Clube do Pai Rico

Solicite o seu agora mesmo!

“Tem como a pessoa perder mais dinheiro do que possui, com Opções ?”

Pergunta:

Uma dúvida… tem como a pessoa ficar com saldo negativo em opções!? De um exemplo por gentileza! Já ouvi falar que pessoas perderam tudo e ainda ficaram devendo muito dinheiro pra corretora em opções? Acontece?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Rafael ? 🙂

Tem sim … é o risco que sempre falamos, sobre operar de forma alavancada em Opções. E sim, isso é possível de acontecer tanto nas operações de compra, quanto nas de venda … (sendo mais comum nas operações de venda descoberta e alavancada)

Mas Zé, como que é possível de perder mais dinheiro do que usou na compra da Opção ! Isso é impossível …

Sim, seria se a pessoa usasse apenas o dinheiro disponível na conta, para efetuar a compra. Já viu como operam os que fazem daytrade ? Sim … BEM alavancados.

Então, para quem opera normalmente na compra de Opções, o limite máximo de perda é o valor usado na compra delas. Se tem R$1 mil, e usou os R$1 mil nesta compra, o máxima que poderá perder, caso tudo dê errado, são os próprios R$1 mil. Agora, quem tem os R$1 mil, e opera alavancado, como se fossem R$10 mil, por exemplo, e essa Opção vira pó por conta de algum evento inesperado (e sim … pode acontecer, mesmo sendo raro), a pessoa termina o dia devendo R$9 mil. Correto ?

Caso raro … até mesmo porque a maioria das pessoas que atua no daytrade tem o costume de usar STOP e – em teoria – ele impediria isso de ocorrer. 😉

O mesmo problema pode ocorrer com quem opera na venda alavancada, e descoberta, de Opções. A ação pode fazer um movimento mais forte e isso levar a cotação da Opção acima do preço onde as perdas seriam comportadas pelo bolso daquela pessoa.

Agora … isso não ocorre apenas com as Opções !! Isso pode acontecer tanto com quem faz daytrade com ações, futuros e Opções. Operar alavancado traz um risco extra às suas operações.

Ainda existe uma outra possibilidade de vermos alguém perdendo mais dinheiro do que realmente tem. E neste caso, com Opções. Mais especificamente na venda de Opções.

Existem 3 formas de se lançar uma Opção (não sabe o que é um lançamento de Opções ? Leia este post):

Coberta: que é quando a pessoa faz um lançamento de CALL e possui a ação em carteira, na mesma quantidade das Opções que foram vendidas;

Travada: que é quando a pessoa faz um lançamento de CALL ou PUT, dentro de alguma “estrutura”. Ela vende uma Opção mas compra outra (ou outras) em um determinado strike, ou vencimento, diferente da Opção vendida;

Descoberta: que é quando a pessoa faz um lançamento sem ter as ações em carteira para honrar o exercício das Opções, caso isso ocorra.

Na venda coberta, não há risco de perda para o investidor. Já que ele apenas entregará as ações caso venha a ser exercido. Na venda travada, a perda máxima é limitada justamente pela estrutura montada. (podes conhecer um pouco melhor a operação neste post: “Opera com travas ? Abra o olho …“) Portanto, não existe a possibilidade de perder mais do que se determina perder …

Já na venda descoberta …

Para entender melhor o risco da venda descoberta, dê uma olhada no post: “Quais os riscos de trabalhar com a venda descoberta de Opções CALL ?

Mas, como pudemos ver, o principal motivo para a possibilidade de se perder mais do que se possui na corretora, não é o fato de se trabalhar com Opções … O grande problema é a alavancagem exagerada. Seja com ações, Opções, Futuros … Basta usar as coisas do jeito certo, com as ferramentas de proteção adequadas, que você consegue evitar que isso aconteça. 😉

Espero ter te ajudado. 🙂

Abraços !

Aluguel de ações

O estudo acompanhará o desempenho da ITUB4, BBDC4, BBAS3, PETR4 e da VALE3 – carros chefe do Ibovespa. Esta informação poderá ser usada tanto por quem opera na ponta de compra quanto para quem opera na ponta de venda … 😉

Este é um dado que acompanho diariamente, serve para que eu veja o “peso” extra que existe sobre estas ações. Normalmente – veja bem, normalmente … – um aumento na posição alugada pode significar um movimento de queda no papel. E o contrário também é verdadeiro, uma cobertura pode significar um movimento de alta.

Vamos lá !





Comentário: E não é que voltamos aos 100k ? 🙂

Voltamos … Mas a pergunta que realmente importa, é: nos manteremos aqui ? (ou acima ?)

Do mesmo jeito que ontem tínhamos o apoio de alguns indicadores, hoje, eles estão em níveis “exagerados”. 🙄

Vamos ver … Vamos ver …

Exterior até nos ajudaria neste momento, com Europa em alta e futuros americanos também. Até o petróleo opera em boa alta, de +1,5% … 🙂

Então, prepare-se: neste momento, voltamos ao caixote dos 100k/102k !! 😀

Mas, não se esqueça de que estamos na reta final do vencimento de Opções … e isso influencia pacas ! 😉

Fiquemos de olho no comportamento do índice na região dos 100 mil pontos. Isso poderá nos dar algumas pistas do que ele vai inventar em seguida. 😉

 

 

“Sabe quando você trai seu cabeleireiro e depois volta sem graça ? É como estou me sentindo com o @clubedopairico ao ver minha compra de CALLs virando pó. Isso porque, com o método dele, nunca mais tinha perdido dinheiro com Opções.

Wellington Alves – aluno do Double PUT Double CALL e membro do Golden Option

Conheça você também os cursos oferecidos aqui no Clube !! O “Minha primeira vez na Bolsa“, para quem quer começar a investir em ações com o pé direito, sem medo do desconhecido, e o “Double PUT Double CALL” para se aprofundar nos estudos sobre opções e de brinde conhecer o método operacional que uso para rentabilizar o meu patrimônio. 😉

Comprar PUT para se proteger da queda. Até onde levá-la ?

Texto originalmente publicado em junho/2018, mas tendo em vista o atual momento do mercado, achei importante trazer o debate de volta à tona. 😉

—–

Pergunta:

Prezado,

Tenho 4000 ações Petr4. Comprei 4000 PetrS14 para proteger as mesmas contra a alta volatilidade negativa.
Pergunta? Devo esperar até o vencimento para vender as opções e com isso proteger as ações até esta data, já que a PetrS14 tem o Striker de 13,96?

Resposta:

Bom dia Olimpio,

A ideia de encontrarmos proteção contra a queda na compra de opções do tipo PUT é algo extremamente reconfortante. Passa tranquilidade ao investidor justamente nos momentos mais conturbados do mercado, como a atual correção que estamos vivenciando.

Mas … será que é isso tudo que falam ? Será que é realmente lucrativo ? Será que realmente nos protege ?

Ok, sim, é algo que nos protege. Mas até onde ? Até quando ?

Vamos ao seu exemplo: você comprou as S14 a quanto ? Quando ? Se foi quando a PETR4 estava perto dos R$17, deve estar rindo à toa. Se foi com ela nos R$15, provavelmente gastou uma bela grana … não ?

Existem dois “problemas” na estratégia de comprarmos PUT para proteger nossa carteira de uma queda:

#1 Qual PUT comprar ?

Na hora de decidirmos qual opção comprar, levantamos dois problemas: qual deve ser o vencimento escolhido ? E o strike ?

Para que a ferramenta tenha real utilidade, para que não paguemos caro demais, para que o fator tempo não destrua nossa operação, precisamos comprar uma PUT que esteja relativamente longe de onde estivermos no momento que fomos comprá-la.

O ideal é comprarmos uma opção que vença somente daqui 2 meses, ou mais. Que tenha como strike um valor distante da cotação atual em 15%, 20% … Neste momento surge mais um problema: existe liquidez para esta opção ? 🙄

Porque comprar em um vencimento “tão longe” ? Para que o theta não detone a opção com cada dia que passar sem que a ação derreta. Porque comprar com um strike “tão distante” ? Para que o custo da opção não pese no nosso bolso.

Quer ver um exemplo ? Hoje a PETR4 está R$14,50 e a S14 R$0,60. Se comprarmos ela agora, precisaremos ver a ação cair abaixo dos R$13,36 para que ela comece a ter validade no dia do vencimento. Se não for naquela direção você simplesmente rasgou 4% do seu patrimônio neste “seguro”. 🙁

Claro, você não precisa esperar o vencimento para vender está opção. A ideia é justamente o oposto disso … É ter a opção para te proteger de uma queda inesperada e rápida. Mas com o vencimento “grudado” é quase como se tivéssemos que pensar desta forma.

Se você comprar hoje a PUT e a PETR4 continuar caindo, a opção irá se valorizar, não precisando ir até os R$13,36 para que você obtenha lucro. Mas … a opção irá se valorizar num ritmo mais lento que o da ação … sempre. (em termos de R$, ok ?)

E isso nos leva à próxima pergunta:

#2 Quando vender a PUT ?

Seguro até o vencimento ? Vendo na primeira arrancada ? Espero encontrar um sinal de fundo ?

Segurar até o vencimento fará com que você precise que a queda seja ainda maior … Pois naquele momento a “gordura da opção” terá atingido seu menor valor. Quanto mais rápida for feita a venda da opção comprada para o seguro, por conta da velocidade da queda, melhor será o seu resultado. (olhando apenas esse ponto …)

O problema (quantos problemas, hein ?) é que neste momento você irá se perguntar: e se cair ainda mais ?

Quer ver um exemplo ? Vi muitos comprando PUTs quando PETR4 estava na região dos R$24, com strikes em R$21, R$22 e já fizeram a venda no primeiro momento de queda, com o papel nos R$19. Te pergunto: como ficou esse investidor ? Ganhou uma bolada naquele momento, protegeu sua compra ao ganhar R$1 ou R$2 naquela opção comprada, mas e agora com a PETR4 nos R$15 … quase R$5 de queda “extra” … sem proteção alguma … ?

Portanto tenho uma má notícia para te dar: você não encontrará proteção perfeita para a sua carteira com a compra de PUTs. Você conseguirá se proteger de parte da queda, mas não há garantia alguma de que conseguirá se proteger de toda a queda. Infelizmente … 🙁

Na minha opinião a venda da PUT que foi comprada como seguro deverá ocorrer na primeira queda mais “exagerada” da ação subjacente. No momento em que o lucro da compra já se mostrar satisfatório para você. Não existe uma técnica que poderá lhe assegurar tirar 100% de proveito da queda que beneficiaria a PUT.

Seria uma proteção extra, seria uma “mordida” no mercado para lhe gerar algum $$$. Mas a proteção completa … infelizmente não existe.

Você pode levar essa PUT até o dia do vencimento para garantir “proteção total” ? Pode. Mas, se você fizer isso todos os meses, as chances de que você só perca dinheiro com este seguro será quase que de 100%. A ideia é comprar uma proteção barata, distante, para aproveitar oscilações rápidas e “inesperadas”. Se for para fazer isso 100% das vezes … não será tão interessante assim.

Como já falei algumas vezes, eu não sou um grande fã da compra de opções … Prefiro fazer esta proteção através da venda de CALLs. É uma lógica diferente, mas que para a minha forma de operar faz total sentido. 😉

Você limita o ganho caso as ações subam ? Limita … Mas se isso ocorrer eu posso fazer uma outra coisa que os alunos do Double PUT Double CALL já sabem o que é. 😀

Espero ter te ajudado. 😉

Abraços !

ps: não conseguiu entender direito o que apresentei neste post ? strike, vencimento, CALL, PUT, lançar opções … tudo parece grego ? Se for o caso, sugiro que você dê uma olhada no curso Double PUT Double CALL, curso criado por mim para permitir que os interessados no investimento em Opções possam dar o seu primeiro passo. Nele falo sobre tudo isso e MUITO mais, além de compartilhar a estratégia que uso em meus próprios investimentos.