Clube do Pai Rico
Participe agora mesmo!


Preparado para as mudanças que os boletos sofrerão em 2017 ?

boleto

Fique tranquilo, aparentemente as mudanças virão para nos favorecer. Ao menos grande parte delas … 😉

A partir de janeiro de 2017 (ao menos essa é a expectativa) um novo sistema de boletos passará a funcionar no país. Um novo sistema que promete ser mais seguro e prático. Tanto para quem paga o boleto, quanto para o banco. É … aparentemente quem emite (a pessoa/empresa que está recebendo o dinheiro através daquele boleto) pagará o pato.

Você sabe como funciona o sistema atualmente ? Existem dois tipos de boleto: os registrados e os não registrados. Os registrados, são aqueles que são … registrados no sistema bancário (no banco onde a pessoa/empresa que receberá o dinheiro tem a conta ligada ao boleto). Neste registro são informados os dados de quem irá pagar e de quem receberá o valor. Fica lá, tudo bonitinho, para uma consulta futura.

Os não registrados são boletos emitidos “na hora” (não consegui encontrar melhor forma de descrever, hehehe) e que só são conhecidos pelo banco na hora em que ele é pago. Literalmente conhecidos, pois os dados ali contidos não estão registrados em local algum, apenas na folha de papel onde o boleto foi imprimido.

Claro que tudo isso tem um custo … Me lembro que da última vez que vi isso, o custo de um boleto registrado era 50% superior ao de um não registrado. É … tudo tem um custo. 🙁

Como dito, isso é o que temos hoje. Quem gera o boleto é quem escolhe a forma com que irá atuar. É ela quem define se usará a forma registrada ou não registrada. E é justamente isso que vai mudar.

A partir de agora, somente boletos registrados !

Sim ! Esta é a principal mudança pela qual passarão os boletos. Nada mais de boletos “fantasma”, que só aparecem na hora em que são pagos. A partir de janeiro de 2017, todos os boletos precisarão ser registrados junto à plataforma bancária. O que é bom !

Por que é bom ? Simples: a partir do momento em que estiverem cadastrados em um sistema único, você não terá mais problemas para quitar uma fatura em atraso. Como os dados do boleto estarão disponíveis no sistema, qualquer banco será capaz de atualizar os dados do mesmo e efetuar a cobrança. Acabou aquela novela de precisar ir a um determinado banco somente para conseguir pagar um boleto atrasado. Ou então aquela epopeia que muitas vezes se torna a impressão de uma 2ª via. 😉

Além disso, com os dados do boleto “na nuvem(já que todo mundo gosta de usar o termo a toda hora, por que não ?), será impossível pagar 2x um mesmo boleto. Na hora que você for efetuar o pagamento, o sistema identificará que ele já foi pago e com isso te impedirá de pagá-lo novamente. 🙂

Mas uma das melhores e maiores promessas da mudança é a tentativa de acabar com os golpes via boleto. Quem nunca recebeu um boleto pirata ? Quem tem um site na internet costuma receber ao menos um por ano … São “empresas” que se fantasiam de Registro.br (a responsável pelo controle do registro de domínios no Brasil) e tentam arrancar uma bela grana de quem não consegue verificar o golpe. Se apresentam como se fosse um boleto referente ao domínio, mas nas letras miúdas oferecem um serviço de hospedagem.

Com o registro antecipado do boleto, ficará mais fácil identificar o golpista e com isso impedir a propagação do esquema.

Para o cliente, nenhuma mudança real

A promessa é que nós, que usamos os boletos para pagarmos nossas contas, não sentiremos mudança alguma no uso do sistema em si. As únicas consequências seriam as vantagens apresentadas acima. Mas … será mesmo ?

Será que não sentiremos no bolso ? Afinal de contas, a forma registrada é mais cara do que a não registrada …

Ok … Ok … Ok … Grande parte dos boletos que já pagamos atualmente adota o modelo registrado. Acredito que as contas de telefonia, energia elétrica, internet, etc etc etc, já faça uso do registro. Provavelmente somente as “pequenas coisas” são pagas com boleto não registrado. (tentei encontrar um dado referente a isso, mas nem sinal dele … Sorry !)

Será que eles conseguirão absorver este custo extra ? Ou será que os bancos farão isso ?

Dizem que é isso que acontecerá. Graças à economia que terão por impedir os golpes, e consequentemente o ressarcimento que precisa ser dado à vítima, os bancos teriam condições de arcar com a mudança. Você acredita ? Eu não … mas tudo bem.

Acho que será repassado e ponto final. Acho até que corremos o risco de ver as tarifas sofrerem uma elevação, afinal de contas o sistema atual de registros precisará ser ampliado e isso terá um custo. Não ?

A parte boa é que a forma com que são construídos não sofrerá alteração. Portanto os sistemas de pagamento atual (leitores de código de barra e ferramentas de internet banking) não serão afetados. 😀

A partir de janeiro de 2017

A partir de janeiro de 2017 o sistema entrará em ação. Mas apenas boletos com valores acima de R$50 mil terão que adotar o novo modelo.

A ideia é que com o passar do tempo o valor limite vá diminuindo, até chegar no final do ano com todos os boletos no modelo com registro. Lembra que estratégia semelhante foi adotada para a substituição das transferências DOC pelas do tipo TED ? 😉

A mudança me agradou, tirando a parte de que provavelmente pagaremos um pouco mais caro … Alguém conseguiu encontrar algum motivo de preocupação que eu não tenha visto ?