Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Pergunte ao Pai Rico ||| 243

Pergunta:

Boa tarde, Pai rico.

Tenho 23 anos e a pouco mais de 1 ano poupei +/- 30% do que recebo para começar meus investimentos.
Acontece que está difícil continuar com isso, não estou encontrando mais motivação (isso que faz pouco tempo).

A questão é que estou juntando e investindo. Ok, perfeito! Mas isso é um ciclo quase que infinito!!
Como/quando poderei comprar um carro? Uma moto/casa/etc? Pensando do ponto em que quanto mais tenho, melhor a rentabilidade, nunca vou poder comprar essas coisas no curto/médio prazo(10 anos).
Ex: Juntei X e não vou poder comprar um carro, porque acabaria com tudo que juntei e a rentabilidade que esse dinheiro gerava. Ou juntei X e não poderei comprar uma casa.
Pessoas próximas compram motos, carros, casas, fazem viagens e eu continuo investindo..

Já li que pode existir premiações. Ex: Juntei X e vou usar 5% de X para me presentear. Mas continuo sem motivação, porque precisaria de 500k para poder comprar um carro popular pelado. E tem outra, como comprar um carro popular pelado sabendo que tenho 500k?

Havia pensado em dividir o que guardo: 15% para compra de alguma coisa e 15% para investimentos. Achei melhor, mas diminuí muito o lucro no longo prazo.

Você(s) já passou(aram) por isso? Estou pensando de forma errada? Se o pessoal com mais experiencia puder dar uma luz, será de grande ajuda.

Abraço!!
Greiston


Resposta:

Bom dia,

Antes de mais nada, parabéns, parabéns, parabéns. 🙂

Sim, 3x parabéns. Motivos ? 1) Começando cedo a entrar nos eixos; 2) Reservando uma bela fatia do seu orçamento para os investimentos; 3) Por estar enfrentando o problema – um dos que mais lhe mostra a realidade das coisas – que mais acaba com os planos de um equilíbrio financeiro adequado. Por não apresentar resultados imediatos, manter o ânimo e determinação para levar o processo adiante se torna um problemão para muita gente, daqueles de dar dor de cabeça de verdade. (ao menos é uma dor de cabeça por um problema “bom”, hehehe)

Acredito que este problema seja ainda maior para quem é mais novo, como no seu caso. Você vê seus amigos “crescendo” enquanto você fica “patinando”, afinal estamos numa sociedade altamente consumista e o mostrar/aparentar é mais importante do que o ter. Percebe a diferença ? Você tem o dinheiro necessário para comprar tudo aquilo que seus amigos estão comprando, na verdade mais … pois está investindo a grana e vendo o bolo aumentar; mas já que não pode comprar e “mostrar que tem” acaba se decepcionando. Não é exatamente assim que você se sente ?

Sei que todos os que estão lendo esta resposta, todos os que tomaram a decisão mais acertada de suas vidas – tomar às rédeas de sua vida financeira – passaram por este momento crucial, onde uma decisão pode mudar (literalmente) o rumo de sua vida. Muitos seguiram adiante, pois colocaram na balança os custos e os benefícios de cada uma das possibilidades, e não têm do que reclamar. Já o caso contrário … lembra que falei do fator tempo ? Pois então … é normalmente ele que fará você ver o erro e se arrepender … 🙁

Claro, acumular por acumular e acumular e acumular não te leva a nada, muito pelo contrário ! Acumular por acumular apenas te traz este sentimento: “Será que o que estou fazendo tem justificativa ?” … O acumular e acumular e acumular precisa ser baseado em um planejamento ! Coisa do tipo: “Quando atingir R$500k comprarei um carro de determinado modelo e quem pagará por ele será o rendimento dos meus investimentos.” ou “Quando atingir R$1 milhão comprarei uma casa na praia !”, todo esse tipo de coisa precisa fazer parte do seu planejamento !

– “O quê ?! Esperar acumular R$500k para comprar um carro !? Tu tá doido cara ?!” Não, não é isso … o carro dos R$500k é “aquele carro”, hehehe. Se você determinar que precisa de um carro hoje, a aquisição dele precisará estar em seu orçamento, mas sem deixar de lado a fatia dos investimentos.

E veja, estes itens não fazem parte do “Objetivo atingido, Prêmio conquistado“, muito bem lembrado por você ! Os prêmios devem ser “menores”, uma viagem, um eletrônico, uma jóia … tudo adquirido com os rendimentos dos seus ativos. 😉

Sei que é difícil … mas leve o seu plano adiante, no futuro você se agradecerá por ter feito isso ! Inclua os objetivos a serem conquistados – além do dinheiro em si – em seu planejamento de longo prazo, isso acelerará as coisas ! 😀

Sobre a possibilidade de “rachar” o orçamento, meio a meio, entre investimentos e “supérfluos” … não sei se é a melhor escolha … Se fosse algo mais parecido com 25% para investimentos e 5% para os extras, até poderia ser … 😉

Veja, você está querendo dar o mesmo valor aos supérfluos que está dando ao seu futuro ! Por exemplo … você prefere ter uma moto agora ou ter a tranquilidade de enfrentar um problema deste tipo no futuro ? Será a sua determinação (e continuar seguindo o seu atual plano) que te livrará da dor de cabeça que isso pode lhe gerar …

Vai por mim, mantenha o seu plano atual, destinando uma parcela pequena destes 30% aos “extras”. Dentro de 5 anos essa decisão estará rendendo frutos, muitos frutos. O esforço terá valido a pena. 🙂

Abraços !

Ps: de que forma – já pedindo desculpas pela intromissão … – você gasta os outros 70% ?


Envie sua dúvida ao Pai Rico*:

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Seu twitter

Sua dúvida

(*) – Pai Rico é apenas um personagem fictício. Na verdade as respostas serão formuladas pelos membros da equipe do Clube do Pai Rico