Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Quando a esmola é demais, até o santo desconfia …

Pergunta:

Fala Zé da Silva! Grande homem!

Sou um entusiasta das opções, mas ainda estou com dúvidas sobre algumas operações. Teve uma oportunidade que eu vi e eu não acreditei porque era boa demais para ser verdade. A oportunidade foi a seguinte:

– Compra da ação: 10.66
– Venda de call com strike de 10.18: 0.99
– Compra de put com strike de 10.18: 0.25

Nas minhas contas, isso é um lucro certo de 0.26 (2,4%), independente de para onde o mercado for. Fiz minhas contas assim.

Se no vencimento ficar igual ou acima de 10.18, a call é exercida, vendo minhas ações e não exerço a put: 10.18 + 0.99 – 0.25 – 10.66 = 0.26.

Se no vencimento ficar abaixo de 10.18, a call não é exercida e exerço a put, vendendo minhas ações: 10.18 + 0.99 – 0.25 – 10.66 = 0.26.

0.26/10.66 = 2.4%.

Isso aí está muito bom para ser verdade. 2.4% (fora custos e impostos) sem risco??? Pode isso, Zé? Onde está o meu erro?

Abraços!

Resposta:

Opa ! Tudo certo Edward ? 🙂

Hoje quem vai responder ao questionamento são os leitores. Uma espécie de exercício de reflexão para ver se está tudo certo com os conceitos. 😉

Pessoal, olhando os dados fornecidos pelo Edward, o que você responderia ?

Lembrando: quem lança/vende uma CALL tem a obrigação de vender/entregar o papel; quem compra uma PUT tem o direito de vender/entregar o papel. O strike é o valor que ocorrerá a concretização do negócio no momento do exercício da Opção.

Edward, qual era o ativo ? Além disso, havia ordem de compra da ação por R$10,66 ? Ordem de compra da CALL por R$0,99 ? Ordem de venda da PUT por R$0,25 ?

Abraços !

Opera com travas ? Abra o olho …

pequeno gafanhoto - kung fu

O nosso mercado de opções vem passando por uma série de mudanças nos últimos tempos. Alguém se lembra que há “pouco” nosso vencimento era bimestral ? E que as PUTs não tinham praticamente liquidez alguma ? E que a formação básica das séries de opções era do tipo americano ? É … percebeu que a cada vencimento temos mais e mais opções do tipo europeu ?

Sim, é sobre esse “detalhe” que quero falar. 🙂

Modelo Americano

A principal característica do modelo americano é: o portador da opção pode exercê-la a qualquer momento. Não importa quanto tempo resta para o vencimento, não importa o valor, não importa nada. Se o portador (quem comprou a opção) desejar, ele poderá exercer.

Modelo Europeu

A principal característica do modelo europeu é: o portador da opção pode exercê-la somente no dia do vencimento. Isso … não importa que a opção não apresente liquidez para o desmonte da operação, não importa se ela já não tem um único centavo de gordura, não importa nada. O portador (quem comprou a opção) só poderá exercer o seu direito no dia do vencimento.

E o que isso tem a ver com as travas ?

Pequeno gafanhoto … pare e reflita por apenas alguns segundos … Tenho certeza que você chegará na conclusão desta questão.

Qual a principal vantagem de uma trava ? Você sabe, desde o início, qual será sua perda máxima em sua operação. Sim, desde o início. Afinal você sabe quanto precisará desembolsar para entregar as ações exercidas, bem como o valor recebido por elas. Um exemplo prático. Caso lance (venda) PETRC299 e trave (comprando) com PETRC309.

Você receberá (caso seja exercido) R$29,25 para cada opção exercida. Como está travado na C309, poderá exercê-las, pagando R$30,25 para cada opção em seu poder. Claro, estamos assumindo que o valor da ação exija que você faça isso, digamos … com a cotação a R$32. (assumindo também que não é mais válido comprar o papel no mercado, vender a C309, para obter sua gordura, etc etc etc)

Se o exercício acontecesse com a cotação abaixo dos R$30,25 você simplesmente compraria as PETR4 no mercado, venderia as PETRC309 e teria um prejuízo menor do que os R$1 (limite) da trava.

A parte boa é que isso pode ser feito a qualquer momento, afinal as duas são do tipo americano … Pronto, agora você entendeu onde quero chegar. Não ? 🙂

Sim, me diga … o que aconteceria, caso você fosse exercido há uma semana do vencimento e tivesse em mãos, uma operação com ponta travada do tipo europeu ? É … não poderia exercer esta opção antes do dia do vencimento. Sim, você teria uma trava que não trava por completo … Afinal existe o risco de ocorrer uma janela entre o exercício e o dia do vencimento em si.

Sim, eu sei que o exercício antecipado não é algo muito comum … Mas acontece. Eu já fui exercido antecipadamente umas 2 ou 3 vezes. (em mais de 15 anos operando com venda de opções) Parece pouco ? Mas o “pouco” pode lhe trazer muita dor de cabeça caso aconteça …

Portanto …

Na hora de montar sua trava, preste atenção se a ponta comprada dela é do tipo americano. É de fundamental importância que seja. A não ser, é claro, que a ponta vendida também o seja … 😉

Um pequeno detalhe … mas que pode te livrar de uma bela incomodação. 😀

O que acontece se minhas Opções virarem pó ?

Pergunta:

Se nas compras a SECO a opção virar pó, ao chegar no vencimento não é necessário tomar nenhum iniciativa ? Se eu não quiser exercer, pois não tem como desmontar a operação com ela a ZERO.

Resposta:

Opa ! Tudo certo Franklin ? 🙂

Não, não é preciso fazer nada … Elas simplesmente desaparecerão da tua carteira após o vencimento.

Talvez algumas pessoas não saibam, mas diferentemente das Ações, Opções têm vida útil. Elas tem “prazo de validade”. 😉

Sua vida vai até o dia do seu vencimento, e somente até aquele momento elas servem para alguma coisa. Depois do vencimento da opção elas “morrem”. Ou você exerce, ou você é exercido, ou elas viram pó. Se você não entende direito como funciona o vencimento de Opções, sugiro ler o post “Como funciona o exercício de opções ?

Então, se chegando no dia do vencimento, suas Opções (compradas) não estiverem em condição de exercício, elas estarão valendo 1¢, o famoso pó. Você precisará aceitar a perda e partir para a próxima …

Não precisará fazer nada em relação ao exercício propriamente dito, pois como disse, elas viraram pó e não têm condição de participar do exercício. Na terça-feira pós vencimento elas deixarão de aparecer na tua custódia e ponto final.

Importante lembrar que para efeitos de Imposto de Renda, a sua perda será igual ao valor gasto com a compra delas. Ok ?

Algumas pessoas ainda tentam vender estas Opções por 1¢, pois alguns vendedores podem desejar encerrar suas operações na última sexta-feira, antes do vencimento. Mas é preciso ver se o teu custo operacional não será maior do que o valor obtido com esta venda. 😉

Espero ter te ajudado ! 🙂

Abraços !

Compensando Imposto de Renda em ações, mas com um novo detalhe …

Pergunta:

Boa tarde!

ótima matéria! Seguem algumas dúvida, se puder me ajudar, agradeço.

Exemplo:
– Prejuízo no mês de Abril de R$ 500,00
– Lucro no mês de Maio de 300,00

1. Preciso gerar e pagar DARF referente ao lucro do mês de Maio? ou apenas farei a compensação na declaração anual?
2. Caso gere a DARF com atraso, posso compensar os juros e multas de mora com os prejuízos do mês de Abril ou a compensação vale apenas para o valor original do imposto?

Resposta:

Opa ! Tudo certo Gustavo ?

O post que o Gustavo está falando é este: “Tive prejuízo em minhas operações em Bolsa. Preciso gerar um DARF ?”. Obrigado ! 😀

Eu sei que o tema é abordado com certa frequência aqui … Mas as pessoas continuam tendo a mesma dúvida. E as dúvidas precisam ser extintas ! Lembra ? 😉

Partindo do princípio que o mês de abril foi o teu “primeiro” mês, ou seja, que não existe um passado de ganhos e perdas antes disso, os R$500 de perdas daquele mês deverão ficar “anotados” para ser compensado com lucros futuros.

Chegando em maio, você obteve um lucro de R$300. Esse valor é menor do que a perda a ser compensada. Você ainda tem um crédito de R$200 para ser usado com perdas futuras. 🙂

Então não, você não precisará gerar um DARF referente ao lucro do mês de maio. Aquele lucro foi compensado por uma perda anterior.

A Receita será informada sobre a perda de abril e do lucro de maio apenas na declaração anual. 😉

Importante: isso só deverá acontecer desta forma, se os R$300 forem obtidos em um mês onde houver um volume de vendas em ações superior a R$20 mil !!! Se você teve R$300 de lucro num mês onde vendeu apenas R$15 mil, por exemplo, esse lucro é isento, devendo ser informado como tal lá na declaração anual. 🙂

Se os R$300 vierem de um mês com vendas inferiores a R$20 mil, os R$500 permanecem “vivos” para serem compensados no futuro.

Já a segunda parte da pergunta, você usa lucros e perdas para chegar no resultado final. Será o resultado final que terá que ser usado para o cálculo do imposto. Exemplo: você teve perda de R$300 num mês e lucro de R$500 no seguinte. Restaram R$200, e estes R$200 servirão como base de cálculo para o IR. R$200 * 15% = R$30

Os juros e a multa são referentes ao imposto devido, portanto você não pode usar uma perda operacional para compensar disso.

De novo: você não usa um prejuízo passado para compensar o Imposto de Renda sobre o lucro futuro. O IR já é o “dado” final !! Uma perda passada será usada para compensar um ganho futuro, e do resultado restante dessa soma surgirá o valor do “lucro total” do período. E é em cima deste lucro total do período que você irá calcular o IR devido.

Você não pode usar uma perda para compensar diretamente no valor a ser pago de IR. Essa perda é usada apenas para chegarmos na base de cálculo do IR devido. Beleza ? 😉

Espero ter te ajudado ! 😀

Abraços !

O uso de Opções em carteiras de longo prazo

Ontem, conversando no Twitter sobre a importância do uso de Opções para carteiras de longo prazo, uma certeza foi reforçada: aqui no Brasil nós só damos atenção para as CALLs. 🙁

Durante muito tempo essa foi uma atitude compreensível, pois eram somente elas que tinham a liquidez necessária para serem usadas nas mais variadas estratégias possíveis de serem feitas com Opções. Mas de alguns anos pra cá, as PUTs vêm ganhando espaço e merecem o reconhecimento. 😉

Você pode perguntar para qualquer pessoa do mercado sobre Opções, 99% delas irá te responder apenas pensando em Opções do tipo CALL e sobre como elas se comportam explosivamente em períodos de alta, como o que temos vivido nos últimos tempos.

Ah, conheço um cara que fez 1.000% em uma Opção de PETR4 !!“. Ou então: “Conheço um sujeito que perdeu tudo o que tinha com Opções … Todo o dinheiro, casa, carro, família …” A maioria só pensa em CALL, até mesmo por conhecer apenas elas.

Quando se fala sobre o uso de Opções em carteiras de longo prazo, os mesmos 99% irão se repetir. “Claro que uso Opções na minha estratégia ! Lanço CALLs para garantir um rendimento extra para a carteira !!“. Você aprofunda um pouco mais o papo e descobre que esta pessoa faz aportes regulares à posição, com a compra de novas ações para a carteira, a ~qualquer preço, religiosamente.

Neste momento você repara quanto ainda é preciso trabalhar para levar a informação que as pessoas realmente precisam ter para investir com mais qualidade, com mais rentabilidade. E por que não com mais conforto ? 😉

A maioria simplesmente desconhece o fato de que poderia usar Opções do tipo PUT para comprar as ações da carteira. Desconhecem o fato que poderiam vender este tipo de Opção, recebendo dinheiro por isso, e desta forma comprando as mesmas ações com desconto.

Algumas até conhecem, mas alegam não fazer o lançamento de PUTs por conta do “risco” de não conseguir efetivar a compra da ação que desejam. Se lançarem, e a cotação da ação desejada subir, a Opção vira pó e a compra não acontece … Ou então dizem que não vale a pena lançar … Pois a compra só ocorrerá se a ação cair, e se cair, ela poderia comprar diretamente no mercado, por um preço mais em conta.

Quem responde isso, acho que não faz as contas … Só pode ! 😀

A pessoa aceita comprar a ação diretamente no mercado por R$10. Ok. Em seguida, ela vê o papel indo nos R$9, e como pensa apenas no longo prazo, isso não tem grande importância para ela. Afinal de contas poderá comprar no mês seguinte por um preço mais em conta. Se tivesse comprado através do lançamento de PUT, teria pago os R$10, recebido um prêmio ($$$) por isso, e veria essa mesma ação comprada a R$10 (menos o prêmio), indo nos R$9. Como pode !!? Que absurdo !

Tente mostrar para ela que é a mesma coisa, porém que ela estará comprando a ação com um desconto em relação ao que teria pago diretamente no mercado. Algumas poucas entenderão … 🙁

Sim ! Se você comprou por R$10, diretamente comprando a ação, pagou R$10 por ação. Se você comprou por R$10, através do lançamento de Opções do tipo PUT, você poderá ter pago muito menos do que os R$10 … Pode ter pago apenas R$9,60, por exemplo.

Agora compare os dois casos … Quem ganhou nesta compra ?

Ah Zé … mas a compra só ocorrerá se a ação estiver abaixo do strike dela ! Se subir eu perdi o bonde !!” Será ? Você terá colocado no bolso 3%, 4% … O que poderá usar na compra do mês seguinte !! Sim, você se esqueceu que a compra é feita de forma recorrente ?

Se você compraria 100 ações em fevereiro, mas não conseguiu por causa da valorização da ação, poderá comprar 200 em março. Comprará 200 e ainda terá os 3% ou 4%, que falei antes, para aumentar o seu bolo. 😉

É uma estratégia extremamente simples, que chamei, carinhosamente de “Compra de ações com desconto“, pois no final das contas é exatamente o que ela é. 🙂

Entendeu o porquê da minha tristeza no início do texto com o fato de as pessoas só conhecerem as Opções do tipo CALL ? Por só dar atenção a elas, muitos investidores de longo prazo estão deixando dinheiro na mesa ! Estão deixando de rentabilizar seu capital de uma forma mais inteligente e acelerada. (por que não ?)

Você poderá continuar lançando suas CALLs. Poderá continuar incrementando o rendimento total da carteira (juntando aos dividendos que receberá enquanto possuir as ações) com esses prêmios das CALLs. Mas por que abrir mão do prêmio que as PUTs também podem te proporcionar ?

O lançamento de CALL e PUT não são excludentes … Muito pelo contrário ! Elas são complementares. E isso pode lhe ajudar a ver o bolo crescer e crescer …

Basta dar uma chance ao “universo” das Opções e a tudo que ele pode nos proporcionar. 😉

Agora … se você ainda não conhecia essa forma de rentabilizar sua carteira de longo prazo, que tal começar a aprender sobre o tema Opções ? Aqui no Clube existe MUITO conteúdo sobre elas. Tanto CALL, quanto PUT. Tanto para quem tem carteira de longo prazo, quanto para os que querem fazer operações mais curtas. Tanto para aquele que não tem tempo para se dedicar 100% ao investimento em Bolsa, quanto para aquele que desejaria ter uma estratégia rodando de forma 100% automática.

Me deixe te ajudar a desbravar esse mundo maravilhoso das Opções ! 😀

Será um prazer fazer parte da sua história ! 🙂