Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Barbell em prática !!

É hora de começar a colocar em prática as ferramentas de proteção que citei no post da semana passada (O que o dia 18 de maio de 2017 mudou em você ?). Afinal de contas, o inesperado não avisa quando vai chegar … 😉

Como falei naquele post, o evento do dia 18 precisa fazer com que todos reflitamos sobre nossas estratégias. Por mais episódios parecidos que já tenhamos visto, a cada “repetição” temos um novo insight. Seja por estarmos mais maduros, por termos mais conhecimento, por termos mais experiências, ou somente por termos sido apresentados a algo diferente. 😀

Por exemplo: nos circuit breakers de 2008 eu ainda não conhecia a estratégia barbell, apresentada por Taleb no excelente “Cisne Negro“. Mas agora, eu já havia sido apresentado a ela … Mas “achei que não era preciso”.

E, por sorte, não foi mesmo. 🙂

Mas … e se tivesse ? Além disso, a adoção da estratégia barbell nos traz um lado “oportunidade de ganho”, e não somente o lado “proteção” mais difundido no mercado. Sim, me refiro à estratégia de comprar opções – PUT – distantes (tanto no preço quanto no vencimento) para proteger uma carteira de ações.

A estratégia “pura e simples” que vem sendo divulgada é essa: compra-se uma PUT distante da cotação atual e que vença em alguns meses. Desta forma você estaria protegendo sua carteira de ações contra um possível movimento de queda mais forte.

 

Isso é barbell ?

Sim … Ao menos uma parte é. 😉

O barbell clássico de Taleb poderia ser adotado com a compra de opções distantes. Mas nos “dois lados da balança”. Tanto PUT quanto CALL. Você estaria se protegendo (ou se preparando para aproveitar …) de movimentos nas duas direções.

Ao comprar a PUT você protege a carteira contra uma forte queda.

Ao comprar a CALL você protege a carteira contra uma forte alta.

Calma … “proteger a carteira contra uma forte alta” ? Mas … por quê ? Simples: você não precisa operar apenas na ponta de compra. Lembra ? Quem conhece minha estratégia de investimento (a que estou apresentando no curso Double PUT Double CALL) sabe que opero tanto nos movimentos de alta quanto nos de queda.

Portanto … não seria interessante eu me proteger das duas possibilidades ? 😉

Claro !! A operação que pretende ganhar com a queda estaria protegida pela compra de CALL, enquanto a operação que pretende ganhar com a alta estaria protegida pela compra de PUT.

Mas … Lembra que falei que o barbell seria uma boa estratégia para proteção e de oportunidade de ganho. Pois então …

 

Não estamos posicionados 100% do tempo !

No dia a dia do mercado, acabamos não estando posicionados 100% do tempo. Ao menos é o que acaba acontecendo muitas vezes. Ficamos aguardando um sinal de entrada em determinada operação para que possamos atacar na jugular. 😉

Agora me diga: quem nunca ficou “olhando para o teto” ao ver uma movimentação no mercado, na direção que esperava, mas sem ter conseguido entrar na operação que estava sob observação ? Quantas vezes ? 🙄

E se eu disser que o barbell poderia te ajudar nesta situação ? É … se você mantiver um barbell ativo “24/7” em sua carteira, estes movimentos esperados, mas perdidos, poderiam ser aproveitados. 😀

E é justamente isso que estou me preparando para fazer. Irei comprar PUT e CALL distantes para “proteger” e “aproveitar” algum movimento mais forte do mercado.

Sim, comprarei as duas … mesmo se estiver somente vendido ou somente comprado. Ou se não estiver nem comprado, nem vendido …

O GRANDE problema desta estratégia poderá ser o custo dela para a carteira … Por quê ? Pense que você decide fazer um barbell perpétuo, sempre balanceando a distância (preço e tempo), para estar de acordo com a situação atual do mercado. Quando dá certo, e existe uma movimentação a seu favor, tudo é uma maravilha. A opção do lado certo irá se valorizar, mas a do lado errado estará gerando prejuízo …

Da mesma forma que o stradlle, a expectativa é a de vermos o lado certo subindo com mais força e velocidade do que o lado errado.

Mas e se o negócio “nunca” andar a seu favor ? Perda nas duas pontas …

– “Mas Zé, você precisa se lembrar que as duas compras estão agindo como um seguro para a sua carteira de ações …“.

Sim, um seguro. Que se for usado, você agradecerá … Mas e se não for ? Com o passar dos meses poderá ir minando seus rendimentos …

O problema é justamente esse: como equilibrar as coisas ? Até onde é justificável ? Até quanto ? ($$$)

É isso que passarei a testar a partir de hoje ! 😀

Estarei escolhendo uma PUT e uma CALL de PETR4, que esteja distante ao menos 3 vencimentos, com um preço 15% à frente. Pretendo começar leve … no máximo 1% da posição será usado na compra das opções. 1% para a CALL e 1% para a PUT.

Por que opções de PETR4 ? Porque é somente com ela que venho operando … Se fosse outra carteira, o meu alvo seria diferente ! Simples assim …

Acredito que 2% da carteira não fará tanta diferença em relação ao ganho já registrado por ela em 2017 (30,77% até agora). Até mesmo porque 2% é o rendimento obtido em um mês em que “praticamente tudo” dá errado para ela. 😉

Se você está interessado em conhecer a minha estratégia, a Double PUT Double CALL, te convido a se inscrever em meu curso. Nele eu falo sobre tudo isso que foi dito no post de hoje, ou melhor: tudo é explicado detalhadamente nele. 😀

2% é “pouco” … O problema (e meu principal receio) é em relação a necessidade de precisarmos ficar renovando o seguro constantemente … De quantos em quantos meses precisarei refazer a posição do barbell ? Precisarei ? 1% da carteira será suficiente para proteger e aproveitar um possível movimento de maior intensidade ? …

Somente a observação e a experiência prática serão capazes de responder a estas perguntas. E é o que pretendo responder a partir de hoje. 🙂

Caso queira se juntar ao grupo, sinta-se à vontade. Será um prazer aprender junto com você, além de ter a possibilidade de compartilhar o que já aprendi em meus quase 20 anos de mercado. 😀

Mas me diga … Você já adota uma estratégia semelhante ?