Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Chamada de Margem: o maior pesadelo do vendido …

Muitos pensam que o maior problema para quem tem uma posição vendida se chama “alta”, pois bem … ela acaba sendo o motivo do problema, mas o que tira o sono de muito vendido chama-se “chamada de margem“.

Sempre que você faz uma venda, seja de uma ação alugada, ou de uma opção (descoberta ou travada), a CBLC – que é a responsável pelo controle do nível de risco do mercado brasileiro – faz uma chamada de margem. Eu já havia falado um pouco sobre o tema no post “Como ganhar com ações quando o mercado cai ?“, mas tendo outro ponto como foco.

Você já pensou em ter uma posição montada, no caso na ponta de venda, e se vê numa posição nada cômoda de, ao receber um telefonema da sua corretora, precisar injetar mais dinheiro na conta ? É … na compra não tem destas coisas, você compra o dinheiro que tem disponível e ponto final, mas na venda, de ações ou de opções (descobertas), existe …

Um dos motivos para muitos defenderem o uso da operação de venda de opções chamada “trava” é justamente esse: não correr o risco de haver uma chamada de margem que acabe quebrando suas pernas, além é claro de entrar na operação já sabendo qual pode ser o valor máximo a ser perdido. Mas acredite … muitos vão pela margem, não pelo nível de risco … 😯

São momentos como o atual, onde a Petrobras resolveu andar em 2 semanas o que não fez nos últimos meses, em que temos os maiores “sustos” para os vendidos. Graças à forte oscilação, os cálculos da CBLC podem apontar mudança de nível de risco no papel e isso faz com que uma dose extra de margem seja chamada. Dependendo do nível de alavancagem do investidor a coisa pode ficar feia …

“Ah, mas basta lá zerar a venda e pronto …”, pode ser a resposta de alguns. “Sim”, poderá ser a resposta a eles, mas nem sempre a coisa é tão simples. O investidor pode ter feito os cálculos para ver seu nível máximo de risco, fazendo a previsão de quanta margem será chamada para o caso de termos a ação subindo até determinado ponto, tudo certo. Porém, como disse, na hora que mudam as variáveis de mercado – uma arrancada muito forte, por exemplo – as contas mudam e o valor “x” que era preciso para honrar a operação passa a ser “x+30%”. E se no momento em que este novo valor for pedido, a sua previsão (e disponibilidade de caixa) era de “x+15%” para o ponto onde o mercado estava ?

Acredite … muitos investidores sofrem com este problema. Acredite … muitos investidores quebram com este problema. Mas é este “problema” que traz uma dose extra de equilíbrio para o mercado e o protege de certas hecatombes.

Outro “problema” pode ser uma mudança no desconto que a CBLC aplica às ações que o investidor usa como margem. Exemplo, até algum tempo atrás o desconto que era dado para quem usasse PETR4 como margem era de 8%. Hoje este desconto subiu para 20% ! … 😯

Atualizando: hoje está em 24% ! (11/04/2014)
Atualizando: hoje está em 30% ! (13/04/2015)
Atualizando: hoje está em 20% ! (16/08/2015)
Atualizando: hoje está em 30% ! (01/02/2016)
Atualizando: hoje está em 40% ! (01/02/2017)
Atualizando: hoje está em 35% ! (04/06/2017)

Explicando melhor: você tinha uma carteira com as ações ABCD3, que valiam R$100.000,00 no mercado. Estas ações, se usadas como margem em sua operação de venda, eram recebidas pela CBLC como se valessem R$92.000,00 (8% de desconto), mas “de uma hora para a outra” – o intervalo normalmente não é tão curto, mas pode acontecer … – esta mesma carteira passasse a valer, para a CBLC, apenas R$80.000,00. Se valia R$92k, e agora passou a valer R$80k, você precisará entregar à CBLC os R$12k que faltam …

Portanto, se pretende operar vendido, fique sabendo (se ainda não sabia) que precisará deixar uma determinada quantia na forma de margem de garantia. Saiba também que a fórmula que determina este valor poderá oscilar, dependendo das condições do mercado. Saiba também que se der preferência pelo uso de suas ações como margem, elas também poderão sofrer oscilações.

Se não quer correr este tipo de risco, não faça venda de ações (alugadas) ou opções descobertas. Se não quer correr este tipo de risco, venda somente opções cobertas ou vendas travadas. No caso da venda coberta, não há chamada alguma de margem, o próprio papel servirá para esta finalidade. Já no caso da venda travada, você já sabe exatamente qual será o valor que o mercado chamará de margem, e mesmo em situações mais complexas este valor não muda.

Ps: sim, fui surpreendido por uma chamada esta semana. 🙁

Mas para os torcedores de plantão, não, (ainda) não quebrei. 😉