Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Quem determina o spread aplicado pelos Formadores de Mercado ?

Pergunta:

Ze, como funcionaria no caso o preco da opcao?

As vezes vejo em Itausa, que tem formador de mercado, deltas razoaveis entre o preco de compra e de venda de uma put.

Veja o exemplo:

ITSA4 fechou R$ 9.90 dia 19/09/2018

De acordo com o site da B3, temos as seguintes series obrigatorias para os formadores de mercado:

SERIE STRIKE COMPRA VENDA
ITSAV995 9.73 0.27 0.33
ITSAV955 9.33 0.14 0.19
ITSAV975 9.53 0.20 0.23
ITSAV103 10.08 0.45 0.51

O que define esta diferenca? Saberia me dizer?

Resposta:

Bom dia Thiago,

O programa de Formadores de Mercado é algo que dá gosto de ver funcionando. 🙂

Primeiro por sua importante função, a de trazer liquidez ao mercado. Segundo por conta do detalhamento das regras que regem o funcionamento do mecanismo … Coisa de doido !! 😀

É TUDO, mas TUDO mesmo, detalhado. Tanto para os FM de Opções quanto para o de Ações. 😉

Já falamos sobre bastante coisa relacionada ao tema:

– Você sabe quem são os Formadores de Mercado ?
– Zé, esse é um exemplo do famoso “Zé com Zé” ?
– Formador de Mercado para ações !! Yeah !!!!

Você encontrará bastante informação nos posts que indiquei. 🙂

Mas sobre a tua dúvida, especificamente, você poderá encontrar a informação diretamente aqui.

No link indicado há uma planilha onde todas os ativos que são atendidos pelos FM são apresentados, junto às regras que regulam seu funcionamento.

Vamos ao exemplo das opções de ITSA4, conforme tu apresentou. Os strikes trabalhados pelos FM são: ITSAV103 (10.08)ITSAV995 (9.73)ITSAV955 (9.33)ITSAV975 (9.53); quantidade mínima de Opções ofertas: 20.000; spread máximo:

E agora vem a pergunta: é tudo definido, e pelo o que acompanho, respeitado. Por que o spread máximo só está sendo aplicado na V975 ? As pontas (de compra e venda) que você apresentou, estavam sendo oferecidas pelo FM ? (no caso dela é a UBS e a Credit Suisse)

Além disso, neste link, são apresentadas as regras que estabelecem quais são os strikes a serem oferecidos para as opções. Como dá pra ver, eles ampliaram o programa !! 😀

Aqui são as regras antigas (onde a ITSA4 está inserida) … Uma quantidade BEEEEEMMMM menor, né ?

Confesso que fiquei com a pulga atrás da orelha com essa diferença apresentada pelas opções listadas por ti. Hoje vou acompanhar e atualizo mais tarde pra ver se percebi algo de “estranho”. 😉

Espero ter te ajudado !! 😀

Abraços

Double PUT Double CALL: mais um lote promocional está se esgotando !

É com grande alegria e satisfação que venho fazer um comunicado importante para mim e para o Clube. O que obrigatoriamente inclui você. 😀

Nos últimos meses você tem acompanhado a saga do lançamento do meu curso de opções, o Double PUT Double CALL. Curso onde apresento o meu método operacional (que já me trouxe um retorno de 36,95% em 2018), onde ensino tudo o que aprendi nos últimos 20 anos. Todo o conhecimento adquirido, passando por bons e maus momentos. 🙂

Desde o início destaquei que os membros do Clube teriam vantagens neste lançamento. Seja em relação ao preço de aquisição, seja em relação ao fato de terem sido avisados com antecedência, seja por conta do brinde que foi dado aos 100 primeiros inscritos. Um relacionamento de 15 anos precisa trazer vantagens para ambas as partes, hehehe. 😉

Hoje estamos atingimos a marca de 500 alunos que vivenciaram o curso. Todos colocando em prática o que viram nos 6 módulos, nas mais de 40 aulas em vídeo, e recuperando o valor investido na aquisição do Double PUT Double CALL. Mas o mais importante de tudo: deixando para trás um passado “errático” no investimento com opções. Isso não é legal ?? 😀

Como disse, sempre pensei em formas de beneficiar e agradecer aos primeiros alunos. Afinal de contas foram eles os primeiros a confiar na proposta do curso. A minha política em relação à concessão de descontos (como falei naquele post da Black Friday) é um exemplo disso. Quem veio antes merece ter vantagens … SEMPRE !

E isso me leva ao motivo do post de hoje: mais um lote promocional do Double PUT Double CALL está se esgotando !! 😀

Isso, ao atingirmos a marca de 500 alunos, encerramos mais um dos lotes promocionais. O preço especial, oferecido aos alunos que se inscreveram nesta etapa (sim, nesta etapa … ela já é a 3ª), deixará de ser oferecido. O preço de 12x de R$77 ou R$875 para pagamento à vista, deixará de existir e uma atualização o substituirá.

E sim … o novo preço será mais alto do que o praticado atualmente. E garanto que ele não voltará a ser oferecido.

O lote promocional oferecido aos primeiros 500 alunos se esgotou … Mas para permitir que você ainda tenha a oportunidade de se inscrever, garantindo a sua vaga e o preço praticado atualmente, estarei oferecendo as últimas 40 vagas sob essas condições. Serão apenas 40 vagas pelo preço de 12x de R$77 ou R$875 à vista.

Sim … na hora que as 40 vagas se encerrarem, o preço será atualizado e você precisará pagar um valor mais alto para ter acesso à minha estratégia de investimento e aprender a usar as Opções da maneira correta, em definitivo. 🙂

O preço atual será oferecido para as 40 inscrições ou até o dia 30 de setembro, às 23:59, o que ocorrer primeiro. E você sabe o motivo do limite temporal ser esse. 😉

Portando, garanta a sua vaga e passe a usar as Opções da forma correta, a seu favor.

Mais uma vez, MUITO OBRIGADO a você que confiou no trabalho por mim realizado e que já está vendo o método Double PUT Double CALL sendo aplicado na prática.

Como ganhar dinheiro com Opções ? || #1 – Compra de ITM

Você me vê falando muita coisa sobre as maravilhas que o mercado de Opções nos proporciona. As inúmeras oportunidades de ganho ou de defesa do capital. Acredite: existem muitas formas de trabalharmos com as Opções, tanto visando o lucro quanto para protegermos nosso suado dinheirinho.

Hoje vou falar sobre uma forma simples (para não dizer básica) de usarmos as Opções a nosso favor. Uma operação extremamente simples que nos permite aproveitar a valorização do ativo mãe, sem precisarmos envolver todo o capital necessário na aquisição de um (ou mais) lote(s) de ações.

Algo tão simples, mas tão simples … que acaba sendo ignorado e deixado de lado por grande parte dos envolvidos neste mercado.

Acredito que você já tenha ouvido muitas histórias de ganhos mirabolantes originados no mercado de Opções. Pessoas que conseguiram multiplicar seu capital em 10x, 20x, apostando em determinados movimentos. É o famoso “poder explosivo” das Opções, que falei no post “Opções: O que é melhor, rendimento modesto e constante ou uma rara explosão ?“.

Como você bem sabe, não desta forma que eu gosto de trabalhar com elas. As explosões são eventos tão raros que até acertarmos um movimento desses “na veia”, muito dinheiro terá sido perdido em outras tentativas frustradas … (se você ainda não sabe como gosto de operar, veja aqui)

Mas, por mais incrível que possa parecer, a forma de se ganhar com as Opções que apresentarei neste post é extremamente parecida com a adotada por quem vai atrás destas explosões. 🙂

A diferença básica é: mantenha os pés no chão. Não, você não conseguirá multiplicar o capital envolvido na operação por 10x, 20x, mas conseguirá obter ganhos robustos, envolvendo pouco dinheiro.

A forma mais simples e básica de se ganhar com o mercado de opções se baseia na compra de opções do tipo CALL ou PUT, Opções ITM. 😉

Como funciona ?

Como você pode ver no post indicado acima, compramos CALLs quando achamos que a ação atrelada a ela subirá. De forma análoga, compramos PUTs quando acreditamos que ela cairá. Simples assim. CALLs se valorizam com a alta, enquanto as PUTs com a queda.

O que determina essa valorização ? Uma série de fatores … O tempo que resta até o dia do vencimento daquela opção, o quão distante está o strike dela da atual cotação da ação mãe, quão doido o mercado está (estando em período eleitoral você sabe muito bem do que estou falando). São as famosas “gregas” das Opções que guiam e nos orientam nesta hora.

Não, você não precisa falar (ou entender) grego para poder operar com elas. 😉

Compreender o que cada uma destas “gregas” representa, no mundo real, é o que realmente importa. E é isso que passo lá no Double PUT Double CALL: o lado mundo real da teoria, aquilo que é preciso saber para entender e sentir na pele o que um teorema representa. Não temos motivo de destrinchar algo que pode não ser necessário no seu dia a dia. O que realmente importa é compreender o que são e quais os “poderes” delas. 🙂

Bom, retornando ao exemplo de operação, uma forma simples de aproveitarmos a movimentação da ação, com pouco dinheiro, é através da compra de Opções ITM. Como já disse antes.

As ITMs possuem como característica fundamental, uma forte correlação com o movimento do papel mãe, a ação subjacente. Seria algo como: se PETR4 subir 30¢, as Opções ITM dela subirão isso ou algo muito parecido com isso. Quanto mais ITM, mais fieis são os movimentos. Quanto mais ITM, mais perto dos 30¢ seria a movimentação.

Mas onde está a vantagem Zé ?

Vamos a um exemplo ? PETR4 fechou ontem em R$18,50, se hoje tivermos uma alta de 30 centavos, será o equivalente a um lucro de 1,62%. Correto ? Agora, se ao invés de comprarmos PETR4 usarmos uma Opção ITM dela, a PETRI16 (por exemplo), os mesmos 30¢ de alta na PETR4 se transformariam em uma alta de algo próximo a 25¢ para a Opção. Como a compra da I16 foi feita por R$1,92, estes 25¢ seriam o equivalente a um ganho de 13,02% !!

Sim, você não entendeu errado. 🙂

Você trabalharia com uma Opção ITM, que se comportaria de forma MUITO semelhante ao da ação subjacente, obtendo um ganho bem mais robusto do que se tivesse trabalhado com a própria ação. Alavancagem é o nome do jogo. 😉

Trabalhando com uma menor quantidade de dinheiro, você conseguiria obter um retorno mais elevado, pois poderia ter o mesmo lucro literal (em termos de centavos ou reais) que teria obtido se trabalhasse com um lote inteiro da ação, que necessitaria de um capital mais elevado.

Mas Zé, não tem nenhum risco ?

Claro que tem ! Essa é a natureza básica do mercado de renda variável, lembra ?

Da mesma forma que subindo você pode ter um lucro robusto, se cair … É, se cair você também perde mais. 🙁

Além disso, como você já sabe (ou deveria saber …), as opções tem vida útil. Após o vencimento elas deixam de existir. Você não pode comprar hoje e “esquecer” na carteira até que o preço volte ao valor que você comprou. A PETRI16 que usei no exemplo tem seu vencimento na próxima segunda-feira, dia 17 de setembro. Então se você viesse a montar uma operação como a exemplificada acima, poderia mantê-la viva até esta data.

No dia 18 elas teriam sumido da sua carteira e nada mais poderia ser feito …

Estes são os dois principais riscos desta estratégia: as perdas também são potencializadas e o prazo limite para que o cenário que você imaginou/projetou ao montar a operação se concretize.

Não preciso nem dizer que o uso de um STOP bem controlado é fundamental para quem venha a usá-la. Não é mesmo ? 😉

Viu ? Uma operação extremamente simples e que te permite trabalhar alavancado sem a necessidade de movimentos explosivos (e raros) para a ação mãe. 😀

Aproveitando: se o investimento em Opções lhe interessa, conheça o Double PUT Double CALL, o meu curso sobre Opções. Nele apresento toda a teoria necessária para que você possa investir com elas, com segurança, além de compartilhar a estratégia operacional que uso em meus próprios investimento. Confira !

Como anda o sell in may and go away em 2018 ? (agosto)

É … mês de queda para o Ibovespa, -3,21% de queda …

Se iniciamos o acompanhamento de agosto de olho nos 79.220, terminamos com 76.678 estampado na tela … 🙁

O fechamento do mês passado havia marcado o início de uma breve alta. Dos 79k fomos até os 82k, mas a chapa esquentou e mergulhamos até os 75 mil pontos no índice. É … foi um mês de queda mesmo … A alta foi apenas nos 3 primeiros pregões de agosto.

Deixamos a média de 200 dias para trás … mas a LTB continua ali, firme e forte, do nosso lado. Então, teoricamente, ainda estamos em um momento de decisão.

Achou que o período eleitoral seria fácil ? Só porquê em 2014 “foi” ?

Precisamos romper a LTB e pra ficar bom mesmo, os 78.500.

Por enquanto só projeções … mas é onde estou de olho. É no que estou de olho. 🙂

O semanal é que não ajuda muito no quesito esperança …

Com uma baita estrela cadente no gráfico, precisaríamos romper os 78.500 que falei para desmontar esse padrão de correção.

Já no mensal, fizemos a 3ª barra com topos e fundos ascendentes.

Será ?

Fiquemos de olho e com os 76.678 em mente. 😉

Por enquanto o Sell in may and go away vai se confirmando para 2018.

Operações short, como descobrir se elas estão ou não no limite de R$20 mil por mês ?

Pergunta:

Uma outra dúvida, em um caso hipotético de eu ter vendido 22 mil em janeiro (posição short), recomprado 50% (11 mil) em abril e neste mesmo mês de abril eu ter vendido (outros papeis) menos de 20 mil. Neste caso haveria tributo sobre o lucro?

Outra coisa, e os custos de aluguel, taxas e afins, eles entram na conta?

Resposta:

Bom dia Francis, tudo certo ? 🙂

Olha a pegadinha !!! 😉

Ótima pergunta ! Eu nunca vi um exemplo como o da tua pergunta em nenhum material de estudo sobre tributação na Bolsa. Mas não custa nada refletirmos sobre ele e tentar chegar a uma conclusão. Não é mesmo ? 😀

Bom … Se a pessoa vendeu R$22 mil, isso geraria a necessidade de recolhimento do IR sobre o lucro obtido na operação. Se fosse uma recompra única, a situação ficaria bem mais simples … Mas o que pode confundir um pouco é que ela está dividida em duas partes.

Isso nos leva à pergunta mais importante na hora de saber se precisa ou não pagar imposto: o que determina essa necessidade ?

#1 Se há lucro na operação

#2 Se o volume vendido no mês foi superior a R$20 mil

Certo ?

Na hora que foi feita a venda de Janeiro, a Receita receberá um “aviso” de que você fez uma operação que chamaria tributo em sua conclusão. Esse aviso é feito através do recolhimento na fonte de 0,005% do volume negociado, e ocorre somente em operações de venda. 😉

Então a luz amarela deles está ligada, esperando que você os notifique e pague alguma coisa.

Portanto, EU recolheria o imposto de renda sobre o lucro obtido nesta operação de recompra feita em Abril, mesmo com a venda acumulada neste mês tendo sido inferior a R$20 mil.

Digamos que a compra dos outros 50% ocorra em Novembro, então será lá que eu recolherei o restante do IR. 🙂

O que dá um nó na nossa cabeça é o fato de que uma operação de venda alugada inverte a ordem das operações … A venda ocorre antes da compra e isso não é exatamente o que está nos livros, hehehe. 😀

Mas se o fato gerador de obrigação do recolhimento é uma venda superior … e o encerramento da operação ocorre em um mês diferente ao da venda … em teoria era para o lucro daquela operação acionar a necessidade de IR sobre o lucro, não importando se houve vendas no mês de recompra, ou não.

Mas como disse … isso é o que EU faria. De novo: não lembro de ter visto este exemplo em lugar nenhum, o que apresentei aqui foi apenas um exercício de reflexão sobre os eventos. 😉

Já sobre a inclusão dos outros custos operacionais na conta, sim, eles devem entrar na tua contabilidade. 😀

Todos os custos operacionais (corretagem, emolumentos, custo de aluguel, etc) devem fazer parte da formação do teu preço médio. Tanto no PM de compra quanto no PM de venda. 🙂

Mas me diga … você também encararia o evento desta forma ?

Abraços !