Mas quem é o culpado ?

Agora, você quer saber quem é o verdadeiro culpado pelos erros e problemas causados por um STOP mal (ou não) acionado ? VOCÊ ! Única e exclusivamente você !! (tá tá … pode ter dado erro na hora de passar a ordem ou qualquer coisa parecida … mas a priori a culpa é sua !)

Sabe aquele STOP que havia sido pré definido e não foi acionado ?
– “Rompendo tal ponto eu stopo essa operação”

??!!??

Ele já havia sido cadastrado na hora em que a operação foi montada ou você ficou de aciona-lo na hora que viesse a acontecer ? Se ele não foi acionado na hora planejada tenho quase certeza que foi porque você ficou com a segunda opção … estou certo ?

Sabe o que aconteceu ? Seu emocional falou mais alto nessa hora. Foi ele quem disse: “Espera mais um pouco … o mercado vai virar e a sua posição vai se tornar vencedora.” Não foi ?

O emocional é o seu maior inimigo na hora de operar. Na grande maioria das vezes é ele quem te dá uma rasteira … não são nem os tubas nem qualquer outra pessoa … é você mesmo.

Ele é quem te faz achar que está sempre certo. É ele que sempre te dá esperança para achar que todo o resto está errado, e você, como sempre, certo. É ele que te faz achar que mesmo contra sua posição, mostrar que tende a continuar contra, o mercado mudará de rumo e te trará lucro.

Como fugir desse erro ?

Se esse é o seu caso – e digo que é o meu … – a melhor alternativa talvez seja o uso de um STOP automático. Para quem usa Home Broker isso é mais fácil, pois já pode definir logo no início da operação. Para quem opera via telefone … já é um pouco mais complicado. Deixando o acionamento do STOP em modo automático você não será sabotado pela emoção, pois ela normalmente está pouco presente na hora em que tomamos a decisão de iniciar um trade. Normalmente ela aparece quando o negócio já está “dando errado”.

Lembre-se: Quanto menos emocional, e mais racional, for o seu método operacional, maior a chance de lucros.

Pode ter certeza. 😉

O segredo para se lucrar no mercado: comprar BARATO e vender CARO !!

Pode reparar, a maioria dos que revela o “segredo” para ser bem-sucedido no mercado financeiro costuma dizer que é simples: basta compra barato e vender caro.

Sim, aparentemente é simples mesmo … Mas, de que forma identificar quando se está caro ou barato ? 🤔

Neste vídeo eu vou compartilhar contigo a forma que eu faço para identificar estes momentos. O que eu faço ? Quando é que eu compro ou vendo uma ação ?

 

 

Leituras sugeridas e relacionadas:

Suporte e Resistência – O que o Zé faz para ganhar dinheiro na Bolsa de Valores ?

Suporte compra, Resistência vende. Isso tá certo mesmo Zé ??!!

 

Aproveito para te convidar para se inscrever no meu canal no Youtube: www.youtube.com/ClubedoPaiRico

SIM ! Voltei a produzir conteúdo em vídeo para o canal !! 😀