Clube do Pai Rico
Solicite o seu agora mesmo!

Impeachment aprovado ! Mas e se o mercado cair … ?

Hoje é aquele dia que muitos esperaram, é o pós votação do impeachment. 🙂

Tudo aquilo que falávamos nos últimos meses tinha como ápice o dia de ontem. Foi uma votação apertada, não há como negar … Apenas 25 votos além do necessário ! Mas o que importa é que agora o processo segue ao Senado e um dia saberemos o desfecho. 😉

Mas, como dito, o ponto crucial do impeachment é a passagem pela Câmara dos Deputados. Por causa da necessidade de 2/3 dos votos, e pela configuração da distribuição dos poderes na casa, a coisa era dada como certa pelos dois lados, até poucos instantes do voto final. Veio o resultado que mais agradava o mercado e que gerou o BOOM que vimos nas últimas semanas na Bolsa. O chamado Rally do Impeachment.

Já falei inúmeras vezes sobre a realidade dos fatos … Qual ? A de que o rally do impeachment não foi o único e real causador desta alta que vimos. Os motivos são muitos, e vão desde uma recuperação no preço das commodities (carro chefe da nossa economia …), uma desvalorização do dólar, a nível mundial, e o próprio rally do impeachment. Como disse, o rally apenas turbinou o processo de alta que vimos mundo afora. Tudo subiu. Tudo se valorizou. Pode até não ter sido na mesma proporção que vimos aqui, mas subiu. Afinal de contas … O impeachment só nos favorecia … 🙂

Mas, e agora … o que vai acontecer ?

Tem muita gente que se preparou na semana passada para este momento. Tem muita gente que se preparou no mês passado para este momento. Tem muita gente que já começou a se preparar no final do ano passado para este momento …

Alguns já saíram … Outros tentarão tirar até a última gota do movimento … Outros entrarão apenas agora. 😯

É … muita gente deixará para entrar somente agora ! Depois de vermos o índice sair dos 37.000 e chegar até os 54.000 !! Depois de ver o índice valorizar quase 50% !!! Mas tem gente que entrará somente agora …

Poderão ganhar dinheiro ? Sim, poderão. Poderão perder dinheiro ? Sim, poderão. Afinal de contas isso é Bolsa, e aqui, tudo é possível.

Vai subir e ponto final

Esta era a opinião padrão que vi nos últimos dias. Não podia ser diferente, a única alternativa viável era a alta. Vai subir, sem choro nem vela. E ai de quem pensar o contrário …

É … ousei levantar a possibilidade de vermos uma queda nos próximos dias, e acredito que você possa imaginar o quão bem fui recebido por isso. 🙂

Pronto, se eu falava que poderia cair, era porque estava torcendo pelo não. Que era contra o golpe. Que estava agindo contra o Brasil e o interesse de milhões e milhões de pessoas. Poxa … justo eu ? 😉

Não. Ao falar sobre a possibilidade de vermos uma queda no pós votação, eu estava tentando enxergar um cenário diferente daquele que a maioria insiste em ver como sendo a única alternativa existente. Não, não digo nem alternativa viável. É somente existente mesmo. Não existe mais nada nesse mundo que possa acontecer …

É … Muita gente que está no mercado acha “errado” analisarmos possíveis alternativas ao senso comum. Você está errado ao tentar simular um cenário diferente daquele que é o mais provável, mas que ainda é um que seja possível de vermos. Será que não é justamente por encarar o outro lado da moeda que me permita ser um investidor diferenciado ? Será que não é justamente por tentar ver o que a maioria insiste em não ver, que posso obter um retorno diferente do que a média consegue ? …

Vai subir, eu também acho !

Sim, eu acho que veremos uma alta no dia de hoje. Nem que seja somente na abertura … mas veremos uma alta. Esta é a expectativa de muitos dos que estão no mercado. De muitos que movem o mercado. E como o mercado é movido na base do que as pessoas fazem e acham, veremos – ao menos – um começo de pregão animado. Muito animado para dizer a verdade.

Lá fora, os ativos que simulam o índice brasileiro apontam alta. O mais tradicional deles, o EWZ, opera em alta superior a 2%. O que é negociado no Japão apresentou alta de 4% !

Abertura em forte alta não quer dizer que veremos só isso para os próximos dias. Ou até mesmo para o dia de hoje … Já pensou que o bom e velho “subiu no boato para cair no fato” venha a se concretizar mais uma vez ? O mercado é movido pelas pessoas que o movem. Mas o que move a maioria destas pessoas, ou melhor, o que move a maioria do dinheiro que circula no mercado, são as expectativas do que acontecerá. Se foi o impeachment que turbinou esta nossa alta … ele agora está a um passo de ser concretizado.

Estou querendo dizer que vamos cair ? Não … mas não posso afastar esta possibilidade.

Ao menos eu estarei olhando o mercado mais com os olhos da venda do que os da compra neste momento. Ficarei aguardando um sinal de venda, que pode até não vir tão cedo … Mas comprar onde estamos, não faz parte dos meus planos não. O risco neste ponto é um pouco acima do que consigo tolerar.

Se você está comprado, atenção ao seu STOP. Se conseguiu comprar lá nos 37.000, parabéns ! Na verdade, se conseguiu aproveitar qualquer pedaço de toda esta alta, você está de parabéns !!! 🙂

Está de parabéns, mas considere redobrar sua atenção neste momento de confirmação do fato … Ok ? 😉

Pare um momento e se pergunte: Mas … e se o mercado cair agora, o que eu faço ? Pode ir muito contra a sua expectativa … mas pode lhe fazer bem. 😀

Zé, como terminou aquele seu teste com a compra de volatilidade ?

Antes de mais nada: aquele teste que eu acabei não levando adiante. Lembra ?

Acho importante voltarmos aquele exemplo de operação, pois hoje é o dia em que ele termina, graças ao vencimento de opções. 🙂

Não é segredo para ninguém que a ação “mãe” das opções envolvidas na operação subiu muito. A Dona Petro subiu como há tempos não subia. Fim da desabada nas commodities ? Rally do impeachment ? Escorregada do dólar ? São vários os fatores que influenciaram esse comportamento dela, mas certamente é o rally da mandioca sapiens que turbinou a alta. 😉

Um resumo rápido da operação: venderíamos 30.000 PETRC69, e com o dinheiro obtido poderíamos comprar 42.000 PETRC77. Esta configuração aconteceu no dia 19 de fevereiro, quando a ação (PETR4) estava na faixa dos R$4,00. Os motivos que me levaram a escolher estas opções foram apresentados nos posts a seguir:

Compra de Volatilidade: o meu 4º teste
Zé, como anda o seu 4º teste com a compra de volatilidade ?

Diferentemente do que fazia antes, dei preferência para opções ITM, seguindo uma sugestão do amigo @Christian, lá no twitter.

Acabou que eu não montei, me assustei com a falta de liquidez das duas opções. E por medo de não ter mercado para sair da operação, fiquei de fora. No início foi tranquilo, pois o lucro que abri mão era pequeno. Mas depois dessa arrancada … 😯

Imagina quanto deixei para trás ?

Na operação, eu colocaria R$15 mil no risco, esse era o prejuízo máximo que a operação me geraria. Num primeiro momento eu via R$3 mil … R$5 mil … ficando para trás. Mas … sabe quanto ela estava gerando na última sexta-feira ? Módicos R$41 mil !!!!!!

É … se eu tivesse feito a operação … se tivesse carregado até agora … se … se … se, teria a oportunidade de colher R$41 mil de lucro. (com o valor de fechamento das duas opções)

Deixei de acompanhar mais de perto há 2 semanas, portanto não tenho ideia de como a liquidez da operação se comportou. Mas … depois, pensando com carinho … uma possibilidade de zeração, que independe de liquidez me veio à cabeça: eu poderia ter carregado até o vencimento propriamente dito. 🙁

Sim, bastava eu ter trazido a operação até hoje, deixar que me exercessem as 30.000 PETRC69, por R$3,00, e eu exercer as 42.000 PETRC77, por R$3,50. Resultado final ? R$39.000.00

É … a operação teria gerado perto de 250% de lucro em apenas 1 mês !

E agora, vai fazer ?

Claro que isso surgiu de um evento explosivo, que não se vê praticamente nunca … Para esta saída “no dia do exercício”, precisaríamos de um movimento forte e que pudesse manter as cotações no alto, como ocorreu agora. Mas confesso que graças a isso, a esse resultado expressivo, com possibilidade de saída no exercício das opções, sem problemas com a liquidez, me deu forças para continuar olhando a estratégia com carinho.

Ficarei de olho em uma nova oportunidade de entrada, esperando por um movimento de alta. Acredito que dificilmente veremos um com a intensidade e velocidade do atual (talvez o impeachment em si), mas se eu conseguir obter algo próximo a 50% do capital envolvido na operação, com o tipo de risco que ela me proporciona, será fantástico !

Estarei de olho, e assim que fizer alguma coisa, informo vocês. Aqui no site e lá no twitter, é claro. 😉

Mas já aviso de antemão: cuidado para não cair no canto da sereia … Proporcionaria um ótimo lucro … Mas isso não é o padrão das operações que envolvem a compra de opções … Ok ?

Se interessou pelo tema ?

Indico dois livros:

Ganhando Dinheiro com Opções
Fique rico operando opções

Adeus Petrobras ! O nosso relacionamento foi bom enquanto durou …

É … nem todo relacionamento dura para sempre. E este é um que está bem próximo de seu fim … 🙁

Algo que foi muito bom enquanto durou. Desde 2009 eu foquei minhas operações em Bolsa nas ações desta empresa. Montei uma boa carteira de ações dela. Vendi (muitas e muitas vezes) suas opções. Obtive um belo lucro. Mas … nada dura para sempre.

Você que acompanha o Clube há mais tempo, se lembra que há alguns anos decidi focar toda a minha estratégia nas ações e opções da PETR4. Foram muitos anos de lançamento de suas opções (especialmente das CALL, com o uso de PUTs somente há poucos anos), que gerou um bom capital que foi usado para aumentar a posição em carteira dela.

Você que acompanha o Clube certamente se lembrará que em 2015 eu desfiz minha posição. Vendi todas as ações, perto dos R$13, em abril. De lá pra cá, a grana ficou sempre no CDB (por que no CDB Zé ?), que foi usado como garantia de minhas operações de venda, tanto de CALL, quanto de PUT, da mesma PETR4. Como falei no post, estava desistindo da empresa (pois não terias mais suas ações em minha carteira), mas não abandonando a negociação de suas ações e opções.

A volatilidade do papel só me trazia benefícios, pois isso me possibilitava realizar meus trades. Mas … nada dura para sempre.

A desabada final

Desde o final de 2015, temos visto o papel enfrentar uma queda “sem fim”. Saímos dos R$7,00 para vermos um novo patamar em nossas telas: R$4 …

A situação da empresa é cada vez mais complicada … A tempestade perfeita que a atingiu fica cada vez mais forte. A cada dia que passa, a cada notícia que é divulgada, a coisa parece mais complicada para uma (possível ? improvável ?) recuperação da empresa. Mas não é exatamente isso que vem me fazendo pensar sobre a manutenção, ou não, de nosso relacionamento.

O que vem me fazendo refletir é aquele número ali de cima … os R$4. Por quê ?

Com o papel a R$4, as opções dela valem cada vez menos. Tanto as CALL quanto as PUT … Com o papel a R$4, somente as opções ATM (muito próximas da cotação do momento) apresentam algum valor. Somente as opções ATM (e as muito próximas dela) apresentam a tradicional liquidez de outrora.

Se a minha estratégia atual se baseia no lançamento de opções “levementeOTM, visando obter uma vantagem por causa de sua distância, como posso manter o foco em uma ação que não apresenta opções OTM com um valor que apresente um risco VS retorno que me agrade ?

Como manter meu foco nas ações da Petrobras, se para obter o valor que considero “justo” pela venda das opções, eu preciso:

1) Trazer a venda para opções muito próximas da cotação atual, aumentando desta forma o risco envolvido nesta venda. Ao trazer para perto do dinheiro, meu “espaço de manobra” (um espaço entre a cotação atual e o strike da minha venda, que permite que o papel suba e eu permaneça ganhando) diminui drasticamente. Isso aumenta consideravelmente o risco da operação e a quantidade de vezes que aciono meu STOP.

2) Aumentar, consideravelmente a quantidade de opções negociadas em cada operação. Isso pode aumentar o valor obtido na operação, quando vencedora. Porém amplifica a perda, na mesma proporção, em caso de necessidade de acionamento do STOP.

Só desvantagens …

Sim, neste momento, manter minha estratégia focada – única e exclusivamente – nas opções de PETR4, me traz somente desvantagens. Manter minha estratégia focada na Petrobras, só aumenta o meu risco … só me atrapalha na manutenção dos resultados que venho obtendo nestes muitos anos da estratégia.

Sim, você leu direito: estou prestes a abandonar a Petrobras e me preparando para migrar para um novo afair. O alvo ainda não foi definido. Pode ser que vá para a Vale. Pode ser que vá para o Itaú. Pode ser que vá para a BM&FBOVESPA. (talvez Bradesco … talvez Ambev …)

Nada está decidido. Preciso escolher uma ação que me proporcione uma liquidez decente em suas opções, que apresente uma boa volatilidade, que não custe R$4. 😉

Mas nada está decidido, mesmo. Pode até ser que eu permaneça com a Petro. Basta que suas cotações apresentem alguma reação, que abandonem a casa dos R$4. Que volte a ser negociada mais perto dos R$7, R$8. Nesta faixa eu consigo manter a minha estratégia intacta, afinal o resultado obtido no segundo semestre do ano passado me mostrou isso. Mas perto dos R$4 é impossível de permanecer nela …

A ideia permanecerá sendo ter um alvo único. Essa dedicação me permite obter um retorno que me agrada. Não vejo motivos para mudar esse ponto da estratégia. Mas em uma ação que vale R$4 … isso é praticamente impossível.

É uma pena … foi tudo tão bom enquanto durou … 🙁

lenços de papel

Zé, como anda o seu 4º teste com a compra de volatilidade ?

Como você deve estar lembrado, no dia 15, falei que estava me preparando para o meu 4º teste com uma estratégia em opções que podia se beneficiar de um – possível – movimento (neste caso numa expectativa de alta nas cotações de PETR4) mais forte na cotação da ação. Leia o que falei para se inteirar do assunto.

No post falei que aguardava a sinalização, a indicação que a alta teria início, para montar a operação. Aguardei … Aguardei … Aguardei. Até que ela veio, na sexta-feira passada, dia 19. De lá pra cá vimos a cotação subir bastante. O papel saiu da casa dos R$4,50, na sexta, até os R$5,30 na terça. “Acertou na veia !” você pode poderia pensar. Poderia …

Falta de liquidez

É … nem tudo são flores meus amigos. 🙁

Eu estava de olho em duas opções para essa operação: PETRC69 e PETRC77, com os strikes em R$3,00 e R$3,50, respectivamente. Como era um teste, não poderia entrar com carga total, mas também não valeria a pena montar uma operação muito pequena. A minha intenção era a de vender 30.000 PETRC69 e comprar quantas PETRC77 o momento me permitisse.

Você está lembrado que a operação consiste da venda de uma opção, com a compra em maior quantidade de uma de strike superior em maior quantidade. No momento em que o sinal foi dado, a proporção era a de 1:1,4. Traduzindo: eu poderia comprar 40% mais C77 do que as C69 vendidas. Traduzindo de novo: Eu poderia comprar 42.000 C77 com a venda das 30.000 C69.

E neste momento o problema apareceu …

Enquanto eu observava as cotações, aguardando a sinalização de que o papel poderia subir, as duas opções apresentavam uma liquidez interessante, suficiente para que eu montasse a operação nesta proporção. Mas … infelizmente … na hora em que a coisa dizia “vai Zé, monta !” a coisa desandou. Liquidez extremamente reduzida, 1.000 pra lá, 2.000 pra cá … Antes era sempre na casa dos 20.000 em ambas.

Quando vi aquilo pensei: “Será que posso montar esta operação ?“. Se a liquidez já diminuiu tanto naquela situação, imagine quando a ação subir e o strike da opção estiver ainda mais distante da cotação do papel ? Quanto mais distante, menor é a liquidez …

Pensei … Pensei … E pensei. Resultado ? Não montei. 🙁

Fiz bem ?

Na segunda e terça-feira, com a arrancada do papel, a operação já se mostrava lucrativa. E bem lucrativa. Mais de R$3.000,00 de lucro (levando-se em consideração que o risco máximo de perdas era de R$15 mil, a coisa se mostrava muito interessante) para desmontar.

O problema ? A falta de liquidez permaneceu. Na verdade, ela piorou um pouco !

Pior do que piorar, em determinados momentos a liquidez era zero. Zero ! Se eu quisesse/precisasse encerrar a operação, não teria como. Não havia nenhum vendedor da C69, a parte vendida da operação que precisava ser comprada para encerrar.

E não foi por pouco tempo não …

Quando não eram as pequenas ofertas que impediriam o encerramento da operação, era a completa ausência de pontas interessadas que impediam.

Resumo: Fiz bem e não fiz. 😯

Fiz bem, por não correr o risco de ter uma operação em mãos que poderia se mostrar problemática na hora de encerrar. Não fiz bem, pois deixei de ganhar uma bela quantia em uma operação de testes …

Mas como lidar com esta operação então ?

Olha … Acredito que um dos principais problemas desta operação, em específico, seja o baixo valor da ação “mãe”. Além de precisar de uma forte alta (forte mesmo, subiu quase 15%) para apresentar um belo lucro, qualquer variação mais forte fazia com que o strike das opções usadas se distanciassem demais da cotação atual.

Como usar a estratégia então ? Lotes menores ? Possivelmente seria a melhor alternativa. Porém com essa solução, eu limitaria – e muito ! – o meu retorno. Estar preparado para zerar (e montar) a operação aos poucos, precisando desta forma correr o risco de que um movimento mais explosivo (como foi visto neste caso) atrapalhasse um pouco o processo de encerramento.

A parte mais importante da operação, que não ocorreu, foi ver que:

1) A estratégia é válida, me permitindo ganhar em momentos de alta, sem a necessidade de colocar dinheiro novo na mesa;

2) A pouca liquidez exige uma calma (extra) na hora de montar e desmontar a operação;

3) A operação exige que o investidor esteja preparado para o risco de ver a liquidez sumir completamente, impossibilitando o encerramento da operação em determinados momentos.

O resultado financeiro me agradou bastante (bastante mesmo, afinal foram 20% sobre o capital efetivamente colocado em risco, sem colocar dinheiro propriamente dito). A adoção de opções ITM (dentro do dinheiro) se mostrou mais interessante do que os testes em que usei opções OTM. 🙂

Acho que voltarei a falar sobre esta estratégia em um futuro próximo. 😉

Em busca da próxima oportunidade de investimento

A rotina para quem vive de investimentos, especialmente para os que vivem dos em Bolsa, é um eterno jogo de paciência. Ficamos na expectativa de vermos uma nova sinalização de trade, esperando pela próxima chance de entrarmos na melhor oportunidade de investimento daquele instante. 🙂

E garanto para vocês: só consegue sobreviver aquele que consegue obedecer este “pré-requisito”, e fica aguardando que uma sinalização seja dada, que uma operação, com baixo índice de chances de erro, surja para fazer o faz me rir do mercado. 😉

Inúmeras oportunidades surgem diariamente, em diversos ativos. Possibilidades de compra, de venda, em ações, em opções, em commodities, em futuros. Oportunidades não faltam, mas como conseguir aproveitar o máximo delas ? Sinceramente ? Não sei lhe responder, pois estou aqui, aguardando a chance de aproveitar o mínimo possível delas. De preferência, apenas uma que me garanta o mês. 😀

Sim, eu opero desta forma. Fico o “dia inteiro na frente do computador” aguardando por um sinal, por uma indicação de uma operação que me garanta um bom retorno. E sim, na maioria das vezes o que acontece é que aguardo uma única operação no mês, que me proporcione um bom índice de retorno com um baixo nível de risco. Fico de tocaia, esperando um movimento em falso … BANG !

Olhando vários ativos, para filtrar o melhor sinal dentre eles ?

Não. Olho apenas para a PETR4, acompanhada dos índices (Ibovespa, Dow Jones e SP&500) para obter um reforço na “teoria da operação”, ou uma negação para fazê-la. Sim, apenas uma ação é negociada por mim. Na verdade vendo e compro (necessariamente nessa ordem, hehehe) suas opções. Uma forma mais rápida, mais alavancada, mais … “favorável para o meu lado”.

Acompanhando apenas uma ação fico mais concentrado, conseguindo aproveitar melhor o que surge, conseguindo filtrar melhor o que vejo. Poderia até negociar com mais ações e obter o mesmo resultado (ou maior, vai saber …), mas a estratégia tem funcionado para mim deste jeito, nos últimos muitos anos. Por que mexer em time que está vencendo ? 😉

Na verdade eu já tive experiências onde acompanhava mais ativos, no meu início em Bolsa. O resultado era muito diferente do atual. Ok … a experiência que eu tinha era muita pequena, nem sequer comparável com a que tenho hoje. Mas como disse … se está funcionando, por que mudar ?

Acompanhando apenas um ativo fico na frente do computador o dia inteiro, mas com a possibilidade de fazer muitas outras coisas enquanto isso. Ver um bom filme ? Posso. Ver um seriado ? Claro ! Ler um livro ? Por que não ? Precisa dar um saída ? Sem problema, basta acompanhar via celular …

Acompanhar um ativo me dá liberdade, me permite aproveitar meu dia, mesmo ficando ligado no que acontece na Bolsa.

Mas como pagar as contas desse jeito ?

Como disse, espero por uma oportunidade, com baixo risco, mas com o retorno necessário para arcar com meus gastos mensais. Preciso esperar mais ? Preciso ficar posicionado por mais tempo ? Preciso ficar dentro do mercado por mais tempo, aumentando desta forma o meu risco ? Talvez … mas é assim que tenho feito, e é assim que tem funcionado. 🙂

Claro, a “pressão” das contas existe para todos, e comigo não podia ser diferente. Mas enquanto não surge a oportunidade de investimento que vai garantir o mês, o meu colchão de segurança me protege. 😉

E não poderia ser diferente ! Já pensou você operando, precisando realizar uma operação para levantar o dinheiro do mês, sem aparecer um sinal claro ? Muito provavelmente você acabará entrando em uma operação “não muito segura”, apenas para tentar ganhar algo. Já imagina qual é o possível cenário após essa entrada, não é mesmo ?

Sim, você entrará na operação, muitas vezes contrariando sua estratégia, numa operação com mais risco do que de costume … e ela dá errado. Perda …

O que funciona para mim é justamente a proteção de não “precisar” do dinheiro daquela operação. Alivia a pressão de ter de fazer dinheiro, ajudando a enxergar as coisas de forma mais clara. E isso pode fazer toda a diferença na hora de decidir se uma operação é válida ou não.

Ontem mesmo tive um exemplo …

Quem me acompanha no twitter deve ter visto eu falando no final do pregão sobre a minha vontade de vender alguma coisa de PETR4.

As condições do gráfico intraday apontavam para a possibilidade de uma corrigida para hoje. Aos menos algumas das coisas que olho diziam isso. Mas não existia um sinal claro de que era a hora de vender. O papel estava sendo negociado por R$7,65 …

Era apenas o meu feeling, o meu sentimento (que muitos dizem fazer parte da experiência acumulada, mas melhor não entrarmos nesta discussão agora, hehehe) de que a coisa poderia mudar. Só que não havia uma confirmação desta condição de venda. Portanto …

A minha intenção era a de realizar uma venda curta, aproveitando o possível alívio nos indicadores de curto prazo, possivelmente já no começo do pregão de hoje. Isso eu achava, sem sinal de que “faria” isso ? Não fiz.

O papel fechou em R$7,70. No after, nos R$7,80. Quase 2% em relação ao ponto em que montaria minha venda. 🙂

Se fiz bem em não me ouvir ? Dentro de mais alguns minutos saberei. Mas de uma coisa eu já sei: acertei ! Por quê ? Simples, obedeci à minha estratégia. 😀

Se o que vem funcionando é ficar no aguardo de uma sinalização do mercado para montar a operação, fazer uma operação só porque “achei que cairia” iria contra ao método que venho adotando. Este é o primeiro passo para a perda …

Nunca entrou no achismo Zé ? Conta outra …

Sim, e justamente por ter feito isso algumas vezes, sei que não é o melhor a ser feito. Muitas vezes acertei. Muitas mesmo, foram mais acertos do que erros. Porém, os erros falaram mais alto do que os acertos …

Sim, também já precisei realizar uma operação para cobrir uma parte dos gastos do mês. A consequência ? Criei uma operação que precisou ser carregada por vários meses, que acabou me trazendo um baixo retorno, quando comparado com o risco que corri com ela. Felizmente não gerou uma perda tão grande quanto poderia a que poderia ter sido criada (graças à rolagem, e tem gente que fala mal dela !!), mas tive uma boa dose de stress que não seria necessária se respeitasse à estratégia.

A luta que um investidor trava diariamente não é contra os comprados ou os vendidos, tubarões ou sardinhas, nem mesmo contra o mercado como um todo. A verdadeira batalha de um investidor é consigo mesmo. O inimigo, muitas vezes, está mais perto do que gostaríamos que ele estivesse …