Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

O que o Zé faz para ganhar dinheiro na Bolsa de Valores ? (III)

Como falei em outras oportunidades, entrei na bolsa há mais de 10 anos, em pleno “oba oba” da bolha da Nasdaq. Era uma “maravilha”, era só comprar – qualquer coisa, literalmente qualquer coisa – e aguardar. Lucro certo, e o melhor de tudo “garantido”. Mas como nada dura para sempre …

O começo de verdade !

Com o estouro da bolha, a estratégia comprar, aguardar e lucrar, foi para o espaço. As coisas não funcionavam mais dessa maneira. A técnica do “Pô, esse papel já caiu muito, tá barato, tá na hora de comprar” foi pro beleléu … As coisas haviam mudado, a técnica agora era comprar, aguardar e rezar para que o preço – ao menos – volte ao seu 0x0 … Era o meu primeiro choque de realidade com a Bolsa de Valores.

Me lembro claramente de quais ações tinha em carteira no momento “chave” do movimento: PLIM4 e TCSP4 – respectivamente NET e Brasil Telecom (hoje Oi). Lembram ? Era a bolha da tecnologia, nada mais natural que alguém que não sabia de nada se entupisse de ações de empresa desta área. Afinal eram elas as queridinhas do mercado. Nossa … PLIM4 mesmo deu muita dor de cabeça … e tenho certeza que não foi só em mim …

Com o fim da época da alegria, os lucros sumiram. Surgiu o melhor consolo que existe para quem está com uma posição perdedora: “Ah, não tive prejuízo não … é só virtual, ainda não fechei a posição” …

Nada do que eu fazia dava certo, afinal eu só podia comprar e rezar. Nada mais.

Não, nada mais não, era hora de mudar isso …

Indo atrás de conhecimento

Era hora de eu ir atrás de conhecimento, era hora de eu me informar sobre diferentes formas de operar, diferentes métodos operacionais.

O engraçado é que nunca cogitei partir para o lado da análise fundamentalista, no mínimo estranho, afinal o primeiro livro que li, ligado ao tema investimentos, foi a biografia de Warren Buffett, não era para ser “natural” que eu partisse nesta direção ? Li sobre o melhor exemplo que poderia ter encontrado sobre o assunto, e mesmo assim não me interessei … acredito que a minha ligação com o lado gráfico das coisas tenha me levado tão facilmente para a análise gráfica. Se teria sido melhor eu ter seguido o outro caminho ? Não tem como saber … o “se” não pode fazer parte do nosso vocabulário nestes casos. 🙂

Era o início das atividades dos primeiros Home Brokers, e eles disputavam os clientes no “tapa”, a quantidade de mini cursos e palestras oferecidos por eles era enorme. Em todo o Brasil encontrávamos disponibilidade. Tudo bem que eram superficiais, mas serviam para despertar o interesse dos investidores. E aproveitei todas as oportunidades que surgiram.

O primeiro evento foi com Márcio Noronha. Uma verdadeira aula. Em poucas horas ele contou a sua história de vida. Tudo o que passou na bolsa, como operou, como ganhou, como perdeu (onde é que vi algo parecido … hehehe), e para fechar com chave de ouro, apresentou seu método operacional. Basicamente era: Comprar no rompimento de uma resistência e Vender no rompimento de um Suporte. Engraçado … ele falou aquilo, mostrou exemplos, mas sabe quando uma coisa não parece ser a correta ? Foi assim para mim, olhei, pensei … e acabei não adotando.

Em seguida surgiu o homem que “abriu minha cabeça” para o mundo real da bolsa de valores. “Cara, larga de ser trouxa, tu não precisa só comprar ! Tu podes tanto comprar quanto vender !!” Nathal, o cara que me apresentou Fibonacci e Candles. Falou que as operações de compra deveriam ser feitas quando as coisas estivessem baratas, e as de venda quando tivessem caras. Aquilo serviu como uma luva para mim. “É lógico que tem que ser assim !”.

Esse cara foi quem me ensinou muito do que sei hoje, mantive contato com ele por muito tempo, conversar com ele era fantástico. Te trazia para a realidade do mercado sempre que você tentava “bobear”. E é claro, foi a estratégia que usei desde então: Comprar barato e Vender caro. Durante muito tempo operei olhando somente os padrões dos candles, e nada mais. Comprava assim, e para sair usava Fibonacci. (fiquem tranquilos que os dois assuntos serão bem detalhados em dois textos da série)

Sempre adquirindo mais experiência

O resultado era bom, mas sentia que poderia sempre melhorar. Continuei participando de outros cursos, sempre que surgia uma oportunidade lá estava eu. E graças a isso é que hoje consigo operar de forma tão tranquila. Vi muita coisa, conheci muita gente, ouvi MUITAS experiências reais. Vi um lado do mercado que é pouco falado, o lado que tento insistentemente trazer para vocês. Mas durante algum tempo nada de muito novo me foi apresentado. Até que …

Nada de novo … eu já devia ter encontrado o “método perfeito” (e nesse momento entendi que não existe método perfeito, sempre existem coisas novas que podem melhorar o seu), até o dia em que fui convidado a participar do curso que seria ministrado por um americano em SP. Joe Ross. Um senhor com – provavelmente – seus 65~70 anos, se não me engano do Texas. Vocês não imaginam como foi bom … as histórias que ele contou, desde de sua primeira operação até os dias de hoje.

Foi um curso “relativamente caro”, R$ 2.000,00 por um final de semana com ele. Não era aula particular, hehehe, era um auditório com bastante gente por sinal. (os que são mais antigos aqui no Clube devem se lembrar que fiz a divulgação deste curso)

Durante o curso Joe Ross deu uma verdadeira aula de bolsa. Apresentou seu método operacional, deu muitos exemplos, perfeito. Mas o que me chamou mais a atenção foi um ponto em especial. Só isso e o curso já teria valido a pena, ele serviu para me dar aquele tradicional “estalo”, quase um “Eureka !”. Havia identificado um ponto que não levava muito em consideração na hora de operar. Sabe quando um pequeno detalhe, pequeno de verdade, faz toda a diferença ? Um curso que durou um final de semana inteiro se resumiu em um único e pequeno detalhe: Espere a confirmação do movimento. Este foi o ponto que faltava para eu encontrar e “fechar” o meu atual método operacional.

Nunca se dê por satisfeito

O mais importante para um investidor que deseja ser bem sucedido em seus trades se resume nisso: Nunca se dê por satisfeito. Nunca ache que seu método é perfeito, tenha a certeza de que ele sempre poderá ser aprimorado. Esteja sempre disposto a adquirir mais conhecimento. Aproveite todas as oportunidades que surgirem. (Sempre que possível …)

Como no caso do curso de Joe Ross, foi apenas um pequeno, minúsculo, detalhe. Mas que hoje faz total diferença nos meus trades. O índice de acerto subiu exponencialmente depois que passei a adota-lo em meu método. Quem sabe você também não está precisando encontrar um pequeno detalhe que virá a fazer total diferença em suas operações ?

Esteja aberto a novas experiências. Aprenda a ouvir as histórias de outros operadores, aprenda com eles. A vida de um investidor, como a vida de qualquer pessoa, é marcada por mudanças. Esteja preparado para mudar. 🙂

Abraços ! E acompanhem semanalmente a série. Aconselho a todos que assinem o Feed RSS e o Twitter, pois desta forma serão sempre avisados quando um novo texto for publicado.

Outros textos desta série:

Um resumão de tudo o que já passei

Não sabendo de nada, segui os outros …