Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Pergunte ao Pai Rico ||| 376

Pergunta:

Pai Rico,

Estou com uma dúvida em qual decisão financeira devo tomar nesse momento da minha vida. Mesmo lendo todos os seus artigos.

Há um ano atrás, eu e minha esposa (somos novos, 27 anos) compramos nosso primeiro imóvel e tínhamos como meta quitar ele o mais rápido possível. Ainda temos 80 parcelas do financiamento para quitar, porém nosso objetivo é finalizar em apenas 48 parcelas. Atualmente essas parcelas correspondem no máximo a 30% de nossa renda líquida e temos o costume de guardar mais uma média de 20% todo mês para ir abatendo o financiamento.

Estamos agoniados querendo investir, mas a pergunta é: devemos concentrar 100% de nossos esforços para abater toda a dívida do financiamento ou podemos começar a investir aos poucos (depois de um colchão de segurança)?

Obrigado.

Resposta:

Bom dia Daniel,

Realmente, o financiamento imobiliário pode ser encarado, muitas vezes, de uma forma diferente dos outros empréstimos/dívidas já abordados aqui no site. A sua situação, muito provavelmente, seja diferente da apresentada em outro “Pergunte ao Pai Rico”, com uma dúvida da Maíza.

O principal motivo ? A taxa de juros aplicada ao empréstimo/financiamento/dívida. 😉

Como já falei, na imensa maioria dos casos, é mais vantajoso você usar o dinheiro extra para abater/quitar uma dívida já existe. Afinal de contas será muito difícil encontrar um investimento que te renda o valor equivalente ao aplicado no empréstimo. Normalmente a taxa do empréstimo é bem superior ao do seu investimento.

E é ai que o financiamento imobiliário pode diferenciar. Por exemplo, tenho um que é corrigido em 8,5% + TR anualmente. A TR está próxima de 1,5% ao ano, portanto o meu financiamento é atualizado em 10% ao ano. Um investimento em renda fixa que me renda 12% ao ano (já tirando o IR), não valerá a pena ? 🙂

A regra permanece sendo a mesma: se você consegue obter uma aplicação que te renda mais do que é pago de juros no empréstimo, o adiamento na quitação é válido. Se não consegue, adiantar o máximo possível é a melhor alternativa.

Claro, existe aquela pressão para que acabemos o mais breve possível com aquela conta mensal, que incomoda tanto, que encerremos o financiamento para que o imóvel seja 100% nosso … Mas se o lado financeiro da coisa foi levado em consideração, a conta precisa ser feita e só depois a decisão pode ser tomada.

Infelizmente esse pode não ser o seu caso, pode ser que a sua taxa seja mais alta e que ao fazer as contas a antecipação se mostre mais vantajosa … Somente a comparação entre custos e rendimentos é que mostrará qual será a melhor alternativa. E como é apenas uma simulação, fazer contas “por cima” acaba facilitando as coisas.

E de novo: a briga entre o bolso e a satisfação de quitar o empréstimo será grande. A tentação então … nem se fala !! 😀

Espero ter lhe ajudado !

Abraços !