Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

O que é esse tal de Follow-on ?

De uma hora para a outra um novo termo tomou conta das notícias e informativos do mercado.

Do nada surgiu (e se repetiu muitas vezes) o termo Follow-on. Tenho certeza que você já viu ! 😉

Indo ao site da B3, o que temos sobre o termo ?

 

Oferta subsequente de ações – Follow-on

As ações de uma empresa podem ser ofertadas ao público em uma quantidade determinada por meio de um processo disciplinado por lei e regulamentado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Esse processo compreende várias etapas, que vão desde o levantamento das intenções do mercado a respeito das ações que serão ofertadas até a negociação delas de fato.

Quando uma empresa faz sua primeira oferta pública de ações, essa operação recebe o nome de IPO (Initial Public Offer). Mas se ela já tem o capital aberto e já realizou IPO, as novas ofertas são denominadas subsequentes (follow-on).

Então, um Follow-on, nada mais é do que uma nova oferta de ações de empresas já listadas em Bolsa.

Simples assim. 😀

Ah ! O Follow-on pode ter duas finalidades: trazer mais dinheiro para a empresa que está lançando ações, ou trazer dinheiro para o bolso dos acionistas. É, essa é a diferença entre oferta primária e secundária. 😉

Oferta primária – acontece quando a própria empresa é a vendedora das ações. Neste caso, há um aumento real do capital social da empresa com emissão de novas ações e os recursos resultantes da venda são canalizados para o caixa da empresa e utilizados em investimentos, financiamento de projetos ou outras necessidades.

Oferta secundária – acontece quando um ou vários acionistas, que podem ser controladores da empresa ou não, colocam seus papéis para a venda. Como são ações já existentes, não há qualquer modificação no capital social da companhia. Neste caso, os recursos financeiros resultantes da venda são canalizados para os acionistas vendedores e não para a empresa.

Portanto, na próxima vez que ouvir, ou ver, o termo Follow-on sendo usado, já sabe que não é nada mais do que uma (nova) oferta de ações ao mercado.

Quais as funções deste tipo de oferta ? Ajuda a aumentar a liquidez das ações no mercado, permitir investimentos para financiamento de projetos ou outras necessidades (sem a necessidade de recorrer a empréstimos/financiamentos) ou simplesmente permitir que um acionista (detentor de uma posição “um pouco maior”) possa capitalizar sua posição. 🙂