Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Zé, quanto custa para se criar um Ativo Digital ? Quanto você gastou/gasta ?

Está lembrado que há algumas semanas eu falei sobre como foi o processo de criação dos meus cursos ? Naquele post falei sobre como e porquê criei o Double PUT Double CALL e o Minha 1x na Bolsa. No final do post perguntei se vocês gostariam de saber quais foram as ferramentas que usei para tirar a ideia do papel e trazê-la ao mundo real.

E agora, cá estamos. 😉

Sim, hoje falarei sobre o que usei para criar os cursos, quais as ferramentas usei e ainda uso, e quais os custos envolvidos em todo o processo de criação, divulgação, comercialização dos cursos.

Mas antes de dar continuidade, um aviso importante se faz necessário:

Existem inúmeras formas de se fazer uma mesma coisa. Existem “infinitas” ferramentas disponíveis, dos mais variados tipos e custos. Umas mais caras … outras mais baratas. Umas mais simples … outras mais complexas. Umas mais famosas … outras nem tanto.

O que apresentarei hoje serão as que eu usei. São as melhores ? Não sei … Mas foram as que usei. 😉

Portanto, se você conhecer uma alternativa ao que for apresentado, sinta-se à vontade para me falar. 😀

Vamos lá ?

Como os cursos são em vídeo, algumas necessidades específicas surgem. Se fosse apenas um e-book, um simples editor de texto (como o Google Docs, gratuito) seria mais do que suficiente. Para os vídeos precisei de um programa para a edição de vídeos. Dei preferência pelo Camtasia, que já conhecia de outros “carnavais”.

Programa de uso simples e de custo relativamente acessível. Você pode comprá-lo diretamente no site da empresa, por U$249.

Sim … quase R$1 mil.

Além disso, durante a gravação das aulas fui recebendo o feedback dos alunos e alguns comentavam sobre o áudio delas, que a captação poderia ser melhorada. Buscando entregar sempre o melhor, procurei por um microfone de qualidade e que pudesse atender as minhas necessidades. Escolhi o Blue, da Yeti. Ele é simplesmente sensacional ! Áudio limpo, perfeito e praticamente uma peça de decoração, hehehe.

Pode ser encontrado na Amazon Brasil por R$1.399. Sim … existiriam milhares de alternativas, mas foi esse que escolhi.

Como as aulas são apresentadas com a o auxílio de slides, precisava de um programa do estilo Power Point, o Apresentações (do Google Docs) ou o Keynote (da Apple). Como uso um PC, o Keynote não seria uma opção. Poderia ter usado o do Google Docs, gratuito ? Sim … Mas o Power Point tem uma função específica para a gravação de vídeos com os slides/apresentação. Simples, extremamente simples, que me pouparia horas e horas de edição.

Adivinha qual foi o escolhido ? 😉

Licença anual do Office 365: R$299

Sendo o curso em vídeo, precisaria de um local para a hospedagem deles. De tudo o que li, a indicação padrão era a de que poderíamos usar o Youtube … Mas se possível, evitar isso. O ideal era dar preferência por uma plataforma profissional, paga, como o Vimeo. U$240 (anuais) de custo.

Pronto ! Os vídeos já podiam ser gravados (uso a própria webcam do PC ou do iPhone), com áudio de qualidade, depois de serem preparados no Power Point, editados no Camtasia e hospedados no Vimeo. Gasto de R$2.300 (único) e R$1.150 (anuais).

Para o gerenciamento do conteúdo do curso, a plataforma onde as aulas são organizadas e apresentadas, usei uma ferramenta disponibilizada pela Hotmart, que é quem faz a venda propriamente dita do curso. A plataforma é oferecida gratuitamente. 😉

Por falar em Hotmart e a venda dos produtos, a empresa cobra uma taxa de 10% sobre o valor do produto. Sim … eles “ficam com 10% do que eu ganho“. E pelo ótimo serviço por eles prestado, é mais do que justo. 😀

Falando em 10% do que eu ganho … é esse o valor aproximado que fica com o governo. Sim: impostos. Aproximadamente 10% fica pra eles.

Só nisso o valor da venda já fica em 80% do total.

Existem outros custos ainda, pois são ferramentas e serviços que fazem parte do dia a dia do negócio.

Hospedagem do site: R$49/mês

Você precisará ter um site para que a apresentação do seu produto seja feita.

MailChimp: R$150/mês (U$45)

Você deverá ter uma ferramenta que permita que você envie os e-mails de contato com os interessados no seu produto. Esta ferramenta lhe permite criar uma lista de contatos, onde poderá trabalhar de forma automatizada com eles, realizando o primeiro contato e fazendo a apresentação do seu produto. Além disso ela também serve para que você emita avisos específicos, como um lançamento, promoção ou algo do tipo.

Hello bar: R$50/mês (U$15)

É a ferramenta que faz o anúncio que você, volta e meia, vê aqui no site. No lado inferior direito da tela.

Ela te dá inúmeras alternativas de como apresentar os anúncios e é mais do que indicado. 🙂

Ele tem uma versão Free que atende grande parte das nossas necessidades. Conheça aqui.

Contabilidade: R$600/mês

É … 🙁

Facebook ads: R$1.200/mês

Você precisará fazer com que as pessoas que ainda não te conhecem, te conheçam. E você precisará usar de anúncios para que isso ocorra.

Atualmente, a melhor (e mais simples) forma de fazer essa divulgação é através do Facebook/Instagram.

Você pode não usar nenhum tipo de anúncio pago ? Pode … Mas isso fará com que as coisas demorem um pouco mais para acontecer. Sem o apoio dos anúncios o seu crescimento pode vir a ser mais lento do que o desejado. Encare como um investimento, e não um gasto propriamente dito. 😉

Se assustou ?

Como eu disse no início: sim, seria possível fazer tudo isso de forma praticamente gratuita, sem gastar nada. Se fosse apenas um e-book então … 🙄

A diferença de uma ferramenta paga para uma similar de graça, é que, provavelmente, a sem custo te trará mais trabalho braçal … (como o exemplo que citei do Power Point)

Da mesma forma que poderia ter sido feito gastando menos, poderia ir mais longe … Contratando alguém para realizar as gravações dos meus vídeos, sua edição, criação das páginas do curso, usando uma ferramenta de gerenciamento que fosse paga, aumentando a verba de publicidade, adquirindo uma câmera profissional, etc etc etc

O que importa é que você pode começar dentro de qualquer realidade. Se tem pouco para investir, comece usando as ferramentas gratuitas, quando puder, invista um pouco no negócio com a melhora de algum dos itens. O que realmente conta no seu produto é a qualidade do conteúdo apresentado, as informações, o conhecimento compartilhado.

Mas o maior investimento, sem sombra de dúvida, e praticamente impossível de ser contabilizado, é o custo de aprendizado que você teve para adquirir o conhecimento que será apresentado em seus produtos digitais. No meu caso, quantos livros, cursos, STOPS, anos e anos de experiência, foram precisos para que os meus cursos pudessem ser criados ?

Agora me diga: você tem algum plano, ainda no papel, de criar um ativo digital ?

Zé, como você fez para criar os seus ativos digitais ? Como criou os seus cursos ?

Pergunta:

Grande Zé da Silva!

Boa noite!

Olá Carlos, tudo bem?

Me chamo Diego, acompanho seu trabalho desde 2013, quando estava procurando referências sobre o livro e tive a grata surpresa de encontrar seu blog.
De lá pra cá, aproveitei muito de todas as informações disponibilizadas!
Muito obrigado e parabéns!

Desejo muito sucesso na sua carreira!

Desde 2013, também, comecei minha carreira na Caixa e como já vinha do ramo bancário (HSBC) consegui pegar a manha do jogo e crescer um pouco mais rápido que o normal e hoje sou gerente de uma agência no interior de Mato Grosso em Campos de Júlio (bem interior… 7 mil habitantes kkk), considerando que se manter em alta performance nesse ramo por muitos anos a fio, sem sofrer um infarto tem a mesma probabilidade de conseguir acertar na Mega (rsrs) sempre mantive um plano B de carreira…. Ali, encubado tomando forma.

E é aí que reside minha dúvida!

Se possível, você poderia me pontuar o que você achou das estratégias utilizadas nos lançamentos do seu curso mais recente (vantagens, desvantagens, desafios, resultado superou as expectativas) ?
Você fez algum curso (Ex.: Fórmula de lançamento)?

Porque a pergunta? Estou fazendo o curso (FL) juntamente com minha esposa, temos projetos voltados para área comportamental, enfim, e por acompanhar o blog a muito tempo, tenho muito respeito pela sua opinião e seus comentários.
Então, se não for me intrometer demais, gostaria de saber qual sua opinião sobre as minhas dúvidas.

Grande abraço,
Até mais!

Obs.: Parabéns pelo lançamento do curso de opções, só não me inscrevi ainda pois estou com prova marcada para o CEA e foco está total lá.

Resposta:

Bom dia Diego, tudo certo ? 🙂

É bom ver que o pessoa das antigas continua acompanhando o trabalho. Me mostra que as coisas continuam no caminho certo ! 😉

Interessante a tua história ! A maioria simplesmente ignora a necessidade de um Plano B para o caso de algum problema ocorrer. Ainda mais quando atingem um ponto mais alto em sua área de atuação. A maioria quando chega no topo se acomoda e fica lá … “desfrutando” das vantagens e benefícios por ele proporcionados.

Um Plano B é fundamental para toda e qualquer pessoa. Seja para um caso realmente de emergência, para o caso de apenas “encher o saco” do que se está fazendo, ou um lado muito importante … Uma fonte de renda extra que servirá para abastecer sua carteira de ativos e permitir que seus investimentos cresçam em um ritmo um pouco mais acelerado. 🙂

O ramo dos ativos digitais me atraia faz bastante tempo … O Clube, por exemplo, completa 15 anos agora em março. É um tempo considerável. Não é mesmo ? 😉

Neste período vi muita coisa, experimentei muita coisa, desisti de algumas coisas (hehehe). Sempre tentando aprender mais e mais, sempre tentando melhorar um pouco mais a cada dia. E em 2017 resolvi dar um “próximo passo”.

Além de publicar um texto diário aqui no site, achei que já era hora de criar um curso onde eu pudesse compartilhar de forma mais organizada, direta e rentável, todo o conhecimento e experiências que vivenciei em meus últimos 20 anos de mercado. Era chegada a hora de atender aos pedidos de inúmeros leitores que me pediam por um curso que pudesse lhes permitir investir em Opções da mesma forma que eu vinha investindo nos últimos anos.

Alguns queriam saber qual era a “fórmula mágica” que me permitia obter ganhos acima da média. Outros queriam somente aprender a usar as Opções de forma que pudessem abandonar um passado de perdas (por utiliza-las do jeito errado). Já um menor grupo queria apenas ver o que eu dizia que fazia para quem sabe poder falar: “Viu, eu dizia que era impossível obter tal retorno em Bolsa !

Confesso que relutei durante um bom tempo em criar o curso. Pensei no trabalho que me daria … tanto para criar o conteúdo, quanto para atender a todos os alunos que porventura viessem a se matricular. Quais seriam os tipos de dúvidas que surgiriam ? Como “nivelar” a turma para que todos tivessem reais oportunidades de aprendizado e de adoção do método ?

Uma batalha das boas, diga-se de passagem. 🙂

Mas em 2016 conclui que estava na hora. Sim, 2016 ! Decidi que naquele momento buscaria um curso que pudesse me orientar, da melhor maneira possível, na criação do meu curso.

Poderia ter buscado toda a informação que estava espalhada na web e não gastaria nada com isso ? Sim, provavelmente poderia … Mas sabia que isso me tomaria MUITO tempo, tanto em questão à busca do conteúdo propriamente dito, quanto em relação ao conteúdo duplicado que precisaria analisar para obter o conhecimento desejado e necessário. É o tipo da economia que não se justifica, sabe ?

Além disso, eu sabia que o verdadeiro “pulo do gato” dificilmente seria compartilhado de forma gratuita. As pessoas que o conhecem tiveram que investir anos e anos de estudo, ou ainda mais diretamente, muitos e muitos milhares de reais para conhecê-lo.

O curso que escolhi foi o “Férias Sem Fim” do Bruno Picinini, pois já conhecia o trabalho dele e gostava muito do conteúdo por ele oferecido. O curso tinha duração de 2 meses e ele apresentava realmente TUDO o que era preciso saber para se criar um produto digital.

A pessoa ainda não sabia o que fazer ? Um e-book ? Um curso em vídeo ? Não sabia qual seria o tema ? Sem problema ! O curso ajudava o aluno a descobrir. Como criar o produto ? Como negocia-lo ? Como divulga-lo ? Tudo presente no curso.

Uma das coisas mais importantes, pra mim, ao fazer o curso, foi ver que algo que me fez adiar o projeto por muito tempo, a necessidade de algo “hollywoodiano“, não era realmente necessário. Que eu poderia fazer algo relativamente simples (em termos visuais), sem a necessidade de grandes produções (o que traz mais trabalho e gastos), desde que o conteúdo – que é o que realmente importa – fosse de qualidade superior.

As aulas do “Férias Sem Fim” foram concluídas em março de 2017 e o Double PUT Double CALL foi lançado em 17 maio. Sim, o levantamento da pauta e a preparação do conteúdo levou aproximadamente 2 meses. Sendo que usava somente os feriados, finais de semana, e um pedaço (pequeno) da noite dos dias de semana, para a criação dele.

Quando lancei, imaginava que poderia conquistar 100 alunos. Para a minha surpresa essa “meta” foi atingida na semana de lançamento. !! 😀

Hoje o curso conta com 375 alunos que participam ativamente das aulas e do grupo criado para a troca de experiências via Telegram. Sim, em apenas 9 meses atingimos essa marca impressionante !! 🙂

Mas não parei nele … Vendo as dúvidas dos alunos, e dos interessados em se matricular no curso, surgiu a necessidade de algo mais básico, mais introdutório. Surgiu a oportunidade de criar o Minha 1x na Bolsa. Lançado em outubro de 2017 e com 134 alunos no momento, ele foi criado para servir de porta de entrada aos interessados no investimento em Bolsa mas que não encontravam a orientação necessária para criar a coragem necessária para dar o próximo passo.

Com 509 alunos no total, me sinto imensamente gratificado por todo o trabalho que venho realizando nestes últimos 15 anos. 😀

Sendo o mais transparente possível, verdadeiro, sem “apelar” para estratégias que possam enganar os interessados, sempre mantendo a mesma linha que tornou o Clube o que ele é e que atrai tantos leitores que acreditam e confiam no meu trabalho. 🙂

O mais legal dessa área é que aprendemos um pouco mais, aprendemos uma coisa nova a cada dia. Seja algo para ajustar algum detalhe do que é feito naquele momento, ou então algo que pode vir a melhorar ainda mais os resultados. São tantas ferramentas disponíveis … Tantas estratégias e formas de se pensar …

Se você quiser, posso preparar um outro texto falando sobre as ferramentas e aplicativos que usei e uso para a criação do curso e das campanhas de divulgação. Basta deixar um “eu quero” nos comentários !! 😉

Para terminar, gostaria de compartilhar 2 depoimentos de alunos do Double PUT Double CALL e que me enchem de orgulho por ter criado algo que vem permitindo que (literalmente) centenas de pessoas mudem sua forma de encarar o mercado, que vem permitindo que eles obtenham retornos acima da média, com uma ferramenta tão “arriscada” quanto são as Opções. 🙂

 

 

 

No mais, só posso dizer MUITO OBRIGADO a todos os que vêm me permitindo fazer algo que amo e que me e impulsiona a ir cada vez mais longe, a ajudar cada vez mais pessoas. 😀

É um bom negócio abrir uma factoring ?

Pergunta:

Abrir uma empresa Factoring, é um bom negócio?

 

Resposta:

Bom dia Cesar,

Se eu acho que abrir uma empresa de factoring é um bom negócio ? Olha … vamos pensar juntos e olhar pelo lado da necessidade do serviço e da oportunidade de negócio ? 😉

Como é bem sabido por todos, o Brasil enfrenta uma grave deficiência na área do crédito praticamente desde sempre. Seja por conta das altas taxas de juros aplicadas por quem oferece as linhas de crédito, ou por causa da “mão fechada” na hora de escolher quem pode ou não pode obter crédito.

É um item de extrema necessidade para qualquer país que deseja (e precisa !) crescer. E como sabemos … não é algo que tenhamos no Brasil. Não ao menos do jeito que gostaríamos que fosse. Não do jeito que precisamos que seja. 🙁

Em muitas situações, conseguir uma linha de crédito é tão difícil quanto ganhar na loteria.

Ok … existem linhas oferecidas por órgãos estatais (leia este livro que pode lhe ajudar com isso) e que deveriam ser de fácil acesso para todos. Mas, que nas mãos do povo lá de cima, acaba sendo usado como ferramenta política. Somente os amigos do rei conseguem acesso. Ou então, através de formas não tão corretas …

Mas voltemos à factoring. A área de atuação deste tipo de negócio não é justamente esse ? Oferecer crédito para empresas que precisam dele ? Se existe uma deficiência no mercado, não seria uma boa oportunidade de negócio ? BINGO ! 😉

Sim, eu acredito que seja uma boa oportunidade. Claro, como toda oportunidade, tem seus riscos. Cabe ao interessado analisar o mercado onde pretende atuar (a região), os potenciais clientes, as formas conhecidas de se proteger contra os golpes que costumam ser aplicados, etc etc etc.

Continue lendo …

Ferramentas que vão mudar a forma como você gerencia sua empresa

 

Gerenciar uma empresa nunca é fácil, entretanto você precisa saber que existem ferramentas capazes de te auxiliar nessa difícil tarefa. As opções são inúmeras, mas separamos alguns modelos para você conhecer e mudar a realidade da sua empresa.

São inúmeras funcionalidades, desde gerenciamento de documentos, até organização e-mails e tarefas, para manter a organização você precisa de um software que guarde, gerencie e mensure tudo que está acontecendo ao seu redor.

Pensando nisso, nossa equipe separou três tipos de software indispensáveis para gerenciamento de empresas.

Software ERP

Um velho conhecido das indústrias de médio e grande porte, agora esse modelo foi adaptado também para as microempresas e empresas individuais. Esses softwares organizam e integram tudo na sua empresa, dados e processos em um único sistema, essa forma de gerenciamento ajuda muito na hora de tomador decisões estratégicas para o futuro da empresa, é possível com ele visualizar a empresa como um todo, facilitando na hora de fazer alterações, corrigir erros e melhorar setores.

Algumas vantagens da utilização do ERP são:

– Redução de custos;
– Otimização dos fluxos de informação;
– Redução do tempo dos processos gerenciais;
– Melhoria do controle das operações da empresa;

Para mais informações acesse: http://sistemaserp.org

Software financeiro

Os softwares financeiros vão aposentar as suas planilhas no excel. Na maioria das vezes o software financeiro está localizado na nuvem, ou seja, pode ser acessado de qualquer dispositivo, como tablete, telefone e até o notebook em qualquer lugar do mundo com acesso à internet, assim a localização não é importante, várias pessoas podem acessar ao mesmo tempo de diferentes lugares. Este tipo de software vai facilitar a visualização de dados financeiros, emissão de notas fiscais e documentos fiscais em geral.

Com uma boa gestão financeira através deste software você vai organizar melhor a sua emprese, desde as datas para pagamento de contas, até separar melhor os custos fixos de custos variáveis e montar um planejamento de metas financeiras geral para o seu negócio.

Software BPM

Tecnologias de gerenciamento de processos estão cada vez mais acessíveis para micro e pequenas empresas. Este tipo de software vai ajudar você a mapear e monitorar o andamento dos processos da sua empresa do início ao fim.

Com esse monitoramento a sua empresa pode alcançar uma melhoria na entrega de tarefas e projetos, desde a qualidade na execução até a data em que ele é finalizado.

Para mais informações acesse: http://www.heflo.com

O uso de softwares para pequenas empresas ainda é algo novo no Brasil, mas garantem facilitar o gerenciamento da sua empresa, vale a pena conferir e testar!

*Daniel Belalian é especialista em Marketing Digital; SEO; Curadoria de conteúdo; Planejamento; Blogs; Métricas e Inbound marketing

Livros ||| Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto

Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto girado pq
Que momento mais propício para lermos algo com este título, não ? 😉

Com uma crise de grandes proporções – considerada por muitos a maior do último século, e me refiro somente ao ambiente interno !! – as empresas sentem tudo o que acontece e sofrem para manter suas portas abertas. Muitos empresários se perguntam o que fazer para manter seus negócios vivos, crescendo, gerando empregos e ajudando na recuperação das coisas ? Muitos dizem não saber, pois vêem suas portas se fechando conforme os pilares econômicos vão caindo, um seguido do outro.

Mas há um seleto grupo de empresários que conseguiu sobreviver, crescer e “se multiplicar”, mesmo em terreno tão estéril quanto o brasileiro para as empresas. Ervas daninhas, pragas, e um bando de corvos que sempre atacam as plantações, levando parte da produção para si próprios …

Como muitas empresas conseguiram crescer em um cenário tão adverso quanto o nosso ?Sonegando impostos ? Abusando de seus funcionários ? Usando o famoso “jeitinho” brasileiro para pegar atalhos que as levasse ao pote de ouro no final do arco-íris ? Ou trabalhando com afinco, com boas ideias e bons produtos que pudessem destacá-las da concorrência ?

“Nunca vi tanta gente junta !”

No livro “Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto” temos um apanhado de entrevistas e histórias, separadas por tema (como nasceu a empresa, como conseguiu se capitalizar, como escolheu os sócios, a parte legal dentro da empresa, como ganhou dinheiro, como se destacou no mercado, etc etc etc), que ajuda o leitor a conhecer um pouco de cada empresa ali apresentada. Mas acima de tudo: que faz com que o leitor encontre um leque de estratégias que deram certo e que podem ser copiadas em seu próprio empreendimento.

Claro ! Copiar o que funciona é válido e está dentro das regras. (só não vale copiar o produto ou serviço, hehehe) Usar uma estratégia que deu certo, que já se mostrou vitoriosa, é o caminho mais seguro (na maioria das vezes …) para que você também encontre o sucesso.

São tantas empresas, dos mais diferentes ramos, que você certamente encontrará um exemplo útil para você. Isso sem contar com fatos e eventos mais do que interessantes, como quando a Mandic publicou um anúncio na capa da Folha de São Paulo para anunciar seu serviço, que era concorrente da própria Folha com o UOL.

Confesso que senti falta de histórias e da participação de exemplos mais antigos. Na grande maioria foram apresentados somente casos mais recentes. Um dos poucos exemplos mais antigos fica por conta do Pão de Açúcar …

Uma leitura bem interessante, daquelas que te prende, e que te faz devorar um livro com mais de 400 páginas em poucos dias. Indico para você que gostaria de ver um pouco de esperança no futuro nacional, e não somente o mar de problemas que nos cerca … 🙁

Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto

Nota do Site:
4 Moedas

Como fazer uma empresa dar certo em um país incerto

Editora: Elsevier
Ano: 2005
Edição: 1
Número de páginas: 432
Acabamento: Brochura
Formato: Médio

Compre seu livro no Submarino