Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Tenho um financiamento imobiliário, posso migrar minha conta para serviços essenciais ?

Nos últimos anos, com o boom visto no mercado imobiliário, foram muitas as pessoas que recorreram ao financiamento imobiliário (mais vantajoso que outrora) para efetuar a compra da tão sonhada casa própria. Os motivos para recorrerem a tal ferramenta são vários: falta do capital necessário para fazer o pagamento no ato da compra, custo do capital oferecido via financiamento mais conta do que o retorno oferecido por suas aplicações em renda fixa, ou somente o medo de uma descapitalização mais forte por causa do forte desembolso.

O motivo não importa: a indústria do financiamento imobiliário cresceu como nunca. Surgiram escritórios especializados na intermediação para a liberação dos contratos, onde os interessados procuravam estas empresas que faziam a “ponte” entre comprador e os bancos, indicando a documentação necessária (e muitas vezes mostrando os caminhos mais fáceis) para a obtenção do crédito. Vimos um início de briga entre os grandes bancos, liderada pelos estatais (Caixa e Banco do Brasil), mas seguida de perto por alguns privados (Santander chegou muito perto de brigar em pé de igualdade com eles).

assinando um contrato

As taxas eram muito competitivas. Como disse, em alguns casos eram inferiores às oferecidas por aplicações tradicionais em renda fixa. Para você ter ideia, o meu financiamento (feito na Caixa) tem uma taxa de juros de 8,5% (+ TR) ao ano. Uma aplicação que me renda 100% do CDI me garante uma rentabilidade superior ao que gasto com a parcela do financiamento. 😉

As conquistas das batalhas

Muitas vezes, a guerra das taxas tinha como principal objetivo a conquista de um novo cliente. Era muito comum vermos as pessoas abrindo uma conta em determinado banco, apenas para fazer uso das atrativas linhas de crédito imobiliário. Foram muitas e muitas pessoas que iniciaram um novo relacionamento apenas para obter o financiamento.

E o que acontece com isso ? Os bancos ganham “duas” vezes: com as taxas de juros do financiamento em si, e com a boa e velha taxa de manutenção de conta … Sim, um dos motivos para atraírem novos clientes é por causa do interesse dos bancos em outras fontes de captação.

Muitas vezes a conta era usada somente para o financiamento em si. Mas com o passar do tempo, os novos clientes começavam a fazer uso do cartão de crédito que lhes era oferecido … de uma linha de crédito pessoal … de um investimento da casa. Além disso, existem as ofertas casadas. Quer você queira, ou não, mesmo sendo proibida, esta é uma prática comum. Por exemplo, quando fechei o meu contrato, existia uma taxa que precisaria ser paga por mim. Neste momento a gerente me sugeriu adquirir um Plano de Previdência Privada da Caixa. Se eu fizesse isso, com o mesmo valor que pagaria pela taxa, estaria isento do pagamento em si, podendo resgatar o capital depois de 1 ano de aplicação. O desembolso ocorreria de qualquer jeito, mas fazendo isso eu teria como recuperá-lo mais a frente.

Em outras situações, as pessoas que abrem uma conta em um novo banco, exclusivamente para ter direito ao crédito imobiliário, seguem seus planos à risca: usam apenas para o pagamento das parcelas mensais do financiamento. Nada mais …

E neste momento surge uma dúvida muito interessante: posso migrar minha conta atual, onde há o pagamento da taxa de manutenção de conta, para um do tipo serviços essenciais ? Se você não está lembrado, esta é aquela conta oferecida gratuitamente pelos bancos

Sim, sair de uma conta que lhe tira um determinado valor, todos os meses, para ir para outra que não lhe cobra nada. Num cenário onde as parcelas existirão por muitos e muitos anos, esta é uma conta muito interessante para se fazer. Por exemplo: num financiamento de 30 anos (360 meses), o comprador do imóvel financiado precisará desembolsar, apenas com a taxa de manutenção da conta do banco (que não tem relação direta com o financiamento contratado), “irrisóriosR$9.000,00 !! (assumindo que seja uma conta com tarifa mensal de R$25,00, o que é um valor normalmente encontrado)

Isso sem levarmos em conta as correções que o valor sofrerá no decorrer destes 30 anos …

Sim, você gastará R$9.000,00 sem necessidade alguma ! 😯

Sim, você pode sair da sua conta e ir para a serviços essenciais !

Ao contrário do que o gerente da sua conta tentará lhe provar, você pode sim solicitar a migração da sua atual conta, com cobrança mensal de taxa de manutenção, para a conta de serviços essenciais (gratuita) oferecida pelo mesmo banco.

Não existe nenhuma vinculação entre o crédito já concedido e a permanência em determinado tipo de conta. O que importa é que você continue dentro do banco … só isso. Por exemplo, você poderia ter adquirido seu crédito imobiliário em uma conta VIP do seu banco, onde normalmente são oferecidas taxas mais interessantes, e depois migrar a mesma conta para uma agência tradicional, ou até mesmo para a de serviços essenciais. A única coisa que aconteceria este caso de migração, é que você abriria mão das comodidades e facilidades oferecidas pelo segmento de alto padrão.

O crédito, bem como as condições de contratação dele, não sofrerá mudança alguma. Permanecerá valendo aquilo que está no contrato que você assinou. E é isso que importa. 🙂

Nada muda, até mesmo porque o seu financiamento permanecerá sendo cobrado na mesma conta (mesmo número de conta) que era cobrado até então, via débito automático. (normalmente é um pré requisito exigido pelos bancos na hora da contratação do serviço de crédito) Caso você não saiba, o uso do débito automático (para contas de luz, telefone, TV a cabo, etc) é permitido nas contas do tipo serviços essenciais. De graça. 😉

Esse é um direito seu, por mais que o seu gerente tente lhe mostrar que não é possível, muito menos “permitido”.

Vá até seu banco, peça para falar com seu gerente de conta e diga: “Bom dia, gostaria de migrar a minha conta para uma do tipo serviços essenciais“. Simples assim. 🙂

Só um detalhe: não se esqueça que na conta do tipo serviços essenciais não existe nenhum tipo de “cheque especial”. A partir do momento em que você fizer a migração para lá, perderá o “benefício”, a “rede de segurança” que tal coisa lhe gera. Você precisará ter o dinheiro na conta (transferido da sua conta “oficial”) no dia em que o débito ocorrer. Pois, senão, a multa pelo não pagamento lhe morderá seu bolso em um valor muito superior aos R$25,00 economizados.

Ficou com receio agora ? Pense apenas em quantas parcelas do seu financiamento poderão ser pagas com estes R$9.000,00 economizados … Acho que o medo já passou. Não ? 😀

Se o post de hoje lhe foi útil, não deixe de indicá-lo para outras pessoas ! (use nossas ferramentas de compartilhamento: a barra na lateral esquerda, ou os dois botões logo ali no canto inferior direito)

() – Você que tem um financiamento imobiliário pode estar rasgando R$9000 neste momento. Como evitar?

 
 
 

Atualizando: alguns leitores informaram sobre a existência de uma cláusula em alguns contratos, indicando que se houver o cancelamento da conta, do limite (cheque especial) ou do cartão de crédito haverá, como consequência, a perda do direito de um desconto na taxa aplicada ao contrato, aumentando desta forma o valor gasto nas parcelas mensais. Portanto … leia o seu contrato antes de efetuar a migração. 🙁